segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Como tratar rugas, depressões e sulcos para dar volume e harmonizar o rosto

 *Por Denise Steiner 

Há 20 anos, a cada 10 pacientes atendidos somente 1 já havia feito algum procedimento, enquanto hoje os 10 já usaram algum preenchedor para melhorar rugas, sulcos, depressões ou melhorar o volume e harmonizar o rosto.Tive o privilégio e oportunidade de estudar cosmiatria muito antes de haver tantos recursos e tecnologias avançadas disponíveis para o do tratamento facial e com isso, acompanhei o momento em que olhávamos para um sulco ou uma determinada ruga e ficávamos satisfeitos em resolver esse problema pontual.

Antes de fazer o preenchimento, é importante avaliar o sorriso e a movimentação de cada face, comenta a médica Denise | Foto: divulgação
Essa técnica foi se aperfeiçoando e hoje conseguimos enxergar o rosto de maneira tridimensional, antevendo a prevenção que os resultados desse procedimento pode alcançar. Isso significa que um rosto deve ser avaliado por completo, passando pelas proporções, detalhes, volume, contorno e até assimetrias.

Também é importante avaliar o sorriso e a movimentação de cada face nos seus detalhes especiais. Outro dado interessante, é a avaliação de fotografias mais antigas para observar que diferenças específicas estão ocorrendo com o passar do tempo. É por isso que este procedimento, chamado preenchimento, não é uma simples técnica, mas sim um tratamento global, carregando consigo conceitos de beleza, harmonia e saúde.

Os pontos mais interessantes e úteis para aplicação de preenchedores são aqueles localizados no arco zigomático e na projeção da mandíbula. Quantidades entre 0,1 e 0,3ml em cada lado do rosto, nestes pontos específicos, provoca um levantamento substancial, evitando muitas vezes a necessidade de aplicar no sulco nasogeniano ou em uma ruga ao redor da boca.

Outro local não valorizado, porém crítico em relação ao envelhecimento facial é o queixo. Muitas vezes o rosto afina abruptamente, outras o queixo não tem projeção e quase todas as pessoas ao envelhecer projetam o queixo para baixo e para trás quando sorriem. Essas movimentações sutis e constantes, que muitas vezes não são percebidas, são como areia movediça num alicerce de uma construção. Sendo movediça, essa base faz com que o rosto vá literalmente desabando. Por isso, é interessante que o queixo tenha sustentação, formato e projeção bem definidos para evitar o envelhecimento e flacidez precoce.

Embora o custo do preenchedor possa ser uma limitação, é interessante observar que sua utilização previne a flacidez e a perda de contorno, além de harmonizar e levantar, sem a necessidade de anestesia geral e também sem cicatrizes. Os materiais utilizados devem ser de procedência idônea, aprovados pela ANVISA e de preferência pelo FDA e podem ser o ácido hialurônico e a hidroxiapatita de cálcio.

Conhecer o produto em detalhe, tanto sua característica física, química, potencial alérgico, como o tipo de reticulação. O plano que cada preenchedor deve ser aplicado é muito importante, assim como o local da face. Nessa linha de raciocínio a hidroxiapatita de cálcio deve ser evitado nos lábios e olheiras. Escolhendo o melhor custo/benefício em relação ao tipo de preenchedor e também em relação a indicação de cada paciente, com certeza teremos uma enorme gratificação com nossos resultados.

* Denise Steiner é médica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da qual foi presidente entre os anos de 2013 e 2014.  


Shopping ABC estreia projeto “ABC Musical”

Da Redação

Desde a última sexta-feira (18), o Shopping ABC, em Santo André, disponibiliza um piano exposto na Praça de Eventos II, no Piso 1, para quem quiser mostrar seu talento. O instrumento marca o lançamento do projeto ABC Musical, em parceria com o Clube das 4 Cordas, escola de música referência na região do ABC.

As professoras e musicistas Geisa Nunes e Rosineia Paz tocaram na abertura do projeto | Foto: divulgação 
Na estreia, a professora Geisa Nunes ao piano e a professora Rosineia Paz no violino tocaram sucessos da MPB e do pop internacional como Wave, de Tom Jobim, A Thousand Years, de Christina Perri, When I Was Your Man, de Bruno Mars, Thinking Out Loud, de Ed Sheeran, Carinhoso, de Pixinguinha, e muitos outros hits.

O Clube das 4 Cordas fará apresentações toda sexta-feira, às 20h, conforme comenta a gerente de marketing do empreendimento, Flávia Tegão. "Proporcionar uma experiência ainda mais agradável para todos os frequentadores, tendo a música de qualidade como principal aliado, sem dúvida nos faz resgatar todo o sentido dessa arte de linguagem universal e que tem o poder de unir as pessoas. Nosso objetivo é que os clientes se sintam convidados a embarcar nesse universo com a gente", finaliza. O Shopping ABC fica na Avenida Pereira Barreto, 42, Vila Gilda.





Farol Santander celebra aniversário e divulga novidades

Da Redação

O Farol Santander completa em 25 de janeiro, dia do aniversário de São Paulo, o primeiro ano de funcionamento, com mais de 300 mil visitantes neste período. E anuncia novidades ao público: a mostra de arte imersiva "Além do Infinito", que começa nesta terça-feira (22) e, a abertura do Bar do Cofre SubAstor, em 1° de fevereiro. Além disso, nos próximos meses, a gastronomia ganha força como um dos eixos temáticos do Farol, com a inauguração de três andares dedicados ao tema, de acordo com a vice-presidente executiva de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander, Patrícia Audi.

O Farol Santander fica na Rua João Brícola, 24 – Centro (estação São Bento – linha 1, azul do metrô) | Foto: Reprodução 
"Quando inauguramos o Farol Santander, tínhamos a ambição de ser uma referência para a cidade de São Paulo. Estamos no caminho certo: atingimos a marca de 300 mil visitantes e recebemos o reconhecimento do público e da crítica às nossas exposições", afirma Patrícia.

Para 2019, a executiva antecipa alguns temas que irão inspirar as novidades do Farol. A começar pela gastronomia, evidenciada pela abertura do Bar do Cofre, que será operado pelo SubAstor – um dos estabelecimentos brasileiros mais conectados com as tendências da coquetelaria internacional, com casas em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Já a quarta exposição de arte imersiva ocupa os andares 22 e 23 do edifício. “Além do Infinito apresentará ao público duas obras. No 22º, a artista visual Regina Silveira apresenta o trabalho Up There. No 23º andar, a instalação multissensorial Beyond Infinity, do artista, arquiteto e urbanista francês Serge Salat.

Em maio, após "Além do Infinito, o Farol inaugura uma nova exposição de arte imersiva que ocupará os 22º e 23º andares, com o coletivo de arte TeamLab (Japão), cuja prática colaborativa busca navegar o encontro da arte, ciência, tecnologia e design. O coletivo explora em suas obras, que ficarão expostas até 03 de setembro, uma nova relação entre os seres humanos e a natureza através da arte. A curadoria é de Facundo Guerra.

Gastronomia

Além da inauguração do Bar do Cofre SubAstor, haverá o Boteco do 28, com previsão de abertura para março, será um restaurante inspirado nos bares e restaurantes de tapas espanhóis. E o Restaurante do 29, no 29º andar, será inspirado nos "requintados" bares e restaurantes de São Paulo, com inauguração em abril. Na programação também está o LAB do 31 (31º andar), uma escola gastronômica para aulas e eventos relacionados à gastronomia.

O Farol Santander fica na Rua João Brícola, 24 – Centro (estação São Bento – linha 1, azul do metrô). Funcionamento de terça a domingo. Horários: das 09h às 20h (terça a sábado) e das 09h às 19h (domingo).




sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

“Nós vivemos ainda um certo machismo velado”, afirma a presidente da OAB Santo André

Por Vivian Silva


A advogada Andréa Tartuce, 50 anos, é a primeira mulher a comandar a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subsecção Santo André. No início de janeiro, ela tomou posse do novo cargo e, assim, ficará à frente da entidade até 2021. Em entrevista exclusiva à Dia Melhor, ela comentou alguns dos planos para o seu mandato, a importância do empoderamento feminino na área advocatícia e também da necessidade de política públicas para melhorar a sociedade como um todo.

Posse da advogada Andréa Tartuce, que ficará à frente da OAB Santo André no triênio 2019 – 2021 | Foto: CB
Natural de Santo André, Andréa atua no Direito há 16 anos. Antes de ser eleita a nova presidente da Casa, ela já atuava no local, como secretária-geral da OAB Santo André (2016-2018) e coordenadora do núcleo da Escola Superior de Advocacia (ESA), que é um importante braço da OAB, voltada ao aprimoramento do advogado.

Além de advogada, Andréa é psicopedagoga e mãe de três filhos. Antes de chegar ao posto de presidente da OAB, ela conta que já foi vítima do machismo velado na área do direito: ““Nós vivemos ainda de uma forma menos escancarada um certo machismo velado”. E afirma ser contra as cotas de 30% de mulheres na composição de chapas eleitorais na OAB, pois “a mulher tem que ir (aos cargos eletivos) independente disso”, ressalta.

Dia Melhor (DM) - A senhora é a primeira presidente mulher da OAB de Santo André. Numa época com altos índices de feminicídio, o que isso representa para a senhora e para a sociedade?
Andréa Tartuce  (AT)- Realmente, é uma grande conquista, porque são épocas de transformação, mudanças, de conquistas do espaço das mulheres e uma busca de igualdade, então, mais do que ser a primeira mulher presidente, é justamente a gente ter este viés, essa perspectiva de que a igualdade ela está sendo buscada, ela ainda não foi alcançada, mas já é um primeiro caminho.

DM - A senhora já sofreu algum preconceito por ser mulher e advogada?
AT - É uma coisa um pouco mais velada, considerando que é um ambiente predominantemente de homens. Santo André já vem construindo essa abertura, mas no começo senti sim... Não fui eleita porque sou mulher, não é isso, mas foi um desafio... Não só a Presidência da OAB, eu gostaria, por exemplo, de colocar mulheres em comissão de prerrogativas, de ética e ainda não consegui, porque não existem mulheres para preencher. Eu quero trabalhar neste sentido.

DM - Entre seus planos na OAB, haverá algum voltado especificamente ao público feminino ou em prol da igualdade de gênero? Se sim, qual?
AT - Então, nós temos a Comissão da Mulher Advogada e a nossa cadeira no Conselho Municipal e dos Direitos da Mulher. Sim, nós pretendemos não somente ampliar estes espaços, mas também levar a discussão para fomentação e criação de políticas públicas, isto também através da OAB, e a Comissão ainda é uma decisão que está sendo tomada em diretoria, se é o caso de instalar uma Comissão de Defesa de Combate à Violência à Mulher. Esta semana mesmo, nós estamos reiterando um pedido que é a criação de um anexo, é uma bandeira que não é só da OAB, mas nós também iremos intensificar, que é a criação de um anexo de combate à violência, do Juizado de Violência à Mulher, aqui a ideia era um juizado, mas devido a constituição da própria comarca e Fórum, a ideia é abrir um anexo, então a ideia é assim: trabalhar as questões voltados para a mulher advogada e para a mulher dentro da sociedade.

DM -  Quando será a implantação deste anexo? 
AT - Não tem data, porque isso é ainda uma bandeira e uma luta. Mas não é um trabalho solitário da OAB, é um trabalho que será feito com a Delegacia da Mulher, a juíza criminal e tem também outras ONG’s que também vão atuar neste sentido.

DM - E quais são as prioridades do seu mandato?
AT - Poxa, tem tanta coisa, mas é trazer um protagonismo para a OAB, a nossa subseção perdeu isso, então, de acordo com o nosso estatuto, nós temos vários comprometimentos com a advocacia, com a valorização, com o resgate, trazer o advogado para estar na Casa, a preocupação com o jovem advogado é enorme... Um enfrentamento que vem, desde a OAB federal e as seccionais, é lidar com a inovação dentro da advocacia, transformação que todos nós estamos passando e a advocacia também não poderá fugir, que é a advocacia 4.0, que são as novas tecnologias, que vem com a inteligência artificial, as startups, enfim, para serem implantadas também no nosso segmento. Enquanto subseção também temos que ter essa preocupação de preparar o advogado, tanto que uma das comissões que será instalada é, justamente, essa Inovação e Empreendedorismo, que vai trazer essa reflexão e este trabalho para preparar a advocacia para o futuro, para ser a advocacia do amanhã.

DM – Há alguma outra proposta que a senhora queira destacar?       
AT - Uma das nossas propostas, que eu estarei à frente, inclusive, que se chama "Frente 44 -  Observatório da Democracia", que é pautada no artigo 44 do Estatuto da Advocacia, que é uma lei federal, entre as quais, o Estado democrático de direito, a correta aplicação das leis, defesa da sociedade civil, então, partindo destes pressupostos, essa comissão é, justamente, isso, atuar através das comissões a ampliação das cadeiras da OAB como sociedade civil organizada, participar dentro destes conselhos municipais, ouvir as demandas da sociedade... e atuar junto com os Conselhos para verificar a possibilidade de não só sugestões, mas também de proposituras de projetos de leis, que visem a criação de políticas públicas, então, seria uma "ponte" entre a OAB e as comissões  da OAB, conselhos municipais e o próprio Legislativo, para levar à frente e através disso ter a criação de políticas públicas, que beneficiem e retornem à sociedade civil.


Colégio Singular arrecada material escolar usado

Da Redação

As unidades do Colégio Singular no ABC recebem doação de lápis preto e de cor, giz de cera, cadernos, livros, borrachas, réguas, mochilas e canetas, entre outros materiais escolares, novos ou seminovos, até 9 de fevereiro. Todos os itens arrecadados serão destinados às creches e orfanatos localizados na região do ABC.

Materiais podem ser entregues até 9 de fevereiro nas unidades do Colégio Singular | Foto: reprodução 
Segundo o coordenador do Singular Social Ronaldo Beluzzo, todas as ações sociais são um grande sucesso graças ao empenho e participação da sociedade. "Ao longo de 2018 foram realizadas também campanhas de arrecadação de alimentos, agasalhos, produtos de higiene e ração animal. Só de roupas e calçados foram 10 toneladas e de alimentos, 8 mil quilos".

Quem quiser colaborar com a campanha pode conferir o endereço da unidade Singular mais próxima no portal www.singular.com.br .



Poupar no início do ano é a melhor opção para manter a saúde financeira

Da Redação

Todo início de ano traz expectativas e também muitas contas. Além dos tradicionais gastos de fim de ano, em janeiro os impostos aparecem sem piedade. Para quem tem filhos, há ainda a compra do material escolar. Para o professor de finanças do ISAE Escola de Negócios, Pedro Salanek, nos últimos anos a dificuldade de acesso ao crédito e o desemprego aumentaram consideravelmente, então, o controle dos gastos é essencial.

 Criar uma planilha com os gastos é necessário para ter tudo sob controle | Foto: divulgação
Além disso, o novo governo ainda gera muitas incertezas na economia, o que faz com que as famílias passem por uma readequação em seu planejamento financeiro. “Deve-se buscar uma reavaliação daquilo que é suficiente para aquisição, tanto de bens de consumo como também dos bens duráveis. Um controle antecipado daquilo que poderá ser gasto é obrigatório de tornar-se realidade neste período, isso envolve inclusive uma mudança de cultura e disciplina financeira do brasileiro. A questão não é quanto ganha, mas sim quanto gasta”, afirma o professor.

Em janeiro, há uma série de tributações e despesas: IPTU, IPVA, material escolar e o cartão de crédito utilizado no mês anterior são os principais vilões, por isso, Salanek alerta que é preciso ter uma visão dos gastos futuros e segurar o freio quando o assunto é gastar.

“Poderíamos até imaginar como se fosse uma despesa antecipada e já guardar dinheiro pra ela agora. O planejamento financeiro deve ser de médio prazo, ou seja, não podemos nos programar apenas com os valores gastos no momento e sim com aquilo que gastaremos nos próximos meses. Se não tiver previsão suficiente de recebimento de recursos no futuro, não terá como honrar esta previsão do pagamento das despesas”, coloca.

O planejamento é a saída para não ser surpreendido nestes períodos de maior consumo. Por isso, criar uma planilha com os gastos é necessário para ter tudo sob controle. Ter uma reserva para equilibrar as finanças, pode sim ser uma saída, pois reter uma pequena fonte por mês, não pesa no bolso e ajuda em situações críticas.

 “Quando você recebe o dinheiro, automaticamente um percentual deve ser separado dos gastos diários como reserva mesmo. Deve ser guardado em uma conta que você não movimenta rotineiramente (poupança, por exemplo) e considerar como se fosse um pagamento efetuado. Comece a fazer isso com 3%, 5% daquilo que você ganha, e quem sabe no futuro você estará aumentando essa alíquota”, finaliza Salanek.


quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Metade dos casos de transtorno mental surge até os 14 anos de idade

Da Redação

A campanha Janeiro Branco faz um alerta importante: é preciso conscientizar a população sobre a importância da saúde mental. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil possui a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade em todo o mundo. No ranking da depressão, o país está em quinto lugar. O problema pode ter origem ainda na infância e adolescência, pois de acordo com a entidade, metade dos casos de transtorno mental surge até os 14 anos de idade, mas, infelizmente, a maioria não é diagnosticada ou tratada.

O Brasil possui a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade em todo o mundo, segundo OMS | Imagem: reprodução
Para a psicóloga da Clínica Maia Jussara Cavalcanti - especialista em atendimento e acolhimento infantil, adolescente e familiar – as mudanças sociais interferem nesta situação: "Dia a dia, vemos cada vez mais casos de jovens com transtornos mentais, vítimas de depressão profunda, praticantes de automutilação, ideação e tentativas de suicídio recorrentes, assim como envolvimento com álcool e outras drogas. O avanço tecnológico e as mudanças nos hábitos familiares e sociais têm parte nisso. Criaram-se padrões irreais e inalcançáveis que, muitas vezes, levam os jovens a um estresse intenso e frustrações frequentes".

Segundo a profissional, as redes sociais, por exemplo, que ao mesmo tempo permitem aproximar as pessoas, geram uma exposição muito grande, criam um mundo de felicidade irreal e uma busca incessante em alcançá-la. O bullying, inclusive, é também uma consequência disso.

Com isso, as principais síndromes ligadas ao mundo moderno e ao período inicial de vida incluem depressão, que pode ser identificada por comportamentos de isolamento e problemas com autoestima, tristeza recorrente, falta de energia, angústia e um vazio interior; transtorno de ansiedade, caracterizado por insônia, irritabilidade exacerbada, tensão, dores estomacais, medo, agitação, dificuldade em concentrar-se; transtornos alimentares, que podem ser observados através de alterações na alimentação e preocupação exagerada com o peso/corpo, na tentativa de atingir padrões de beleza.

"A fobia social também é comum na adolescência. O jovem tem dificuldade em participar de atividades sociais e busca manter-se isolado em casa, demonstrando medo e insegurança nestas ocasiões. Ele pode apresentar sintomas como agonia, taquicardia, dificuldade em respirar, suor intenso, ente outros fatores. Há também o transtorno desafiador e/ou de conduta, que pode ser confundido com rebeldia da adolescência, mas é importante notar alguns sinais característicos da síndrome: dificuldade em lidar com normas e regras, impulsividade, agressividade, hostilidade, desrespeito à autoridade, irritabilidade, mentiras, roubos, manipulação e colocar-se em situações de risco", esclarece Jussara.

O fato de o diagnóstico ainda ser um problema para a saúde mental, e até mesmo um tabu, causa prejuízos sérios, pois uma síndrome não diagnosticada e não tratada pode comprometer todo o desenvolvimento familiar, social, escolar e profissional da criança/adolescente.

"Um adulto que sofre com uma saúde mental debilitada e não cuidada se torna inseguro, despreparado, sem amor próprio e com dificuldades em lidar com situações do cotidiano, (desde as mais simples até as mais complexas), podendo até mesmo comprometer a própria vida, já que muitos deles enxergam no suicídio uma forma de suprimir a dor", alerta a psicóloga.

Para ela, é vital o papel dos pais, familiares e professores no que diz respeito à atenção quanto aos sinais manifestados pela criança em seu desenvolvimento. Comportamentos agressivos, explosões diante de situações do cotidiano, agitação, distúrbios de sono, de aprendizagem e de socialização são alguns dos sintomas que necessitam de atenção profissional especializada, para um diagnóstico e acompanhamento correto. Uma vez constatado o problema, é fundamental que o jovem passe por um atendimento psicológico contínuo.




Como tratar rugas, depressões e sulcos para dar volume e harmonizar o rosto

 *Por Denise Steiner  Há 20 anos, a cada 10 pacientes atendidos somente 1 já havia feito algum procedimento, enquanto hoje os 10 já usaram...