sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Veterinária recomenda alguns cuidados ao passear com o cachorro no verão

Redação

O passeio traz melhorias para a saúde física e mental do cachorro, mesmo que não seja muito longo. Mas em períodos quentes como os dias de verão, é importante tomar alguns cuidados para garantir, por exemplo, que eles não queimem as patinhas durante o trajeto. Pensando nisso,  a veterinária da DogHero , Thaís Matos, separou algumas dicas importantes.

É importante manter a rotina de passeio com o cachorro, mesmo durante as férias e os dias mais quentes | Foto: divulgação

"Cachorros são animais que precisam interagir com o mundo e isso é algo que eles só conseguem quando saem do quintal espaçoso ou do ambiente doméstico: é preciso ir pra rua, mas sempre com segurança e bastante atenção", afirma Thaís.

Tem hora certa para não passar calor
Escolha passear quando a temperatura não está tão alta e a incidência do sol é menor. Vale lembrar que muitas vezes, mesmo em dias nublados, o chão fica com a temperatura alta, devido à presença do mormaço, que queima tanto quanto o sol. Preferencialmente, saia com os cães antes das 10h e após as 17h. Assim, você evita que eles fiquem muito cansados, ofegantes e que queimem as patinhas.

Passeio não tira férias
É importante adaptar, mas manter a frequência de passeios do cachorro mesmo no verão. Caso falte disposição ou tempo para passear com o cãozinho, vale chamar um passeador.

Cuidado para não queimar as patinhas do cachorrinho
Faça o teste com o seu pé descalço ou com a palma da sua mão. Se você não aguentar o contato por mais do que dez segundos, é provável que seu cãozinho também não aguente. Nesse caso, não saia com o cachorro e escolha outro horário para o passeio.

Opte pela grama
A grama é bem mais fresca, que o asfalto e causará mais conforto ao passeio do cachorro, evitando possíveis queimaduras nas patinhas (além de ser mais divertida, para o cachorro).

Cuidado no trajeto
Durante todo o passeio é importante ficar atento a qualquer movimento que o cachorro faça. Mesmo que o trajeto já seja conhecido por ambas as partes, o cachorro pode se machucar com algum objeto cortante e ferir os coxins (as famosas "almofadinhas" que ficam na sola da pata dos cães). Ele também pode acabar ingerindo algum corpo estranho ou resto de lixo da rua, ou até mesmo acabar se machucando, caso se aproxime de locais (portões) em que haja pets que não aceitem a presença de outros animais. Para evitar isso, basta manter a guia curta e sempre firme.

Hidratação
Lembre-se de levar água fresca para o oferecer ao cachorro, durante o passeio. Mesmo que ele não aparenta estar com sede, ofereça água e estimule a ingestão dela para trazer mais conforto ao animal e evitar que ele passe mal com o calor.

Réveillon na Paulista terá várias atrações e fogos silenciosos

Redação

Em 31 de dezembro, São Paulo terá o tradicional Réveillon na Paulista 2020.  O palco dos shows terá 16 x 20 metros e estará localizado na avenida Paulista, entre as ruas Haddock Lobo e Bela Cintra, virado para o sentido Paraíso. A programação começará a partir das 18h. Entre os artistas confirmados (veja programação completa abaixo) estão: a dupla Anavitória, os sertanejos Marcos & Belutti e o cantor Lulu Santos. Além disso, a queima de fogos de artifício será de um modelo mais silencioso.

Réveillon na Paulista de 2019 | Foto: José Cordeiro/SP Turis 

O evento é realização da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (SMTur), São Paulo Turismo (SPTuris) e Secretaria Municipal de Cultura, com apoio de vários órgãos municipais como CET, SPTrans, GCM, Polícia Militar e Metrô, além de promoção da Rede Globo.

Programação
18h – Abertura;
18h25 – Bimbo e Jhonas;
19h – Anavitória;
20h10 – DJ Leandro Pardí;
20h30 – Marcos e Belutti;
22h – DJ Leandro Pardí;
22h30 – Lulu Santos;
23h55 – Virada com Lulu;
0h15 – Lulu Santos;
0h30 – DJ Leandro Pardí;
1h – Chiclete com Banana;
1h40 – Escola de samba Rosas de Ouro. 

Espetáculo de luzes
No momento da virada de ano, os fogos de artifício utilizados serão de um modelo mais silencioso, atendendo à legislação municipal, que possuem alguns elementos químicos diferentes dos fogos tradicionais e produzem pouco ruído. 

Essa foi uma demanda de ativistas que defendem os animais, atendida pelo prefeito Bruno Covas ainda no fim de 2018, quando sancionou uma lei que proíbe os fogos de estampido, com ruídos que perturbam os bichos. Os fogos desse tipo, quando entram em contato com o calor, emitem chamas de diferentes cores na forma de luz, mas emitem ruídos reduzidos, sem o estampido. Serão dez minutos de duração do espetáculo de luzes e três toneladas de fogos. 

Acessibilidade
Pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida terão 200 lugares acessíveis posicionados do lado esquerdo em frente ao palco, com acesso pela rua Haddock Lobo – lado do bairro dos Jardins.

Metrô
A recomendação para quem vai participar do Réveillon na Paulista é que dê preferência ao transporte público e, para evitar filas, adquira com antecipação os bilhetes.  O Metrô de São Paulo funcionará durante a madrugada da Virada de acordo com os seguintes horários: as estações das linhas 1-Azul, 3-Vermelha e 15-Prata (exceto estações Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus) funcionarão para embarque e desembarque até às 2h da manhã do dia 1º; depois desse horário, só para desembarque. O mesmo vale para estações da Linha 2-Verde, exceto Paraíso, Brigadeiro e Trianon-Masp, que funcionarão a madrugada inteira para embarque e desembarque. A estação Consolação é a única que fecha às 16h do dia 31.

Em relação às linhas não operadas pelo Metrô: a ViaQuatro (L4-Amarela) informa que Paulista e Higienópolis-Mackenzie ficarão abertas durante toda a Virada. As outras estações permitem embarque e desembarque até 2h da manhã; depois, apenas desembarque. Segundo a ViaMobilidade (L5-Lilás), todas as estações estarão abertas até às 2h da manhã para embarque e desembarque. Após esse horário, somente desembarque.

A compra das viagens poderá ser feita nas bilheterias das estações Paraíso, Brigadeiro e Trianon-Masp, durante toda a madrugada. Já nas demais estações, a venda de passagens ocorrerá até às 2h.
Em caso de dúvidas, a Central de Informações do Metrô (0800 770 7722) atende diariamente, das 5h à meia-noite.

Segurança
A Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana (GCM) farão operação especial durante o evento, que terá ainda 560 seguranças privados e 90 bombeiros civis para dar apoio. A PM irá enviar um efetivo de 1,2 mil policiais.

Série “Bubu e as Corujinhas” estreará na Tv Rá Tim Bum em janeiro

Redação

A partir de 1º de janeiro, a TV Rá Tim Bum estreará em sua grade a animação Bubu e as Corujinhas. Criada pela Up! Content, uma marca global de entretenimento multimidiático, a série retrata a história de Bubu, uma coruja que habita com sua família na floresta de Los Arboles. Lá, eles vivem grandes descobertas, aventuras e criam laços com muitos outros animais.

Cada episódio tem cerca de dez minutos de duração | Foto: divulgação

Os episódios irão ao ar de segunda a sexta-feira, às 11h50 e 17h30, e domingo, às 11h. Além disso, a  animação poderá ser transmitida em horário alternativo aos sábados e domingos, às 20h40.

Com cerca de 10 minutos de duração, os episódios trazem um enredo lúdico que comunica valores éticos e sociais, como a importância da natureza para todos os seres vivos. Juntos, o trio de irmãos Bubu, Biel e Bonie prometem despertar a curiosidade dos pequeninos.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Especialista explica a causa do inchaço de pés e mãos em dias quentes

Redação

O calor típico do verão brasileiro é sinônimo de pés e mãos inchados, para algumas pessoas. O incômodo é resultado de um processo natural do organismo no intuito de controlar a temperatura corporal entre 36ºC e 36,5ºC, a fim de manter o funcionamento padrão dos órgãos.

Apesar de não ser uma sensação agradável, o cirurgiã vascular Walter Campos esclarece que não há nada com que se preocupar e todos estão sujeitos a esse tipo de edema periférico em dias quentes | Foto: reprodução

Segundo o cirurgião vascular do Hospital Edmundo Vasconcelos, Walter Campos, esse controle de temperatura ocorre por meio da vasodilatação das artérias, que tendem a concentrar o calor nas extremidades e, por isso, os pés e mãos são os mais afetados com o inchaço.

"O fluxo sanguíneo dos membros aumenta, dilatando as veias e causando uma maior pressão capilar- sistema responsável pela troca de nutrientes do sangue. Essa pressão tende a liberar líquidos no tecido, ocasionando o inchaço", explica o especialista.

Apesar de não ser uma sensação agradável, o cirurgião vascular esclarece que não há nada com que se preocupar e todos estão sujeitos a esse tipo de edema periférico em dias quentes. A atenção deve ser focada somente quando o inchaço apresentar características atípicas, como uma diferença de retenção de líquido entre os membros associada a vermelhidão.

"É importante que, quando surgir alguma característica diferente do habitual em dias de temperaturas altas, a pessoa procure um médico para investigar a causa e iniciar o tratamento adequado", orienta Campos.

Infelizmente não há maneiras de evitar esse inchaço natural. Segundo Campos, pode ser controlado com tratamento e uso de meias elásticas. E, diferentemente, do que muitos acreditam, a hidratação não ameniza o incômodo, é apenas essencial na reposição de líquidos perdidos pelo suor.

Nomofobia: uso excessivo do celular pode acarretar o transtorno

Redação

Segundo a Pesquisa Anual do Uso de TI nas Empresas, realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), até o fim de 2019 o País terá 420 milhões de aparelhos digitais ativos. É fato que smartphones facilitam a vida e a comunicação, entretanto, o uso abusivo pode gerar um transtorno psicológico, a nomofobia.

De modo geral, as grandes "vilãs" por trás dos excessos são as redes sociais | Foto: Shutterstock

O medo irracional de ficar sem celular e outros aparelhos eletrônicos, bem como a incapacidade de usá-los por insuficiência de bateria, ausência de sinal ou falta de internet são alguns dos sintomas da síndrome de dependência digital. Do inglês “No Mobile Phobia” (medo de ficar sem o celular), mais do que o tempo gasto no aparelho, o abuso acarreta prejuízos à vida do usuário.

De modo geral, as grandes "vilãs" por trás dos excessos são as redes sociais. A preocupação com o número de curtidas e compartilhamentos, a apresentação de uma vida que não corresponde com a real e a procura da selfie perfeita são sinais de que o uso se tornou prejudicial para a saúde, visto que o indivíduo vive em função da realidade virtual. À medida que se intensifica o contato com aparelhos eletrônicos, sutilmente efeitos como dificuldade em socializar, estresse, ansiedade e depressão surgem.

Não apenas psicológicos, a nomofobia pode motivar também problemas físicos, como fadiga, sedentarismo, dores musculares, distúrbios do sono e problemas oculares. Não obstante, o uso de celulares desvia a atenção cotidiana, podendo acarretar em acidentes de trânsito, por exemplo.

Uso na infância 
A coordenadora pedagógica da unidade Guará do Colégio Objetivo DF, Sueli de Oliveira, alerta para o uso infantil.  "Estamos em plena era tecnológica e as crianças desta geração já crescem com um tablet na mão, porque muitos pais querem tranquilidade e, por isso, apelam para os eletrônicos”, afirma. De acordo com uma pesquisa divulgada pela Associação Americana do Coração (AHA), crianças de 8 a 18 anos passam cerca de sete horas por dia com dispositivos eletrônicos, tempo que deveria ser reduzido drasticamente para não prejudicar o desenvolvimento físico e intelectual.

A coordenadora alertou que o vício em celulares pode se iniciar desde cedo, porque as crianças já não sabem o que é brincar, correr e pular com os amigos num parque, por exemplo, já que estão constantemente envolvidas na realidade virtual. “A maioria dos alunos que recebemos na escola apresentam prejuízos grandes, principalmente na coordenação motora ampla. Eles não têm destreza para correr e se exercitar, além de alguns ainda apresentarem dificuldades de se relacionar, porque estão imersas nos celulares e não interagem com os demais colegas e familiares”, lamenta  Sueli.

O deslumbramento, desde a infância, com a infinidade de possibilidades que os aparelhos eletrônicos oferecem resulta, futuramente, na nomofobia. Como se já não bastasse, os excessos geram um efeito dominó que compromete outras áreas da vida. Por exemplo: a pesquisa realizada pela AHA indicou que o uso contínuo de celulares predispõe o indivíduo a adotar um comportamento sedentário, fator de risco para obesidade e que, por sua vez, pode provocar doenças cardiovasculares e diabetes.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) sustenta que crianças de até cinco anos não devem passar mais de 60 minutos por dia inertes em frente a uma tela. Para bebês de até 12 meses, a recomendação é não passar sequer um minuto com eletrônicos.

Desconectando 
O coach e facilitador dos Seminários Insight, Jacques Giraud, questionou: “Não podemos deixar de estar conectados com o celular, mas quando é que conseguimos olhar o próprio carregador interno? É preciso ter tempo também para descansar, repor as energias e conectar consigo mesmo”. 

Solucionar a nomofobia parece uma tarefa simples: basta diminuir o tempo gasto com aparelhos eletrônicos. Na prática, no entanto, trata-se de uma tarefa bastante desafiadora, uma vez que a conectividade é uma característica do mundo globalizado. A diretora dos Seminários Insight,
Stèphanie Brasil, recomenda atenção ao próprio comportamento. “Parece quase impossível não estarmos conectados, mas tomado algumas pequenas atitudes é possível fazer um uso mais consciente tanto dos aparelhos quanto das redes sociais. Primeiro, prestar atenção aos comentários ou mesmo consultar amigos e familiares sobre como eles percebem sua relação com o celular”, orienta.

A diretora explicou que o feedback externo é uma fonte importante de informação e pode ser o pontapé inicial para o despertar individual, “porque às vezes, se a pessoa escuta que ela não para de mexer no celular, que as outras pessoas não estão conseguindo interagir e se comunicar de maneira satisfatória, pode ser que ela se conscientize de que algo precisa mudar”.

Nesse sentido, antes de se conectar com o mundo afora, é necessário melhorar a sua conexão interna, ou seja, ter uma maior autoconsciência, olhar para si, observar quem você é fora das redes sociais e escolher o que é melhor e mais saudável para o corpo e a alma.

terça-feira, 24 de dezembro de 2019

“Festival de Verão” traz artistas nacionais para São Bernardo do Campo em janeiro

Redação

A Esplanada do Paço Municipal de São Bernardo (Praça Samuel Sabatini, 50, Centro) será o palco da 4ª Edição do Festival de Verão. O evento ocorrerá nos dias 11, 12, 18 e 19 de janeiro, das 14h às 21h. Com entrada gratuita e sem custos para a Prefeitura de São Bernardo, os shows contarão com grandes nomes da música nacional.

O cantor Ferrugem é uma das atrações do "Festival do Verão", em 12 de janeiro | Foto: reprodução

O festival foi anunciado na última sexta-feira (20) pelo prefeito Orlando Morando, que explicou a vinda das atrações para a Esplanada do Paço. “Nos três anos consecutivos realizamos o festival no Riacho Grande. Em 2020, transferimos o evento para o Paço Municipal. Isso ocorre até por uma questão lógica. Antes não tínhamos este espaço, pois o Piscinão não estava concluído. Aqui é mais confortável, acesso facilitado ao transporte público, permite a acomodação de maior público”, afirma o chefe do Executivo.

As atrações confirmadas são Felipe Araújo e Suel (11/01, sábado), Ferrugem e Lauana Prado (12/01, domingo); Yasmin Santos (18/01, sábado) e João Bosco e Vinícius (19/01, domingo). O festival deverá começar às 14h, com artistas e músicos da região, cuja programação deverá ser divulgada posteriormente. Os shows principais têm previsão de início às 19h, com término às 21h.

Com organização da Pilar Eventos e promoção da Gazeta FM, o festival terá investimento financeiro somente da Sabesp e do Governo de São Paulo, obedecendo o plano de austeridade econômica seguido desde o início desta gestão. “A Prefeitura é responsável pela infraestrutura extra palco. Garantiremos a segurança e limpeza do local”, ressalta Morando.

O ato também contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Hiroyuki Minami, do secretário de Segurança Urbana, coronel Carlos Alberto dos Santos, e da secretária de Comunicação, Thaís Santiago.

Segurança 
 A segurança do evento será feita por uma força-tarefa composta por Guardas Civis Municipais (GCM) e Polícia Militar. Para garantir a segurança dos presentes e evitar tumultos será proibida a entrada na área de show de substâncias tóxicas, fogos de artifício e de estampidos, objetos e materiais que possam causar ferimentos (pedaço de madeira, guarda-chuva, guarda-sol, capacete, "pau de selfie", cadeiras, entre outros), qualquer vasilhame ou objeto contendo bebidas que possam provocar ferimentos,  caixa ou sacola térmica e outros que a GCM ou a PM constatarem que possam comprometer a segurança do evento.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

Parque das Bicicletas é inaugurado em São Bernardo do Campo

Redação

Neste último domingo (22), foi inaugurado o “Parque das Bicicletas” (Avenida Aldino Pinotti, altura do nº 510), em São Bernardo do Campo. O terreno onde foi instalado o novo equipamento foi recebido pela Prefeitura como parte de dívida de impostos da antiga Tecelagem Tognato e poderia ter tido qualquer destinação, de acordo com a legislação municipal, inclusive a venda de todo o loteamento.

Parque das Bicicletas tem área de 20 mil metros quadrados | Foto: Omar Matsumoto/PMSBCa

Com investimento de aproximadamente R$ 2 milhões, o local tem área de 20 mil metros quadrados (m²), com academia ao ar livre, bicicletário, playground, área de convivência, pista de caminhada e ciclovia, espaço pet, basquete de rua, iluminação, banheiros, entre outras benfeitorias, além da compensação ambiental de mais de 400 árvores.

O prefeito Orlando Morando comenta a destinação do terreno. “Tivemos a iniciativa de investir no Esporte, no Lazer, na Cultura e na Saúde, tão importantes nos dias de hoje, especialmente para esta região com grande concentração de condomínios, famílias e crianças que passam a ter mais uma opção verde, dentro da cidade. Além dos ciclistas, que são um movimento crescente constante e também foram contemplados com mais segurança para a prática do esporte”, explica.

Durante a cerimônia de inauguração, acompanhado de demais secretários, como de Serviços Urbanos e vice-prefeito Marcelo Lima, de Obras e Planejamento, Luciano Éber, vereadores da base aliada e do público presente, o chefe do Executivo recordou que ao assumir a Administração, São Bernardo não tinha nenhum plano de Mobilidade Urbana que contemplasse as bicicletas.

“Não havia ciclofaixas em nossa cidade. De forma pensada e planejada, foram entregues 10 quilômetros (km) de ciclovias, tanto para a prática como para quem utiliza a bicicleta como transporte, que estão inseridos no Parque Linear, na Avenida Aldino Pinotti, Estrada dos Alvarengas, Rua Kara, Avenida Pery Ronchetti, Avenida Kennedy. Nosso governo é o da entrega, do compromisso e do respeito com o dinheiro público”, enfatiza Morando.

“Sharenting”: excesso de exposição dos filhos nas redes sociais pode gerar processo

Redação

Fotos de recém-nascidos, vídeos engraçadinhos e até perfis oficiais de crianças - todos criados pelos pais - estão na internet e, muitas vezes, são compartilhados ao público em geral. Não há como definir uma quantidade ideal ou limite para o conteúdo. Porém, a advogada Silvia Felipe Marzagão, do Escritório Silvia Felipe e Eleonora Mattos Advogadas, afirma que é dever dos responsáveis pelas crianças zelar pela privacidade.

"Não se deve economizar nos avisos na hora de preservar a intimidade das crianças", avalia a advogada Silvia Felipe Marzagão | Foto: Freepik

A situação do limite na exposição nas redes sociais se torna ainda mais complicada se os pais forem separados, principalmente, em casos litigiosos, pode haver a necessidade da intervenção judicial, se não houver acordo sobre o limite das postagens.

"O mundo da internet é 'terra sem lei' é uma das frases mais repetidas por aí. De fato, controlar o conteúdo da rede é complicado, mas há sim limites legais para o que é publicado. E, em relação à proteção de crianças e adolescentes, a lei é ainda mais clara: preservá-las deve ser a prioridades número um", diz Silvia.

Segundo a especialista, não há motivos para proibir os posts e selfies. O problema é sempre o excesso. "Há duas principais questões quando se trata de postar a foto dos filhos. Uma é o direito dos pais, claro, de compartilhar sua vida, afinal as redes sociais já fazem parte da rotina das pessoas, são formas de socializar e sim, os filhos, como parte da vida daquela pessoa, podem aparecer por ali", analisa.

No entanto, enfatiza a especialista, que as redes sociais tendem ao excesso, então,  todo cuidado é pouco já que, depois de publicado, não se sabe quem visualizará aquelas imagens.

"As pessoas hoje vivem para postar, viajam para postar, tudo se compartilha. Mas as crianças não têm controle sobre o que os pais vão publicar sobre elas, então, é preciso lembrar sempre que elas são pessoas e, mais tarde, podem se sentir expostas. Há casos antes mesmo do advento das redes, em propaganda de TV, que muitos filhos não gostavam depois", comenta a advogada.

Ela afirma que é comum advogados precisarem pedir ao cônjuge do cliente, para diminuir a exposição dos pequenos. A estudante Gabriela Santos, de 30 anos, viveu caso semelhante que, "por pouco", não virou processo judicial.

"Tive que pedir muitas vezes para o meu ex parar de publicar tantas fotos da nossa filha nas redes sociais. Ele achava que era implicância minha, por conta do divórcio. Até que minha própria filha pediu, aí ele entendeu que estava passando dos limites", conta.

Em geral, Silvia afirma que as pessoas "nem percebem" que estão passando do limite. "Não se deve economizar nos avisos na hora de preservar a intimidade das crianças", finaliza.

Cinco passos para uma mudança de hábitos em 2020

*Por Joceline Seixas

Recentemente, assistindo a uma aula de pós-graduação com o renomado psicólogo americano e jornalista Daniel Goleman - autor de best-sellers que abordam o tema da inteligência emocional -, me deparei com um assunto que à primeira vista me pareceu banal e corriqueiro, e para o qual muitas vezes não damos uma atenção real no dia a dia: a mudança de hábitos.

Durante o processo de mudança, Joceline Seixas ressalta que é importante “ sermos gentis com nós mesmos” |Foto: divulgação

Durante a aula, Goleman trouxe à tona a discussão que o hábito é uma resposta padrão do cérebro, para uma situação desafiadora. E que mudar hábitos demanda tempo e esforço. Por isso, ele acredita que a inteligência emocional é uma área que pode - e deve - ser desenvolvida ao longo da vida. Um dos aspectos da inteligência emocional, de acordo com ele, tem a ver com capacidade do indivíduo em se gerir.

O que me chamou atenção nesta aula foi a estruturação desse processo de mudança. É algo que pouco fazemos na nossa rotina diária, pois atuamos no piloto automático. Nesse processo, destacam-se cinco elementos que listo a seguir:

Motivação
Ao decidir por este novo processo de mudança, seja ele um hábito ou um novo aprendizado, pare e faça a reflexão:
Por que isso é importante para mim?
Por que eu quero mudar? Por que eu quero esta nova habilidade?
O que eu ganho com essa mudança? Que benefícios isso me trará?
Como quero me sentir em relação à esta mudança?

Tendo clareza das respostas, você terá de fato a sua motivação. Ela é um combustível poderoso para o seu processo, pois sem o caráter motivador você não sairá do lugar. Neste momento, você também já estará emitindo sinais para o seu cérebro de que há o início de um novo processo de aprendizado. Por isso, registre no papel e de outras formas essa nova meta para ficar ainda mais significativo. Desta forma se gera um compromisso consigo.

Suporte 
Saiba que toda ajuda é bem-vinda. Ter uma rede de apoio para te ajudar durante a jornada de mudanças é essencial, e devem ser pessoas escolhidas à dedo, que tenham convicção emocional de que você conseguirá. Conte a elas sobre o desafio que está se propondo e gere um laço de comprometimento entre vocês. Peça para que sejam cúmplices nessa jornada, dando feedback, motivando e “puxando a orelha” também, quando necessário.

Avaliação 
Se avalie durante o processo. Meça suas evoluções. Como estava quando iniciou o processo e como está passando por ele agora? Peça feedback e encare essas avaliações como um presente, pois isso te servirá como uma bússola para que chegue na meta, ou “pote de ouro”. Também te ajudará a ajustar o caminho, caso perceba que não está indo na direção correta.

Planejamento 
Faça um planejamento que inclua onde você está e onde quer chegar, um passo por vez; qual a distância; quanto falta; Quais e quantos passos você precisa dar para chegar até o objetivo. Faça um roadmap da sua jornada e anote bem a evolução para revisitar quando necessário. Isso te dará ainda mais foco e direção na jornada.

Prática 
Com este novo hábito de aprendizado sendo estabelecido, pratique de forma intencional e sistemática. Faça isso em todos os âmbitos da sua vida para que o seu cérebro não veja mais distinção. Ao praticar o novo hábito insistentemente, você atingirá um novo marco neural. Isso por que nosso cérebro busca automatizar comportamentos para economizar tempo e energia. E justamente por que a nossa mente gosta de economizar, ela pega os caminhos já conhecidos. Então, pratique e seja persistente, pois é um processo que pode levar de três a seis meses, mas com este novo caminho se estabelece o hábito e o aprendizado se tornará natural.

Colocados estes cinco elementos, tomarei a liberdade de acrescentar um tempero novo a eles, que é a gentileza com si mesmo. Todo processo de mudança demanda esforço e vem carregado de algumas frustrações e desânimos ao longo do caminho. Por isso, nos esquecemos muitas vezes de nos “abraçarmos”, de sermos gentis com nós mesmos. Isso é natural, pois toda mudança exige coragem.

E sim, estamos sendo corajosos ao encarar o desafio de transformação. Precisamos ter neste processo de autogestão o olhar mais terno. Pois não existe processo de mudança desconectado de emoção. Se tivermos emoções positivas conosco, isso nos fortalecerá ainda mais para a jornada.

Então, avalie o que você quer mudar nos seus hábitos e coloque na sua cartinha de promessas para 2020, para que seja um ano transformador na sua vida!

*Joceline Seixas é senior Business Partner Manager da CI&T

Uva passa: fruta “polêmica” traz diversos benefícios à saúde

Redação

Ela é um dos itens da ceia de Natal e jantar de Réveillon. Nesta época do ano a uva passa ganha a cena na internet, tornando-se o foco principal de memes e piadas. Amada por uns e odiada por outros, a verdade é que a fruta é um alimento amplamente saudável, segundo o nutricionista do Hapvida, Danilo Machado.

Uva passa é rica em fibras, vitaminas e minerais | Foto: reprodução

"A uva passa é um alimento saudável, uma frutinha muito nutritiva e que deveria ser consumida não só na época natalina, mas sim durante o ano todo pelos grandes benefícios que pode promover ao nosso organismo. Elas passam por um processo de desidratação, em que ocorre a retirada do líquido e, ainda assim, não perdem os principais componentes nutricionais, que é o mais importante para uma alimentação saudável e nutritiva de grande valor biológico", assegura Machado.

Rica em fibras, vitaminas e minerais, o consumo de uma pequena porção da uva passa de forma moderada e consciente, segundo o nutricionista, pode promover diversos benefícios à saúde humana. Um exemplo é a regulação do intestino, o fortalecimento do sistema imunológico, a proteção contra doenças cardiovasculares e, até mesmo, o aumento da libido.

Machado afirma ainda que a fruta pode ser incluída em vários pratos como o famoso arroz com passas, em saladas, tortas, farofa, sobremesas, entre outros. Porém, ele faz um alerta: "por mais que a uva passa apresente uma gama de benefícios à saúde, como qualquer outro alimento deve ser consumida de forma controlada, pois, como dito, apresenta frutose e seu consumo exagerado pode trazer alguns efeitos adversos para diabéticos e aqueles que estão em processo de emagrecimento, devendo consumir moderadamente", finaliza o especialista.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

A estabilidade da trabalhadora gestante em contrato temporário

*Por Bianca Dias de Andrade Oliveira

O Tribunal Superior do Trabalho (TST), por maioria de votos, decidiu esse mês que a gestante não tem direito à estabilidade provisória, quando estiver laborando em contrato temporário. Muda-se, portanto, a regra que lhes assegura o emprego no período entre a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto. A empresa que não cumprisse sofreria com a pena de indenização substitutiva.

"A gestante não tem direito à estabilidade provisória, quando estiver laborando em contrato temporário", comenta a advogada Bianca Dias de Andrade Oliveira | Foto: Freepik
Ocorre que sempre houve discussão sobre a estabilidade em contratos por prazo determinado. Em razão disso, já existia a Súmula 244 do TST que assegura a estabilidade justamente para os referidos contratos. A controvérsia, então, consistia no fato de que, nesta modalidade, o trabalhador é contratado exclusivamente para uma situação específica, como necessidade de substituição de pessoal permanente ou acréscimo extraordinário dos serviços empresariais. Todavia, mesmo assim, os Tribunais julgavam a favor da estabilidade para estes contratos, em analogia ao entendimento consubstanciado na Súmula 244 do TST.

Contudo, o contrato temporário possui aspecto transitório, uma vez que, desde a admissão, o trabalhador tem ciência de que o labor ocorrerá de forma provisória, enquanto perdurar a situação que ensejou a contratação. E foi justamente essa a fundamentação da maioria dos Ministros do TST, no processo nº 5639-31.2013.5.12.0051, entendendo que, desde o início do labor, já não há a expectativa de continuidade da relação de trabalho.

Por tal razão, não há fundamento para considerar que a dispensa, nestes casos, seria arbitrária ou imotivada, uma vez que, em geral, o contrato temporário se extingue pelo decurso do prazo de contratação. Inclusive destacaram que tal característica se difere, por exemplo, do contrato de experiência, uma vez que neste o trabalhador ainda tem uma expectativa maior de indeterminação do contrato.

Para os julgadores que se posicionaram a favor da estabilidade, a empresa deveria assumir o risco empresarial, uma vez que, o bem jurídico, a vida da criança se sobrepõe à discussão acerca do limite temporal do contrato. Entretanto, prevaleceu a decisão contrária, que determina a inaplicabilidade da estabilidade provisória de emprego, podendo ocorrer a dispensa de trabalhadoras em contrato temporário mesmo quando gestantes.

A decisão esclarece, portanto, que o entendimento da Súmula 244 do TST é aplicável apenas para contratos por prazo determinado e não para contratos temporários, o que traz segurança jurídica aos empregadores.

Vale ressaltar que a decisão tem efeito vinculante, o que, possivelmente, levará os Tribunais Regionais e juízes do trabalho a se posicionarem da mesma forma para os novos casos e para aqueles que ainda estejam em curso.

*Bianca Dias de Andrade Oliveira é coordenadora da área de Relações de Trabalho e Consumo do escritório Andrade Silva Advogados.


Licença-maternidade pode ser ampliada para 180 dias

Redação com Ag. do Rádio Mais

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta semana, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 158/19, que amplia a licença-maternidade dos atuais 120 dias para 180 dias, para todas as trabalhadoras. Pela lei atual, a licença de 180 dias só é possível para as mulheres que trabalhem em empresas participantes do Programa Empresa Cidadã.

O mérito desta PEC será analisado por uma comissão especial a ser criada e, em seguida, pelo Plenário, onde deverá ser votada em dois turnos | Foto: Freepik

O texto assegura ainda a licença-maternidade de 120 dias para as deputadas e senadoras, que poderão ser prorrogáveis por mais 60 dias. No caso, o suplente só será convocado se o afastamento for superior a 180 dias. Hoje, a Constituição não prevê esse tipo de licença para as congressistas.

Segundo a relatora da proposta, a deputada Margarete Coelho (PP-PI), nada é mais justo do que universalizar este benefício para todas as trabalhadoras.

“Esse tempo é um tempo mínimo, não é um tempo máximo. Já diversas empresas que adotam 180 dias, inclusive a própria Justiça do Trabalho – eu digo isso porque a minha filha acabou de ser mãe agora e a licença dela já é de 180 dias. Várias empresas, que são declaradas amigas da criança, também concedem esse prazo. Então, nada mais justo que isso seja universalizado”, ressalta Margarete.

Após esta aprovação, o mérito desta Proposta de Emenda à Constituição será analisado por uma comissão especial a ser criada e, em seguida, pelo Plenário, onde deverá ser votada em dois turnos.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Após 20 anos, 500 Milhas de Kart tem nova equipe feminina

Redação

A tradicional corrida de longa duração, as 500 Milhas de Kart, maior evento da modalidade na América Latina, acontece neste sábado (21). Com mais de 500 pilotos participantes, o evento será realizado no kartódromo da Granja Viana (KGV), em São Paulo, às 10h, e terá transmissão ao vivo da SportTV. Para a 22ª edição, a piloto Bia Figueiredo organizou um time só de mulheres: a equipe Karteiras PromaxBardahl.

A equipe Karteiras está na ativa desde 2017, com mulheres iniciantes e veteranas das pistas | Foto: divulgação

Então, Bia Figueiredo entrará na pista com Antonella Bassani – jovem talento do kart que tem a carreira administrada pela piloto -, Janyce da Cruz, Maíra Andriguetto, Miriam Schivel, Fernanda Jardim e Gabriella Morais, entre outras mulheres que fazem parte do grupo Karteiras.

O Karteiras está na ativa desde 2017, com mulheres iniciantes e veteranas das pistas, e tem como madrinha Bia Figueiredo. A edição de 2019 teve nove etapas, todas disputadas no Kartódromo Granja Viana, e agora elas voltam para as 500 Milhas em clima de muita festa – e muita vontade de subir ao pódio.

“Acompanhando as meninas do Karteiras por dois anos e, como embaixadora, é muito incrível dar a possibilidade de elas andarem em uma prova profissional, como as 500 Milhas de Kart. Agradeço muito às meninas, por me apoiarem a trazer de volta uma equipe só de mulheres e aos nossos patrocinadores, por acreditarem na gente”, comenta Bia. A equipe Karteiras PromaxBardahl conta com patrocínio da Promax Bardahl e ConectCar e apoio da Lady Driver.

Depois de 20 anos!
Bia Figueiredo é a primeira brasileira a correr em uma categoria top do automobilismo mundial, além de ser a primeira mulher do mundo a vencer na Firestone Indy Lights. Ela também é a única a vencer na Fórmula Renault e a conquistar uma pole position na Fórmula 3, a disputar e a vencer no Desafio das Estrelas, torneio anual de kart organizado por Felipe Massa. Há cinco anos, é a única mulher no grid da Stock Car, principal categoria do automobilismo nacional.

Com apenas 12 anos de idade, a piloto participou da edição pioneira em 1997, quando um grupo de jovens kartistas desconhecidos, que incluía Felipe Massa, ocupou o degrau mais alto do pódio. Em 1999, as 500 milhas recebia, pela primeira vez na história, uma equipe formada apenas por mulheres, incluindo a Bia, feito que volta a acontecer agora em 2019. “Muito feliz por ter parceiros de longa data, como a Promax Bardahl e ConectCar, fazendo o possível e me ajudando a formar uma equipe totalmente feminina”, explica Bia.

Corrida
Os treinos oficiais das 500 Milhas começaram nesta última quarta-feira (18) e seguem até  sexta-feira (20), quando será definido o grid de largada com a tomada de tempos, às 14h20, e o Top Qualify às 14h50. O tradicional Kart dos Artistas também acontecerá nesta sexta-feira (20), com largada marcada para as 13h05. Eles terão 30 minutos de prova no KGV.

Teatro Municipal de Santo André tem quatro espetáculos de dança

Redação

A dança é o destaque da programação do Teatro Municipal Flavio Florence (Praça IV Centenário, s/nº, Centro), em Santo André, nos próximos dias. O espetáculo “Gala 2019” será apresentado nesta quinta-feira (19), às 20h. Na sexta-feira (20), no mesmo horário, a atração será “La Fille Mal Gardee”, e no sábado (21), o grupo Free Pass apresentará “O Pequeno Príncipe” e “A Festa de Halloween”, às 15h e às 20h. A programação do fim de semana terá ainda a Feira de Brechós do ABC, uma atividade sobre a história do blues, além de apresentação da Banda Lira e exposições.

Além dos espetáculos de dança no teatro (foto), haverá "Feira de Brechós do ABC" e história do blues, neste sábado (21), em Santo Andre | Foto: divulgação/PSA

O espetáculo de dança “Gala 2019” tem como objetivo movimentar, promover e valorizar a expressão artística e os valores das comunidades urbanas, confirmando o potencial de dança como caminho para a construção de identidades.

Já o “La Fille Mal Gardee”, com a Escola de Dança Movimento Vital, trata-se de uma comédia, na qual uma viúva pretende casar sua filha Lise com Allain, um milionário bobalhão. No entanto Lise está apaixonada por Colas, um pobre camponês.

E no sábado, terá o clássico do escritor francês Antoine Saint-Exupéry, “O Pequeno Príncipe”, na qual um piloto após cair com seu avião num deserto, encontra frágil criança; e a “Festa de Halloween”.

Outras atrações 
A Feira de Brechós do ABC deve agitar a Casa da Palavra Mário Quintana (Praça do Carmo, 171, Centro) neste sábado (21), a partir das 10h. Em sua terceira edição, o evento, que tem como objetivo a conscientização acerca da forma de consumo consciente, receberá 18 empreendedores da região. O evento é a oportunidade de o público conferir os produtos customizados por estes empreendedores, a partir de peças disponíveis no mercado. O espaço ficará fechado no período de 22 dezembro a 2 de janeiro.

E o movimento no entorno da casa terá ainda o 5º Natal Solidário organizado pela Banda Pânico X e o Coletivo Nasa, na Concha Acústica da Praça do Carmo. Com início previsto para as 10h, o encontro, realizado todos os anos, visa a arrecadação de brinquedos para distribuição em comunidades carentes da cidade. Além de muita música, live painting e exposições. Participação de Arnaldo Tifu, Anjos Ordinários, K.U.L.T.I.V.A. e DJ Voodoo.

Para quem gosta de música, outra alternativa é “O Blues em três episódios”, também no sábado (21), às 10h, no Museu de Santo André Dr. Octaviano Armando Gaiarsa. A atividade abordará a história do ritmo através de filmes, apresentações musicais, gastronomia e muito mais. O endereço do museu é Rua Senador Fláquer, 470, Centro. Atividades gratuitas.

No domingo (22), às 15h, a Banda Lira realiza seu concerto do mês no Parque Antônio Fláquer (Ipiranguinha). No repertório, canções tradicionais de Natal de todas as épocas. O endereço é Rua Sete de Setembro, s/nº, na Vila Alzira.

"Bombinha" para asma: mitos e verdades sobre o medicamento

Redação

A asma atinge mais de 20 milhões de brasileiros. É uma das doenças respiratórias crônicas mais comuns. Trata-se de uma inflamação nas vias respiratórias, que provoca tosse seca, chiado no peito, e, sobretudo, dificuldade para respirar. O problema ainda gera algumas dúvidas, que são esclarecidas abaixo pelo pneumologista do Hospital Oswaldo Cruz, Elie Fiss.

A dosagem ideal da "bombinha" varia de acordo com o paciente, mas não deve passar de quatro doses por dia | Foto: Freepik

Segundo o especialista, o tratamento é iniciado com o uso contínuo de corticoide inalatório. Posteriormente, se passa a utilizar também medicamento broncodilatador de longa duração. Já para o alívio imediato dos sintomas da asma, além de outras doenças respiratórias, como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) - caracterizada pela obstrução da passagem de ar pelos pulmões, provocada geralmente pela fumaça do cigarro ou de outros compostos nocivos - utiliza-se o medicamento broncodilatador de curta duração, popularmente chamado de "bombinha".

O uso contínuo da bombinha pode matar?
Mito. A única possibilidade de a bombinha levar um paciente à morte é se ele utilizar uma superdosagem - algo em torno de 20 doses em um único dia. Afinal, como todo remédio, uma superdosagem pode matar. A dosagem ideal varia de acordo com o paciente, mas não deve passar de quatro doses por dia.

A bombinha pode viciar?
Mito. O que acontece é que muitos pacientes não utilizam a medicação corretamente e, por isso, sentem muita falta de ar, tendo que utilizar a bombinha diversas vezes por dia. Nesses casos, vão dizer que o paciente está viciado, o que é uma mentira.

A forma mais eficiente de medicar alguém com asma é por via inalatória?
Verdade. Medicação por via inalatória, tanto em spray quanto em pó, é mais eficiente, pois vai diretamente para o pulmão, logo, começa a fazer efeito mais rápido. Além disso, a dose necessária acaba sendo menor.

A bombinha pode provocar ataque cardíaco?
Mito. A não ser em superdosagens, a bombinha pode aumentar os batimentos cardíacos em cerca de 20% no máximo, o que, na pior das hipóteses, pode provocar uma taquicardia.

Asmáticos não podem praticar exercícios físicos? 
Mito. Asmáticos podem malhar normalmente. No entanto, pessoas que têm crises de asma desencadeadas pela prática de exercícios físicos devem utilizar a bombinha 15 minutos antes de iniciar os exercícios.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Fogos de artifício: veterinária lista cuidados essenciais para proteger os animais

Redação

O show de fogos no Réveillon é um momento emocionante para muitas pessoas, mas pode ser um pesadelo para cães e gatos. Segundo a veterinária da DogHero, Thaís Matos, o momento que marca a transição de ano pode trazer inúmeros problemas aos animais, como estresse, nervosismo e medo. Para evitar essa situação, a profissional listou alguns cuidados básicos, que ajudarão o pet a entrar o novo ano com tranquilidade.

Para abafar o ruído dos fogos e amenizar o impacto das luzes, que estressam os animais, uma dica é fechar todas as portas,  janelas e cortinas | Foto: divulgação

1. Mantenha portas e janelas fechadas
Durante o momento dos fogos de artifício, cães e gatos podem sentir medo devido ao volume alto das explosões e ao brilho das luzes. Por isso, uma dica é fechar todas as portas, janelas e cortinas para deixar o ambiente mais seguro. "Esta atitude ajuda a abafar o ruído dos fogos e a amenizar o impacto das luzes, que tanto incomodam os peludos. Outra opção é ligar a televisão ou rádio, pois é possível disfarçar o barulho das explosões", orienta a veterinária.

2. Use a técnica da faixa para cachorro 
Muitos cães encaram os fogos de artifício como uma ameaça por ser algo bastante ruidoso e inesperado. Uma das principais dicas é utilizar uma faixa chamada de Tellington Touch (TTouch). A técnica consiste em passar uma atadura em alguns pontos do corpo do cãozinho, para que ele se sinta mais seguro. Basta utilizar uma faixa, bandagem ou um pano.

O procedimento é simples: coloque o tecido na altura do peito do cachorro; cruze as pontas depois do pescoço, na região do dorso, e depois faça o mesmo para baixo, sob o dorso. Por fim, dê um nó firme perto da coluna. Garanta que a faixa fique bem presa ao corpo do cachorro, mas sem apertá-lo. Deixe o nó na lateral do corpo do cãozinho, nunca sobre a coluna. "É importante colocar a faixa em momentos comuns ou pelo menos 30 minutos antes da virada para que o cão se acostume e não assemelhe a técnica aos fogos, ficando assim traumatizado", explica Thaís.

3. Torne o momento prazeroso para o cachorro 
As explosões dos fogos de artifício e luzes no céu podem ser "gatilhos" de crises de ansiedade e estresse para os animais. Eles podem sentir-se angustiados, presos ou desprotegidos e começarem a tremer, a buscar um local para se esconder e até tentarem fugir. A ideia, portanto, é tornar este momento o mais prazeroso possível, como algo que una ele ao tutor. Nesse sentido, busque mostrar confiança, não brigue com o pet, faça carinho, use brinquedos e dê petiscos durante a ocasião. Estas atitudes irão acalmar o seu filhote de quatro patas.

4. Não deixe o cachorro preso em coleiras ou correntes
Como o seu amigo de quatro patas pode ficar muito alterado durante a passagem de ano, evite deixá-lo preso, pois ao tentar fugir ele pode se machucar ou até mesmo se enforcar. "Como citado na dica número 1, o ideal é colocar o seu cãozinho em um ambiente escuro e seguro, mas desde que ele fique livre para sair a qualquer momento", destaca Thais.

5. Evite deixar muitos cachorros e gatos em um mesmo local 
Durante a ocasião de fogos de artifício, muitas pessoas cometem o erro de deixar todos os pets juntos por acharem que esta atitude irá acalmá-los. Pelo contrário, o fato de ter mais de um animalzinho em um só lugar causa mais confusão. "Os pets ficam estressados e agressivos, o que pode gerar brigas e machucados", alerta a especialista.

Funcional pode ser o seu exercício

*Por Gislaine Milena Marton 

Você precisa correr, empurrar, agachar, girar, pular, andar, puxar e se equilibrar diariamente, certo? Agora, imagine o quanto seria bom se seu corpo estivesse preparado para esses movimentos. O treinamento funcional traz qualidade de vida, porque simula essas atividades que fazem parte da rotina. Assim é possível melhorar a execução desses movimentos corriqueiros, tornando-se, inclusive, uma excelente opção para quem quer se manter em forma. 

A fisioterapeuta Gislaine afirma que o treinamento funcional é recomendado para todas as idades | Foto: divulgação

A aula inclui alguns equipamentos como cabos, cordas, pesos, bolas, elásticos, superfícies instáveis, entre outros objetos que ajudam a reproduzir como o corpo se move no decorrer do dia. Ele "aprende"! E o melhor: é recomendado para todas as idades. Como é um exercício que une princípios da fisioterapia e da reabilitação corporal, fortalece músculos, ligamentos e tendões, e mantém as articulações lubrificadas e saudáveis. 

As atividades também são realizadas com o peso e a força do próprio corpo. E essa utilização de nenhuma ou pouca carga, deixa o risco de sofrer lesões quase inexistente na comparação com a musculação, por exemplo. Em um paralelo entre eles, pode-se dizer que o segundo trabalha cada músculo de maneira isolada, já o treinamento funcional exercita o corpo de forma mais global e integrada, melhorando a funcionalidade dos movimentos naturais executados no dia-a-dia. 

E com isso, a técnica, que é dinâmica, intensa, desafiadora e divertida, traz diversos benefícios, como o desenvolvimento da consciência corporal, melhora do equilíbrio, aumento do condicionamento do sistema cardio-respiratório e a redução dos riscos de problemas relacionados ao excesso de peso e sedentarismo, pois também acelera o metabolismo. Algo muito importante tendo em vista que, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, 53% da população brasileira tem excesso de peso e 45,8% praticam atividade física insuficiente. 

Para quem é fã da definição muscular, esse treinamento é uma ótima opção, pois proporciona esse resultado. Ele ainda aumenta a força e a resistência muscular, otimiza a coordenação motora, aumenta a flexibilidade e fortalece os músculos do CORE (região do abdômen, lombar e pélvis). 

Outro importante benefício do exercício funcional é que ele melhora a postura. Além de fortalecer os músculos que ajudam a manter a coluna reta, durante a aula o praticante cria o hábito de contrair o abdômen, alinhando quadril, ombros e pescoço, o que permite, executar movimentos com agilidade e precisão. 

Mas lembre-se: é importante sempre procurar um profissional capacitado para orientar as aulas. E se movimentar, sempre! 

*Gislaine Milena Marton é fisioterapeuta e proprietária da clínica Quality Fisio & Pilates.  


É possível "higienizar o sono"?

*Por Vitor Fernandes Bersot 

Você acha que dormiu o suficiente na semana passada? Consegue se lembrar da última vez que acordou por si, sem o auxílio de um despertador? Se a resposta para qualquer uma dessas perguntas for negativa, não desanime. Você não está sozinho. Dois terços dos adultos em todas as nações desenvolvidas não conseguem descansar as oito horas recomendadas de sono noturno.

"A cada noite de sono insuficiente, o risco de doença como o Alzheimer aumenta", alerta o especialista Vitor Fernandes Bersot | Foto: Freepik

Os "problemas do sono" - dificuldade para iniciar o sono, episódio de despertar excessivo após o início do sono, ou sono curto - afetam a população global. O sono insuficiente é um dos fatores que mais influenciam, por exemplo, no desenvolvimento de doenças como o Alzheimer. Durante o sono, entra em ação o sistema linfático, um mecanismo de limpeza profunda do cérebro. Esse método de higienização atua contra uma proteína tóxica e pegajosa ligada à doença de Alzheimer, conhecida como beta amilóide. Sem sono suficiente, você perde o poder de eliminá-la. Assim, a cada noite de sono insuficiente, o risco de doença como o Alzheimer aumenta.

Pode parecer pouco provável, mas a higiene do sono é considerada uma das melhores alternativas para obter um sono restaurador. Aqui estão algumas orientações simples para tornar o sono dos seus sonhos uma realidade:

1 - Evite cafeína, álcool, nicotina e outros produtos químicos que interferem no sono: encontrada no café, chá, chocolate, refrigerante de cola e em alguns analgésicos, a cafeína é um estimulante e deve ser evitada algumas horas antes de dormir. Embora o álcool possa ajudar a adormecer, após algumas horas, atua como estimulante e reduz a qualidade do sono.

2 - Fique atento às refeições noturnas: comer uma pizza no jantar pode ser uma receita para insônia. Neste período, procure consumir refeições mais leves para evitar opções indigestas.

3 - Equilibre a ingestão de líquidos: beba bastante líquido durante o dia e modere sua ingestão à noite para não despertar pela necessidade de uma ida ao banheiro.

4 - Exercite-se cedo: o exercício pode ajudá-lo a adormecer mais rápido e dormir mais profundamente. A prática estimula o corpo a secretar o hormônio do estresse cortisol, que ajuda a ativar o mecanismo de alerta no cérebro. Ao se exercitar mais tarde, tente terminar a atividade, pelo menos, três horas antes de dormir.

5 - Transforme seu quarto em um ambiente que induz o sono: um ambiente silencioso, escuro e fresco pode ajudar a promover o sono adormecido. Procure reduzir o ruído externo, use cortinas opacas ou uma máscara para bloquear a luz. Utilize colchões e travesseiros confortáveis. Tente limitar as atividades do seu quarto apenas para dormir. Manter computadores, celulares, TVs e materiais de trabalho fora do ambiente.

*Vitor Fernandes Bersot é coordenador do curso de Nutrição da Faculdade Pitágoras de Guarapari. 

terça-feira, 17 de dezembro de 2019

Museu das Invenções tem programação especial no período de férias

Redação

As férias de dezembro e janeiro no Museu dos Invenções, em São Paulo, seguirá com uma programação especial, para o público adulto e infantil, as crianças contarão com atividades lúdicas e brincadeiras com algumas das invenções e visita guiada à exposição.

Entre as invenções disponíveis no museu, está o microfone com alto falante embutido, sem fio, com conexão bluetooth, que permite ao usuário reduzir ruídos | Foto: divulgação

Nesta repaginação do museu os visitantes podem conhecer os displays dos emblemáticos e mais famosos inventores da história como Thomas Edison, Albert Einstein, Alexander Graham Bell e os contemporâneos como Steve Jobs, além de poder conhecer a história e criações de cada um deles.

As atividades marcam o início de uma nova fase na história da Associação Nacional dos Inventores (ANI). Criada há 34 anos com o objetivo de apoiar e promover a criatividade de empresários e empreendedores, a entidade anunciou recentemente uma série de novidades cujo objetivo é promover uma das maiores virtudes do brasileiro: a criatividade.

Então, a entidade acaba de reinaugurar o seu tradicional Museu das Invenções, ou Inventolândia. O espaço foi elaborado há 23 anos para mostrar como a ciência pode ser divertida e fundamental para o desenvolvimento de soluções inovadoras, que contribuem com o desenvolvimento social, econômico e ambiental da sociedade.

O espaço, considerado o primeiro museu de invenções da América Latina, foi redesenhado e agora conta com uma instalação moderna e bonita para atender ao público. O acervo é formado por mais de 300 invenções que podem ser utilizadas em diversas atividades.

Segundo o presidente ANI, Carlos Mazzei: “Diferentemente de outros países, o Brasil não cultiva o hábito de valorizar e pesquisar a história dos inventos. Precisamos mudar urgentemente essa realidade”, alerta.

Novas tecnologias no museu 
Os visitantes poderão conhecer novos lançamentos que contam com funções e aplicações diferenciadas, entre eles, o microfone com alto falante embutido, sem fio, com conexão bluetooth que permite ao usuário reduzir ruídos. O produto permite conectar o celular em função karaokê, gravar músicas e também possui caixa amplificadora e bateria recarregável, embutidos diretamente no microfone. Já o guarda-chuva invertido promete facilitar a vida do consumidor na hora do uso. Ao abrir ou fechar o produto, o formato diferenciado evita que a água escorra ou respingue no usuário.

Há ainda o porta-cartões com power bank: o dispositivo mantém os documentos organizados e a salvo de roubos eletrônicos com aparelhos de leitura por proximidade, uma vez que possui uma liga metálica de proteção. Isso sem contar a função de bateria externa portátil, permitindo carregar o celular em qualquer lugar sem necessidade de ligação à corrente elétrica.
               
Entre as novidades preparadas para o público estão produtos interessantes como o ferro de passar roupa, que funciona por indução, a churrasqueira portátil totalmente dobrável que já vem com kit churrasco e invenções curiosas como o boné para tirar cisco do olho, o pente para pessoas carecas, os óculos com retrovisor, entre várias outras curiosidades.

“A criatividade do brasileiro é ímpar. Grandes inventores brasileiros ficaram marcados na história pela criação de soluções e produtos importantes. É o caso das redes sociais como LinkedIN, Facebook e Instagram” e dos mais famosos como o câmbio automático veicular, observa Mazzei. Ele acrescenta que a maioria dessas invenções nasceu em garagens. “Todas as ideias surgem de uma necessidade”, completa.

Há mais de 30 anos, a ANI presta suporte aos inventores e empresários em assuntos relacionados à legislação que rege a propriedade industrial (marcas, patentes, direitos autorais, copyrights e registros de softwares) e no lançamento de produtos e projetos para diversas áreas da atividade industrial e comercial. No total, a associação conta com mais de 10 mil inscritos e associados em todo o Brasil, além de 700 projetos e protótipos disponíveis para consulta e avaliação.

O Museu das Invenções fica na Rua Doutor Homem de Melo, 1109, Perdizes, em São Paulo. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 10h às 17h. Tel.: 3670-3411.



Como lidar com a avalanche de consumo nessa época do ano?

*Por Jeferson G. Pires

O consumo paira sobre o imaginário neste período do ano. Mais recentemente, inicia com a adoção massiva do comércio brasileiro à campanha Black Friday, em novembro, seguindo os estímulos dos tradicionais presentes de Natal e, depois, as promoções e queimas de estoque em janeiro. São inúmeros eventos que conduzem às compras de itens, muitas vezes, não essenciais.

O consumo sem uma real necessidade pode ocorrer como resposta a uma emoção negativa, ou mesmo pela necessidade de mostrar status social por meio do poder de compra | Foto: Freepik

Nesse caso, o consumo pode ocorrer como resposta a uma emoção negativa (tristeza, baixa estima, tédio) ou mesmo pela necessidade de mostrar status social por meio do poder de compra. Além do quesito emocional, é inegável o impacto das campanhas publicitárias, a ponto de transformar alguns produtos e serviços em necessidades imediatas. São as ideias por detrás do “valer a pena” ao mostrar o “preço reduzido” ou a sensação de “poucas unidades” disponíveis daquele produto/serviço.

Diferentes teorias tentam explicar o comportamento de consumo. Alguns economistas destacam o aumento dos gastos diante da percepção de redução do preço. Sem contar aquelas pessoas que tendem a valorizar mais as possíveis perdas (ou faltas) do que os ganhos que virão do produto ou serviço que estão prestes a adquirir.

Mas o que desencadeia a decisão de comprar? 
Pode ser qualquer estímulo (ambiente, mídia, fala de alguém) que nos faça pensar sobre alguma ideia, conceito, produto ou necessidade. Ou seja, os gatilhos despertam interesse em coisas que não estávamos necessitando ou pensando até o momento que fomos estimulados por eles.

Como lidar com esses gatilhos e evitar armadilhas? 
• Identificar o que te faz querer consumir é o primeiro passo. Pergunte-se sobre o que te levou a querer o produto/serviço naquele momento? Estava triste? O desconto pareceu atraente? O atendimento na loja foi cordial e te fez sentir-se à vontade?

• Seja consciente de sua real necessidade e do motivo que te faz pensar que o produto/serviço é importante naquele momento.

• Questione-se sobre a disponibilidade do produto ou serviço no futuro: ele poderá acabar, ou parar de ser oferecido? Você deve comprar naquela hora?

Em síntese, tenha clareza dos estímulos ao seu redor, como eles te afetam e as estratégias de venda no comércio físico e virtual.

A consciência é uma das principais formas de garantir que as decisões de consumo sejam realizadas adequadamente e que efetivamente trarão benefícios. Por outro lado, deixar-se levar pela sedução barata de algum momento ocasionará a aquisição de bens e serviços desnecessários, decorrentes de pura falta de consciência.

É preciso estar atento a si mesmo e ao seu ambiente até mesmo no momento das compras.

*Jeferson G. Pires é professor mestre do curso de Psicologia da Anhanguera São José (SC), psicólogo e doutorando em Psicologia- UFSC. 

Glaucoma: automedicação pode ser um “gatilho” para a doença

Redação

Coceira, irritação e vermelhidão nos olhos são comuns durante o verão, época em que a proliferação de bactérias e vírus é maior por conta do uso coletivo de piscinas e passeios ao ar livre. Quando esse tipo de problema surge, muitas pessoas recorrem à automedicação com colírios que algum conhecido usa e indica. Segundo o oftalmologista do Hospital 9 de Julho, Aníbal Mutti, o uso indevido desse medicamento pode elevar a pressão dos olhos e desencadear doenças graves como o glaucoma.

Para manter a saúde dos olhos, é importante olhar atentamente a data de validade dos cosméticos, que entram em contato direto com os olhos e não se automedicar | Foto: reprodução

O glaucoma é a doença ocular que mais causa cegueira irreversível no mundo. Portanto, o diagnóstico e o tratamento precoces são fundamentais. Existem mais de vinte tipos de glaucoma. O fator comum a todos eles é a atrofia do nervo óptico secundária e o aumento na pressão de dentro dos olhos (pressão intraocular - PIO), que ultrapassam o limite de resistência das células deste nervo.
"A pressão intraocular elevada, seja em picos ou de maneira constante, provoca um "esmagamento" do nervo, visível ao exame de fundo de olho", esclarece o especialista.

Mutti explica que, apesar da doença ter também fatores como diabetes, tendência genética e até catarata, a automedicação ainda é um gatilho relevante para desenvolver a doença. Para manter a saúde dos olhos e evitar infecções nas estruturas deste órgão tão sensível, o oftalmologista listou alguns cuidados importantes:

Higiene: lavar os olhos com soro para retirar as impurezas pode reduzir drasticamente as chances de contágio das doenças oculares. Além de lavar as mãos, antes de entrar em contato com os olhos. A higiene das pálpebras e da base dos cílios com xampu infantil ou produtos específicos para os olhos também são de grande ajuda na prevenção de infecções.

Descansar: fazer pausas durante o dia para reduzir o tempo de contato com celulares, computadores e demais eletrônicos. Nestes momentos, procurar olhar para o horizonte ou focalizar algum objeto distante.

Atenção com os produtos: olhar atentamente a data de validade dos cosméticos, que entram em contato direto com os olhos e não se automedicar.

Mutti ressalta a importância dos cuidados com os olhos: "Assim como qualquer outro órgão do corpo humano, os olhos merecem atenção e cuidado, como a visita periódica ao oftalmologista, lembrando que é uma das partes do corpo que está mais exposta a poluição e bactérias", finaliza o especialista.

Profissionais de saúde deverão comunicar à polícia casos de violência contra a mulher

Redação com Ag. do Rádio Mais

A partir de março de 2020, os profissionais de saúde serão obrigados a comunicar à polícia, em 24 horas, indícios de violência contra a mulher. A notificação será registrada no prontuário médico da própria paciente. A regra vale para serviços de saúde públicos e privados.

Profissionais de saúde terão 24h para comunicar à polícia,  indícios de violência contra a mulher | Foto: reprodução 

Então, a mudança na legislação ocorre com a sanção da Lei 13.931/19. Segundo a relatora da proposta na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara, deputada federal Margarete Coelho (PP-PI), as notificações são ferramentas importantes que, no combate à violência contra a mulher, podem salvar vidas.

“Os índices de mulheres vítimas de violência no sistema de saúde são diferentes dos índices da segurança pública. Porque essas mulheres, muitas vezes, não buscam a segurança; mas ela tem que buscar. Ela está ferida, ela está machucada. Além disso, existem todas aquelas doenças relacionadas à violência contra mulher”, comenta Margarete.

A norma se originou de um projeto de lei que havia sido vetado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, mas que, no fim de novembro deste ano, teve o veto derrubado pelo Congresso Nacional.

Ortopedista esclarece mitos e verdades sobre a tendinite

Redação

A tendinite é um processo inflamatório do tendão, tecido fibroso responsável por fazer a junção entre o músculo e o osso, dando força e auxílio na movimentação do corpo. O problema afeta uma a cada 100 pessoas, segundo dados do Ministério da Saúde. O ortopedista Layron Alves, especialista em ombro e cotovelo e sócio da Clínica Larc, esclarece abaixo dúvidas sobre a tendinite.



Técnicas de alongamento e mobilizações feitas com a orientação de um fisioterapeuta são ótimas aliadas para prevenir a tendinite | Foto: Freepik
Os sintomas da doença  vão desde a dificuldade para mexer a região, pressentimento de fraqueza até a sensação de que o desconforto está se espalhando.

O problema pode afetar braços e outras partes do corpo?
Verdade!  Nosso corpo possui mais de quatro mil tendões, logo, a tendinite pode afetar regiões do cotovelo, ombro, pulso, dedos, tornozelo ou joelho. Pode ser desencadeado devido ao excesso de uso de um tendão ou também por lesão pela prática esportiva, desequilíbrios hormonais, doenças infecciosas, traumas, distúrbios metabólicos e doenças imunológicas.

Tendinite e bursite são a mesma coisa?
Mito! Apesar de ambos apresentarem sintomas parecidos e serem causados por conta de inflamações, eles não são a mesma coisa. "Enquanto a tendinite é a inflamação de um tendão, a bursite é definida como um processo inflamatório da bursa, que é o líquido responsável por reduzir o atrito entre os tendões e os ossos durante a movimentação da região", explica Layron.

Lesão por esforço repetitivo (LER) pode ser uma causa do problema?
Verdade! A Tendinite se enquadra no grupo de LER, pois o ato de fazer movimentos recorrentes com os braços, tais como: costurar, desenhar, tatuar, tocar algum instrumento e até jogar vídeo game pode ser responsável pelo desencadeamento da inflamação do tendão.

A doença afeta apenas os idosos?
Mito! Apesar do problema ser comum na terceira idade por conta da perda de elasticidade e enfraquecimento dos tendões, conforme o envelhecimento, a tendinite pode também afetar pessoas jovens, sendo mais recorrente naqueles que praticam atividades físicas ou movimentos recorrentes.

Alongamento ajuda na prevenção do problema?
Verdade!  Técnicas de alongamento e mobilizações feitas com a orientação de um fisioterapeuta são ótimas aliadas para prevenir a tendinite, já que garantem o fortalecimento e alongamento do tendão, quesito fundamental para que o problema fique longe.

Tratamento é realizado somente com a ingestão de medicamentos?
Mito! O tipo de tratamento para tendinite vai depender do grau da doença. Além de ser realizado com medicações, o especialista pode indicar repouso, aplicação de gelo no local, terapias de choque, fisioterapia, infiltrações e, em casos mais graves, pode ser aconselhada a cirurgia.

“Na maioria das vezes, a tendinite tem cura, desde que seu tratamento seja realizado de forma adequada, evitando situações que fizeram o problema acontecer. Por isso, em caso de dor o indicado é sempre procurar atendimento médico para um diagnóstico e cuidado imediato”, finaliza o ortopedista.

Câncer de intestino: conheça os alimentos “vilões”

Redação

Uma única fatia de bacon ao dia aumenta o risco para câncer de intestino em 20%, de acordo com um estudo divulgado neste ano, pela revista International Journal of Epidemiology.  Além disso, o consumo de carnes processadas (como presunto e salames), em uma quantidade de 76 gramas diárias ou mais, aumenta o risco da mesma forma.

Mudança no hábito intestinal, sangramento nas evacuações, sensação de evacuação incompleta são alguns dos sintomas do câncer de intestino | Foto: divulgação

O câncer colorretal é o segundo mais frequente em mulheres no Brasil e o terceiro entre os homens, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). A estimativa é de 36 mil novos casos ao ano no País.

Segundo o cirurgião do aparelho digestivo e especialista em cirurgia robótica, Alexander Morrell, a cirurgia é a principal forma de tratamento disponível para a doença. “A operação contempla a retirada do câncer e dos linfonodos em conjunto, também chamados de “gânglios”, que podem auxiliar na disseminação da doença se não ressecados. Após a retirada do segmento de intestino doente, é feita uma união novamente entre as partes saudáveis intestinais, para retorno dos hábitos normais de funcionamento do órgão”.

Equipes qualificadas podem realizar o tratamento de forma minimamente invasiva. “O paciente é beneficiado com menor dor no pós-cirúrgico, recuperação mais rápida, menor perda de sangue e tempo de internação. Ainda, tem-se menos chances de infecção de sítio cirúrgico e hérnias no pós-operatório. A cirurgia robótica é o que há de mais inovador na área”, ressalta Morrel.

Estão na área de risco pessoas com mais de 50 anos, com histórico prévio de câncer na família; pacientes obesos, pessoas que consomem muita carne vermelha e alimentos processados. O especialista alerta ainda para o consumo de bebidas alcoólicas.

Sintomas 
O paciente deve procurar um médico especialista caso apresente possíveis sintomas da doença. “Entre os mais comuns estão anemia, cansaço, perda de peso sem dieta, mudança no hábito intestinal, sangramento nas evacuações, sensação de evacuação incompleta e mudança no aspecto das fezes”, finaliza Morrell.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Diretora orienta como economizar no material escolar

Redação

Com os gastos decorrentes das festas de fim de ano e das férias, programar o orçamento para as despesas escolares no início do ano letivo é fundamental, para manter o controle financeiro. A compra do material escolar exige equilíbrio entre o que pode ser reaproveitado e o que é essencial comprar.

Mochila, tesoura, estojo e outros itens mais resistentes podem ser reaproveitados | Foto: Freepik

O mercado oferece inúmeras opções de produtos, marcas, personagens e utensílios que, aos olhos das crianças, se tornam objetos de desejo. No entanto, a atenção dos pais vai além desses detalhes observados pelos pequenos, mas sim, no preço e nas ofertas. A diretora do Colégio Anglo 21, Carla Oliveira, selecionou algumas dicas para não gastar mais do que o necessário nos materiais escolares dos filhos. Confira:

Veja os materiais do ano anterior e o que pode ser reaproveitado
O primeiro passo é conferir tudo o que sobrou do ano anterior e ver o que pode ser reutilizado. “O ideal é que uma mochila, por exemplo, possa ser reaproveitada por muitos anos, assim como, tesouras, estojos e outros itens mais resistentes, mas não é bom reutilizar cadernos. Certos itens incentivam o aluno a estudar. Um caderno novo, por exemplo, pode fazer toda a diferença. Para não desperdiçar, os antigos podem ser utilizados como rascunhos ou para estudos em casa”, analisa Carla. 

Combine um orçamento e converse com seu filho
Estabelecer quanto pode ser gasto é o segundo passo. Assim, é possível ter mais controle na hora das compras. Levar uma calculadora para não se perder pode ser uma boa alternativa. Além disso, é preciso pensar na questão de levar o filho ou não para ajudar nessa tarefa.

Alguns pais preferem manter os filhos fora dessa decisão. A chance de eles optarem por um produto apenas pela aparência existe e é alta. Entretanto, para quem tiver interesse, essa pode ser uma ótima oportunidade para dar uma dose de educação financeira para os filhos. Isso será benéfico não apenas na hora da compra, mas a longo prazo.

Entendendo o valor de cada material e com a consciência de que existe um orçamento que não pode ser ultrapassado, ele pode ter um cuidado ainda maior com suas coisas - o que aumenta a quantidade de produtos que poderão ser reaproveitados no ano seguinte e ajudando a economizar no próximo ano.

Faça uma lista do que precisa ser comprado
Durante as compras, é possível que você se depare com materiais incríveis, mas que fogem totalmente do seu orçamento. Ter uma lista e segui-la poupará dúvidas desnecessárias e gastos imprevistos.

Fuja de marcas e personagens
Nada de escolher um produto mais caro apenas porque é de determinada marca, ou de um personagem específico. O foco aqui deve ser a qualidade dos produtos, não os logo e etiquetas que carregam. “É bom conhecer as marcas e saber suas preferidas, mas não se limite a elas”, comenta a diretora. E pensando na durabilidade de cada item, cuidado com as estampas que escolhe. Muitas vezes, o personagem preferido do seu filho hoje pode nem passar mais pela cabeça dele daqui alguns meses.

Foque em materiais duráveis
Não adianta comprar um produto, exclusivamente, porque seu preço está abaixo da média e precisar comprar o mesmo produto alguns meses ou até semanas depois. A qualidade e o preço devem estar entrelaçados. “Investir no barato, sem uma durabilidade adequada não será uma economia, mas apenas uma preocupação futura”, reforça Carla.

Converse com outros pais
Os outros pais estão passando pela mesma situação, então por que não investir em algo que seja bom para todos? Uma estratégia que vale muito a pena é conversar com outros pais, se organizarem e procurarem um bom atacado, ou realizarem grupos de troca e reaproveitamento.

Pesquise
Nessa época, as lojas investem nesse setor e é possível encontrar diversas ofertas e promoções exclusivas. Entretanto, cuidado: nem todas valem a pena.

Assim, é importante fazer uma pesquisa de preços, produtos, lojas e promoções. E isso não é algo para ser feito apenas em dezembro ou janeiro, mas ao longo de todo o ano. Ter uma noção do preço dos produtos que precisa comprar, facilitará muito as compras.

Mofo: saiba como evitar o problema e os riscos à saúde

Redação

O mofo pode ser um enorme pesadelo dentro de casa, apesar de ser formado por estruturas microscópicas. Capazes de tirar o sono de qualquer morador, eles impactam diretamente na saúde e na qualidade de vida das pessoas, que frequentam os locais onde estão presentes.

Manter os ambientes bem arejados, permitindo a entrada de luz solar, além de tratar e investigar possíveis infiltrações são medidas para evitar a reprodução dos fungos | Foto: divulgação

Na decoração é um grande problema, além de deixar o ambiente com uma aparência desagradável, o mofo atinge com frequência materiais porosos, como a madeira, pedra, gesso e MDF, que facilitam a reprodução desses fungos, principalmente atrás de móveis, guarnições ou rodapés fabricados, a partir dessas matérias-primas.

Para esclarecer as dúvidas sobre este problema, especialistas da Indústria Santa Luzia reuniram informações sobre o mofo e as principais dicas, para tratar e prevenir a proliferação dentro de casa.

Riscos
Os sinais mais comuns em pessoas que convivem constantemente com o mofo são dores de cabeça constantes, sangramento no nariz, fadiga, dificuldade em respirar, sinusite, asma, bronquite, tosse, náuseas e infeções crônicas.

Causas
Facilmente identificado no visual, o mofo se prolifera com facilidade em locais úmidos como cozinhas e banheiros, além de ambientes quentes e escuros. O alerta é dobrado se você residir em uma região onde a combinação entre temperatura e umidade relativa do ar elevadas é frequente. O micro-organismo se espalha pelo ar e, se encontrar condições favoráveis em outros espaços, se multiplica.

Como tratar e prevenir
Manter os ambientes bem arejados, permitindo a entrada de luz solar, além de tratar e investigar possíveis infiltrações são medidas para evitar a reprodução dos fungos.  Realize manutenções periódicas em aparelhos domésticos, que podem gerar umidade, como o ar-condicionado.

A higienização do ambiente é fundamental: caso já exista mofo no ambiente, limpe os fungos das superfícies duras com água e detergente, mas não deixe o ambiente molhado por um longo período de tempo. Além disso, evite a concentração de materiais porosos dentro de casa, que são mais propensos a serem afetados pelos fungos, como a madeira, gesso e o MDF.

Alternativa
Para substituir alguns desses materiais uma opção é o plástico reciclado. O principal insumo é o Isopor, conhecido tecnicamente como poliestireno expandido ou simplesmente EPS. Por conta das características da matéria-prima de plástico reciclado, eles apresentam grande resistência à umidade, além de um maior tempo de vida útil, pois suas propriedades não estão suscetíveis ao ataque de qualquer tipo de pragas, fungos ou mofo.

Quanto à estética, os produtos levam personalidade e elegância aos ambientes sem deixar de lado a praticidade: reproduzem fielmente o efeito da madeira e outros materiais e já saem acabados de fábrica, ou seja, não precisam de nenhum trabalho prévio na superfície antes de instalá-los.

Alimentação infantil: especialistas comentam os desafios

Redação

Como se alimentar de maneira saudável é um desafio constante na rotina de todas as famílias. Mas, na prática, não é tão fácil reproduzir o que tanto se sabe na teoria. Tratando-se de crianças então, o desafio é ainda maior. Especialistas ouvidas pelo Ministério da Saúde apontam desafios da alimentação infantil e dão dicas de como melhorar a relação com a comida.

O ideal é criar o hábito da alimentação saudável  na infância | Foto: Freepik

O leite materno é o primeiro alimento da criança. Ele é o alimento ideal, pois é totalmente adaptado às necessidades do bebê nos primeiros anos de vida. Um dos primeiros desafios é iniciar a amamentação exclusiva e mantê-la mesmo quando a mãe retornar ao trabalho ou até mesmo quando a criança for para a creche. O Ministério da Saúde recomenda que a criança seja amamentada já na primeira hora de vida e por dois anos ou mais, sendo exclusivo nos primeiros seis meses. A dica é contar com uma rede de apoio dentro de casa, no trabalho e na creche para manter esse vínculo.

O pediatra e diretor titular de Defesa Profissional da Associação Paulista de Medicina (APM), Marun David Cury, afirma que o leite materno é o alimento mais completo para o recém-nascido e o lactante. “Contém todas as vitaminas necessárias, para o desenvolvimento da criança, a quantidade correta de proteína e açúcar e, o mais importante disso tudo, são os anticorpos. Além da dinâmica de sucção no seio é muito intensa e importante para o desenvolvimento neurológica e motor da língua, deglutição, da fala e posicionamento dos dentes”, explica.

Planejamento 
A professora associada do Instituto de Nutrição da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Inês Rugani, destaca que “a chegada da criança é uma oportunidade para a família se conectar mais com a alimentação saudável”. Por isso, o planejamento da alimentação deve fazer parte da rotina da casa, pois facilita na hora de oferecer alimentos à criança e à toda família. “A habilidade culinária doméstica não é só saber cozinhar e temperar, é todo esse planejamento, é simplificar, deixar adiantado algumas preparações para que se possa ter um dia a dia tranquilo neste aspecto. Para que a alimentação não seja um problema, mas um espaço de cuidado e de exercício do afeto”, reforça Inês.

Complementos 
Outro desafio passa pela introdução alimentar. Para a nutricionista e professora da pós-graduação da Pediatria da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Márcia Vitolo, no primeiro ano de vida é importante garantir que a criança receba uma alimentação adequada, pois ela não tem autonomia e depende totalmente da família. A dica é oferecer alimentos naturais, da época e manter a regra de não oferecer açúcar antes dos dois anos de idade. “Não dar açúcar nos primeiros anos de vida retarda o prazer pelo açúcar, a criança não vai dar preferência a esse tipo de alimento”, informa Márcia.

Já a professora titular de Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Elsa Giugliani, reforça a importância de começar a alimentação complementar de forma favorável: “Na fase dos dois primeiros anos de vida está se construindo os hábitos alimentares da criança”, explica. Por isso é importante oferecer alimentos saudáveis para as crianças e evitar a oferta dos não saudáveis.

O ideal é criar o hábito da alimentação saudável  na infância. Além disso, é extremamente importante contar com a orientação e acompanhamento de um pediatra para se informar a respeito da introdução dos alimentos, consistência, textura e o valor nutritivo. Para Cury “a alimentação infantil é um ato de educação alimentar, amor e responsabilidade. Os pais têm o compromisso com a formação intelectual e mental dos filhos. Uma alimentação correta trará tudo isso à criança em desenvolvimento”, enfatiza.

Não substituir as refeições principais por lanche é mais um desafio da alimentação infantil. O recomendado é ofertar comida e garantir que a criança pequena esteja com fome na hora de se alimentar. “Isso quer dizer que a criança não deve ter comido nada antes da refeição e nem ter tomado suco. O suco tira o apetite da criança e recupera a glicose sem muito esforço”, frisa Márcia. A família e os cuidadores devem estar atentos aos sinais de fome e de saciedade da criança.

Alerta
Outros desafios também merecem destaque: evitar a exposição às telas durante a alimentação; evitar a exposição à publicidade que estimule o consumo de alimentos ultraprocessados (formulações industriais, que normalmente tem pouca comida de verdade na sua composição); ter acesso às informações adequadas sobre alimentação saudável; mudar hábitos familiares que desfavoreçam a alimentação saudável.

Coop promove ações gratuitas de saúde no ABC e interior

Redação Em janeiro, a Coop - Cooperativa de Consumo realizará a primeira edição de 2020 da Blitz da Saúde, programa social voltado aos mo...