segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

Otites de verão: alerta para quem fica muito tempo na água

Redação

Com o tempo quente, as piscinas, praias e cachoeiras são opções para se refrescar. Porém, algumas doenças se tornam recorrentes, na temporada mais quente, como a otite de verão ou otite dos nadadores. Esse problema, inflamatório e infeccioso, acontece por conta do tempo que as pessoas passam dentro da água, de acordo com o otorrinolaringologista do Hospital Paulista, Gilberto Ulson Pizarro.

O ideal é não passar um longo período dentro da água, principalmente, quem tem otites recorrentes | Foto: Freepik

“Esse contato com água pode fazer com que bactérias cheguem ao ouvido, levando a uma infecção do chamado ouvido externo, e ocorre com frequência em quem apresenta coceira e escamação no ouvido”, explica Pizarro. Além de todo cuidado que se deve ter com uma infecção, é recomendável evitar passar as mãos na região, porque pode levar ainda mais bactérias.

Não tem idade para a otite externa aparecer; tanto adultos quanto crianças estão suscetíveis ao problema, sobretudo quando não têm o devido cuidado. Outro ponto que merece destaque é que a doença se diferencia da otite média aguda, que ocorre durante épocas frias, como o inverno, e atinge principalmente crianças.

Ainda assim, alguns sintomas são comuns. “Entre os sintomas, temos a dor intensa, ouvido seco e, em alguns casos, secreção. Deve-se tomar um cuidado maior com quem tem imunidade mais baixa, porque essas otites podem se tornar graves”, afirma o otorrinolaringologista.

Dicas
Enxugue os ouvidos com a ponta da toalha, sem esfregar, após nadar;

Não utilize hastes flexíveis ou qualquer objeto dentro dos ouvidos. Eles podem causar feridas na pele, retirar a camada protetora de cera e aumentar a probabilidade de infecção;

Evite mergulhar em água suja;

Para quem tem otites recorrentes, é recomendável utilizar protetores auriculares de silicone;

Procure não passar um longo período dentro da água.

Diagnóstico e tratamento
Um médico deve ser consultado ao primeiro sinal dos sintomas. É importante não adiar esta visita, pois o desconforto pode acabar com as férias e aumentar os riscos de uma infecção ainda maior. Só um especialista pode realmente confirmar o diagnóstico.

Geralmente, o tratamento é feito na base de analgésicos via oral, antibióticos ou antifúngicos. A otite de verão deve ser tratada e pode ser prevenida com os devidos cuidados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nutricionista fala sobre a importância da vitamina C e alerta sobre a suplementação

Redação Muitas pessoas consomem a vitamina C na prevenção de gripes e resfriados. Mas segundo a nutricionista Juliana Vieira, estudos comp...