terça-feira, 17 de setembro de 2019

Setembro Vermelho: alerta para os perigos das doenças cardíacas em cães

Redação

Com o objetivo de informar os tutores e médicos veterinários sobre os sintomas, métodos de prevenção e tratamento das doenças cardíacas que acometem cães de diversas idades, portes e raças, a campanha Setembro Vermelho, idealizada pela Elanco Saúde Animal, busca conscientizar sobre a importância de se fazer exames regulares e manter um acompanhamento veterinário especializado.

Para garantir a saúde do pet, é importante realizar check-ups periódicos com o veterinário | Foto: reprodução

As doenças cardíacas têm se tornado cada vez mais comuns, com o aumento da expectativa de vida dos cães. No entanto, a detecção precoce e um tratamento adequado podem garantir uma vida mais longa, saudável e feliz aos animais. De acordo com a médica veterinária e presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Veterinária (SBCV), Lilian Caram Petrus, as principais enfermidades identificadas nos consultórios, responsáveis por boa parte dos casos de insuficiência cardíaca em cães, são a doença mixomatosa e a cardiomiopatia dilatada - esta última com uma menor frequência.

Então, a especialista explica que mudanças repentinas de comportamento dos cães, como intolerância aos exercícios, cansaço, tosse, falta de ar e desmaio, podem indicar algum tipo de problema. "Nesses casos, a tosse parece um engasgo e a falta de ar pode ser identificada por uma respiração mais ofegante, principalmente em repouso. O tutor percebe que o cão está desconfortável", afirma a veterinária.

Idade, porte e raça
Embora os cães idosos e de pequeno porte sejam mais propensos, a doença cardíaca também pode afetar cães de médio e grande porte. O risco aumenta a partir dos cinco anos de idade e a frequência cresce conforme a idade avança. Por isso, realizar check-ups periódicos com o veterinário é imprescindível.

Segundo Lilian, a mixomatosa é de progressão lenta e começa em cães, em geral, de meia idade. "Muitas vezes esses pacientes se tornam sintomáticos só depois dos 10 anos de idade, na maioria das vezes em raças definidas como o Poodle, o Maltês, Lhasa Apso, Yorkshire Terrier e Shih Tzu, isso devido ao caráter hereditário da patologia. Já no caso da cardiomiopatia dilatada, a veterinária destaca que a doença acomete também cães de médio e grande porte, principalmente machos da raça Cocker Spaniel.

Tratamento e rotina
Se for constatado sopro ou qualquer anomalia no coração do animal, ele precisará de exames mais detalhados. O tratamento precoce é essencial, pois uma eventual progressão pode trazer complicações que podem se tornar fatais.

Em relação ao tratamento, a presidente SBCV afirma que o ativo pimobendana é um dos medicamentos mais utilizados no tratamento desses cães, além de diuréticos e vasodilatadores, dependendo dos sintomas apresentados pelo animal.

A especialista destaca ainda a importância de o tutor evitar mudar a rotina desses pacientes, mas respeitando sempre seus limites. "O cão também não pode perder peso. Mesmo com a indicação de se reduzir a quantidade de sal da dieta, o que é comum em cães cardiopatas, é preciso que ela seja palatável para ele se manter alimentado e interessado em comer", finaliza a especialista.

Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura arrecada livros infantis e brinquedos

Redação

O Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), entidade centenária com importante história de atuação no comércio da maior cidade do País, lança a partir deste mês a campanha do Dia das Crianças, intitulada “Hora de Doar, muita história para contar”.

As doações podem ser feitas até 11 de outubro no o prédio da ACSP no Centro de São Paulo (Rua Boa Vista, 51) | Imagem: reprodução

Assim, o incentivo à leitura infantil, para o desenvolvimento dos futuros cidadãos e para a qualidade da formação, ganha ênfase na arrecadação deste ano, conforme comenta a presidente do CMEC da Associação Comercial de São Paulo, responsável pela organização da ação, Ana Cláudia Badra Cotait. “A leitura é fundamental na educação infantil, pois ela tem a capacidade de formar cidadãos mais conscientes e críticos”, destaca.

Todo o material arrecadado será encaminhado para as 15 distritais da ACSP e, estrategicamente, serão distribuídos em entidades assistenciais nestas regiões.  “Temos capilaridade de atuação em todos os pontos da capital, dessa forma, atenderemos o maior número de entidades sociais. Isso impacta diretamente na distribuição e, nossa ambição, é angariar um grande volume de livros infantis e brinquedos em boas condições”, explica Ana.

As doações podem ser realizadas diretamente nestes pontos de entrega: no prédio da ACSP no Centro de São Paulo (Rua Boa Vista, 51) ou nas 15 distritais de bairros da capital, até 11 de outubro, véspera do Dia da Criança – data que comemora os direitos das crianças e adolescentes e a conscientização das pessoas (os pais, em especial) sobre os cuidados necessários durante esta fase da vida.

“Mais que doar brinquedos e livros, o nosso propósito é provocar uma grande reflexão sobre o desenvolvimento dos jovens e o impacto na sociedade”, afirma Ana.

Empresas interessadas em doar material também estão convidadas a participar desta “corrente do bem”. “Queremos criar um engajamento em torno deste propósito, que é fomentar o hábito da cultura e da leitura infantil. Acreditamos que a transformação de um País começa pela educação”, ressalta a presidente do CMEC.
 
O Conselho
O Conselho da Mulher Empreendedora e da Cultura (CMEC) da ACSP atua como um fórum de referência de estudos, debates e inspirações que promovem e incentivam, de forma estratégica e sustentável, a educação empreendedora entre as mulheres, além de desenvolver ações, campanhas e projetos sociais, culturais e de fomento da economia local nas diversas regiões da cidade de São Paulo.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Clínica andreense Merak tem “lipoaspiração sem corte e sem dor”

Por Vivian Silva

Muitas pessoas sonham em perder aqueles quilinhos a mais, por meio de uma lipoaspiração, porém o custo elevado da cirurgia plástica, ou mesmo o medo de se submeter ao procedimento impedem a realização deste sonho. Porém, na clínica de estética Merak, em Santo André - que está sob nova direção, desde 1º de julho deste ano – a nova proprietária e esteticista, Valdirene Palhano, afirma que é possível fazer uma “lipo sem dor e sem corte”, por meio da criofrequência.

A criofrequência possibilita eliminar até um quilo e meio por sessão, segundo a proprietária da clínica Merak e esteticista, Valdirene Palhano | Foto: reprodução  

“A gente trabalha com a criofrequência, é um aparelho da Body Health, que é top no mercado e chega a reduzir, de um dia para o outro, um quilo a um quilo e meio”, afirma Valdirene. Ela destaca ainda que a técnica é a preferida de muitas celebridades, por não ser invasiva e melhorar também a flacidez, celulite e estimular a produção de colágeno.

O equipamento age basicamente de duas maneiras, uma das ponteiras que chega a 60 graus Celsius – sem causar dor – derrete as gorduras indesejadas, e a outra ponteira tem a capacidade de resfriar o local a -10 graus Celsius, assim, o choque término é o princípio da criofrequência, que tem capacidade para atingir até 2,5 centímetros de profundidade na pele. A técnica pode tratar diversas partes do corpo como, por exemplo, abdômen, parte interna da coxa, flancos, “papada” e braço.

Além da criofrequência, a clínica de estética Merak conta com diversos tratamentos faciais, corporais e massagens desportiva e relaxante, para atender as necessidades dos mais variados clientes.

Vale destacar que o atendimento na clínica – que conta com equipamentos de última geração - é unissex. Já o nome Merak significa, segundo Valdirene, “amor ao universo e o corpo a gente tem que amar, porque é o nosso templo”, afirma.

A clínica de estética Merak fica na Rua das Figueiras, 2.001, 3º andar, sala 31, no bairro Campestre. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h, sábado, das 9h às 13h. Tel.: 3705-0100.

Especialista tira dúvidas sobre coloração de cabelo

Redação

Antes de pintar os cabelos, muitas pessoas têm dúvidas sobre, por exemplo, o que fazer no pré-tingimento, ou se é possível potencializar o efeito do produto. Com isso, o  hairstylist e embaixador da Bio Extratus, João Bosco, esclareceu essas e outras dúvidas sobre coloração. Confira.

 Quem utiliza a coloração tradicional, com mais amônia, deve ficar um ou dois dias sem lavar o cabelo, antes de tingi-lo, para potencializar a tintura, recomenda o hairstylist Jjoão Bosco | Foto: reprodução 

Deixar a coloração no cabelo por mais tempo possibilita que a cor fique mais intensa?
Joao Bosco (JB) - Não recomendo deixar mais tempo do que o indicado pela marca de coloração usada, pois pode variar entre 10 e 50 minutos, dependendo do resultado desejado. Além disso, os pigmentos podem aderir mais e dar a sensação de cor mais escura ou intensa. Outro detalhe é ficar atento ao tempo de pausa para não causar irritação no couro cabeludo.

Cabelos virgens são mais fáceis de tingir?
JB - Sim, os cabelos que nunca foram coloridos são mais fáceis, já que a tintura faz neutralização dos pigmentos naturais com facilidade.

O shampoo ideal auxilia na manutenção da coloração? Por quê?
JB - Tão importante quanto a qualidade da coloração utilizada, o shampoo e cremes de tratamento devem ser de boa qualidade e ter indicação para cabelo colorido, afinal, esses produtos não devem conter sal ou sulfatos.

A coloração sempre vai ressecar o cabelo?
JB - Uma coloração permanente precisa de uma quantidade maior de amônia, para entrar e fixar bem na fibra do cabelo. Isso pode deixar os fios levemente alterados dependendo da qualidade da tinta usada. Por isso, é sempre bom investir em coloração com tratamentos ‘inside’. Uma outra opção é apostar em uma coloração orgânica que utilize óleos vegetais ao invés da amônia – substância que preserva melhor a hidratação natural dos fios.

Pintar os cabelos sujos é realmente melhor?
JB - Para quem utiliza a coloração tradicional, com mais amônia, o ideal é deixar um ou dois dias sem lavar para potencializar a tintura. Já para quem usa tonalizante ou tintas orgânicas, o melhor é que os fios estejam limpos para facilitar a coloração.

Pílula anticoncepcional: um risco cardiovascular oculto

Redação

Usada por milhões de mulheres há décadas, a pílula anticoncepcional é o medicamento mais estudado no mundo. Quem toma, muitas vezes, nem imagina que haja contraindicação para o uso. A combinação dos hormônios estrógeno e progestágeno, embora em níveis mais baixos, causam efeitos colaterais sérios nas mulheres, ao aumentar os riscos de sofrerem doenças do coração e derrames cerebrais, em decorrência do endurecimento das artérias.

Mulheres cardiopatas, diabéticas, tabagistas, hipertensas ou obesas têm cinco vezes mais chances de sofrerem problemas cardíacos ao usarem a pílula | Foto: Freepik

Diversas pesquisas mostram que mulheres cardiopatas, hipertensas, tabagistas, diabéticas ou obesas, que consomem a pílula, possuem uma tendência maior a ter placas de gordura em suas artérias do que as que não tomam o medicamento. Com o uso a longo prazo, as taxas aumentam significativamente: de 20% a 30% por década de consumo. Isso ocorre porque o sangue entra em estado de hipercoagulabilidade, ou seja, fica mais espesso.

As complicações, no entanto, podem ser fatais, conforme comenta o cardiologista e clínico geral do HCor, Abrão Cury: "Os hormônios presentes nas pílulas anticoncepcionais favorecem a contração dos vasos sanguíneos e aceleram a formação de coágulos, comprometendo a circulação do sangue. Este é o típico quadro de arteriosclerose, que aumenta as chances do infarto ou derrame".

Para evitar os possíveis efeitos adversos, é importante procurar orientação de um profissional para que seja feita uma avaliação precisa da condição de saúde da paciente, para considerar possíveis fatores de risco e predisposição genética para algumas doenças.

"O problema é que, em mais de 90% dos casos, as mulheres não sabem que possuem propensão a desenvolver algumas doenças cardiovasculares. O médico precisa de um diagnóstico preciso, antes de prescrever o tipo correto de anticoncepcional, sem oferecer riscos à paciente", recomenda Cury.

Fatores de risco
Obesidade, tabagismo, pressão alta e diabetes são alguns dos principais fatores de risco que, associados ao uso de pílulas anticoncepcionais, aumentam as chances de AVC, infarto e trombose.

Tabagismo: as substâncias do cigarro afetam as funções do sistema vascular arterial, favorecendo o acúmulo de gordura e colesterol nos vasos. Já os hormônios presentes nas pílulas favorecem a coagulação do sangue, elevando – e muito - as chances de um AVC, infarto ou trombose.

Hipertensão: o coração das mulheres hipertensas, normalmente, fica hipertrofiados. Isso ocorre devido ao grande esforço para bombear o sangue nas artérias que, com o tempo, perdem sua elasticidade, favorecendo o seu entupimento e o seu rompimento, levando a um quadro de AVC.

Obesidade: o tecido adiposo em excesso produz mais de 15 substâncias que interferem no funcionamento do organismo como um todo, inclusive nos níveis hormonais.

Diabetes: o excesso de hormônio presente nas pílulas dificulta a ação da insulina – hormônio responsável pela absorção de açúcar no organismo. As consequências vão de uma magreza excessiva à arteriosclerose.

Alerta
Quem utiliza a pílula deve procure imediatamente um médico se:
Aparecer ou agravar a dor de cabeça com sinais neurológicos;
Tiver hemorragias;
Sentir dor abdominal de causa indeterminada;
Ocorrer alteração visual de aparecimento súbito;
Houver dor e sensação de penso nos membros inferiores.

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Conheça cinco doenças que apresentam sintomas na boca

Redação

Muitas vezes, problemas de saúde bucal levam as pessoas a procurarem pelo cirurgião-dentista. Mas, o que poucos sabem é que nessas consultas o profissional pode detectar sintomas de outras doenças. Dessa forma, as visitas regulares ao consultório odontológico podem ser aliadas na prevenção e no diagnóstico de problemas graves. Isso sem contar a importância para manutenção da saúde bucal.

As visitas regulares ao consultório odontológico podem ser aliadas na prevenção e no diagnóstico de problemas graves | Foto: iStockphoto

Confira a seguir uma lista elaborada pelo Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) com algumas doenças que podem ser diagnosticadas a partir de sintomas na boca.

Aids
O ressecamento nas extremidades da boca, aftas maiores, feridas de herpes labial (bolhas pequenas e doloridas), gengivas inflamadas, placas esbranquiçadas no interior da boca (candidíase oral) e infecções por fungos são alguns dos sinais clínicos da aids, explica o presidente da Câmara Técnica de Patologia Oral e Maxilofacial do CROSP, Fábio Coracin.  “As manifestações orais ocorrem em cerca de 80% dos pacientes afetados e ajudam a definir o estágio da doença”, explica.

Apesar de os sintomas bucais serem comuns em pacientes com HIV, nem sempre caracterizam a doença. Por isso, é imprescindível consultar um profissional da área, que indicará os procedimentos e exames pertinentes, para um diagnóstico correto.

Bulimia
Transtorno psicológico e alimentar marcado pela compulsão de comer, pelo uso abusivo de laxantes e pela indução de vômitos, ocasiona problemas bucais como erosão dentária, lábios ressecados, hipersensibilidade dentinária, fluxo salivar e aumenta a chance de cárie.

Quando esses problemas surgem, o cirurgião-dentista deve fazer uma investigação mais profunda e também consultar outros profissionais da área médica para orientar o paciente na busca de tratamento.
 
Cirrose hepática
Indícios na boca como alterações hemorrágicas, petéquias (manchas avermelhadas), hematomas e sangramento na gengiva, icterícia visível na mucosa (manchas amareladas) são indicativos clínicos da cirrose hepática. “A doença compromete o funcionamento do fígado e a falha na produção de coagulação”, detalha Coracin. 

Diabetes
Gengivite e periodontite (doenças periodontais), mau hálito, gosto ruim na boca e candidíase oral são problemas recorrentes em pacientes com diabetes, que não estão com a doença controlada.  Por isso, o paciente deve sempre estar atento aos sintomas bucais, pois eles podem indicar que os níveis de glicose precisam ser controlados.

Sífilis
Provocada por uma infecção bacteriana, a efemeridade se manifesta em três estágios: sífilis primária, secundária e terciária. No primeiro, o sintoma bucal mais frequente é o aparecimento de uma única úlcera, indolor. Manchas esbranquiçadas e lesões múltiplas na cavidade oral são recorrentes no segundo estágio. No último, considerado o mais grave da doença, é possível identificar perfurações e a destruição do tecido bucal. Consultar regularmente o cirurgião-dentista aumenta consideravelmente as chances de identificar a doença nos primeiros estágios, agilizando o tratamento.


Fatores psicológicos são decisivos na avaliação da saúde sexual

Redação

Sentimentos, emoções, desejos, ações e reações. Esses e outros fatores englobam o conceito de sexualidade que, ao contrário do que se entende no senso comum, é amplo e não deve ser associado apenas às relações sexuais. A questão é dinâmica, mutável e está presente em todas as fases da vida humana.

Questões morais e tabus sociais dificultam o diálogo a respeito da sexualidade | Foto: reprodução

Abordar questões como ejaculação precoce, ou prazer feminino ainda é um desafio, inclusive para alguns médicos quando não atuam em áreas diretamente relacionadas aos temas, com isso, a Associação Mundial para a Saúde Sexual (AMSS) instituiu o Dia Mundial da Saúde Sexual, celebrado no último dia 4, com o objetivo de conscientizar a população e promover debates diversos sobre o tema.

Questões morais e tabus sociais dificultam o diálogo a respeito da sexualidade, segundo a ginecologista Dulce Henriques, membro da plataforma Doctoralia.  "É necessário que tenhamos uma maior abertura e promoção de debates na sociedade. Os jovens precisam ser alertados sobre situações de abuso sexual e prevenção de doenças sexuais", comenta.

Assim, a esfera familiar é o primeiro ambiente de diálogo. "Q educação e orientação em casa são fundamentais, a fim de estabelecer desde a infância um diálogo esclarecedor e preventivo. Família, professores, educadores, todos devem estar preparados para o debate franco, aberto e inovador", avalia Dulce.

Para as mulheres, o assunto é ainda mais delicado uma vez que existem preconceitos e estereótipos atribuídos à liberdade sexual feminina que muitas vezes as inibem e afetam diretamente a busca pelo próprio prazer.

"Meninas não são estimuladas a pensar ou falar sobre sexo tão abertamente quanto os meninos e isso pode acarretar uma série de questões e travas psicológicas. A desinformação é um prato cheio para esquecermos de DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) como o HPV de alto risco, que é o responsável pela maioria dos casos de câncer de colo de útero", pontua a médica.

Segundo levantamento da Organização Mundial de Saúde, 1 milhão de pessoas contraem DSTs tratáveis por dia, isso equivale a 376 milhões de novos casos anuais de doenças como clamídia, gonorreia e sífilis, em todo o mundo.

Os estímulos excessivos sobre sexo, aos quais os homens são submetidos desde cedo, também não são saudáveis, aponta a psicóloga Melina Lopes Ferreira Brandão, também membro da plataforma Doctoralia:  "A pressão sobre o desempenho sexual masculino pode fazer com que eles se forcem a encarar situações não desejadas apenas com o intuito de se afirmarem perante o outro ou a si mesmo".

A disfunção erétil e a ejaculação precoce também são questões que perturbam os homens em todas as idades, e não falar sobre o assunto pode piorar o quadro, "estresse, ansiedade e depressão são fatores que contribuem para que, cada vez mais, a população jovem esteja sofrendo com esses problemas, nesses casos a psicoterapia pode ser uma grande aliada para solucioná-los, sendo um espaço confiável para que o homem possa expor seus sentimentos, pensamentos e principalmente sem julgamentos e cobranças", explica a especialista.

Debates servem para enriquecer e esclarecer nossas concepções sobre qualquer assunto. "Precisamos falar sobre sexualidade para romper tabus e estimular o autoconhecimento mental e físico, afinal, essa é uma parte essencial da vida, que não pode ser subestimada e muito menos ignorada", finaliza Melina.

Setembro Vermelho: alerta para os perigos das doenças cardíacas em cães

Redação Com o objetivo de informar os tutores e médicos veterinários sobre os sintomas, métodos de prevenção e tratamento das doenças card...