sexta-feira, 22 de março de 2019

Governo de São Paulo lança o aplicativo “SOS Mulher”

Da Redação

O Governador João Doria lançou nesta sexta-feira (22) um aplicativo para que mulheres com medidas protetivas concedidas pelo Tribunal da Justiça de São Paulo (TJSP) possam pedir socorro, quando estiverem em situação de risco. Chamado de SOS Mulher, a ferramenta, desenvolvida pela Polícia Militar, permite que as vítimas peçam ajuda apertando apenas um botão, por cinco segundos. A medida visa agilizar e priorizar o atendimento destas pessoas, deslocando as equipes mais próximas ao local da ocorrência.

Aplicativo é voltado às mulheres com medidas protetivas | Foto: reprodução
"A mulher aperta o botão e imediatamente aciona a Polícia Militar. A viatura mais próxima é enviada rapidamente até o local de onde foi emitido o sinal por meio do celular, em georreferenciamento. É mais rápido do que o sistema 190, que já é eficiente", explica Doria.

Para usar o aplicativo, basta que o interessado baixe a ferramenta por meio das lojas virtuais Google Play e App Store. Depois, é necessário a realização de um cadastro com os dados pessoais para que as informações possam ser checadas junto ao TJSP, que fornece as informações do banco de dados das medidas protetivas. Após a confirmação positiva da ferramenta, o serviço poderá ser utilizado, a partir de 1º de abril.

O comandante da Polícia Militar, Marcelo Vieira Salles, explica como funciona o serviço. "As viaturas que estão a quatro quilômetros podem ser acionadas. Assim que acionou, cai no despachador, que é aquele policial que já aciona diretamente a viatura", afirma.

Após a chegada da equipe policial no endereço, é essencial que o usuário apresente a decisão do juiz, comprovando o descumprimento da medida protetiva e as providências decorrentes.

Em caso de acionamento indevido, a pessoa deve acionar a Polícia Militar rapidamente pelo telefone 190 e cancelar a ocorrência.

É de extrema importância que, antes de começar a usar o aplicativo, a pessoa faça um teste de acionamento para verificar se a sua medida protetiva consta na base de dados do Poder Judiciário. O botão "peça socorro" do SOS Mulher é destinado apenas às mulheres e também aos homens e crianças que possuem a restrição expedida pelo órgão. Atualmente, mais de 70 mil pessoas estão aptas a utilizar o serviço.

Especialista em inteligência emocional comenta cinco dicas para ser mais feliz

Da Redação

O brasileiro nunca foi tão infeliz como no ano passado, de acordo com a "World Happiness Report", pesquisa realizada pelo Instituto Gallup, que mede a felicidade em todo o mundo. O estudo mostrou uma grande preocupação dos brasileiros com a crise financeira e as lideranças políticas no País. No entanto, de acordo com a especialista em inteligência emocional e diretora do Centro Hoffman, Heloísa Capelas, a resposta para superar a infelicidade pode ser mais simples do que se imagina, pois sempre é possível aprender a ser mais feliz na vida cotidiana.

A especialista Heloísa Capelas explica que é importante fazer um exercício de autoconhecimento e definir qual é o seu conceito de felicidade |  Foto: Freepik 
Além disso, ao longo do tempo, foram criadas diferentes ferramentas que auxiliam as pessoas a sair deste estado de infelicidade, segundo Heloísa. O Processo Hoffman, ministrado por ela, é uma delas. "Por meio da metodologia que aplicamos em nosso curso, promovemos uma desconstrução de cada indivíduo para que eles entendam um pouco mais sobre como se tornaram, quem são, e desenvolvam a inteligência emocional. Ao terem essa percepção, conseguem também refletir de forma mais objetiva sobre os acontecimentos cotidianos de forma que não sejam tomados pela infelicidade", afirma.

Também autora do livro "O Mapa da Felicidade", Heloísa aborda na obra aborda as principais inteligências humanas, com conceitos e exercícios práticos. "De modo geral, a felicidade é descrita como uma sensação de bem-estar, grande alegria, contentamento, boa sorte, bom êxito, sucesso ou paz interior". Diante disso, confira cinco dicas selecionadas pela especialista para se encontrar o caminho da felicidade.

Ser feliz não depende de fatores externos
O que faz você feliz? Segundo Heloísa, essa pergunta é muito difícil de ser respondida. Geralmente, as pessoas não conseguem encontrar as palavras que definem a felicidade. Possuir um bom emprego, abrir o próprio negócio ou ter o carro do ano são alguns desejos muito frequentes. "Por mais diversas que todas essas respostas sejam, existe nelas algo em comum: todas têm uma condição. É a chamada condição 'se'. Se eu tiver, se eu fizer, se isso ou aquilo acontecer", afirma.

Para a especialista, a questão do "se" está diretamente ligada a algo que vem de fora e isso não temos controle. Essa conduta torna as pessoas dependentes e reféns de situações externas. A diretora do Centro Hoffman explica que é importante fazer um exercício de autoconhecimento e definir qual é o seu conceito de felicidade.

Seja feliz hoje
Sempre projetamos a felicidade para o futuro. No entanto, é essencial trabalhar com pequenas recompensas no dia a dia. Pode ser que hoje você não se torne o diretor de uma grande empresa, mas não é necessário ser feliz apenas quando você alcança um objetivo. "Devemos nos ensinar a ter prazer na simplicidade, no aqui e agora. Uma mensagem, um jantar, um passeio, jogar um videogame", diz a especialista.

Seja positivo
Estar em um ônibus lotado não é sensação agradável e muitas vezes é visto como sinônimo de infelicidade. De acordo com Heloísa, é preciso mudar um pouco a nossa percepção de algumas situações. "Existe positividade e felicidade em qualquer momento, é uma prática que exige treino", diz.

No caso do transporte público, as pessoas podem aproveitar o tempo para ler um bom livro ou assistir a uma série. Essas pequenas ações podem nos dar mais prazer no nosso dia a dia.

Para ser feliz, não é preciso parar de sofrer
Estamos imersos em um mundo que entristece, aborrece, suga e cansa as pessoas. É impossível se sentir alegre o tempo todo. "O grande problema é que não vivemos a dor no momento em que ela surge. Fugimos dela e, paradoxalmente, vivemos uma dor rasa e vazia por toda a vida ou em grande parte dela", diz Heloísa. Para ela, é preciso tomar cuidado para não cair na armadilha da vitimização e passar a culpar todos a sua volta para se sentir melhor.

Tenha amor-próprio
É muito comum as pessoas esperarem o amor, reconhecimento e respeito dos outros. Assim, recorrem a presentes e cobrem os amigos de agrados. Mas, o amor-próprio é essencial para melhorar a qualidade de vida dos indivíduos. "Quando cada um descobre essa capacidade e se apropria dela de modo integrado, promove um relacionamento muito melhor consigo mesmo. Porque assim se instala em você a vontade de fazer o melhor por si mesmo", finaliza.

Miss Brasil Mundo 2018 alerta para sintomas da hanseníase

Da Redação com Ag. do Rádio Mais

Nascida e criada em Parnaíba, no Piauí, Jéssica Carvalho está no último ano de Medicina e tem o sonho de se tornar uma grande neurologista. Em 2018, a jovem de 23 anos foi eleita a Miss Brasil Mundo, a primeira nordestina a ganhar a competição em 25 anos. Representante brasileira no Miss World, um dos dois principais concursos de beleza do planeta, Jéssica faz um apelo importante aos brasileiros sobre a hanseníase .

"A hanseníase tem cura e quanto mais cedo a pessoa fizer o tratamento, menor chance de ter sequelas", comenta Jéssica  | Foto: Divulgação
“O Brasil está na segunda posição em número de casos de hanseníase. Por causa disso, a doença é um caso sério de saúde pública no nosso País. Se você notar alguma mancha esbranquiçada, amarronzada ou avermelhada em qualquer parte do seu corpo com perda ou diminuição de sensibilidade, procure um posto de saúde. A hanseníase tem cura e quanto mais cedo a pessoa fizer o tratamento, menor chance de ter sequelas. E uma vez que se começa o tratamento, não há mais risco de contágio. Fique atento, procure ajuda e não tenha preconceito contra quem pegou esta doença”, afirma Jéssica.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza o tratamento e acompanhamento da doença em Unidades Básicas de Saúde e de referência em todo o País. É importante ressaltar que, logo no primeiro mês de tratamento, a pessoa já não transmite o bacilo. Por isso, é preciso que o paciente siga todo o tratamento, sempre de acordo com a orientação médica.

Ao surgimento de qualquer mancha que tenha a perda ou diminuição da sensibilidade ao toque, ao calor ou frio, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima e faça o teste. Quanto mais cedo o diagnóstico, menores as chances de sequelas. A hanseníase tem cura e o tratamento está disponível gratuitamente no SUS.

Gastroenterologista fala sobre intolerância à lactose

Da Redação

Estima-se que no Brasil cerca de 40% da população sofra com algum grau de deficiência de lactase no organismo – enzima produzida no intestino que quebra e decompõe a lactose, açúcar do leite e de seus derivados em moléculas menores que conseguem ser absorvidas pelo intestino. Essa incapacidade total ou parcial de digestão é popularmente conhecida por intolerância à lactose. O gastroenterologista Décio Chinzon explica peculiaridades dessa condição e como conviver com ela sem sofrimento.

A intolerância à lactose pode ser congênita, primária ou secundária | Foto: reprodução 
A intolerância à lactose é dividida em três tipos distintos

A do tipo congênita é caracterizada por deficiência total da enzima lactase, desde o nascimento da criança e é responsável por sintomas como diarreia e perda de peso no recém-nascido. O bebê portador não é capaz de degradar e, consequentemente, absorver o açúcar do leite. Essa é a forma mais grave e mais rara da deficiência enzimática e se manifesta logo nos primeiros momentos da amamentação.

Na denominada deficiência de lactase primária, ocorre uma progressiva perda da lactase intestinal, geneticamente determinada e normalmente os sintomas se iniciam na adolescência ou na vida adulta. Os sintomas mais comuns são distensão abdominal, cólica, flatulência e diarreia, que ocorrem após a ingestão de alimentos lácteos. E por fim, a secundária ocorre como consequência de doenças intestinais, que por causarem um processo inflamatório, contribuem para a diminuição de produção de lactase pelas células do intestino. Esse tipo de deficiência pode acontecer em qualquer idade e desaparece quando a doença de base é tratada.

O diagnóstico é simples, no qual são associados os dados clínicos (sintomas após a ingestão de lácteos ou derivados) com exames complementares como teste respiratório, sobrecarga de lactose ou mesmo testes genéticos.

 “Algumas estratégias como o fracionamento da ingestão de alimentos lácteos e a utilização de produtos com baixo teor de lactose podem ser utilizadas pela pessoa com deficiência primária de lactase  (intolerância à lactose do adulto). No entanto, a exclusão total de alimentos lácteos pode ser prejudicial para a obtenção de nutrientes como o cálcio entre outros elementos”, explica a especialista. Quando alimentos que contenham lactose forem ser consumidos, pode-se fazer uso da enzima lactase em comprimidos junto com a ingestão alimentar. É importante lembrar que o acompanhamento médico e nutricional é fundamental para essas pessoas”, conclui Chinzon.

Professor da FGV alerta sobre os riscos da "dark web"

Da Redação

O coordenador do MBA de Marketing e Negócios Digitais da Fundação Getulio Vargas (FGV), André Miceli, alerta para os perigos da deep web. Segundo ele, não é um lugar interessante para adolescentes e crianças ou mesmo adultos navegarem, por ser um espaço de conteúdos ilegais – que vão desde malwares desenvolvidos por hackers, em busca de dados pessoais –, a atividades ilegais.

A a "dark web" fornece mecanismos de anonimato que favorecem a ação de hackers e criminosos virtuais, além de pessoas que buscam compartilhar conteúdos censurados | Foto: Reprodução 
Miceli, no entanto, esclarece que o problema está na "dark web", uma subdivisão da deep web. O especialista explica que a deep web possui 96% do conteúdo da internet, que vão desde arquivos científicos, livros raros, informações financeiras, até vírus e informações sobre crimes. A diferença é que, ao contrário do que acontece na internet que conhecemos, essas páginas não estão indexadas a motores de busca, nem podem ser acessadas pelos browsers que usamos diariamente.

"Na 'dark web' estão salas de conversa que podem incitar a violência, comercializar drogas, contratar serviços e produtos ilícitos, organizar ações contra o governo e outras questões. Em função do que acontece nesse ambiente, ele é monitorado por governos, polícias e agências de inteligência. Já na deep web, estão site fechados, grupos e informações confidenciais.", explica Miceli.

O professor da FGV esclarece que a "dark web" fornece mecanismos de anonimato que favorecem a ação de hackers e criminosos virtuais, além de pessoas que buscam compartilhar conteúdos censurados. "Lojas virtuais de mercadorias proibidas ou de difícil acesso, inclusive drogas ilícitas e armas também estão nesse ambiente", alerta o especialista em ambientes digitais.

Cuidados
Miceli destaca que os pais devem estar atentos aos acessos de seus filhos na deep web. O especialista sugere que os responsáveis instalem um software de Controle Parental que permita bloquear os endereços terminados em “onion” e que fiscalizem diariamente e presencialmente a usabilidade das crianças e adolescentes no ambiente virtual.

 "A deep web não é feita apenas de coisas ruins. No entanto, vale verificar os acessos do TOR (The Onion Router) – software que permite estabelecer conexões anônimas e acessar conteúdos inadequados – e do I2P e Freenet, por exemplo. Assim é possível prevenir problemas provenientes dos riscos e perigos desse ambiente", finaliza Miceli.

quinta-feira, 21 de março de 2019

Anticoncepcional pode afetar a disposição, comenta nutróloga

Da Redação

Quando os anticoncepcionais surgiram na década de 60, foi um grande avanço no campo da sexualidade feminina. Porém, atualmente, eles são associados também à ansiedade, falta de energia, desânimo e depressão, conforme comenta a médica nutróloga do Espaço Volpi, Paula Vasconcelos.

Anticoncepcionais são associados à depressão e falta de energia  | Foto: Freepik
Questões como varizes, inchaço corporal, celulites, vaginismo, ganho de peso, mal-estar e até mesmo a Tensão Pré-Menstrual (TPM), por exemplo, estão presentes nas bulas dos remédios, relembra a médica, mas muitas mulheres iniciam a vida sexual e começam a tomá-los por conta própria, sem a consulta com um médico especialista.

"A mulher está sempre em busca de uma vida mais saudável, em se cuidar, se manter bonita e com saúde, mas muitas vezes não sabe dos perigos que está colocando dentro do seu próprio corpo tomando esse tipo de medicamento (que pode ser comprimidos, injeção, anel vaginal, adesivo, etc)", afirma.

Os anticoncepcionais atrapalham ainda quem deseja ganhar massa muscular, além de dificultar o emagrecimento e reter líquidos. "Eles liberam uma grande quantidade de hormônios para impedir a ovulação e, consequentemente, a gravidez. Mas o problema é que é preciso ter um equilíbrio entre os hormônios femininos e masculinos, como a testosterona que é responsável pela libido e pela disposição", explica Paula.

Para não ter o rendimento comprometido no dia a dia, seja na academia, na vida profissional ou no sexo, a especialista afirma que é preciso conversar com o médico e alinhar as expectativas e objetivos, além de manter uma boa e equilibrada alimentação.

Casa Lego segue no Golden Square Shopping

Da Redação

Imaginação, diversão, criatividade e aprendizado. Estes e outros valores estarão em evidência na superatração que o Golden Square Shopping apresenta até o dia 14 de abril: a Casa Lego.
O evento chega com a tradição que reúne gerações há mais de 80 anos em torno de brincadeiras que ainda hoje são sucesso em todo o mundo ao associar imaginação, desafios e interatividade. As atividades, com entrada gratuita, foram desenvolvidas especialmente para crianças de 18 meses a 12 anos de idade em espaços temáticos e coloridos.

Atração continua no local até 14 de abril  | Foto: Divulgação
Para os pequenos de até 3 anos, o roteiro de diversão tem início no Espaço Kids. Já imaginou uma piscina de peças de Lego duplo de diversas cores? Seguindo o conceito de uma piscina de bolinhas, além de aprender novas cores, as crianças poderão fazer suas construções de Lego ali mesmo, pois encontrarão nas laterais da piscina bases para a montagem das peças. Com capacidade para quatro participantes simultaneamente, a brincadeira terá duração de até 30 minutos e deverá ser acompanhada por um responsável.

Já as crianças a partir de 4 anos poderão optar entre duas diferentes brincadeiras. No Espaço Central Park elas serão acomodadas em mesas de piquenique e incentivadas a construir peças para o jardim, enquanto no Mini Zoo darão vida aos animais mais admirados do zoológico como girafas, macacos, pássaros ou zebras.  Valorizando a criatividade, após a construção as peças ficarão expostas dentro do Espaço.

Para os que adoram superar seus limites, o Espaço Desafios oferece monitores para orientar as crianças a trabalharem em equipe na construção de pontes, torres e objetos de apenas uma cor. Vence o grupo que construir a ponte mais resistente, a torre mais alta ou o maior número de objetos.
E pensa que acabou? Para convidar os clientes a participarem do evento, estarão expostos no shopping quatro incríveis esculturas numa representação à versatilidade de Lego e a liberdade de construir tudo que a imaginação permitir.

O evento é gratuito. Para participar os clientes deverão emitir um voucher por meio do aplicativo do Golden Square Shopping. O regulamento completo estará disponível na plataforma.

Serviço

Casa Lego Golden Square Shopping
Data: Até 14 de abril
Horário de funcionamento: De domingo a sexta-feira, das 14 às 20 horas; e sábado, das 12 às 21 horas
Local: Golden Square Shopping (Av. Kennedy,700, Bairro Jardim do Mar - São Bernardo do Campo - SP)
Classificação indicativa: 18 meses a 12 anos – As crianças menores de 4 anos deverão estar acompanhadas por um responsável maior de 18 anos durante toda a atividade
Voucher de participação: Deverão ser emitidos por meio do aplicativo do Golden Square Shopping. Após a participação em uma oficina, a criança que optar por participar novamente deverá fazer nova inscrição
Duração: Cada turma tem duração de 30 minutos de atividades no espaço e a capacidade máxima é 36 crianças por turma
Entrada Gratuita

Governo de São Paulo lança o aplicativo “SOS Mulher”

Da Redação O Governador João Doria lançou nesta sexta-feira (22) um aplicativo para que mulheres com medidas protetivas concedidas pelo Tr...