quarta-feira, 31 de julho de 2019

Domenique Heidy comenta como combater uma crise de ansiedade

Redação

A crise de ansiedade, também conhecida por ataque de ansiedade, é súbita e imprevisível. Para esclarecer mais sobre o assunto, a médica  Domenique Ferreira, conhecida nas redes sociais como Domenique Heidy, explica os principais aspectos sobre o que é a crise de ansiedade, como identificá-la e combater os principais sintomas.

Capaz de provocar uma sensação de angústia, insegurança e medo arrebatador, a crise de ansiedade aumenta o batimento cardíaco, pode causar dor de estômago, náuseas, tonturas e tremores, que são alguns dos sintomas mais recorrentes de um ataque de ansiedade. Por isso, é muito importante saber como tratá-los quando eles ocorrem.

Aumento do ritmo cardíaco, boca seca, tremores e sensação de tontura são alguns dos sintomas da crise de ansiedade | Foto: divulgação 
Assim, a crise de ansiedade é uma condição emocional e física, que ocorre quando o corpo tenta se defender de algo, como uma situação que causa pânico. Embora não seja letal, é verdade que pode causar perda de cabelo, depressão e dor no estômago, por exemplo.

Os sintomas mais comuns num primeiro momento são os tremores, acompanhados por uma sensação de tontura. Em segundo lugar, o cérebro compreendeu que tem que se defender de algo e aumenta o ritmo cardíaco, e também é muito provável que apareçam palpitações e dor no peito. Outros sintomas podem estar presentes como boca seca, suores frios, aumento súbito ou diminuição da temperatura do corpo, náuseas, dor de estômago, diarreia e visão turva.

A seguir, Domenique lista oito dicas para combater uma crise de ansiedade:

Reduzir a ansiedade: ao sofrer um ataque de ansiedade ocorre a hiperventilação, quando isso acontece, o cérebro é mal oxigenado e é provável perder a concentração. Para evitar, realize uma respiração profunda (8 respirações lentas por minuto). Se você é incapaz de respirar lentamente, respire em um saco de papel, isso vai reduzir a respiração.

Procure distrações: por exemplo, contar de 150 para trás e de 3 em 3 números, ou lembrar-se da sua música favorita, se for possível, conte com a ajuda de alguém, mande uma mensagem de modo a manter sua mente distraída desse medo.

Relaxe seus músculos: após um ataque de ansiedade, é bastante normal os músculos ficarem tensos, então um momento para relaxar e distrair é fundamental.

Afaste os pensamentos negativos: cada vez que você tiver em sua mente um pensamento frustrante ou assustador, rapidamente tente substituí-lo por outro positivo, seja forte para dominar o seu mundo mental.

Movimente-se: quando você tem um ataque de pânico não fique sentado ou deitado, pois isso irá piorar seu estado de espírito, se levante, fale com alguém, tente cantar, mexer em papéis, enfim, faça algo.

Musicoterapia: faça uma compilação de todas as músicas que fazem você feliz, ou que transmita positivismo, grave-as em um CD (ou reúna numa pasta) e sempre que tiver um ataque, ouça essas músicas (se tiver fone de ouvido, é melhor).

Exercício: quando nos exercitamos nosso corpo libera endorfinas (hormônio do bem-estar responsável pela felicidade), caminhadas diárias ou fazer alguma atividade como yoga ou pilates, exercícios suaves são mais eficazes do que body pump.

Consulte o seu médico: se você sofre de ataques de ansiedade graves e muito constantes é melhor recorrer a um especialista, ele irá aconselhá-lo como tratar-se.

Especialista comenta mitos e verdades sobre vacinação

Redação

A doutora em Pediatria Ana Paula Moschione Castro, especialista em Alergia e Imunologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e diretora da Clínica Croce, tira as dúvidas que existem sobre as vacinas. Confira:

 Os adultos também devem se vacinar. É muito importante a vacinação contra o tétano, a febre amarela, comenta a especialista Ana Paula Moschione Castro | Foto: Ricardo Trida/PSA

1 - Vacinas causam autismo?
Dra. Ana Paula (AP) – Mito! E um mito bem perigoso. Estudos científicos sérios foram realizados e não mostraram essa relação do espectro do transtorno autista e vacinas. Essa fake news pode gerar uma onda antivacinas perigosa, que traz consequências muito ruins, como é o caso da epidemia de sarampo, que estamos acompanhando no momento.

2 - Somente as crianças devem ser vacinadas? 
AP - Mito! Os adultos também devem se vacinar. É muito importante a vacinação contra o tétano, a febre amarela. E hoje ainda temos à disposição para os adultos vacinas contra o herpes zoster, hepatite A e B, ou seja, uma série de imunizações à disposição que devem ser tomadas pelos adultos. Tenha a sua carteirinha de vacinação em dia, pois isso pode garantir saúde e, consequentemente, qualidade de vida.

3 - Vacinas podem ter contraindicações?
AP – Aqui vale o conceito de vacinar, para estimular o sistema imunológico a criar uma resposta de defesa contra um agente nocivo. Existem dois grupos para contraindicação: aqueles pacientes que não podem receber microrganismos vivos, que são as vacinas atenuadas (febre amarela, herpes zoster, sarampo e rubéola) estão contraindicadas. O outro grupo são de pacientes que apresentaram reações alérgicas graves contra a vacina. Essas reações alérgicas sempre precisam ser discutidas com o médico.

4 - Sempre que me vacino contra a gripe fico gripada. Por quê?
AP – Mito! A vacina contra a gripe não causa a gripe, pois é uma vacina inativada e indicada para proteger somente contra um tipo de gripe, que é a influenza. Na época do inverno existem outros vírus, como o rinovírus, que levam a quadros parecidos com gripes, mas não são. A vacina contra a gripe é segura, com uma cobertura ampla e não causa gripe.

5 - Quem está com febre não pode se vacinar?
AP – Em parte! Ainda que a febre não seja uma contraindicação à vacina, podemos ter dois desdobramentos quando se vacina uma criança com febre: não sabemos se o pico de febre está relacionado à vacina ou ao pico infeccioso, e nós, médicos esperamos nos quadros altos de febre, com duração de três a quatro dias, que a febre passe. Causas não conhecidas de febre também pode ser uma contraindicação. Melhor aguardar a criança melhorar.

6 - Alérgicos não devem se vacinar?
AP – Um grande mito Pacientes alérgicos se beneficiam de vacinas contra a gripe, contra pneumococo. O que precisa ter cuidado – a algum componente que está presente na vacina que desencadeia a reação alérgica, como o ovo, por exemplo. Ou se o paciente teve uma reação alérgica grave específica à aquela vacina. Mesmo pacientes com alergia à proteína do ovo, as vacinas contra a gripe e sarampo são liberadas. Não generalize que alérgicos não devem se vacinar, pois é o contrário, há grandes benefícios.

7 - Vacina é perigoso para idoso?
AP – Mito! Muitos estudos já comprovam que vacinar idosos contra a gripe e pneumonia melhora demais a qualidade de vida desses pacientes e reduz a mortalidade. Vacinar-se contra o tétano é fundamental, a vacina de herpes zoster também é muito importante, já que minimiza uma grande complicação que é a neurite herpética, ou seja, o paciente que deseja longevidade precisa ter a carteira de vacinação em dia.

8 - Toda vacina dá reação?
AP – As vacinas são extremamente seguras. As reações mais comuns acontecem em até 10% dos vacinados, com dor local e febre, que passa em um, dois dias. A maioria não apresenta reação. Mas sempre é aconselhável tirar suas dúvidas com o seu médico.

9 - Já me vacinei contra o sarampo, não preciso mais tomar nova dose?
AP – Infelizmente, estamos vivendo uma epidemia de sarampo. Um aumento gigantesco no número de casos. Ainda que você tenha recebido as duas doses da vacina contra o sarampo depois de um ano de idade, é necessário receber uma terceira dose caso haja alguém com a doença no seu trabalho, condomínio, escola, ou seja, perto do seu convívio. É a chamada dose de bloqueio.

O sarampo é uma doença grave, pode matar e a vacina é a única forma de prevenção. Somente pacientes em tratamento de quimioterapia ou com algum comprometimento da imunidade estão contraindicados a receber a vacina do sarampo. A vacina contra o sarampo é extremamente segura!

Paternidade: o que muda na carreira dos homens que se tornam pais?

*Por Marcelo Olivieri

Ninguém duvida que a carreira é um caminho indispensável para a felicidade. Muito mais do que uma fonte de renda, o trabalho é uma forma importante de realização. É nele que concretizamos projetos, que nos desenvolvemos como pessoas e aprendemos, além de entregarmos valor para o mundo. Contudo, nossa vida pessoal nunca deve ser deixada de lado.

"O mercado entende que o profissional que se torna pai vai se dedicar ainda mais (a carreira)", comenta o psicólogo e headhunter Marcelo Olivieri | Foto: Freepik
Infelizmente, muitas mulheres acabam perdendo espaço nas empresas quando se tornam mães. Já para os homens, o movimento é oposto. O mercado entende que o profissional que se torna pai vai se dedicar ainda mais, afinal ele agora terá mais gastos com a família e precisa se dedicar para ser promovido e crescer profissionalmente. Um pensamento um tanto quanto machista.

Recentemente, uma pesquisa qualitativa feita pelo Boston College Center for Work and Family, nos Estado Unidos, revelou que a maioria dos profissionais acredita que a paternidade foi positiva para a ascensão na carreira. É como se a paternidade fosse a porta de entrada para o mundo dos homens maduros, confiáveis e responsáveis.

Ainda que timidamente, as novas gerações estão transformando suas relações com a paternidade e maternidade. Enquanto nossos pais e avós viveram uma paternidade um pouco mais distante da rotina de cuidados com os filhos, hoje, muitos homens querem vivê-la de maneira presente e constante, assim como as mães. A minha experiência pessoal foi de viver a gravidez da minha esposa ao lado dela, participando de maneira ativa das escolhas que fizemos, de todo o processo de mudança e transformações que tivemos que viver para receber nossa filha.

A gestação foi um período de preparação para ambos, não apenas para minha esposa. Durante a amamentação e puerpério – nome dado a fase pós-parto em que a recém-mãe experimenta modificações físicas e psíquicas - eu também estive presente, por mais que sendo homem eu não pudesse oferecer  leite a minha filha, eu estava acordado a cada mamada, trocando as fraldas, pondo para arrotar, dando banho, fornecendo o que quer que fosse para que as duas estivessem bem e saudáveis. Tenho certeza que a minha decisão, participação e experiência reflete uma mudança importante de comportamento de toda uma geração.

Os papéis culturais estão se transformando. Hoje a minha filha tem pouco mais de um ano e eu e a minha esposa dividimos igualmente os cuidados em relação a ela, eu particularmente, faço questão de estar presente na consulta com o pediatra, dedicar tempo diário à minha filha, estar presente nas decisões importantes, ter cuidado e carinho para fazer escolhas por ela. A partir do momento que eu me tornei pai eu entendi de forma mais clara o quanto era importante transformar também a minha relação com o trabalho.

Do ponto de vista da produtividade, precisei aprender a fazer mais em menos tempo. Afinal, madrugar no escritório se tornou algo impensável e me obrigo a chegar em casa todos os dias antes dela estar dormindo. Ao mesmo tempo, eu ainda preciso entregar resultados para a empresa e tenho metas escaláveis e agressivas para cumprir. Portanto, a produtividade se tornou o fio condutor do meu dia a dia. Evito ao máximo perder tempo com o que não é realmente importante. Entendi que o resultado e a conclusão dos projetos fazem mais sentido do que o tempo que você passa no escritório.

A organização e o planejamento também se tornaram algo obrigatório, tanto no trabalho quanto em casa. Cumprir os horários à risca, ser proativo frente aos desafios, fazer as coisas com antecedência, planejar e executar o planejamento, se tornaram parte do meu dia a dia. Um filho nos mostra o quanto não temos controle sobre nada. Os imprevistos são inerentes. Eles acontecem sempre e, por menores que possam parecer, são capazes de colocar tudo de pernas para o ar.

Também aprendi a compartilhar melhor o meu trabalho com a equipe. Todos precisam estar preparados para me substituir a qualquer momento. As coisas não podem depender de mim e, prepará-los para esse desafio, é uma responsabilidade minha. Aprendi a importância de ser um líder que delega e que prepara os funcionários para esses momentos de ausência. O mesmo deve acontecer em casa. Algumas tarefas domésticas precisam ser executadas por outras pessoas de confiança nos momentos em que os compromissos de trabalho são inadiáveis. Quando bem administrado, tudo funciona.

Sempre percebi muita compreensão das pessoas quando precisei desmarcar compromissos na última hora. Isso foi algo que me surpreendeu positivamente. A maioria dos profissionais, sejam clientes, parceiros ou candidatos que entrevisto, também tem filhos e vivem os mesmos dilemas. Desde que as entregas estejam sendo feitas com qualidade, tudo flui. As pessoas entendem que você tem responsabilidade sobre a vida de alguém e que isso é algo grandioso e inegociável.

E, apesar de todos os percalços da paternidade, minhas ambições de carreira não mudaram em absolutamente nada. Eu ainda desejo conquistar os mesmos objetivos profissionais, ainda me interesso pelos mesmos projetos e me dedico às minhas metas com a mesma garra e empenho. A paternidade, assim como a maternidade, só exigem uma boa dose de planejamento e força de vontade. No final, tudo sempre acaba bem e no final do dia, independentemente de como tenha sido os desafios do meu trabalho, ao chegar em casa e ver minha filha correndo em minha direção com um sorriso largo no rosto, é algo que me recarrega e me mostra que todo o meu esforço e adaptação são retribuídos nesse único instante.

*Marcelo Olivieri é bacharel em psicologia e possui MBA em Gestão Estratégica. Com mais de 10 anos de experiência no recrutamento especializado nas áreas de marketing e vendas, Olivieri é headhunter diretor da Trend Recruitment.

terça-feira, 30 de julho de 2019

Atividades físicas: cuidado com as lesões articulares

Redação

A prática de atividades físicas traz muitos benefícios ao corpo, pois melhora o condicionamento cardiopulmonar e muscular, reduz o risco de doenças cardíacas e metabólicas, além de aumentar a disposição e reduzir o estresse. Porém, independente da modalidade escolhida, é necessário acompanhamento médico, para evitar lesões, entre elas, as articulares, segundo o ortopedista especializado em cirurgia de joelho do HCor- SP, Márcio de Castro Ferreira.

"A corrida, por exemplo, aumenta o impacto nas articulações, principalmente, dos joelhos, tornozelos e quadril", comenta o ortopedista Márcio de Castro Ferreira | Foto: reprodução
"Então, as atividades físicas exigem preparo e capacidade do corpo, de acordo com a modalidade escolhida. A corrida, por exemplo, aumenta o impacto nas articulações, principalmente dos joelhos, tornozelos e quadril, as quais recebem uma sobrecarga maior, quando comparada a uma atividade normal do dia a dia", explica Ferreira.

As articulações são revestidas por uma fina camada de proteção, chamada cartilagem. Esta estrutura serve tanto para absorver o impacto quanto para minimizar o atrito durante o deslocamento dos ossos. Com a sobrecarga constante da cartilagem, ocorre danos nas células que produzem o seu equilíbrio, o que resulta em desequilíbrio e degradação da mesma.

"Esse tipo de lesão começa em fases microscópicas, não detectadas em exames radiográficos. Desta forma, o corpo vai sofrendo com o tempo e quando aparecem os sintomas a deterioração já ocorreu. Por isso, a prevenção da cartilagem é o melhor caminho a ser seguido", destaca o ortopedista.

Para auxiliar na prevenção dos danos às articulações, recomenda-se consultar um médico para identificação das possíveis causas que possam contribuir para a sobrecarga articular, assim como a utilização de suplementos que auxiliem na proteção da cartilagem que é comumente desgastada pelo envelhecimento normal do ser humano e também potencializada pela prática de atividades físicas, principalmente as atividades de impacto. Nestas situações, o suplemento mais indicado é o Peptídeo de colágeno, como explica o especialista do HCor.

"O peptídeo de colágeno oferece ao esportista duas soluções importantes: auxílio na prevenção, aumentando a longevidade da articulação em pessoas que não tem lesão e/ou em pessoas que já tem a lesão instalada, melhorando sua qualidade de vida. A segunda contribuição é no auxílio da melhora sintomática tanto em pessoas com lesões articulares como naqueles praticantes de atividade física, sem doença osteoarticular, que sentem dor ao praticá-las", comenta Ferreira.

Praticar atividades físicas é muito importante, mas é essencial realizar essa prática da forma correta e segura para a saúde do corpo e das articulações. Por isso, antes de iniciar uma rotina de atividade física ativa é fundamental buscar orientação médica.

Evento beneficente angaria verba para a Casa Ronald McDonald ABC

Redação 

Na próxima segunda-feira (5), às 14 horas, a empresária Helena Laura Pavani realizará um Chá da Tarde Beneficente em prol da Casa Ronald McDonald ABC. O evento acontecerá no Espaço Glass (Rua Calábria, 116,  Parque Novo Oratório), em Santo André.

 A Casa Ronald McDonald ABC oferece apoio às pessoas que fazem tratamento para o câncer | Foto: reprodução 

Na ocasião, haverá o workshop Afinal de contas é bom improvisar?, ministrado pela psiquiatra forense, Lícia Milena de Oliveira.  Os convites estão à venda, com direito a um tíquete de Big Mac - para ser usado dia 24 de agosto no McDia Feliz 2019 - e podem sem adquiridos até 2 de agosto, por meio do telefone (11) 98362-5006.

A Casa Ronald McDonald ABC faz parte do Programa Casa Ronald McDonald, coordenado pelo Instituto Ronald McDonald no Brasil, que atualmente atende 23 hóspedes de zero a 20 anos de idade, acompanhados por um responsável, vindos dos mais diversos lugares do País em busca de tratamento para o câncer. No local contam com hospedagem, alimentação, transporte e apoio psicossocial gratuitos durante toda a estadia.

Nutricionista cita alimentos que são aliados da beleza

Pele hidratada, cabelos sedosos e unhas fortalecidas estão diretamente ligadas à qualidade da alimentação. Não adianta fazer tratamentos estéticos específicos, se não ingerir uma alimentação rica em nutrientes. Por isso, a nutricionista Gabriela Forte, do Espaço Volpi, listou alimentos que são aliados da beleza.

Frutas cítricas são fontes de Vitamina C e auxiliam na formação de fibras musculares | Foto: Shutterstock 

• Uva roxa, frutas vermelhas e ameixas: riquíssimos em antioxidante. Consumo de polifenóis depois das proteínas;

• Pimenta, cacau e gengibre: alimentos com resposta termogênica efetiva, que ajudam a manter o trabalho de atividade metabólica positiva e auxiliam no equilíbrio de peso corporal;

• Banana, batata doce e abacate são alimentos ricos em potássio, importantes para o equilíbrio dos líquidos internos, que ajudam quem tem problema com a celulite e flacidez;

• Frutas cítricas: ricos em Vitamina C, muito importante para a formação de fibras musculares, que ajuda na melhoria de concentração de colágeno e tem uma ação de fotoproteção;

• Alimentos com enxofre como brócolis, couve-flor ou repolho são significativos para a formação de queratina e tem um retorno positivo para o controle da acne;

• Vitamina E: amêndoas, avelã e couve são importantes para a melhoria na qualidade da pele;

•Peixe de água gelada, oleaginosas e sementes de linhaça: ricos em ômega 3, fundamentais para a pele acneica e a saúde intestinal. Dica importante - a capinha que protege a semente de linhaça impede a absorção intestinal da substância corretamente, então o ideal é triturar a semente e guardar em saquinhos ou potes no freezer e no dia a dia vai usando e batendo com suco, jogando por cima de uma salada. Ao armazenar no freezer, ela não perde a ação antioxidante, que é muito importante e o ômega 3 também não oxida;

• Basta uma castanha do pará por dia para que se tenha uma resposta efetiva de concentração de selênio interna. É importante como ação antioxidante, que vai auxiliar na proteção do envelhecimento celular e que também traz uma resposta antiflacidez em conjunto com a parte cosmética;

• Alimentos que dão resultados efetivos em relação a concentração de ferro. Muito importante para diversas atividades metabólicas que acontecem no nosso organismo. Principalmente para o equilíbrio e controle dos glóbulos vermelhos, que permitem a oxigenação e circulação sanguínea trabalhando de uma forma eficiente. Tudo isso através do consumo normal de carnes vermelhas, mariscos e gema do ovo.

Apesar de os cosméticos conseguirem complementar a necessidade diária de cada vitamina e substância, o que vem da alimentação vem de uma forma muito mais potente na hora da absorção. Então, a biodisponibilidade das vitaminas e minerais na hora da absorção intestinal vindas de alimentos são muito mais positivas do que as de cosméticos. Desta forma, é muito importante que as duas coisas andem juntas.

Disfunção cognitiva é indício importante de esclerose múltipla

Redação

Segundo dados da National Multiple Sclerosis Society, entidade americana dedicada a estudar e difundir pesquisas sobre a esclerose múltipla, mais da metade de todas as pessoas com esclerose múltipla poderão desenvolver problemas com a cognição. Aliás, esse pode ter sido, inclusive, o primeiro sintoma de esclerose nos portadores da doença. Apesar de não ter cura, o diagnóstico precoce é o maior aliado do paciente, já que com o tratamento, a evolução da doença pode ser controlada, garantindo uma vida social mais ativa.

Cognição refere-se a uma gama de funções cerebrais de alto nível, entre elas, a capacidade de aprender e lembrar informações, organizar, planejar e resolver problemas | Foto: reprodução

Cognição refere-se a uma gama de funções cerebrais de alto nível, incluindo, mas não limitado a capacidade de aprender e lembrar informações, organizar, planejar e resolver problemas, concentrar, manter e desviar a atenção, entender e usar a linguagem, perceber com precisão o ambiente e realizar cálculos.

A neurocientista e neuropsicóloga Carina Spedo trabalha justamente na identificação precoce da disfunção cognitiva e neuropsiquiátrica dos pacientes e no diagnóstico precoce/progressão da esclerose múltipla, bem como dos aspectos relacionados a empregabilidade e reabilitação neuropsicológica da doença.

"Combinando a clínica, exames de imagem tradicionais e exames neuropsicológicos, é possível avançarmos no diagnóstico precoce, garantindo melhor qualidade de vida para os pacientes – dado que hoje temos à disposição tratamentos transformadores do curso natural da doença", afirma Carina.

Nas doenças desmielinizantes, como é o caso da esclerose múltipla, as lesões cerebrais características podem ser sutis no primeiro momento, e o paciente pode não apresentar qualquer comprometimento físico e motor, porém, é possível que já haja algum prejuízo cognitivo. Alguns sinais podem ser alterações de humor, diminuição da velocidade de processamento de informações, falta de atenção/memória, e habilidade reduzida de recordar sequências numéricas e organizar materiais. Esses sinais são geralmente imperceptíveis por grande parte dos pacientes e familiares, principalmente no início da doença.

Como exemplo, a neuropsicóloga citou um estudo brasileiro, com 35 pacientes com menos de três anos de doença e quase sem incapacidade, no qual o teste cognitivo mostrou ser uma característica mais significativa da presença de esclerose múltipla. Os problemas cognitivos não são diretamente relacionados as outras características da doença – o que significa que alguns indivíduos podem apresentar limitações físicas/ motoras, mas sem qualquer comprometimento cognitivo, e vice e versa.

De acordo com Carina, apesar do comprometimento cognitivo na esclerose múltipla possuir taxas de prevalência de 43% a 70% e ser importante aliado no diagnóstico precoce e qualidade de vida para o paciente, mais estudos se fazem necessários.

"Avançamos a um ponto em que não precisamos de uma bateria extensa de exames neuropsicológicos. Protocolos de triagem enxutos, simples e direcionados colaboram atualmente para o auxílio diagnóstico da esclerose múltipla. Devemos avançar com essa abordagem, pois quem ganha é sempre o paciente", conclui a neuropsicóloga.

O reconhecimento, avaliação e tratamento precoces são importantes, porque as alterações cognitivas – juntamente com a fadiga – podem afetar significativamente a qualidade de vida, relacionamentos, atividades e o emprego de uma pessoa. Os primeiros sinais de disfunção cognitiva podem ser sutis – quando notados, primeiro pode ser pela pessoa com esclerose múltipla, ou por um membro da família ou colega. Geralmente, a fadiga, as dificuldades cognitivas e emocionais podem acometer o emprego, o desempenho de certas atividades sociais e diárias. Esses podem ser os primeiros indícios de que é necessário buscar também por tratamento não medicamentoso e conversar com o empregador sobre a possibilidade de obter ajustes no emprego.

Esclerose múltipla
A esclerose múltipla é uma doença autoimune, na qual os anticorpos atacam o sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal). A doença é caracterizada por um processo de inflamação crônica que pode causar desde problemas momentâneos de visão, falta de equilíbrio até sintomas mais graves, como cegueira e paralisia completa dos membros.

Então, a doença está relacionada à destruição da mielina – membrana que envolve as fibras nervosas responsáveis pela condução dos impulsos elétricos do cérebro, medula espinhal e nervos ópticos. A perda da mielina pode dificultar e até mesmo interromper a transmissão de impulsos nervosos. A inflamação pode atingir diferentes partes do sistema nervoso, provocando sintomas distintos, que podem ser leves ou severos, sem hora certa para aparecer.

A doença geralmente surge sob a forma de surtos recorrentes, sintomas neurológicos que duram ao menos um dia. A maioria dos pacientes diagnosticados são jovens, entre 20 e 40 anos, o que resulta em um impacto pessoal, social e econômico considerável por ser uma fase extremamente ativa do ser humano.

Já a progressão, gravidade e especificidade dos sintomas são imprevisíveis e variam de uma pessoa para outra. Algumas são minimamente afetadas, enquanto outras sofrem rápida progressão até a incapacidade total. É uma doença degenerativa, que progride quando não tratada. É senso comum entre a classe médica que para controlar os sintomas e reduzir a progressão da doença, o diagnóstico e o tratamento precoce são essenciais.

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Bistrô 558 passa a sediar festas de casamento

Redação

Casamento, sonhos e orçamento, geralmente, precisam andar de mãos dadas para o grande dia. Porém, o mais importante é que a cerimônia e a festa sejam “a cara dos noivos”. Para concretizar essa experiência, o empresário e chef Melchior Neto se uniu a Jet Set, sob o comando de Denise Mendes, e elaboraram um miniwedding no  Bistrô 558, em Santo André.

Local tem capacidade para receber miniwedding com até 60 pessoas | Foto: divulgação 

A parceria realiza a cerimônia, decoração, alta gastronomia e festa no buffet a preços acessíveis, primando pelo serviço de alto padrão. Pelo tamanho reduzido, os detalhes são cuidadosamente elaborados para que casal e os convidados se sintam parte de um momento totalmente especial.

O local oferece dois tipos de serviço, um para até 40 pessoas, reservando parte do restaurante ou para até 60 pessoas, com reserva do local inteiro. Denise informa que “só com o que se economiza na decoração em uma festa assim, já se consegue direcionar atenção especial ao cardápio”.

Já o chef concorda sobre os cuidados em um minicasamento: “Cozinhar para 60 pessoas é diferente do que para 500. Com o número menor consigo atender aos pedidos especiais dos veganos e alérgicos, por exemplo, como também adquirir os melhores produtos possíveis para que o menu atenda a todos com capricho”.

Para os interessados, o serviço já está disponível, basta entrar em contato com a produtora Jet Set Eventos, no telefone 11 94718-6070 ou e-mail denisemendes@jetseteventos.com.br.

Agosto dourado: amamentação do bebê prematuro deve ser incentivada

Redação

Desde 2017, agosto é considerado o mês do aleitamento materno, também conhecido como Agosto Dourado. O dourado faz alusão à definição da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o leite materno: alimento que vale ouro para a saúde dos bebês. Não por coincidência, a Semana Mundial de Aleitamento Materno de 2019 acontece entre 1º e 7 de agosto com o slogan "Capacite os pais e permita a amamentação, agora e no futuro!". Além disso, a  Associação Brasileira de Pais e Familiares de Bebês Prematuros - ONG Prematuridade.com reforça ainda o papel essencial que a amamentação e o leite materno têm para a saúde dos prematuros.

Theo nasceu prematuro com 24 semanas e 800 gramas, então, nos primeiros dias recebia o leite materno, por meio de uma sonda | Foto: divulgação

Mesmo a amamentação sendo uma grande aliada da saúde da criança devido aos seus inúmeros benefícios multifuncionais, que além de nutrição tem grande poder de prevenir doenças, de acordo com dados da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), as taxas mundiais de aleitamento materno ainda estão muito abaixo do ideal. A cada três crianças nascidas no mundo, duas não são alimentadas exclusivamente com leite materno até os seis meses. Porém, quando se trata de bebês prematuros, as dificuldades são ainda maiores.

Hoje, a prematuridade é a principal causa de mortalidade infantil no Brasil. O país é 10º no ranking mundial da prematuridade onde mais de 12% dos partos realizados são de prematuros. Então, a ONG Prematuridade.com reforça ainda que a amamentação influencia a qualidade de vida durante a primeira infância até a fase adulta, pois pode evitar doenças como diabetes e hipertensão, entre outras.

O leite materno das mães de prematuros é diferente do leite produzido pelas mães de bebês que nascem a termo, principalmente no que diz respeito à quantidade de proteínas, calorias e fatores de proteção da imunidade. A amamentação do prematuro, além de fortalecer o vínculo mãe-filho, muitas vezes abalado por longas permanências na UTI Neonatal, é responsável por favorecer a maturação gastrintestinal e aumentar o desempenho neuropsicomotor dessas crianças.

A diretora executiva da ONG Prematuridade.com, Denise Suguitani, acredita que a amamentação de recém-nascidos prematuros é um desafio que exige muita dedicação e paciência por parte tanto das famílias, e aqui logicamente a mãe tem papel principal, quanto dos profissionais de saúde. "Todos, família e profissionais, precisam estar afetivamente disponíveis para que o aleitamento do prematuro aconteça, e isso significa empatia, doação de tempo, não desistir e realmente acreditar na importância daquele ato", afirma Denise.

Já o professor (IBCLC e UFRJ) Marcus Renato de Carvalho, editor do portal aleitamento.com, explica que o método canguru também pode ser aplicado nesta fase, aumentando ainda mais o vínculo da mãe com o bebê prematuro. "O cuidado mãe-canguru possibilita que o recém-nascido prematuro possa ser amamentado. Na impossibilidade, o contato pele-a-pele permite que a mãe produza mais leite e que o aleitamento materno seja possível de alguma maneira", explica.

Mãe do Theo, que nasceu prematuro com 24 semanas e 800 gramas, a arquiteta de 42 anos, Cândida Damasio, conta que sua gestação aconteceu de forma tranquila, mas que uma infecção assintomática, acelerou o parto. Cândida conta que no começo tinha pouco leite, tanto pelo parto no sexto mês de gravidez, quanto pelo choque do parto prematuro. Ela explica que ainda durante a internação, extraia o pouco colostro produzido com uma bombinha e que depois de sua alta, continuou a extração do leite materno na Sala de Coleta do hospital, de três em três horas, todos os dias.

Por muitas vezes ela teve vontade de desistir pelo desgaste da situação, por ainda produzir pouco leite e não poder amamentá-lo no colo, mas seguiu firme. Mesmo após várias complicações comuns aos prematuros, e com a perseverança na mãe, o Theo começou a receber o leite por meio de uma sonda especial, até que conseguiu sugar o peito da mãe com a ajuda da equipe de saúde da UTI neonatal, 93 dias depois do nascimento.

"Quem não está familiarizado com o universo da prematuridade, não tem a dimensão real das batalhas diárias que enfrentam os bebês e os pais de prematuros. É como vivenciar o stress de uma guerra, já que todos os dias acontecem pequenas intercorrências que nos assustam", comenta Cândida. Theo ficou quase cinco meses na UTI neonatal, mas continuava a ser amamentado pela mãe e, à noite, com a ajuda das enfermeiras, com o complemento de fórmula na mamadeira para ajudar na demanda necessária ao bebê. Em casa, ele foi amamentado pela mãe de três em três horas até os nove meses.

Para ajudar as mãe de prematuros na importante etapa da amamentação, a ONG Prematuridade listou dez dicas para o aleitamento materno de bebês pré-termo (prematuros):

1. Apesar de nem tudo correr como planejado, é preciso estar calma e ser perseverante, para que o bebê prematuro possa usufruir todos os benefícios da amamentação e se desenvolva com mais saúde.

2. As mamães não podem se esquecer da qualidade de sua alimentação, pois o bebê vai necessitar de gorduras, proteínas e outros componentes do leite. Então, é importante manter uma alimentação saudável. Também não se esqueça de beber muita água, no mínimo 2 litros por dia!

3. Tão logo seja possível, a equipe de profissionais de saúde deve estimular a mama da mãe, extraindo o colostro, de preferência nas primeiras 24 horas após o parto.

4. A ordenha pode ser feita com as mãos (solicite ajuda de um profissional na primeira ordenha e sempre que necessário) ou com uma bombinha (manual ou elétrica). Não tenha vergonha de procurar ajuda.

5. Faça a extração do leite com uma frequência aproximada de 3/3 horas, de seis a oito vezes por dia. No começo, a quantidade de leite que sai pode parecer pequena, mas não desista. Mantenha a ordenha do leite - quanto mais você ordenhar, mais leite vai produzir!

6. Tente não ficar mais de seis horas sem tirar leite. Quanto mais regulares forem as ordenhas, maior será a produção.

7. Já é possível encontrar bombinhas elétricas para comprar ou alugar, visando facilitar a retirada do leite em casa após a alta. Informe-se no próprio hospital.

8. Para os prematuros que não têm condições de sugar adequadamente, a equipe de saúde deve orientar sobre qual a melhor forma de oferecer o leite materno por outras vias: sonda, seringa ou copinho.

9. Com o passar dos dias, à medida que desenvolve os reflexos naturais de sucção e de deglutição, o bebê fica apto a alimentar-se por via oral. Daí cabe à equipe da UTI Neonatal avaliar a viabilidade do início da amamentação.

10. Já em casa, amamente exclusivamente, evite o uso de mamadeiras e chupetas. Se precisar sair de casa sem o bebê, peça para alguém oferecer seu leite ao bebê utilizando um copinho.

Especialista explica a maneira adequada para ajudar os filhos na lição de casa

Redação

Muitos pais têm dúvidas sobre como ajudar os filhos na tarefa de casa.  Para a orientadora do ensino fundamental I do Colégio Franciscano Pio XII, Cristiane Teixeira, é importante que a família valorize a lição de casa do filho, além de incentivá-la, no sentido de criar ambiente e rotinas favoráveis para isso.

"A família motiva a criança ao oferecer, por exemplo, um ambiente adequado para a lição", comenta a orientadora Cristiane Teixeira | Foto: iStock

“A família motiva a criança ao oferecer, por exemplo, um ambiente adequado para a lição, bem como ajuda com a organização do horário mais adequado para a tarefa”, afirma a orientadora Cristiane.

Então, é importante a família acreditar e confiar na instituição e no que ela propõe para a aprendizagem. Além disso, a orientadora explica a importância da participação dos pais neste momento de estudo.

Cristiane, porém, faz um alerta: os pais não devem fazer o papel do professor. “Há questões que envolvem o conceito da matéria e estratégias de ensino. A família deve se posicionar frente à lição no sentido de motivar, e não de ensinar o conteúdo”.

Ela destaca que é importante desenvolver nos alunos a autonomia e o hábito de estudar diariamente, e que os pais são parceiros na construção do aprendizado da criança.

“O grande objetivo das tarefas é a consolidação do conteúdo. Mas é preciso que a criança se perceba enquanto estudante para que desenvolva seu próprio método de estudo e aprimore seu desempenho. Esse é o caminho para a maturidade nos anos escolares seguintes”, finaliza Cristiane.

Pressão para que filhos alcancem perfeição pode prejudicar desenvolvimento

Redação

Quando as pessoas descobrem que serão pais, um turbilhão de ideias passa por suas cabeças. No entanto, nem sempre os filhos atendem às expectativas dos pais e os motivos são simples: são pessoas diferentes. O problema é que, muitas vezes quando isso acontece, a relação com os filhos pode ficar estremecida, pois muitos pais não possuem maturidade para lidar com os filhos considerados por eles imperfeitos. Assim, a psicoterapeuta e autora do livro Pais Imaturos, Filhos Deprimidos e Inseguros, Tania Queiroz, comenta esta situação.

Para a psicoterapeuta Tania Queiroz, os pais devem fazer uma autoavaliação e refletir sobre a forma como estão gerando expectativas sobre os filhos | Foto: Freepik
"Os pais planejam a vida dos filhos desde o nascimento. Querem que sejam bonitos, inteligentes, magros, obedientes, que estudem, trabalhem, namorem, casem e sejam ricos. Quando um filho pratica automutilação, usa drogas, tem uma orientação sexual diferente da esperada, engorda, engravida e sonha em ter uma profissão não muito rentável, é o caos", comenta Tania.

Inconscientemente, muitos pais projetam nos filhos o que não conseguiram realizar em suas próprias vidas. “A pressão pela perfeição pode prejudicar crianças e jovens. Muitos desenvolvem o medo de fracassar, baixa autoestima, depressão, ficam ansiosos, tristes e começam a cobrar esta perfeição de si próprios”, diz a psicoterapeuta.

Para Tania, os pais deveriam fazer uma autoavaliação e refletir sobre a forma como estão gerando expectativas sobre os filhos e mensurar as consequências de suas atitudes ou da falta delas. Desta forma seria possível operar as mudanças necessárias de maneira a garantir uma educação de qualidade, estabelecendo um vínculo emocional e não apenas material, aceitando suas imperfeições e escolhas.

Segundo a psicoterapeuta, a busca dessa perfeição dentro de valores rígidos tem destruído milhares de jovens que, quando não conseguem ser o que os pais sonharam e planejaram, ficam confusos, estressados, sem recursos emocionais e psicológicos adequados e alguns chegam a até tentar o suicídio.

"É preciso aceitar a realidade tal qual se apresenta bem diante do nosso nariz e resgatar a tolerância à frustração e à dor, aos problemas inerentes à existência humana que nos fazem amadurecer. É hora de aprendermos a lidar com os problemas reais dos nossos filhos" finaliza a escritora.

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Batom caseiro vegano: saiba como fazer

As autoras do Guia Completo da Beleza Feita em Casa (Editora Alaúde), Sunny Subramanian e Chrystle Fiedler, desenvolveram uma receita de batom simples e fácil de fazer em casa e ainda por cima vegano! Veja a receita abaixo:
 
Produto tem validade de seis meses | Foto: divulgação

Ingredientes

2 latinhas ou tubos para protetor labial;
1 colher (chá) de manteiga de karité (veja o aviso abaixo) ou de manteiga de cacau ralada;
1 colher (chá) de azeite de oliva, óleo de jojoba, de amêndoas doces ou de coco;
3⁄4 de colher (chá) de cera de candelila;
1 colher (chá) de mica em pó rosa ou vermelha;
3 a 5 gotas de óleo essencial de hortelã-pimenta.

Modo de preparo
1. Numa tigela ou copo medidor refratário de vidro, misture a manteiga de karité, o azeite de oliva e a cera de candelila. Leve ao micro-ondas em potência alta, interrompendo para mexer a cada 10 segundos, até que os ingredientes derretam e fiquem completamente homogêneos. (O tempo total depende da potência do aparelho.)
2. Acrescente a mica em pó e o óleo essencial. Mexa para mesclar bem. Passe imediatamente para os tubinhos. Leve à geladeira por 30 minutos ou até que esfriem e endureçam por completo.
3. Aplique nos lábios quantas vezes quiser.
4. Mantenha em temperatura ambiente por até 6 meses. Atenção: Tem alergia a oleaginosas? Consulte o médico antes de usar manteiga de karité.

Dica
Se quiser, pode aumentar a quantidade de mica rosa ou vermelha até, no máximo, 1 colher (sopa) para obter uma cor mais intensa.


O conceito de medo

*Por Fabiano de Abreu

A primeira coisa que penso em relação ao medo é o fato dele ser uma emoção e não um sentimento. O sentimento é o resultado de uma emoção, ou seja, o medo pode ser primário quando é emoção e transformar-se em secundário ao tornar-se sentimento e daí surgirem síndromes como do pânico que levam a fobias, TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada).

"O medo está constantemente presente nas nossas vidas. A diferença é como o dosamos na nossa existência", avalia o filósofo Abreu | Foto: reprodução

Os dois lados do medo
O lado positivo do medo é que ele e a dor preservam a vida, são essenciais. Por isso temos que definir bem o tipo de medo e o peso dele nas nossas vidas, mas se o medo atrapalha ou dificulta as nossas decisões e torna-se um obstáculo para a conquista, eu penso numa receita prática para que possa lidar com ele ou vencê-lo.

O medo é positivo quando o medo nos protege de tragédias ou algo que vá nos fazer mal. Negativo quando ele nos impede de conquistar ou seguir adiante.

O medo está constantemente presente nas nossas vidas. A diferença é como o dosamos na nossa existência.

A morte
Penso que o medo está relacionado diretamente a morte. É como se a morte fosse o medo maior e todos os outros provêm dele. Se não existisse a morte, existiriam mais chances, mais tempo e com isso mais oportunidades. As consequências estão ligadas ao bem-estar e à saúde, que tem como consequência atrasar a morte.

Então eu pensava na morte de uma maneira diferente, como um motivo para não temer a vida. Se não temo a vida, logo tenho que colher os seus frutos. Logo tenho que realizar ações que me deem resultado antes que seja tarde.

Vença o medo colocando a razão à serviço da emoção
Temos sempre que definir bem o tipo de medo e as suas consequências. Se o medo preserva-me da morte e as suas chances são grandes, vale a pena arriscar? Mas se o medo o impede de seguir adiante para as suas conquistas, vale a pena ter medo? Por isso devemos utilizar a inteligência emocional, para medir a razão referente ao medo para que possamos controlar e regular isso de maneira benéfica a vida. Colocar a razão a serviço da emoção.

Vencemos o medo quando trabalhamos a nossa inteligência emocional a favor da razão. Eu costumo utilizar de estratégias reversas. Eu era e sou uma pessoa tímida, tinha os meus medos.

Então eu pensava que a vida é tão curta, logo se eu tiver medo e emperrar, não saberei o resultado. E a razão fará com que você ultrapasse o medo.

Especialista fala sobre sensibilidade nos dentes, problema mais comum no inverno

Redação

A diferença drástica entre a temperatura do corpo humano, entre 36°C e 37°C, e do ambiente, que costuma ficar entre 10°C e 15°C durante o inverno, ou até menos em algumas regiões, pode ocasionar uma sensação de incômodo e dor nos dentes. Isso ocorre pelo resfriamento do esmalte, seguido da dentina, até atingir a polpa dentária (canal), uma área cheia de terminações nervosas, conforme explica o cirurgião-dentista e sócio-diretor do Grupo Ateliê Oral, Marcelo Kyrillos.

Outro fator que pode contribuir para um incomodo nos dentes superiores é a sinusite | Foto: divulgação 

"Essas terminações são rapidamente sensibilizadas pelo frio, que reagem transmitindo o impulso nervoso, que gera a sensação de dor", detalha Kyrillos. Segundo o especialista, qualquer pessoa pode estar suscetível a essa sensação de aumento da dor de dente na época mais gelada do ano, mas ela é mais frequente para quem respira pela boca, bem como naqueles que já sofrem de sensibilidade dentária.

"Há algumas opções de tratamentos para quem tem os dentes mais sensíveis, desde os mais simples aos mais avançados, como a fluorterapia, laserterapia, entre outros. Somente depois de um diagnóstico realizado por um profissional será possível conhecer o tratamento mais indicado", comenta o cirurgião-dentista.

Uma boa dica para não correr o risco de ter sensibilidade é evitar os agentes causadores. "Consumir menos alimentos ácidos, como laranja, limão, vinho, utilizar uma escova macia e não aplicar muita força na hora da escovação, a fim de agredir menos a gengiva pode ajudar bastante", recomenda Kyrillos.

Algum problema bucal, que deixe a dentina exposta ou sensível, como uma cárie mais severa ou outro tipo de trauma pode desencadear a dor de dente causada pelo ar frio.  "O primordial é descobrir o fator causador da sensibilidade para tratar o problema. Se for cárie, é preciso fazer uma restauração; se for fratura, arrumar o dente. No caso de retração gengival, conversar com o dentista para avaliar o melhor tratamento. Hoje também existem no mercado pastas para dentes sensíveis. Esses cremes preenchem os túbulos dentinários, ou bloqueiam a ação do nervo", relata Kyrillos.

Frio, sinusite e dor 
Outro fator que pode contribuir para um incomodo nos dentes superiores é a sinusite. Por estarem ligadas ao seio maxilar, as raízes dos dentes molares e pré-molares são afetadas sempre que a sinusite se manifesta, provocando um incômodo muito parecido com a dor de dente. O especialista explica que a dor é passageira e específica de uma situação, ou seja, assim que as causas sumirem, a dor deve ir embora junto.

Além disso, a alta incidência de gripes e resfriados no inverno - duas doenças virais que podem ser transmitidas pela boca e têm o ressecamento da cavidade oral como um de seus sintomas - interfere diretamente na saúde bucal . Para prevenir a contaminação, é recomendado não compartilhar até mesmo batons (e escovas de dente, claro!) e sempre higienizar a boca adequadamente.


É necessário pensar em um envelhecimento emocional saudável

*Por Joelma Amaku Arnold

O envelhecimento traz várias consequências para o corpo. Trata-se de um processo natural que envolve perda de musculatura, desgaste cardíaco e respiratório, além de doenças associadas, como hipertensão e problemas vasculares. No entanto, a questão emocional, que por vezes é esquecida, precisa ser levada em consideração. A interação social nesta fase da vida é primordial para um envelhecimento saudável.

"O idoso precisa ser ouvido. Ele tem muito o que compartilhar e ensinar", destaca a fisioterapeuta Joelma Amaku Arnold | Foto: divulgação

No Dia dos Avós, comemorado em 26 de julho, é pertinente refletir sobre o assunto. Muitas vezes o idoso se vê sozinho, pois a esposa ou o marido já faleceu. Perguntar como ele se sente é algo simples, mas um divisor de águas, pois a pessoa tem a oportunidade de mostrar como está passando, de compartilhar situações que possam envolver frustração e até depressão.

Por isso, o papel da família é muito importante neste momento. O envelhecimento precisa ser visto de uma maneira global, sendo necessário acompanhar o idoso emocional e fisicamente. O estímulo de um neto ou filho ao caminhar pela manhã ou de uma conversa, por exemplo, são atitudes que podem fazer uma enorme diferença.

A UnicaFisio, unidade localizada em Mogi das Cruzes (SP), gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar por meio de um contrato de gestão com a Prefeitura, oferece atendimento de fisioterapia, reabilitação e atividades físicas para pessoas com idade a partir de 60 anos.

Os benefícios desse serviço vão além da questão física e motora — exercem um papel importante na socialização dos alunos e pacientes.

Frequentemente são promovidos eventos que proporcionam o resgate social dos idosos, já que alguns não costumam sair de casa. Com essas ações, eles se veem em seu próprio universo, fazem novas amizades, trocam experiência e compartilham desafios.

O idoso precisa ser ouvido. Ele tem muito o que compartilhar e ensinar. Nesse contexto, as próprias consultas e aulas são oportunidades de interação social. Outro diferencial é que a Unidade também disponibiliza aulas de artesanato, de informática, escola da coluna e da memória, além de acompanhamento nutricional.

As projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que, em 2060, o Brasil terá mais idosos do que jovens. Isso acende o sinal de alerta. É preciso garantir uma qualidade no envelhecimento saudável por meio de políticas públicas.

Em 1940, a expectativa de vida do brasileiro era de 45 anos, agora, já ultrapassa os 70. Parte desta população está ativa. Assim, é preciso incentivar que esse idoso não fique em casa. Para isso é preciso criar oportunidades e mecanismos para atender a essa população.

Estruturas como a UnicaFisio são exemplos a serem seguidos. Nos últimos anos, por meio da criação do Estatuto do Idoso, as pessoas estão começando a se conscientizar sobre os seus direitos, o que é muito benéfico, porém temos muito a evoluir. O envelhecimento saudável precisa ser visto como prioridade do País.

*Joelma Amaku Arnold, fisioterapeuta da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar e responsável técnica pela UnicaFisio.


Prodesp e Poupatempo participam de campanha para arrecadar cabelo

Redação

A Companhia de Processamento de Dados de São Paulo (Prodesp) participou nesta quinta-feira (25), de um encontro promovido pelo Fundo Social com pacientes do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP). O evento faz parte do projeto "Solidariedade em Fios", que tem como objetivo arrecadar mechas de cabelo para confecção de próteses capilares para mulheres em tratamento contra o câncer.

De forma voluntária, funcionários dos 73 postos se mobilizaram e conseguiram arrecadar mais de 3 mil mechas de cabelo, para doações realizadas nos últimos três anos | Foto: divulgação

O Poupatempo, programa do Governo de São Paulo gerenciado pela Prodesp, aderiu à campanha e, hoje, é um dos principais parceiros. De forma voluntária, funcionários dos 73 postos se mobilizaram e conseguiram arrecadar mais de 3 mil mechas de cabelo, para doações realizadas nos últimos três anos. O engajamento foi tão intenso que muitas funcionárias se sensibilizaram e também cortaram o próprio cabelo para ajudar.

O Diretor Administrativo e Financeiro da Prodesp, Murilo Macedo, enalteceu o envolvimento dos funcionários do Poupatempo no projeto. "Tenho certeza que esse gesto de amor e carinho vai ajudar a estimular a solidariedade com o próximo e aumentar a autoestima de quem precisa", afirma.  "

No evento, foram entregues sete próteses capilares. Antes de serem doadas e implantadas nas pacientes, as mechas são tratadas e transformadas pelos cabeleireiros e auxiliares da Escola de Beleza, Estética e Bem-Estar do Fussp. A ideia é fazer com que elas tenham as mesmas características do cabelo natural das pacientes.

Além do projeto do Fundo Social, os colaboradores da Prodesp e do Poupatempo também participam de outras causas importantes, como a Campanha do Agasalho e de doação de sangue.

quinta-feira, 25 de julho de 2019

Consumo abusivo de álcool aumenta entre as mulheres

Redação

Dados inéditos do Ministério da Saúde, divulgados nesta quinta-feira (25), apontam que 17,9% da população adulta no Brasil faz uso abusivo de bebida alcoólica. O que significa um aumento de 14,7% em relação ao índice registrado no País em 2006 (15,6%). Mesmo com o percentual menor, as mulheres (11%) apresentaram maior crescimento em relação aos homens (26%), no período de 2006 a 2018. Em 2006, o percentual entre as mulheres era de 7,7% e entre os homens, 24,8%.

Em 2006, o percentual entre as mulheres que bebiam era de 7,7%, em 2018 subiu para 11%, segundo dados da pesquisa Vigitel | Foto: Freepik

Os dados são da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) de 2018, divulgados hoje (25), durante Reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), em Brasília (DF).

A pesquisa apontou ainda que o uso abusivo entre os homens é mais frequente na faixa etária de 25 a 34 anos, 34,2% e entre as mulheres nas idades de 18 a 24 anos (18%). O menor percentual entre os homens e mulheres, foram observados em pessoas com 65 anos e mais, sendo, 7,2% entre homens e 2% em mulheres. O percentual de consumo abusivo entre os brasileiros tende a diminuir com o avanço da idade, em ambos os sexos.

Para o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira: “O consumo abusivo de álcool entre as mulheres teve um aumento significativo, em decorrência da mudança de comportamento. Elas estão mais presentes no mercado de trabalho e com uma vida social mais ativa. A estratégia do Ministério da Saúde para reduzir esse aumento expressivo é melhorar a informação. Trabalhar a informação sobre os malefícios do álcool, explicar sobre o consumo regular e social mais sustentável. Entendemos que precisamos intensificar ainda mais a informação não só para esse grupo, mas para toda a população”, ressalta.

 É considerado uso abusivo de álcool, a ingestão de quatro ou mais doses entre as mulheres e cinco ou mais doses de bebidas alcoólicas entre os homens, em uma mesma ocasião, nos últimos 30 dias. O Ministério da Saúde alerta que o consumo de qualquer tipo de bebida alcoólica pode trazer danos imediatos à saúde ou a médio e longo prazo. O uso abusivo de álcool é uma pauta intersetorial e também um fator de risco que influencia negativamente dois aspectos: aumento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs); e o aumento de agravos, como acidentes e violência.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), não existe volume seguro de álcool a ser consumido, porque ele é tóxico para o organismo humano e pode provocar doenças mentais, diversos cânceres, problemas hepáticos, como a cirrose, alterações cardiovasculares, com riso de infarto e acidente vascular cerebral e a diminuição de imunidade. Além de ser responsável por episódios de violência física contra si ou contra outras pessoas.

Mortalidade
Dados inéditos de mortalidade do Ministério da Saúde apontam que 1,45% do total de óbitos ocorridos entre os anos de 2000 a 2017 estão totalmente atribuídos à ingestão abusiva de bebidas, como doença hepática alcóolica. Quando verificado o número de mortes entre os sexos, os homens morrem aproximadamente nove vezes mais do que as mulheres por causas totalmente atribuídas ao álcool. Os óbitos excluem acidentes e violências e outras causas parcialmente atribuídas.
De acordo com a OMS, em todo o mundo, mais de 3 milhões de homens e mulheres morrem todos os anos pelo uso nocivo de bebidas alcoólicas. Ao todo, 5% das doenças mundiais são causadas pelo álcool.

Ações
O Ministério da Saúde por meio da Política Nacional de Saúde Mental oferta de forma gratuita, o atendimento as pessoas que sofrem com a dependência alcoólica. Os serviços disponíveis compreendem as estratégias e diretrizes adotadas pelo País para organizar a assistência às pessoas com necessidades de tratamento e cuidados específicos em saúde mental.

Os principais atendimentos em saúde mental são realizados nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) que existem no país, onde o paciente recebe atendimento próximo da família com assistência multiprofissional e cuidado terapêutico conforme o quadro de saúde de cada paciente. Nesses locais também há possibilidade de acolhimento noturno e/ou cuidado contínuo em situações de maior complexidade.

Câncer de colo do útero: dados alarmantes pedem atenção

*Por Karina Tafner

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 80% da população mundial será acometida por pelo menos um dos tipos de HPV ao longo da vida, e mais de 630 milhões de homens e mulheres (1:10 pessoas) estão infectados. No Brasil, acredita-se que haja de 9 a 10 milhões de infectados por esse vírus e que, a cada ano, 700 mil novos casos ocorram.

"A realização de exames preventivos, como o Papanicolau, aumenta as chances de um diagnóstico precoce e de cura", ressalta a ginecologista Karine Tafner | Foto: divulgação 
Segundo o Inca, aproximadamente uma mulher morre a cada 60 minutos de câncer de colo de útero no Brasil: são 16.370 mil novos casos e 8.079 mortes a cada ano. O câncer de colo de útero é o 3º mais comum entre mulheres no Brasil. Estima-se que para cada ano do biênio 2018/2019 haverá um risco de 15,43 casos a cada 100 mil mulheres.

Diante deste cenário alarmante, é fundamental conhecer e prevenir a doença. De acordo com a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), o câncer de colo do útero tem início com alterações na região cervical chamadas de neoplasia intraepitelial cervical (NIC). Essa neoplasia no útero tem como característica um desenvolvimento lento, que sofre interferências da angiogênese do colo do útero (quando as células tumorais estimulam a formação dos novos vasos sanguíneos necessários para o fornecimento dos nutrientes essenciais para seu crescimento acelerado).

O câncer de colo do útero pode ser dos seguintes tipos: carcinoma de células escamosas, que representa 70 a 80% dos casos; adenocarcinoma, de células pequenas e o sarcoma uterino, que é um tumor formado a partir de músculos, gorduras e tecidos fibrosos. Esse tipo de câncer uterino geralmente é descoberto quando já está em um estágio avançado. A realização de exames preventivos, como o Papanicolau, aumenta as chances de um diagnóstico precoce e de cura. A colposcopia e a biópsia são exames que também podem ser realizados para o diagnóstico.

Para o tratamento do câncer de colo do útero podem ser realizados três tipos de procedimentos: cirurgia (tais como a criocirurgia, cirurgia a laser, conização, histerectomia, traquelectomia, extração pélvica ou dissecção dos linfonodos pélvicos), quimioterapia e radioterapia. A vacinação preventiva está disponível para a população pelo SUS para meninas de 9 a 14 anos. O câncer de colo de útero tem quase 100% de prevenção com vacinação, diagnóstico e tratamento.

* Karina Tafner é ginecologista e bbstetra; médica Assistente do ambulatório de Reprodução Assistida da Santa Casa (FCMSCSP); especialista em Endocrinologia Ginecológica e Reprodução Humana pela Santa Casa; Especialista em Reprodução Assistida pela Febrasgo.

Fonoaudióloga recomenda cuidados especiais com a voz durante o inverno

Redação

É comum que durante o inverno as pessoas fiquem roucas, ou sintam muita dor de garganta. Isso tem relação direta com a queda de temperatura e com o tempo seco, características típicas do período. Para ajudar na prevenção, a fonoaudióloga Liliane Lopes, que atende pelo GetNinjas, separou algumas dicas simples para cuidar da voz.

Durante o inverno, Beba bastante líquido, principalmente água, e prefira chás mornos, orienta a fonoaudióloga Liliane Lopes | Foto: Freepik

Ela explica que o frio acaba contraindo os vasos sanguíneos, o que deixa a laringe mais estreita e as cordas vocais mais apertadas, por isso, muitas pessoas ficam roucas. Confira abaixo como se prevenir de eventuais problemas:

1 - Procure poupar a voz e não falar tão alto;
2 - Não fume;
3 - Tente ficar longe do ar condicionado;
4 - Faça inalação com vaporizador, ou mesmo com uma chaleira com água quente;
5 - Evite líquidos e alimentos muito gelados ou muito quentes;
6 - Beba bastante líquido, principalmente água, e prefira chás mornos;
7 - Evite as bebidas alcoólicas e as com gás;
8 - Coma maçã;
9 - Evite consumir leite e derivados, pelo menos pela manhã.

"O que muita gente pensa é que o conhaque, por exemplo, auxilia durante o frio. Ele pode até esquentar, mas assim como qualquer outra bebida alcoólica, produz ácido clorídrico, o que é prejudicial para as cordas vocais", explica Liliane.

No caso das pessoas que trabalham com a voz, é importante fazer um acompanhamento com fonoaudiólogos para a realização de exercícios que auxiliam na conservação da voz. E, claro, o médico deve ser procurado, quando já existir algum sintoma de doença.

quarta-feira, 24 de julho de 2019

São Paulo recebe esculturas gigantes de orelhas

Redação

A partir desta quarta-feira (24), 60 esculturas gigantes de orelhas - 2,40m de altura – estarão nas ruas e praças da capital paulista. É a campanha Ear Parade SP 2019, maior evento de Arte Urbana do mundo em prol da saúde auditiva. A ação, promovida pela Fundação Otorrinolaringologia, começou em abril deste ano, quando as esculturas coloridas começaram a ser pintadas por artistas plásticos de todo o Brasil, em um grande ateliê montado no Shopping Frei Caneca.

Cuidado com a audição é o alerta da campanha, que utiliza as esculturas de orelhas gigantes | Foto: divulgação 

A Telex Soluções Auditivas é uma das patrocinadoras do evento, com as esculturas "Melodia", da artista plástica Erica Morais; e "O som do coração", pintada por Sônia Botture, conforme comenta a gerente de Varejo da empresa, Sarita Sá.

 "Com esta ação nas ruas estamos levando a mensagem da importância dos cuidados com a audição cada vez mais longe. É preciso alertar para a necessidade da prevenção antes que se perca a capacidade de ouvir bem. Para isso, a Telex oferece, inclusive, um check up auditivo gratuito", afirma Sarita.

De acordo com otorrinolaringologista Ricardo Bento, idealizador do projeto junto com a Artery Produções, a Ear Parade é uma campanha de alerta a toda sociedade. "A audição é o único sentido que está ativo o tempo todo e só nos damos conta de sua importância quando começamos a perdê-la, o que é lamentável, já que estas células, depois de mortas, não se regeneram", explica o médico.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) elegeu o combate à perda auditiva como uma das cinco prioridades da entidade para o século 21. De acordo com pesquisas, cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo, atualmente, correm riscos de ficar surdos. Justamente por isso, a OMS criou a Lancet Commission for Global Hearing Loss (Comissão Global Lancet para Perda Auditiva), a maior ação já feita na história para fomentar discussões de políticas públicas de prevenção e tratamento da surdez.

Um desses locais de instalação das esculturas será a Avenida Paulista, onde no domingo (28) haverá uma caminhada promovida pelos organizadores do evento para que os paulistanos possam conhecer melhor algumas dessas obras, em uma ação que será repleta de informações e conscientização sobre a perda auditiva. A caminhada começará às 10h – com ponto de encontro na Praça do Ciclista, no final da Paulista (Consolação) – e passará pelas 13 obras da Ear Parade que estarão à mostra ao longo da avenida. Patrocinadores, parceiros, colaboradores e embaixadores da iniciativa estarão presentes.

Além das esculturas gigantes na Avenida Paulista, outras estarão espalhadas na Praça da República, Metrô Tatuapé, Praça Vilaboim, Praça Buenos Aires, Viaduto do Chá, Hospital das Clínicas, Largo da Batata, Jardins, Pinheiros e Parque Ibirapuera.

terça-feira, 23 de julho de 2019

Especialista fala sobre a importância de desenvolver habilidades nos relacionamentos interpessoais

Redação

Podemos definir relacionamento interpessoal como a ligação, conexão ou vínculo entre duas pessoas, ou mais pessoas, dentro de um determinado contexto. Este, por sua vez, pode ser o ambiente de trabalho, familiar, social, religioso, amoroso ou educacional, por exemplo. O relacionamento interpessoal sempre muda, tudo depende do contexto em que ele está inserido. Assim, a sócia-diretora da Posiciona Educação & Desenvolvimento, Carolina Manciola, dá dicas de habilidades interpessoal.

 O respeito ao próximo é a base de todo relacionamento interpessoal, comenta a especialista Carolina Manciola | Imagem: reprodução
Isso significa que o seu modo de se relacionar no ambiente de trabalho não será igual em seu relacionamento familiar, do mesmo modo que você terá comportamentos diferentes, se estiver no meio de uma comunidade de "apenas conhecidos" ao invés de estar entre amigos mais íntimos.

"Como seres sociais, todos nós desenvolvemos algumas habilidades interpessoais desde o início da vida. No entanto, por interferência da cultura, educação e do ambiente de maneira geral, algumas dessas habilidades acabam ficando escondidas no nosso subconsciente. Colocar as que já temos em prática e aprender as demais que precisamos são as partes que requerem esforço. Mas, é um esforço que vale a pena, considerando que, na vida, assim como no trabalho, temos que nos relacionar bem com as pessoas para conseguir melhores resultados", comenta Carolina.


Autoconhecimento
Nos relacionamos com as pessoas da mesma forma com que nos relacionamos com nós mesmos. Se temos dificuldades em nos aceitar, perdoar, reconhecer nossos talentos e entender a nós mesmos, certamente teremos todas essas dificuldades com as pessoas que convivemos. Por isso, o autoconhecimento é o principal caminho para ter bons relacionamentos interpessoais.

Entenda suas emoções: cada emoção traz uma reação diferente e, se você é capaz de entendê-las, elas não são capazes de dominar sua vida. Quando você entende como cada emoção age em sua vida, você também se torna capaz de entender as emoções dos outros.

Descubra seus pontos fortes e pontos fracos: reconhecendo que você é bom em muitas coisas e falho em muitas outras. Quando você se aceita, é capaz de aceitar o outro.

Perdoe-se quando errar: seja menos crítico e entenda que você é um ser humano, e todo ser humano comete erros. Quando você é capaz de lidar com seus erros, consegue lidar com os erros das pessoas.

Entenda quais são suas necessidades nas relações: ser reconhecido, ser amado, ter atenção, ser ouvido, se expressar, ser apoiado e/ou motivado. Quando você reconhece suas necessidades, consegue reconhecer o que as pessoas querem e esperam de você.

Ame-se: essa é a regra básica para se relacionar com qualquer pessoa. O amor começa dentro. Se você não é capaz de se amar, não conseguirá transmitir esse sentimento para outra pessoa.

Aceite as diferenças: as pessoas são diferentes, têm necessidades, pensamentos e sonhos diferentes. Não existe certo e errado nas relações, e o que pode ser bom para você, pode não ser para o outro.

Habilidades interpessoais no trabalho
Dentre todos os tipos de relação, as profissionais são as mais delicadas. Isso porque, diferentemente das outras, não podemos escolher quem serão nossos colegas de trabalho, chefes, equipe e clientes. Criar bons relacionamentos profissionais é muito importante para a construção da carreira, já que problemas de relacionamento interferem na produtividade, na qualidade de vida no trabalho e na motivação. Algumas das habilidades interpessoais mais importantes para se ter no ambiente de trabalho são:

Comunicação verbal: o primeiro passo é falar sem pressa e com consideração, validando as opiniões do outro em relação às suas colocações.

Comunicação não-verbal: a linguagem corporal pode falar mais que as palavras em si. Expressões faciais, contato visual, postura, voz e gestos são alguns exemplos de comunicação não-verbal capazes de revelar as suas verdadeiras intenções, sejam elas boas ou ruins.

Ouvir: se alguém fala, os outros precisam ouvir. O ciclo da comunicação não se completa enquanto o ouvinte não decifra a mensagem.

Cordialidade: a cordialidade é algo que não pode faltar no trato com outras pessoas, ainda mais considerando um contexto de equipe.

Respeite a diversidade: assim como nós, cada pessoa tem sua origem e sua história, que merece ser sempre honrada e respeitada. Devemos sempre buscar evoluir como seres humanos e defender o respeito às diferenças sejam elas quais forem.

Mantenha o respeito: seja qual for o problema, jamais perca o respeito pelas pessoas com as quais convive, ou se deixe levar pela raiva ou pela insatisfação. O respeito ao próximo é a base de todo relacionamento interpessoal e uma prova de civilidade e humanidade.

Questionar: questionar é uma ótima maneira de começar uma conversa. Trata-se, no entanto, da qualidade dos questionamentos, que devem instigar o grupo a pensar em novas maneiras de resolver um problema.

Boas maneiras: infelizmente, uma pessoa que não tem boas maneiras é considerada menos inteligente. No mundo dos negócios isso também acontece. Portanto, saber se portar pode evitar alguns obstáculos na comunicação.

Solução de problemas: dias sem problemas para resolver são raros. Uma pessoa que tem a habilidade de resolver problemas de maneira eficiente, ou seja, identificando o problema, entendendo-o, examinando as possibilidades, propondo um sistema estratégico e colocando o plano em prática, certamente será valiosa para sua empresa.

Consciência social: estar em sintonia com as pessoas à sua volta é fundamental para desenvolver um bom trabalho.

Gerenciamento pessoal:  é importante saber controlar as suas próprias emoções.

Três erros que impedem o emagrecimento

*Por Thiago Volpi

Emagrecer parece óbvio, basta parar de comer e fazer exercícios que os resultados serão inquestionáveis. Porém, certos hábitos que são considerados inofensivos podem atrapalhar seriamente os esforços para perder peso.

Rotina deve ser ajustada de forma gradual, para o resultado ser mais eficiente, orienta Volpi | Foto: reprodução 

Segundo o Jornal Americano de Saúde Pública, somente 10% de quem deseja emagrecer conseguirá chegar ao peso ideal e, em cinco anos, 78% dessas pessoas recuperarão todo o peso novamente. Com estes dados, vou te contar os três principais erros que não deixam emagrecer e resultam no famoso efeito sanfona.

Quanto mais exercícios melhor 
Com certeza você conhece alguma pessoa que vai à academia duas vezes por dia, todos os dias da semana, acreditando que assim gastará mais calorias e gordura. A atividade física e o exercício são importantíssimos para aumentar o gasto calórico diário, porém o que realmente é mais eficiente para o emagrecimento é transformar o seu corpo em uma máquina de queimar gordura.

Isso se faz construindo um metabolismo mais rápido e a melhor forma de acelerá-lo é através de exercícios de alta intensidade. Com estes não é necessário gastar muita energia durante o treino, o mais importante são as adaptações fisiológicas que eles geram no corpo para aumentar a de gordura enquanto você faz atividades em repouso, como dormir ou ver a novela no sofá de casa. No caso do exercício físico a intensidade é mais importante que a quantidade.

Mudar todos os hábitos de uma vez só
O cérebro não foi feito para mudanças bruscas de hábitos, essas mudança tornam tudo muito pesado, consequentemente em pouco tempo você voltará a ser a mesma pessoa de antes, com os velhos hábitos que não te ajudarão a emagrecer.

Para a mudança de hábito saudável e eficaz procure ajustar a sua rotina de forma gradual. O ideal é começar com 5% a cada quatro semanas. Um exemplo é mudar uma refeição por vez e começar o exercício físico de uma a duas vezes na semana e quando você perceber que está adaptado vá aos poucos mudando outros hábitos. Assim você construirá, aos poucos, a quantidade e qualidade de hábitos saudáveis para toda a vida.

Restringir demais a alimentação
Muitos acreditam que quanto menos alimentos ingerirem mais eficiente será o emagrecimento. Engano comum, pois quando fornecem menos energia (alimento) que o corpo necessita, o metabolismo entra em um estado de emergência e gasta o mínimo de energia possível para sobreviver, consequentemente o metabolismo se torna lento e mesmo sem comer você voltará a recuperar o peso novamente.

Por isso, equilibre estes pilares do emagrecimento sempre com uma alimentação saudável e exercício físico.

*Thiago Volpi é nutrólogo e fundador do Espaço Volpi.

Livro traz a história da comunidade judaica no ABC

Redação

A Alpharrabio Livraria, em Santo André, sedia o lançamento do livro “Coragem, Trabalho e Fé: A História Da Comunidade Judaica da Região do ABC Paulista”, em 8 de agosto, das 18h30 às 21h. A obra – escrita por Anna Gedankien, Mireille Lerner e Eliza Leibruder – apresenta uma comunidade vibrante, que lutou e luta para superar diversos obstáculos na manutenção de sua cultura, crenças e tradições.

Lançamento do livro será em 8 de agosto, a partir das 18h30, na Alpharrabio Livraria | Imagem: divulgação 

Os judeus chegaram ao ABC por volta de 1920. Em meados de 1960/1970, eram cerca de 180 famílias que residiam em Santo André, 100 famílias em São Caetano do Sul e 20 em São Bernardo do Campo.

No início dos anos 2000, um grupo de memorialistas de Santo André, liderados por Anna, começou a reunir informações sobre a comunidade e suas organizações.  A maioria dos primeiros imigrantes já havia falecido e os papéis que registravam as histórias de instituições como a sinagoga e a escola, aparentemente, haviam se perdido.           
              
Então, com as dificuldades em localizar os acervos das instituições, os memorialistas saíram a campo para pesquisar. As famílias judaicas de Santo André começaram a ser visitadas em suas residências e a ideia de escrever um livro amadureceu.  O resultado deste trabalho é “Coragem, Trabalho e Fé: A História Da Comunidade Judaica da Região do ABC Paulista”. 

A Alpharrabio Livraria fica na Avenida Doutor Eduardo Monteiro, 151, no Jardim Bela Vista, em Santo André.

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Inscrições para o “Festival Mundial de Teatro Adolescente” terminam amanhã

Redação

O “Festival Mundial de Teatro Adolescente Vamos que Venimos”, realizado há mais de 10 anos em Buenos Aires (Argentina) e no Chile, terá a segunda edição brasileira, novamente, em Santo André de 21 e 25 de setembro.  Interessados em participar devem se inscrever até amanhã (23), por meio do portal do festival

“Os trabalhos podem ser para palco, rua ou espaços alternativos”, explica o membro da comissão organizadora do Festival Mundial, Paulo Gircys | Foto: divulgação

Podem participar grupos adolescentes vinculados a escolas, projetos públicos e privados, bem como grupos jovens independentes, conforme explica o coordenador do Teatro Singular e membro da comissão organizadora do Festival Mundial, Paulo Gircys.

“Os trabalhos podem ser para palco, rua ou espaços alternativos, além de espetáculos ou cenas curtas de processos em qualquer estágio”, detalha Gircys.

A principal finalidade do festival é o protagonismo adolescente, por meio do encontro, debate e incentivo à produção teatral jovem na América Latina. Serão dias de intensa troca e estímulo à pesquisa e criação adolescente, pautados pela importância da voz jovem como movimento de luta e transformação social.   

Batom: especialista explica como fazer o batom durar mais tempo na boca

Redação

Para ajudar quem deseja fugir do “pesadelo” dos batons borrados, a instrutora do curso de maquiagem do Instituto Embelleze, Rosemeire Oliveira, preparou um passo-a-passo com dicas essenciais para aumentar a durabilidade do produto na boca. Confira a seguir.

A utilização de base ou pó translúcido ajuda a criar uma camada para receber o batom | Foto: divulgação 

Antes de tudo

A boca é uma área de fácil ressecamento, principalmente em dias de inverno. Portanto, antes de pegar o batom, é importante aplicar hidratante nos lábios. Manter a hidratação ajuda a remover peles mortas e a evitar descamação – principal fator que colabora para a saída do produto dos lábios.

Uma base para o batom
A utilização de base ou pó translúcido ajuda a criar uma camada para receber o batom. Além de prolongar a fixação e disfarçar as linhas da boca, os produtos neutralizam o tom natural dos lábios e intensificam a cor que virá em seguida.

O famoso truque do contorno

Um lápis de boca da mesma cor que o batom, utilizado em movimentos firmes e precisos, ajuda a desenhar os lábios. A técnica é perfeita para quem tem dificuldade em aplicar o produto sem borrar, pois estabelece um limite de até onde a aplicação deve ir. Além de facilitar o processo, o contorno possibilita ainda mudar o formato da boca, dando a ilusão de lábios mais grossos ou finos - basta desenhar os lábios acima ou abaixo das linhas originais.

Batom
O ideal para a aplicação do batom é utilizar um pincel especial para a boca, dessa forma utiliza-se a quantidade necessária do produto. Ao contrário do que muitos pensam, usar muitas camadas do batom não é sinônimo de alta durabilidade. Evitar o excesso faz com o produto se adeque perfeitamente a boca, aumentando tanto a fixação quanto a sua duração.

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Summit Hotel Vale do Sonho & Eventos é opção para comemorar o Dia dos Pais

Redação

Quem está na dúvida sobre qual presente escolher para o Dia dos Pais (11 de agosto), uma opção é programar uma viagem ao Summit Hotel Vale do Sonho & Eventos, em Guararema, que fica a cerca de 80 quilômetros (km) de São Paulo.

Summit Hotel Vale do Sonho & Eventos fica em Guararema (SP) | Foto: divulgação

A cidade conta diversas atrações como a Ilha do Pau D'alho, Igreja de Nossa Senhora da Escada – que possui a única imagem de São Longuinho no Brasil -, o Parque Municipal da Pedra Montada, além de Centro Artesanal, passeio de trenzinho e Maria Fumaça, Orquidário e alambiques artesanais. Tudo isso sem contar o ambiente de interior e clima de tranquilidade.

Já o Summit Vale do Sonho Hotel & Eventos, além da localização privilegiada,  possui ótima estrutura. Todas as acomodações são equipadas com WiFi, banheiro privativo, frigobar, TV e ar condicionado (quente e frio), os chalés possuem sala e varanda com rede. Há também instalações especiais para quem possui alguma mobilidade reduzida, equipada com todo conforto.

A estrutura de lazer do hotel é perfeita para aproveitar o fim de semana e relaxar, conta com piscinas climatizadas para adultos e infantil, cascata, toboágua, sala de jogos e TV, quadra poliesportiva, playground, mini tirolesa, sauna e uma linda vista para o rio Paraíba do Sul.

A programação do hotel para a data especial foi preparada para agradar toda família e inclui: cortesias e descontos para os papais, monitoria para recreação infantil e um delicioso almoço especial de domingo.

Para mais informações acesse www.valedosonho.tur.br, ou ligue (11) 4693-1894.

Aumenta a procura por cirurgias plásticas entre idosos

Redação O novo censo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) acaba de ser divulgado. Uma das maiores surpresas foi o aumento d...