sexta-feira, 30 de junho de 2017

Saiba como evitar acidentes com animais de estimação

Da Redação

Os animais domésticos fazem parte da família. Em muitas casas brasileiras, eles são criados como filhos, e assim como as crianças, exigem muita atenção e cuidado. Até porque acidentes com animais de estimação são mais comuns do que imaginamos.

Os filhotes são os mais curiosos. Quando eles estão chegando na família, precisam conhecer e se adaptar ao ambiente, e por isso, é comum que mastiguem objetos, se escondam atrás dos móveis e subam em lugares altos — além de cheirar e lamber quase tudo que veem pela frente. Portanto, prestar atenção nos filhotes e mantê-los em um ambiente seguro é fundamental para evitar acidentes afirma o veterinário Cauê Toscano do Vet Quality Centro Veterinário 24h.

Alertas para evitar acidentes com filhotes

Quando resolvemos adotar um animal filhote, é importante preparar o ambiente para recebê-lo. Escolha uma parte da casa para ele dormir, comer e fazer suas necessidades biológicas. Nesse local, é importante que tomadas e fios de eletricidade estejam protegidos.

Se você tiver um gatinho, deve ter tela de proteção nas janelas e nas varandas, além de evitar móveis altos.

Assim como no caso das crianças, não deve ser deixado ao alcance dos seus pets qualquer produto químico. Se você estiver fazendo uma reforma na casa, é fundamental atenção para que eles não entrem em contato com a tinta fresca.

É muito comum que cachorros pequenos procurem objetos para roer, pois seus dentes estão em processo de formação e crescimento. Por esse motivo, ter disponível brinquedos que facilitem a dentição é interessante — caso contrário, é muito provável que seu bichinho roa paredes e sapatos.

Precaução com utensílios e brinquedos

Evite deixar à vista objetos pequenos que podem ser facilmente engolidos, como moedas, brincos, peças de brinquedos infantis, caroços e sementes. Engolir itens inapropriados é um dos acidentes com animais mais comuns. Esse tipo de ocorrência pode causar uma série de lesões no estômago e no intestino. Em caso mais graves, é necessária uma intervenção cirúrgica.

Existem brinquedos apropriados para cães e gatos de diferentes tamanhos. Cães de porte médio e grande não deve ter brinquedos muito pequenos ou com peças miúdas, já que podem ser engolidos.

Cuidados para evitar acidentes com animais idosos

Animais em uma idade avançada — acima de 7 anos — precisam de atenção redobrada. Se eles já estão com a visão debilitada ou com dificuldades de locomoção devido a problemas de saúde, é importante ter atenção quando eles sobem ou descem de móveis. No caso de cães, os sofás e as camas. Já os gatos, as estantes, as prateleiras e as mesas.

Os animais idosos também ficam mais seguros em ambientes limitados. Por isso, lembre-se de fechar portas e janelas quando for necessário deixar o seu pet sozinho em casa.

E se caso, algum acidente acontecer, não deixe de levar o seu pet imediatamente a um hospital veterinário.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Perguntas e respostas sobre as olheiras

O rosto é o nosso cartão de visitas, mas infelizmente os primeiros sinais de envelhecimento surgem exatamente na região da face. As olheiras, cujo nome médico é hiperpigmentação periorbital, é um problema comum que atinge mais frequentemente as mulheres. Embora não tenha impacto na saúde física, as olheiras afetam a autoestima e a qualidade de vida.



Isso porque essa condição interfere na aparência facial, causando um aspecto de cansaço, tristeza ou até mesmo de ressaca, o que pode comprometer a vida social e profissional de quem sofre com esse problema. Segundo Dra. Tatiana Nahas, oftalmologista, especialista em cirurgia de pálpebras e Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, a olheira é a diferença de cor entre a pele que reveste as pálpebras e o restante da pele facial.

“A região ao redor dos olhos, que chamamos de periorbital, é uma das primeiras áreas a mostrar os sinais do envelhecimento. Além das rugas e da flacidez, é muito comum ocorrer a hiperpigmentação dessa região, ou seja, as temidas olheiras”, explica a médica.

De onde vêm as olheiras?
Dra. Tatiana explica que a origem das olheiras é complexa e inclui diversos fatores. “As causas podem ser primárias, quando há fator genético envolvido, ou secundárias quando há apenas fatores ambientais. Não há uma definição exata de sua origem, mas hipóteses sugerem fatores como hereditariedade, excesso de exposição solar, hiperpigmentação pós-inflamatória, excesso de vascularização subcutânea, hipertransparência da pele, edema periorbital e herniação da gordura palpebral como as causas mais prováveis”, afirma a médica. 

Os descendentes de árabes, turcos, hindus e ibéricos costumam herdar essa característica geneticamente. “Mas ela pode se agravar se a pessoa se expuser aos fatores de risco, como fumar, consumir álcool em excesso, dormir pouco e fizer uso de certos medicamentos. Portanto, encontramos condições mistas. Outros fatores de risco envolvidos nas olheiras são as doenças alérgicas, como rinite e asma, doenças que atingem os rins, coração e tireoide”, comenta Dra. Tatiana. 

Quais são os tipos de olheira?
Como há diferentes tipos de olheiras, é preciso cautela nos tratamentos. Cada paciente irá demandar uma ou mais terapêuticas diferentes, mesmo porque raramente a olheira é causada por apenas um fator. A melhora dos “olhos escuros e cansados” é feita por combinações de tratamento. 
Pigmentar (olheira verdadeira): olheiras que surgem pelo acúmulo da melanina. O tratamento deve ser realizado em conjunto com o dermatologista, que geralmente aplica laser para melhora do quadro. 
Muscular: ocorre quando há hipertrofia do músculo orbicular pré-tarsal: O tratamento com toxina botulínica alcança bons resultados. 
Bolsa de gordura: por protusão (protuberância) das bolsas de gordura inferiores. O tratamento é feito por meio da blefaroplastia (cirurgia de pálpebras) inferior transconjuntival ou transcutânea. 
Sulco Nasojugal: ocorre pela formação de sombra abaixo dos olhos por evidência do ligamento palpebromalar (ou sulco nasojugal). O tratamento é feito com preenchimento com ácido hialurônico. 

Como a toxina botulínica melhora aspecto da olheira?
Quando a pessoa sorri e fica um “gordinho” logo abaixo dos cílios, significa que ela tem um músculo orbicular mais espesso e forte que, ao se contrair, simula uma olheira. Para amenizar esse aspecto, é usada a toxina botulínica (Botox R) para diminuir a contração das fibras musculares. O tratamento dura no máximo seis meses.

Como o preenchimento melhora o aspecto da olheira?
Existem diversos preenchedores faciais. O mais próximo do “ideal”, atualmente, é o ácido hialurônico. Ele está presente em diversos tecidos do organismo, inclusive na pele, mas perde suas qualidades de hidratação e elasticidade com o tempo. Por isso quando confeccionado industrialmente possui ligações intercelulares mais estáveis (crosslinking) e pode durar até 18 meses. O ácido hialurônico é usado para preencher espaços entre as células e quando colocado no sulco nasojugal dá volume a uma área deprimida, refletindo mais luminosidade no local tratado, disfarçando as olheiras. 

Como a blefaroplastia melhora o aspecto da olheira?
Nos casos em que há excesso de pele ou de gordura nas pálpebras, é possível corrigir por meio de uma blefaroplastia, cirurgia feita nas pálpebras. Atualmente, a Blefaroplastia é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados pelo Oftalmologista especializado em Cirurgia Periocular, uma vez que este profissional tem profundo conhecimento da dinâmica palpebral e das necessidades de proteção do olho.

É possível prevenir?
Veja algumas dicas da Dra. Tatiana para prevenir o agravamento ou surgimento das olheiras: 
Dormir de 7 a 8 horas por noite. Não fumar . Consumir álcool com moderação . Evitar coçar os olhos, pois a fricção pode levar ao rompimento de vasos sanguíneos e consequentemente ao escurecimento das pálpebras. Usar protetor solar específico para a região dos olhos e evitar a exposição solar, mesmo que esteja usando protetor solar. Diminuir o consumo de sal e sódio, pois essas substâncias levam à retenção de líquido, que pode impactar no inchaço das pálpebras 




terça-feira, 20 de junho de 2017

Ruminar pensamentos provoca depressão e ansiedade

Estima-se que uma pessoa tem de 40 a 60 mil pensamentos por dia. A maioria das situações com as quais nos preocupamos acaba de forma positiva ou neutra. E se você pensar nos eventos mais complicados da sua vida pode ter certeza que recordará que eles acabaram sendo menos graves do que você imaginava. Portanto, para que ficar ruminando?


Esse termo pode soar estranho, já que ruminar é uma característica de certos mamíferos como a vaca, que ingerem os alimentos, regurgitam-nos para a boca e os mastigam novamente. A psicologia usa o termo ruminação para explicar os pensamentos negativos e recorrentes. Todas as pessoas ruminam, mas nem toda ruminação é disfuncional.

Segundo Dr. Caio Magno, psiquiatra e cofundador da Clínica Estar, a ruminação é prejudicial quando está associada a alguns comportamentos e sentimentos. “Se pensar em uma situação causar mau humor, tristeza e desmotivação é um sinal de alerta. Além disso, é um fator de risco importante para desenvolver quadros de depressão, ansiedade e estresse. Além do que pode dificultar a melhora desses problemas”, explica o médico.

“Há pessoas que evitam pensar nos problemas, o que é disfuncional. Já os que ruminam pensam demais e de modo destrutivo, piorando o estado depressivo ou ansioso, o que acaba levando à manutenção do problema”, diz o Dr. Caio.

Ruminar pode estar ligado a características individuais
De acordo com Dr. Caio, há pessoas com maior predisposição a ruminar. “Existem pessoas que vivenciam de forma mais intensa os sentimentos de aflição, angústia, tristeza, ansiedade e têm baixa tolerância à frustração. Essas pessoas costumam apresentar com mais prevalência os pensamentos ruminantes disfuncionais”, explica o médico.

O lado bom da vida
A boa notícia é que é possível mudar os pensamentos negativos recorrentes por meio da chamada Terapia Cognitivo Comportamental (TCC). Criada nos anos 60 nos Estados Unidos, pelo psiquiatra norte-americano Aaron Beck, a terapia atua para modificar um pensamento disfuncional ou distorcido sobre um fato para que a pessoa possa ter uma visão mais clara da sua vida e se sinta melhor. Outra técnica importante com poder de reduzir a ruminação, assim como sintomas depressivos e ansiosos é o mindfulness. Tal prática permite uma outra relação com pensamentos negativos, sendo eficaz nesse ponto.

Mas, mesmo sem a terapia, há alguns passos que podem ser seguidos para evitar a ruminação disfuncional. “É preciso aprender a contestar os pensamentos ruminantes, avaliar se são válidos e pensar em saídas alternativas. Só o fato de perceber que ruminar reforça o problema emocional pode gerar na pessoa uma perspectiva diferente sobre esse hábito tão ruim ”, finaliza o médico.





Comidas típicas de São João têm nutrientes bons à saúde

Festa junina é uma comemoração típica que está relacionada à igreja Católica, uma vez que as comemorações estão ligadas aos santos desta religião. Além das danças em volta da fogueira de São João, as comidas são os destaques da comemoração. Além disso, a festividade tem um papel importante na alimentação, uma vez que a partir de um equilíbrio entre os alimentos típicos podem ser obtidos os macros nutrientes que o organismo necessita.



Os produtos mais encontrados na alimentação das festas juninas são o milho e o amendoim. Com origem mexicana, o milho é um alimento que possui alto valor energético, e que serve de base para o preparo de quase todos os alimentos consumidos nas festas juninas, como a canjica, curau, bolo, mingau de milho e o próprio milho cozido. O amendoim é originário da América do Sul, além de ser um dos principais cultivos da África, fazendo parte de vários pratos da culinária.

A nutricionista da CISE – Clínica Integrada santo Expedito, Luana Simões, pontua sobre os valores nutricionais e benefícios destes alimentos à saúde. “O milho é um alimento energético, fonte de folato e tiamina responsáveis pela produção de glóbulos vermelhos e por auxiliar o sistema nervoso em sua atividade de transmissão de mensagens pelos neurônios. Rico em fibras, ajudando a manter o bom funcionamento do intestino. Possui vitaminas A e C, e minerais como ferro e potássio”, diz.

O milho proporciona ainda outros benefícios à saúde, entre eles: proteção das células; redução de níveis do colesterol; ajuda a controlar o açúcar no sangue, previne problemas cardíacos e retarda o envelhecimento. Já o amendoim é fonte de vitamina E, e um excelente antioxidante, com ação preventiva no envelhecimento precoce, contém ferro e ácido fólico, ambos essenciais na dieta de gestantes para a boa formação do bebê. Outro ponto que merece destaque é que as iguarias são fontes de tiamina, também conhecida como vitamina B1, é uma vitamina hidrossolúvel que pertence ao complexo B.

Consumo moderado

Luana Simões explica, também, que, além das calorias a mais, os alimentos comumente ingeridos durante as festas juninas também podem influenciar no colesterol alto e na taxa de glicose. “Apesar de serem nutritivos, os pratos típicos das festividades juninas à base de milho de amendoim são calóricos, portanto, devem ser consumidos com cautela, pois as delícias são, ainda, repletas de açúcar”, afirma.

“O cuidado deve ser redobrado nas preparações, pois as delícias são, ainda, repletas de açúcar. Mas, sabendo dosar, nada mais gostoso que experimentar a canjica, a paçoquinha e o irrecusável pé de moleque, complementa.







segunda-feira, 19 de junho de 2017

O inverno, a gripe e os cuidados com o coração

Américo Tâgari Jr - Cardiologista 

Uma mudança de comportamento ocorre agora, quando os dias de outono vão cedendo seu espaço para o frio cortante do inverno. Todos os hábitos saudáveis adquiridos desde o verão costumam ser abandonados em nome de um eventual conforto: roupas pesadas, alimentação forte e uma sensação de aquecimento bem quieto dentro de casa. Vale a pena passar a temporada de temperatura mais baixa hibernando e ganhando peso?



Importante saber que as mortes por enfarte do miocárdio aumentam 30% durante o inverno, segundo estudos feitos em todo o mundo há pelo menos 50 anos. Alimentação pesada, volta ao sedentarismo, uma simples gripe e a pouca atenção à prevenção favorecem as doenças do miocárdio, especialmente se a pessoa tem alguma predisposição e ainda não saiba.

E a bateria de ataque ao coração só aumenta: pesquisa recente da Universidade de Sydney revelou que o risco de ataque cardíaco é 17 vezes maior após uma infecção respiratória. Pelo estudo, publicado no Internal Medicine Journal, doenças como pneumonia, gripe ou bronquite podem desencadear os problemas.

Os dados mostram que o aumento do risco não ocorre necessariamente no início dos sintomas da infecção respiratória, mas atinge picos nos primeiros sete dias e vai reduzindo gradualmente. Os cientistas afirmam que o perigo, no entanto, permanece mais alto durante um mês.

Foram analisados 578 pacientes vítimas de ataque cardíaco por obstrução da artéria coronária - e todos forneceram informações sobre a ocorrência de doenças respiratórias, como dor de garganta, tosse, febre, dor no seio, sintomas de gripe, e se ainda relataram um diagnóstico de pneumonia ou bronquite nos dias que antecederam problema no coração. Entre os pacientes analisados, 17% relataram sintomas de infecção sete dias antes do ataque cardíaco, e 31% em até 31 dias.

O estudo ajuda a explicar a existência de picos de ataques cardíacos durante o inverno, quando essas infecções são mais comuns. Uma das hipóteses para que a exposição a infartos seja maior após o registro de infecções respiratórias é a ocorrência de alterações no fluxo sanguíneo.

Para não se tornar alvo desses ataques, o melhor remédio é procurar um médico, submeter-se aos exames e se precaver. Depois, seguir uma dieta própria para o seu corpo e se preparar para uma vida longa e mais saudável. Ainda que a sensação de frio pareça um calvário maior do que você mereça.

Todas essas doenças do miocárdio – AVC’s, hipertensão, ataque cardíaco, aterosclerose e outras - resultam de um estilo de vida inapropriado. Entre os principais fatores que ocasionam estas doenças estão má alimentação, tabagismo, álcool, sedentarismo, obesidade, além do estresse do dia-a-dia.

Mesmo que a pessoa não fume, não beba e caminhe regularmente, deve ficar atenta, pois viver sem estresse nas grandes cidades brasileiras é quase um milagre. Sem poluição, impossível. Importante saber que qualquer pessoa pode sofrer de pressão alta, essa doença silenciosa. Estima-se que ¼ da população seja hipertensa.

E nada na medicina substitui aquele verbo que todos conjugam, mas poucos o praticam: prevenir. Não contém nenhuma contra-indicação. Mesmo que não haja na família um parente com histórico de doença coronariana, ou mesmo nenhum sintoma, ainda que se sinta forte como um touro ou esportista, não deixe de estar sempre atento ao seu coração.

Também é importante manter a visita ao médico em dia, realizar os exames, monitorar os medicamentos de que faz uso, além de praticar exercícios indicados e seguir uma alimentação saudável.
Estudos realizados em hospitais especializados paulistas mostraram que, ao sentir frio, os receptores nervosos da pele estimulam a liberação de adrenalina e noradrenalina, este um hormônio responsável por contrair os vasos sanguíneos.

O consequente estreitamento dos canais de circulação do sangue, embora não tão significativo, pode gerar rupturas de placas de gordura no interior das artérias coronárias, que irrigam o coração. Neste processo, as proteínas e plaquetas do sangue são designadas para reverter o quadro, e isto aumenta as chances de formar coágulos e provocar o enfarte do miocárdio.

Todas as pesquisas indicam que a pressão arterial costuma ser mais alta no inverno, época na qual se consome alimentos mais calóricos, com abuso de chocolates, fondues, sopas, feijoadas, massas, bolos, vinhos e etc., - a lista dos prazeres é imensa. Pode ser uma necessidade para manter o corpo aquecido. O problema é que isto vem junto com a preguiça de praticar exercícios físicos para queimar calorias.

É preciso mudar a história: a pessoa deve manter no inverno a frequência, o volume e a intensidade da atividade física costumeira – de preferência, de três a cinco vezes por semana, com duração de trinta minutos a uma hora. Além de uma alimentação saudável; evitar excesso de gordura e sal é fundamental.

Atenção aos sintomas que se manifestam em quase todas as doenças do coração ou que podem indicar algum tipo de comprometimento cardíaco:

-- Falta de ar, seja no repouso ou no esforço; dor no peito, em virtude de má circulação sanguínea no local; cansaço fácil; desmaio após atividade física intensa; dor de cabeça; inchaço nos tornozelos.

Enfim, é importante se aquecer no inverno. Porém, o mais importante é passar por ele com boa saúde, sem correr nenhum risco.

Américo Tângari Junior é especialista em cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia e Associação Médica Brasileira.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Malvino Salvador falou sobre casamento

Nesta quinta-feira (8), Graziane de Souza e Maria Garrone comandaram a primeira edição da Delicacy Noivas Premium, um evento dedicado às noivas do ABC. As empresárias, à frente da mais tradicional Maison de moda festa de Santo André, reuniram formadores de opinião e fornecedores do segmento bridal para um encontro inesquecível.

Maria Garrone, Malvino Salvador e Graziane Souza. Foto: Nakamovie

No ponto alto da noite, a Delicacy Maison levou para a loja na Rua Figueiras o ator Malvino Salvador para falar sobre casamento, em um bate-papo comandado pela apresentadora Sandra Garcia. Lá, o ator dividiu com as noivas suas ideias quando o assunto é casamento. Malvino comentou que o que ele mais se vai curtir quando idealizar a festa é a celebração, com muia música. Malvino acredita ainda que Kyra Grace, sua esposa, escolheria um vestido mais simples e elegante para o dia especial. E por último, que o destino da lua de mel com certeza seria uma praia. O evento foi fechado apenas para convidados.


Comandado pela expert Denise Mendes, da Jet Set Eventos, o Delicacy Noivas Premium contou parceiros como Volvo, Nannai Resort, Elaine Ceola Turismo, Magistrale Coral, Renato's Hair, Sandra Cruzziol, Catarina Padoveze, Papel Objeto, Camicado, Giolaser, Tematika, Pepper's Drinks, NakaMovie, Via Sposa vestidos, Joalheria Julio Okubo, La Belle Sens, entre outros. O projeto cenográfico fica por conta de Crys Ayrosa, e os móveis da Loke & Decore, com decoração do expert Fabio Galluzi.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Meditação coletiva na avenida Paulista no domingo

No próximo domingo, dia 11 de junho, às 10h, acontecerá o MeditaNaRua, evento aberto que vai reunir adeptos da meditação e interessados na prática para uma manhã de meditação coletiva na Avenida Paulista. O encontro já está marcado para acontecer em frente ao Itaú Cultural, mas o convite fica aberto também para quem quiser, nesse mesmo horário, meditar em casa, sozinho ou acompanhado, juntando-se ao movimento.



Além da capital paulista, o evento também já está confirmado em mais de 45 cidades, em 7 países: Brasil, Argentina, Chile, Inglaterra, México, Portugal e Uruguai.

A ideia é que todos se reúnam nos pontos de encontro às 9h30 para que assim, às 10h00 da manhã, possam fechar os olhos juntos por 10 minutos. Em seguida, os que quiserem poderão continuar por mais 10. Ao final desse tempo, os grupos de cada cidade seguirão o encontro com uma programação livre. No evento de São Paulo, por exemplo, haverá música da artista Vivian Amarante e dança circular.

Aqueles que já meditam poderão ficar à vontade para utilizar as diferentes técnicas que conhecem, e, para ajudar os que ainda não praticam, haverá professores disponíveis orientando a respeito de algumas técnicas.

Para os criadores do evento, um dos principais objetivos do MeditaNaRua é desmistificar a prática da meditação, mostrar que ela é fácil, simples e que pode ser feita em qualquer lugar, inclusive na rua. A ideia também é convidar as pessoas a se reunirem e aproveitarem o momento juntas, ocupando um espaço público.

A organização sugere que os participantes do evento usem camiseta branca – para assim se identificarem mais facilmente – e levem almofadas ou cangas para sentar, se reunindo, de preferência, em rodas abertas, de modo que as pessoas de fora se sintam convidadas a participar.

A iniciativa de criar o MeditaNaRua foi dos Ishayas do Bright Path, que usam técnica de meditação gentil e de prática fácil.

Os praticantes dessa técnica estão por todo o Brasil e também pelo mundo, o que ajudou a espalhar o movimento nacional e internacionalmente. E o encontro do domingo acabou englobando praticantes de diferentes técnicas, de modo que o evento não está vinculado à nenhuma instituição, sendo co-criado coletivamente por pessoas de diversos países que buscam uma realidade com mais harmonia, amor, paz e unidade. Todos estão convidados a participar do encontro.

Para saber mais sobre o MeditaNaRua e se informar sobre os locais do evento nas demais cidades, acesse: www.facebook.com/events/213834239126788

Serviço
Data: 11/06/2017
Horário: encontro às 9h30 e início da meditação às 10h
Local: Avenida Paulista, em frente ao Itaú Cultural

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Psicólogos apontam os principais erros e acertos no relacionamento afetivo

Da redação

Os psicólogos do Instituto de Sexualidade Paulista (InPaSex), Carla Zeglio e Oswaldo M. Rodrigues Júnior, aproveitam a data em comemoração ao Dia dos Namorados (12 de junho) e listam os principais pontos que fazem o fracasso e o sucesso de uma relação a dois. 

Erros
1-   Não ter a habilidade de conversar sobre os problemas
Seja sobre dinheiro, família, filhos, a louça na pia, o xixi do cachorro fora do lugar, os sogros, etc... e resolvê-los, quando eles acontecem. "Empurrar com a barriga e não resolver um problema na hora em que ele se instala, é o que desencadeia as crises a dois", fala a psicóloga Carla.

2-   Não respeitar a individualidade do outro
O espaço de um começa exatamente quando termina o do outro. Não tem segredo, a palavra de ordem é respeitar.

3-   Não planejar o futuro a dois
Um fator de risco é não reconhecer o que pensamos sobre o futuro ou tratar a nós mesmos de modo negativo, preocupados sem compreender o que estamos fazendo neste possível relacionamento. "Não reconhecemos o que ocorre ao nosso redor e isso não conduzirá a alguma ação útil e positiva", comenta o especialista.

Acertos
1-   Comemorar a dois
Como o Dia dos Namorados, por exemplo, ajuda a assumir o compromisso é um fator que demonstra o casal estar disponível para um futuro. Então o comportamento de evitar o compromisso num dia socialmente atribuído para esta comemoração será um dos possíveis erros que determinarão o fim da possibilidade do casal. "Muitas mulheres reclamam da falta de compromisso do homem e temem que o namoro seja passageiro. Quando ambos estão envolvidos com o futuro, o engajamento nas atividades e círculos sociais ao redor de ambos determinará a manutenção do casal", fala Rodrigues Júnior.

2-   Falar o que pensa
Sem rodeios. Expressar falando o que sentem. Quando falamos o que sentimos positivamente pelo outro facilitamos o entrosamento, o futuro deste casal. Da mesma forma o falar do que se pensa a respeito de um futuro do casal. "Não refiro aqui planos de casar, ter filhos ou envelhecerem juntos, isso terá que ficar para mais tarde, mas contar o como percebemos que a outra pessoa se encaixa em nosso cotidiano e como isto ajuda a viver coisas boas", exemplifica o psicólogo.

3-   Ter foco
Mostrar as emoções positivas que sentimos e falar de nossas percepções de um futuro de curto prazo. Pensar de modo coerente fará sentir coisas positivas. Pensar sem um objetivo, sem reconhecer o que pretendemos, só esperando que o outro faça algo para solucionar nossos problemas, produzirá resultados errados! "Então cuidar dos pensamentos será necessário, e este é um dos erros muito comuns a quem quer sentir-se bem e mostrar-se capaz em amar", finaliza Carla.

Analisar as fontes de informação é importante

Da redação

Diariamente somos “bombardeados” por informações. Mas como separar as notícias falsas das verdadeiras? No Dia da Língua Portuguesa, que se comemora no próximo dia 10, um bom exercício a se propor, tanto na escola quanto na família ou em outros espaços de discussão, é uma investigação sobre as fontes dessas informações, a lógica da organização dos veículos de comunicação e a produção de notícias.

Para a especialista em Educação da Fundação Itaú Social, Sonia Dias, é importante essa análise. “Além de serem excelentes recursos para desenvolver atividades de leitura e escrita, possibilitando o contato com vários gêneros textuais, é importante se familiarizar com os veículos de comunicação, seja impresso, online, TV ou rádio, e perceber como se organizam, os recursos utilizados para chamar a atenção dos leitores, a intenção das manchetes, das fotos e das chamadas", avalia. 

Assim, com o objeto de estimular o debate e ajudar os jovens a ter critérios na hora de interpretar e absorver informações, a Fundação Itaú Social, por meio da plataforma Educação & Participação, propõe alguns roteiros de oficinas, por exemplo, "A comunidade na primeira página". Abaixo algumas dicas para a análise com os adolescentes. 

- reúna alguns jornais diários, de grande circulação, publicados durante uma semana, e também jornais do bairro. Converse sobre a função deles e os assuntos que retratam;

- fale sobre os hábitos de leitura: há jornais em casa? Preferem rádio, TV ou internet? Quais assuntos despertam interesse? Quais os sites mais visitados?;

- Desafie-os a desvendar a organização dos veículos de comunicação: como ocorre a divisão dos assuntos por editorias (esporte, turismo, policial, política, entretenimento, economia), o que aparece diariamente ou só uma vez por semana (seções, cadernos);

- Explore com eles a primeira página e sua função de eleger os assuntos mais importantes e de chamar a atenção dos leitores;

- Mostre a diferença de abordagem dos jornais de bairro. Estimule-os a procurar o site para obter informações sobre sua proposta, abrangência, equipe de profissionais, periodicidade, área de circulação;

- Se for possível, agende uma visita à redação e entreviste um dos profissionais sobre como funciona o processo de produção e distribuição, a relação do editorial com o comercial, como o veículo está se adequando à era digital. Perguntas não faltarão...

- A partir de todo esse trabalho de pesquisa e observação, simule uma redação de jornal para construir um exemplar e editar a primeira página. Em grupos, escolham os assuntos para cada editoria, os fatos mais importantes para constituir as manchetes, as fotos que a acompanharão, as chamadas de capa, o tipo de letra para os destaques, etc;

- No final, promova uma boa roda de conversa voltando ao debate dos critérios de construção da uma informação de qualidade, a partir da consulta de fontes confiáveis e da investigação dos fatos.

Além do exercício de leitura e escrita, a atividade contribui para a percepção de que todos têm responsabilidade sobre o que dissemina.

Pediatras lançam consultório amigo da amamentação

Da redação

Médicos, inspirados numa recente publicação da Academia Americana de Pediatria, adaptaram a proposta americana para criar nos consultórios um ambiente de apoio à amamentação e, assim, lançaram a iniciativa Consultório Amigo da Amamentação, para que não apenas os pediatras, mas também obstetras, nutricionistas, psicólogas, entre outros especialistas que acompanham, com regularidade ou eventualmente, lactantes possam, em consonância com o tema da 25ª Semana Mundial de Aleitamento Materno (2017): “Proteger a amamentação: construindo alianças sem conflitos de interesse!”.

Profissionais de saúde precisam estar preparados para orientar as lactantes | Foto: Reprodução
Para o pediatra Marcus Renato de Carvalho, docente do Departamento de Pediatria da Faculdade de Medicina – UFRJ e responsável pelo portal aleitamento.com, todos os profissionais de saúde precisam estar preparados para orientar as lactantes em eventuais dúvidas.   

“Visto que mães e bebês são vistos com regularidade por profissionais de saúde em consultas periódicas, desde a gestação até os primeiros anos de vida, criam-se oportunidades ímpares de acolhimento e informação. Assim sendo, todos os profissionais de saúde precisam estar preparados para orientar, prevenir, diagnosticar e solucionar problemas relacionados ao aleitamento, acolhendo e ouvindo as mães em suas dificuldades e apoiando-as em suas decisões”, afirma Carvalho. 


Como fazer um Consultório Amigo da Amamentação?
  
1. Tenha uma política (norma) de promoção, proteção e apoio ao aleitamento que seja do conhecimento de todos que trabalham no consultório;

2. Conte com profissionais capacitados e atualizados periodicamente em manejo clínico da lactação e nas habilidades de aconselhamento;

3. Oriente sobre aleitamento, avaliação das mamas durante o pré-natal com recomendação de consulta da gestante e seus familiares com um pediatra no começo do último trimestre da gestação; 

4. Explique sobre as vantagens do parto normal com clampeamento tardio de cordão, contato pele-a-pele e amamentação na sala de parto e em livre-demanda e a importância do alojamento conjunto; 

5. Observe uma mamada durante as primeiras consultas e sempre que for necessário (Puericultura), ratificar as recomendações sobre aleitamento materno exclusivo até o 6º mês, e complementar até 2 anos ou mais, com introdução alimentar oportuna e desmame natural;

6. Informe às mães sobre a coleta e doação de leite materno, desde as primeiras consultas e como manter a amamentação na volta ao trabalho;

7. Indique, quando necessário, profissionais experientes (enfermagem, nutrição, fonoaudiologia, odontopediatria, psicologia...) na adesão e manutenção do aleitamento, bem como grupos de apoio éticos;

8. Estimule a amamentação na sala de espera e na sala de consulta, mas fornecer espaço privado, caso seja solicitado;

9. Não receber fórmulas infantis, mamadeiras e intermediários de silicone de representantes de indústrias e não promover a distribuição de fórmulas, brindes ou materiais informativos dessas empresas;

10. Conhecer e divulgar ações relacionadas ao estímulo do aleitamento materno, como a SMAM, direitos da lactante, leis que protejam a amamentação em público e oferecer fontes de consulta oficiais, reconhecidas e éticas para que os pais possam acessar.


Rouquidão: conheça as principais causas

Da redação

A rouquidão decorre de qualquer alteração nas pregas vocais, estruturas que, ao se aproximarem e com a passagem do ar que respiramos, produzem a voz. Portanto rouquidão é um sintoma e, assim, pode ter diversas causas, o que inclui inflamação/infecção das pregas vocais (por microrganismos), edema (inchaço, muito frequente naqueles que fumam), refluxo faringoesofágico (quando o ácido produzido no estômago sobe e reflui para laringe), lesão na estrutura (nódulo, cisto, pólipo, varizes, câncer), paralisia (ausência de movimento da prega vocal), entre outros.

Refluxo, nódulo e até câncer estão entre as causas da rouquidão | Foto: Reprodução
A médica otorrinolaringologista, otoneurologista e Chefe do Grupo de Pesquisa em Zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Jeanne Oiticica, explica que mesmo quem sempre teve a voz mais rouca deve pesquisar a causa, já que pode indicar que existe algo errado. Pode ser, por exemplo, alguma lesão na estrutura da prega vocal, incluindo nódulo, cisto, varizes, pólipos e até mesmo câncer.

"A rouquidão pode ser o primeiro sintoma de um câncer de laringe. Por isso, em caso de rouquidão persistente e que não responde ao tratamento clínico após 15 dias, deve-se sempre procurar o otorrinolaringologista para fazer um exame detalhado das pregas vocais", alerta a especialista.

Beber bastante líquido, comer uma maçã ao dia, evitar os abusos vocais (gritos, sussurros, exageros na fala) podem evitar problemas. Em casos de episódios recorrentes e ou persistentes procure o médico, pois algo deve estar errado e precisa ser checado e corrigido adequadamente, de acordo com a médica. 

terça-feira, 6 de junho de 2017

Namoro a distância: viagens de carona atraem namorados

Da redação

Apesar de muita gente ainda acreditar que um namoro a distância é sinônimo de dificuldade, há quem afirme que este tipo relacionamento pode dar certo. Um dos principais problemas é o custo com as viagens para visitar o amado. De acordo com a maior plataforma de caronas do mundo, a BlaBlaCar, presente em 22 países, 26% dos usuários  utilizam o aplicativo (app) para visitar seu parceiro. No final de semana próximo ao Dia dos Namorados, o app espera aumentar seu movimento em 30%. 

Dia dos Namorados deve aumentar a busca pelo app de caronas 
A BlaBlaCar funciona da seguinte forma: o condutor - que já tem uma viagem programada - publica informações sobre o trajeto, como horário, pontos de partida e chegada e número de lugares disponíveis. Já o passageiro usa a ferramenta de busca da plataforma para escolher o seu destino, o condutor com quem gostaria de viajar e envia um pedido de reserva. Caso o condutor aceite o pedido, eles viajam juntos e dividem os custos do trajeto.

Entre os casais que usarão o aplicativo na data, há diversos casos de pessoas que viajarão até 500km, incluindo trajetos como Rio de Janeiro - São José dos Campos, São Paulo - Balneário Camboriú, Florianópolis - interior do Paraná, São Paulo - Rio de Janeiro, entre outros percursos. 


Lesões na medula espinhal aumentam no verão

Da redação Sol, calor e muita diversão, com banhos de mar, piscina, rio e cachoeira podem se transformar em um problema de saúde grave,...