quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Livro aborda cena teatral nos anos de chumbo

Da Redação

O TUSP – Teatro da USP (Rua Maria Antônia, 294, Vila Buarque) sedia o lançamento do livro Anos de chumbo: o teatro brasileiro na cena de 1968 (Edições Sesc São Paulo), do escritor e jornalista A. P. Quartim de Moraes, em 3 de dezembro, a partir das às 19h30. Na ocasião, haverá bate-papo com o autor e também com o crítico de teatro Jefferson Del Rios e diretor de teatro Sérgio de Carvalho, no programa de leituras públicas do TUSP, seguido de sessão de autógrafos.

Lançamento do livro será em 3 de dezembro, no TUSP - Teatro da Usp | Imagem: divulgação 
Na obra, Moraes traz o panorama da fervilhante cena teatral brasileira às vésperas da assinatura do Ato Institucional nº 5 (decretado em 13 de dezembro de 1968, durante o governo do general Arthur da Costa e Silva). Naquele momento, as bases do teatro contemporâneo brasileiro eram fincadas nos palcos e nas ruas por artistas de peso: Ruth Escobar, Cacilda Becker, José Celso Martinez Corrêa, Augusto Boal e Plínio Marcos, entre outros talentos.

Ao lado de intelectuais, trabalhadores e estudantes, eles desafiavam a ditadura e resistiam em prol da arte, da liberdade de expressão e, sobretudo, de sua própria sobrevivência. Moraes costura os fatos sociopolíticos ocorridos naquele ano ao movimento dos grupos e profissionais de teatro, sobretudo do eixo Rio-São Paulo, que precisaram encarar com inteligência e coragem o aumento da violência de Estado.

O livro se organiza em três atos: “Assim foi, se não duvidas”, que apresenta a cena teatral nos anos que antecedem 1968 e contextualiza a situação e o envolvimento dos profissionais da área conforme a censura e a repressão recrudesciam; “Muito barulho por tudo”, que traça um panorama das principais companhias teatrais e as principais peças de seu repertório, entre as quais destacam-se O rei da vela, do Oficina, e a 1ª Feira Paulista de Opinião, do Arena; e “Vestidos de farda”, que apresenta a cronologia dos eventos sociopolíticos, os debates internos sobre o papel e os limites da arte engajada e as peças encenadas em 1968. O livro encerra com textos basilares de Augusto Boal, Anatol Rosenfeld e Zé Celso.


Orquestra Locomotiva, de Santo André, realiza concerto gratuito no Auditório Ibirapuera

Da Redação

Neste sábado (17), às 17h, a Orquestra Locomotiva apresentará, de forma aberta ao público, o Espetáculo Rock Sinfônico, no Auditório Ibirapuera, uma das mais importantes salas de concertos paulistana. O projeto, que completou 10 anos em 2018, utiliza a música como agente transformador para contribuir com o desenvolvimento sociocultural de crianças e adolescentes, entre 7 e 17 anos, de Santo André e Mauá.

A apresentação contará com 210 jovens que participam do projeto atualmente, liderados pelo maestro Rogério Schuindt, que, junto com seu irmão Sergio Schuindt, idealizou e é responsável pelo Locomotiva.
Apresentação será no sábado (17), às 17h | Foto: Divulgação
Em maio deste ano, com o apoio da Braskem, foi viabilizada a implantação de uma Lutheria para a construção de instrumentos musicais à base de PVC, estimulando a capacitação profissional dos alunos nesta área e aumentando o número de vagas ao possibilitar a redução de até 60% do custo por instrumento. Até o momento, 49 violinos já foram confeccionados com o material plástico e farão parte da orquestra no concerto.

A entrada será gratuita, com limitação aos 806 lugares do local. Para garantir um ingresso é preciso se inscrever pelo link https://goo.gl/forms/2ZE00hD9czygZugG3 e aguardar confirmação. Os ingressos daqueles que receberem a confirmação deverão ser retirados no dia da apresentação, com até 1h30 de antecedência no próprio local.

Serviço
Data: 17/11 - sábado
Local: Auditório Ibirapuera - Av. Pedro Álvares Cabral - Parque Ibirapuera, São Paulo - SP, 04094-050
Horário: 17h (retirar ingresso pré-reservado no local com uma hora e meia de antecedência)
Como garantir o ingresso gratuito: https://goo.gl/forms/2ZE00hD9czygZugG3



Liliana Gonçalves: exemplo de superação e empreendedorismo

Por Vivian Silva
A UPTV é a primeira emissora de TV Web do ABC, idealizada por Angelo Luciano de Oliveira, mais conhecido pelo nome artístico de Lucky Ravaneli (1976 – 2011), que fundou o local juntamente com a esposa Liliana Gonçalves, em 2008. Apesar da perda precoce do marido, ela se manteve firme e tocou a emissora, que completou dez anos em maio. Para comemorar a data, na última quinta-feira (8), o Giramundo Bar, em São Bernardo do Campo, sediou a festa temática “Uma noite em Las Vegas”, promovida pela UPTV.

Liliana durante a comemoração dos dez anos da UPTV no Giramundo | Foto: divulgação 
Na ocasião, além da comemoração pelo aniversário, houve o 1º Prêmio Destaque UPTV, dividido em quatro categorias: Comunicação; Responsabilidade Social; Empreendedorismo; e Arte, Cultura e Educação. À noite contou ainda com apresentações musicais, DJs e atrações como dança do ventre e bailarinas.

Para Liliana, este momento é super gratificante: “Eu só tenho a agradecer a todos, porque a gente não faz nada sozinha”, sintetiza. Apesar de o momento ser festivo, chegar até aqui não foi fácil, conta a diretora da UPTV, principalmente quando perdeu o esposo, em 2011, devido a trombose venosa e embolia pulmonar.

“Eu acho que foi o pior momento, foi o maior desafio que eu enfrentei como mulher, como empresária, como tudo, porque você fica sem chão, de uma hora para outra você perde o seu braço direito”, desabafa Liliana, que tem dois filhos.

E, com muita garra, ela se entregou ao trabalhou e conseguiu superar críticas de pessoas que não acreditaram no seu potencial como empreendedora. Hoje, a UPTV tem 20 programas na grade, recentemente, inauguraram um novo sistema de transmissão ao vivo, no qual a programação pode ser vista simultaneamente em três plataformas: Youtube, Facebook e site.

Para 2019, Liliana antecipa com exclusividade à Dia Melhor que será lançado um novo portal – este ano, a logomarca foi repaginada– além de um curso novo para síndicos, que tem a ver com o programa Sind Solution, um dos carros-chefes da emissora.

E, os objetivos da diretora não param por aí: “Eu tenho certeza que a UPTV vai crescer muito e, cada vez mais, meu sonho é criar ainda a UPTV internacional, tanto que a gente coloca o slogan a TV sem fronteiras”, finaliza.


Fatores emocionais podem causar gagueira

Da Redação 

A gagueira é caracterizada por um distúrbio na temporalização da fala e tem sua origem na infância, que pode persistir, ou não, na vida adulta e é tratada pela ciência como uma disfunção causada por vários fatores, entre eles genéticos, sociais e até psicológicos. Apesar de a gagueira não ser causada exclusivamente por problemas emocionais, esses podem ser agravantes dela, explica a fonoaudióloga Ana Lúcia Duran, da Clínica Zambotti & Duran da capital paulista.

Fonoaudióloga Ana Lúcia explica que quando a criança ganha um irmão ou passa pela separação dos pais, por exemplo, a gagueira pode aparecer | Foto: reprodução 
“Por exemplo, as crianças que ainda não manifestaram a gagueira na fala podem desenvolvê-la ao enfrentarem determinada situação de maior impacto, no entanto, isso só acontecerá se houver predisposição para a condição”, esclarece.

Mas, o problema tem cura e pacientes gagos conseguem ter uma fala normal se o tratamento for iniciado assim que se inicia a alteração. Para os pais que têm crianças com esta dificuldade, a ajuda em casa é fundamental, para que elas se sintam confortáveis ao se comunicar e tratem a alteração da fala com tranquilidade.

“Em algumas situações em que a criança ganha um irmão ou passa pela separação dos pais, por exemplo, a gagueira pode aparecer. Nesses casos, ouvi-las com atenção e naturalidade enquanto fala, separar um tempo para conversar com elas, sem distrações e sem pressa podem ajudar a devolver a fluência da fala. Além disso, é essencial evitar chamar atenção durante interações diárias ou reagir negativamente a gagueira, sem punir ou criticar. A gagueira é individual, intermitente e involuntária” e em alguns casos pode ser necessário intervenção com psicólogo, finaliza a fonoaudióloga.



terça-feira, 13 de novembro de 2018

O que levar em consideração antes de escolher entre prótese, órtese e implante

*Maria Carolina Oliveira

Todo o recurso usado pela odontologia para atender o paciente idoso têm como finalidade a de restaurar as funções básicas mastigatória e estética. Dessa forma, é possível novamente sentir o paladar dos alimentos, e as refeições voltam a ser prazerosas.

A dentista Maria Carolina explica que para paciente cardíaco ou com diabetes é desaconselhável o implante | Foto: divulgação    
Mas qualquer que seja a modalidade escolhida, é preciso que seja feito um planejamento, inclusive contando com o apoio e compreensão da família, até que o paciente esteja totalmente adaptado.

Entretanto, antes desta etapa é preciso primeiramente analisar o que o paciente perdeu. Além desse cuidado o especialista deve analisar a parte estética e conversar abertamente sobre o que o idoso pretende investir no tratamento. Segundo é investigar as condições clínicas do paciente, por exemplo, se ele tem problema cardíaco ou diabetes.

Para quem apresenta esse quadro é desaconselhável indicar o implante, que é um procedimento cirúrgico e o pós-operatório é mais dolorido. Neste, o dentista fará uma incisão para colocar o pino de titânio que vai rosquear o osso onde será colocado a prótese. Depois, é preciso esperar seis meses para que o osso grude no implante e então iniciar a parte protética.

Há no mercado algumas próteses com preço acessíveis, sendo que uma das mais conhecidas é a dentadura e a fixa, que muitos chamam de "perereca", usada quando o paciente perde todos os dentes. Ela é sustentada pela mucosa, que trabalha como cola, e por isso quando o usuário fala ou sorrir deve tomar muito cuidado, o que gera muita insegurança. O problema pode ser amenizado com o corega ou o fixodente.

A prótese removível é usada em casos em que o paciente perde alguns. Há a tradicional com grampos metálicos e a flexível, que é de silicone, mais maleável, machuca menos e é mais fácil de se adaptar. A fixa que é indicada em casos em que ainda restam alguns dentes, que são devidamente preparados para servir de apoio. Para que se tenha o efeito desejado, o material é colado com um cimento específico, mas é preciso ter alguns cuidados específicos para não apresentar cárie.

Há casos em que as próteses estão inadequadas e precisam ser trocadas, principalmente se há retenção, podendo estar folgada ou apertada, estabilidade e reciprocidade (se apresentava deslocamento ou báscula), fixação (se causava lesão aos tecidos) ou estética, quando apresenta manchas ou fraturas.

A órtese, normalmente, é usada como uma placa de mordida quando o paciente ainda tem dente, mas sofre com o bruxismo. O objetivo é fazer com que cessem os desgastes.

*Maria Carolina L. B. de Oliveira é dentista e graduada pela Universidade São Paulo. Possui uma clínica odontológica chamada L.B Sorrisos Assistência odontológica há 10 anos, todos dedicados ao atendimento ao idoso e implantação de próteses aliado a tratamento estéticos. 


Obesidade infantil: fatores emocionais e hábitos errados estão na origem do problema

Da Redação

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de crianças e adolescentes (de cinco a 19 anos) obesos em todo o mundo aumentou dez vezes, nas últimas quatro décadas. Se as tendências se mantiverem, haverá mais crianças e adolescentes com obesidade do que com desnutrição moderada e grave até 2022.

A obesidade infantil pode ter relação com algum fato emocional, então, a crianças desenvolve compulsão alimentar,  comenta a especialista em Saúde Integrativa, Louise Soares | Foto: Freepik 
A especialista em Saúde Integrativa, Louise Soares, comenta que a obesidade é uma doença de descompensação biológica, ou seja, as toxinas influenciam invariavelmente as emoções, que geram um ciclo vicioso.

"A obesidade infantil muita das vezes está ligada a algum fato emocional, em crianças ela se manifesta principalmente com a compulsão alimentar", afirma a especialista.

Na Saúde Integrativa, modificar a mente do paciente adulto já é um desafio, quando se trata de uma criança este processo se torna ainda mais delicado, porque muitas vezes as crianças resistem em comer legumes como cenoura ou beterraba.

Para isso, os pais são os principais apoios. Eles podem ajudar preparando lanches saudáveis para a escola e cultivar hábitos alimentares saudáveis em casa. Algumas dicas são importantes neste processo de amadurecimento da mente da criança sobre os alimentos.

1 - Procure receitas saudáveis na internet, e peça ajuda do seu filho para prepará-las
A criança se sentirá empolgada em fazer o próprio alimento, se sentirá importante e integrada por pode participar e verá que pode fazer diversas combinações.

2 - Converse com o professor na escola onde seu filho estuda
Peça para que a professora evite levar (se isso acontece com frequência), doces e balas para a sala de aula, para que seu filho não se sinta constrangido ou não se sinta tentado a comer.

3 - Incentive 
Mostre que, assim como ele, você está motivado a perder peso e manter uma vida e alimentação saudável.

No tratamento, o mais importante é que estas dicas sejam seguidas com o acompanhamento de um especialista. "Não adianta querer tratar somente a alimentação, porque a criança que sofre desta compulsão, tem algum problema emocional que pode gerar ansiedade ou distúrbio. O diagnóstico preciso vai mostrar de que forma podemos ajudá-lo" finaliza Louise.


Nutricionista ensina 12 passos para desintoxicar o fígado

Da Redação

Com o fim do ano surgem inúmeras comemorações dessa época como, por exemplo, amigo secreto, Natal e Réveillon, tudo isso vira sinônimo de exagero para muita gente, fazendo com que alguns órgãos trabalhem dobrado, como o nosso fígado. Por isso, a pesquisadora e nutricionista Aline Quissak, preparou um passo a passo de como desintoxicá-lo.

O fígado é o responsável por processar nutrientes absorvidos pelo intestino, regular a composição do sangue, entre outras funções | Imagem: divulgação 
O fígado é o responsável por processar nutrientes absorvidos pelo intestino, regular a composição do sangue para balancear proteínas, gorduras e açúcares, entre outras coisas.  Mas como saber se exageramos e nosso fígado está pedindo ajuda? Segundo a nutricionista, existem alguns sintomas, como gases e má digestão (estufamento), refluxo e azia, intestino preso (constipação), pele amarelada, suor excessivo e além da perda de apetite. Se você sente algum deles é bom procurar um médico.

 “Com as festas de fim de ano, sempre acabamos exagerando e nosso corpo acaba pedindo ajuda”, comenta Aline, que preparou esses 12 passos abaixo, para evitar que o fígado seja sobrecarregado.

1) Retire os alimentos que contenham corantes e conservantes da alimentação;
2) Tome sucos de vegetais (couve, cenoura, espinafre, pepino, gengibre e maçã);
3) Consuma alimentos ricos em potássio (melão, melancia, água de coco, mamão, lentilha);
4) Verifique com seu nutricionista a dosagem adequada de suplementos como Milk Thistle, Dente de Leão e Açafrão da Terra;
5) Consuma pelo menos 2 ovos ao longo do dia;
6) Use apenas azeite de oliva extra virgem como gordura de cocção/preparo de comidas;
7) Consuma alimentos alaranjados como manga, cúrcuma, cenoura, pimentão amarelo (orgânico), pêssego, mamão e laranja;
8) Consuma ao menos 1 dente de alho cozido e 1/4 de xícara de cebola roxa
9) Consuma 3 colheres de sopa de abacate (pode comer com mel ou fazer um guacamole);
10) Consuma 3 castanhas do Pará por dia, antes de dormir com kefir ou iogurte natural;
11) Beber muita água (para lavar as toxinas);
12) Dê preferência ao chá verde, durante o dia, e chá de camomila ou erva doce antes de dormir.

Uma bom detox demora em média de 7 a 10 dias, assim o organismo consegue absorver todos esses nutrientes e recuperar seu funcionamento. E a nutricionista reforça, essas dicas não substituem a consulta médica para o diagnóstico adequado.


Livro aborda cena teatral nos anos de chumbo

Da Redação O TUSP – Teatro da USP (Rua Maria Antônia, 294, Vila Buarque) sedia o lançamento do livro Anos de chumbo: o teatro brasileiro n...