quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Problemas de circulação podem ter diferentes causas e tratamentos

Da Redação

Dores ao caminhar, inchaço nas pernas e até mesmo o surgimento de feridas na pele, são sinais de que o fluxo sanguíneo não está como o desejado. Mas os problemas de má circulação não são todos iguais e podem estar relacionados a questões venosas e arteriais. A consulta a um especialista é fundamental para descobrir o tipo de problema e o tratamento mais adequado.

Má circulação pode estar relacionada às questões venosas, ou arteriais | Foto: reprodução 
No caso das doenças venosas - quando o sangue não consegue voltar para o coração e a insuficiência é refletida nas veias - os sinais são perceptíveis. Entre os mais comuns estão: varizes, inchaço nas pernas, queimação e sintomas como dor e peso nos membros inferiores. De acordo com cirurgião vascular do Hospital Edmundo Vasconcelos, Walter Campos, o tratamento pode se dar tanto por meio do uso de medicamentos e de meias de compressão, quanto por intervenção cirúrgica, em casos considerados mais graves.

Apesar de o problema de circulação, em geral, ser associado com a má alimentação, no caso da doença venosa isso não causa uma piora. "O que intensifica o quadro é a obesidade, o número de gestações, uso de anticoncepcional, sedentarismo e ficar muitas horas em pé", diz Campos.

O fator qualidade da alimentação pode interferir, no entanto, quando a complicação está ligada a uma doença arterial. "Colesterol, diabetes e pressão alta podem acelerar a evolução do quadro, fechando as artérias e desenvolvendo coágulos", alerta o cirurgião vascular.

Assim como na alteração venosa, os sintomas são aparentes. Dores para caminhar, dores em repouso e aparecimento de feridas fazem parte do diagnóstico clínico. Neste caso, o tratamento consiste no controle dos fatores de risco- colesterol, diabetes e pressão alta. Campos atenta que em casos graves da doença, a cirurgia é a alternativa mais indicada, a fim de evitar a amputação de membros.

Competências socioemocionais: preparando o aluno para o século XXI

*Por Márcia Calixto dos Santos

As demandas do século XXI, como as novas tecnologias, o mercado de trabalho e as relações interpessoais, exigem cada vez mais dos jovens a capacidade de enfrentar desafios e adversidades. Neste sentido, um questionamento de pesquisadores e educadores configura-se como fundamental: quais seriam as habilidades necessárias para este cenário?

De modo geral, as escolas, faculdades e universidades se concentram primordialmente em um objetivo: preparar os estudantes para os desafios do mercado de trabalho. Para isso, se esmeram em oferecer, desde cedo, conteúdos indispensáveis para o êxito na vida profissional. Porém, existem outras habilidades que nem sempre são lembradas em sala de aula: as competências socioemocionais, ou seja, competências humanas que ajudarão os jovens a enfrentar os desafios impostos não só pela carreira, mas pela vida em si.

Assim, as competências socioemocionais têm sido muito pesquisadas devido a sua influência em diversos indicadores de sucesso pessoal, escolar e profissional. Há uma variada gama de características e habilidades que compõem as competências socioemocionais e que podem ser desenvolvidas ao longo da vida, como persistência, otimismo, criatividade, tolerância à frustração, foco, motivação, capacidade de ouvir o outro e capacidade de trabalhar em equipe, dentre outras. E é imprescindível que sejam trabalhadas em todas as etapas de formação.

Educadores podem trabalhar as competências socioemocionais de diversas formas, em integração com as disciplinas do currículo. Na aula de História, por exemplo, professores e alunos podem discutir o comportamento da população durante um determinado período, como a Segunda Guerra Mundial. Na aula de Literatura, os alunos podem refletir e discutir o que sentiram ao ler um livro. Já nos cursos de Graduação, atividades em grupo, análise de dilemas éticos, resolução de problemas e outras questões pertinentes à vida profissional são excelentes oportunidades para despertar e desenvolver as competências socioemocionais.

Em meio às mudanças frenéticas trazidas pela tecnologia, as instituições de ensino devem privilegiar as competências socioemocionais. Mais do que habilidades eminentemente técnicas, os estudantes precisam exercitar a resiliência e a capacidade de se adaptar a todas as transformações que vêm por aí. E você? Pretende se preparar para este cenário desafiador?

*Por Márcia Calixto dos Santos é psicóloga, coordenadora e docente do curso de psicologia

Mosquito Aedes aegypti transmite doença letal para cães e gatos

Da Redação

Pouco conhecida, a doença chamada Dirofilaria inmitis, ou “verme do coração”, é mais comum em cães do que em gatos, mesmo assim, além dos animais, pode atingir os seres humanos. A médica veterinária do Hospital Veterinário Cão Bernardo, Milena Guimarães, detalha: “A doença é transmitida pela picada de mosquito, entre eles, o Aedes (aegypti). O tratamento é difícil e pode durar até 10 meses, por isso, precisamos estar muito atentos”.

É possível prevenir a doença “verme do coração” com medicamentos de uso oral e tópicos, segundo a veterinária Milena Guimarães | Foto: reprodução 
A partir do momento que o verme chega ao coração e nos grandes vasos sanguíneos, pode ocorrer lesões e dependendo da gravidade, levar o animal à morte. Os sintomas apresentados são: tosse, diminuição da apetite e cansaço ao praticar atividades físicas. Porém, o paciente pode ser portador da doença por anos e não manifestar nenhum sintoma, e isso pode fazer com que o tratamento seja menos efetivo.

O diagnóstico pode ser feito por testes sanguíneos, raio x de tórax, ecocardiograma, testes antígenos e pesquisa de microfilarias, mas a fase da doença pode dificultar a identificação da mesma. Então, é preciso estar atento quando as temperaturas estiverem mais altas e com os locais de maior risco como áreas litorâneas e ribeirinhas, onde há maior presença de insetos.

Há também outras formas de se prevenir a doença com medicamento de uso oral e tópicos. “Mas essa forma de prevenção é para animais com mais de 6 semanas de vida, porque antes dessa idade pode ser nocivo para os pets”,  finaliza Milena.


"Não sabemos cozinhar o lámen perfeito", assume presidente da Nissin

Da Redação

Foram 53 anos de insistência no modo de preparo ideal do lámen, mas nada adiantou. O público brasileiro prepara o macarrão instantâneo mais famoso do mundo do jeito que deseja. Diante disso, a Nissin Foods do Brasil não viu alternativas a não ser reconhecer que não sabe cozinhar o "Nissin Lámen Perfeito" em filme que conta com a presença do próprio diretor-presidente, Takashi Asano, e alguns funcionários da empresa.

Intitulado "Pedido de desculpas", o filme foi gravado na própria fábrica da Nissin, em Ibiúna (SP), reúne cerca de duzentos funcionários de diversas áreas, da diretoria à operação. Nacionalmente, Asano assume publicamente que não sabem cozinhar o "lámen perfeito", pede desculpas aos brasileiros e faz a tradicional reverência oriental, o "ojigi".

O VP de Criação da Dentsu Brasil, Filipe Cuvero, explica a ação. "Criamos uma comunicação inédita para a empresa que já tinha se rendido às invenções culinárias dos brasileiros. Nós pegamos essa realidade e, por meio do storytelling e do communication design, instigamos o público e desenvolvemos um posicionamento oficial e criativo para a marca, que já se consolidou na mente e no coração das pessoas".

Esta nova fase da campanha é composta por filme para TV aberta e internet.


quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

"Doutor Felicidade" ensina cinco premissas para ser feliz

Da Redação

Conhecido mundialmente como "Doutor Felicidade", o israelense radicado em Nova York Tal Ben-Shahar conquistou a fama ao lecionar na prestigiada Universidade de Harvard. Durante anos, sua disciplina optativa que ensinava felicidade foi a mais procurada de todo o campus. Abaixo, o especialista lista cinco premissas para quem deseja saber por onde começar e conquistar a tal felicidade.

 Tal Ben-Shahar ficou famoso ao lecionar na prestigiada Universidade de Harvard | Foto: divulgação
Shahar não é adepto de livros de autoajuda, nem de conteúdos motivacionais. A base de seus cursos é científica e chama-se psicologia positiva, um ramo da psicologia tradicional desenvolvido a partir dos anos 1960, por uma equipe de pesquisadores, especialmente Martin Seligman, considerado pai desta ciência que, atualmente, movimenta pesquisas nas principais universidades de todo o mundo.

Embora não seja adepto de fórmulas e modelos com uma receita mágica para a tão almejada felicidade, em todos os lugares que frequenta, Shahar é questionado sobre como é possível alcançar o bem-estar subjetivo, termo usado pela psicologia positiva para determinar um índice mensurável, decorrente da satisfação nos diversos domínios da existência.

"Este bem-estar está relacionado com a avaliação cognitiva e emocional que uma pessoa faz sobre sua vida. Indivíduos com forte bem-estar subjetivo costumam considerar agradável e recompensadora a vida que têm. É algo que depende muito mais deles do que de fatores externos como a grande maioria das pessoas pensa. Ser feliz é uma atitude, é uma decisão", explica Sharar.

Seja humano 
Sharar  costuma brincar que para ser feliz é preciso se permitir ser triste. É importante aceitar sua condição essencial de que como um ser humano você está exposto a uma série de emoções positivas e negativas. Ter esta consciência nos torna mais resilientes e fortes para enfrentar momentos difíceis. "As redes sociais deixaram as pessoas mais tristes. Elas se cobram por um estado de alegria e satisfação que não existe. Lá, todo mundo está sempre feliz, nos melhores lugares, vivendo as emoções mais marcantes", diz.

Faça exercícios 
Esta é uma premissa bem objetiva e ligada a questões bioquímicas do cérebro. Ele indica para quem busca um bom índice de bem-estar subjetivo praticar três vezes por semana alguma atividade física, por 30 minutos, e que neste período você sue. Suar aqui não é uma expressão, mas uma forma de comprovar que o exercício é vigoroso o suficiente para ativar as propriedades bioquímicas importantes para o bem-estar. Não importa a atividade, desde que seja prazerosa. "Dançar é uma das melhores", afirma o professor.

Concentre-se 
Para isso, Shahar indica 10 minutos diários de alguma atividade que exija essa habilidade cerebral. Uma ação que lhe coloque em estado de mindfullness, ou seja, de atenção total ao presente. "Pode ser yoga, meditação ou até uma partida de xadrez".

Mantenha relacionamentos saudáveis 
Aqui o professor enfatiza, embora os recursos tecnológicos sejam muito práticos, relacionamentos saudáveis possuem interação presencial. A qualidade das relações está no potencial e no que se permite trocar com o outro.  "Pessoalmente, temos uma gama muito maior de elementos para realizar essa troca", comenta, lembrando que 70% da comunicação humana é não-verbal.

Pratique a gratidão e generosidade 
Lembre-se que todas estas premissas são indicações de um Ph.D e têm embasamento científico. Ser mais observador e detalhista com suas posses e conquistas é o começo para a prática da gratidão, que, por sua vez, está intimamente ligada à satisfação. "A maioria das pessoas não nota pelo que é grata". Além disso, ajudar o próximo, ser generoso e participar de projetos de filantropia também trabalha esta questão da satisfação. "São práticas que se tornam tão habituais, e de ações pontuais, você acaba estendendo para toda a sua vida".

Novidade
Shahar acabou de fechar acordo de exclusividade com a Sociedade Brasileira de Coaching para lançar seu curso Hapiness Studies online em português. O conteúdo será fiel ao original em inglês, sucesso em vários países, e a inscrição dá direito ao aluno de participar de aulas online ao vivo com o disputado especialista, que divide seu tempo entre palestras pelo mundo afora, aulas e pesquisas. Para mais informação sobre o curso ligue: (11) 3775-5333.

Dentista esclarece dúvidas sobre o dente do siso

Da Redação

Dentes do siso são os últimos dentes a nascerem na gengiva. Eles costumam nascer (na maioria dos casos) entre 17 e 25 anos, por isso, são chamados de "dentes do juízo", por aparecerem próximo ao fim da adolescência, ou início da vida adulta. O dentista Roger Nishyama, da Lira Odonto, esclarece a seguir algumas dúvidas sobre o terceiro molar, como é cientificamente chamado.

 O dentista Roger Nishyama explica que vários fatores são avaliados para indicar a extração do dente do siso | Foto: reprodução 
Antigamente, a perda dos primeiros dentes acontecia muito cedo e o terceiro molar surgia como um apoio para manter uma boa atividade mastigatória. Mas, com o passar dos anos, da evolução na odontologia e melhoria na higiene bucal, os dentes passaram a ter maior durabilidade e os sisos perderam sua função inicial.

A maioria das pessoas possui quatro dentes do siso, sendo dois superiores e dois inferiores. Em alguns casos não há mais espaço para os sisos nascerem, então, há necessidade de extração.

Precisa esperar o dente nascer parar arrancá-lo: mito
Com a ajuda de radiografias é possível descobrir se há risco no nascimento de algum dos dentes de siso do paciente, caso ele esteja mal posicionado é possível agir realizando uma cirurgia de dentes inclusos ou retidos.

É normal não ter dentes do siso: verdade
Algumas pessoas não desenvolvem o terceiro molar, ele simplesmente não existe por fatores genéticos ou ele pode estar ali, mas não ocorre a sua erupção (não nasce).

Os sisos podem atrapalhar o alinhamento dos outros dentes:  controverso
Isto é muito controverso na literatura científica, não tendo sido comprovado que os terceiros molares criem uma força que cause apinhamento dos outros dentes da arcada. Por tanto, a indicação de extração do terceiro molar, unicamente para prevenir o apinhamento dentário não se justifica.

“Para indicar a extração deste dente, devem ser avaliados outros fatores, tais como o risco de cárie e de bolsa periodontal no próprio siso ou no dente adjacente, associação do siso a um cisto ou tumor, risco de pericoronarite (inflamação da gengiva que recobre o siso) ou pacientes que estão planejando fazer tratamento ortodôntico, por indicação do ortodontista”, explica Nishyama.

Não é recomendado retirar os sisos na adolescência: mito
O dentista indicará o melhor momento, mas nessa fase a raiz do dente ainda não está completa, o que facilita esse processo.

Para os casos mais complexos de cirurgia para retirada de dente do siso, há opção de sedação com analgesia inalatória. Trata-se do que chamamos de sedação consciente. É um método que promove a diminuição do estresse e ansiedade, extremamente seguro, previsível, de rápida recuperação podendo ser usado até mesmo em crianças.

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Jovens com sífilis podem ser adultos cardíacos

Da Redação

O aumento de 2.000% nos casos de sífilis no Brasil, segundo último levantamento do Ministério da Saúde, além de evidenciar a urgência de retomar ações e campanhas eficazes de prevenção contra doenças sexualmente preventivas, exige atenção quanto a futuras complicações cardiovasculares. O Alerta o cardiologista José Francisco Kerr Saraiva, presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp). Ele explica que os jovens acometidos hoje pela doença podem ter sérios problemas cardiovasculares no futuro, caso o tratamento não seja correto e eficiente.

O uso da camisinha é essencial para prevenir a sífilis | Foto: reprodução 
Depois de dois a 20 anos da infecção, ocorre a sífilis terciária, cujos sintomas são mais graves. Dentre eles, pode desenvolver-se a sífilis cardiovascular. Os sintomas são dor torácica e nas costas, provocada por aneurisma da artéria aorta ascendente ou descendente, com risco de ruptura. Outro sintoma é o cansaço, sensação de falta de ar, quando a sífilis acomete a válvula aórtica. Neste caso, ocorre um refluxo do sangue, que volta para dentro do coração e causa sobrecarga, provocando a sensação de falta de ar.

Saraiva explica que a sífilis é causada pela bactéria Treponema pallidum. A doença apresenta três fases de infecção. A primária tem como sintoma o surgimento, a partir de 10 dias após o contágio, de uma ferida em local específico, como órgãos sexuais, boca ou pele.

A secundária ocorre entre seis semanas e seis meses. Os sintomas são manchas avermelhadas, principalmente nas mãos e pés, podendo também aparecer ínguas nas regiões íntimas e virilha.
Há, ainda, uma fase na qual a doença fica latente, levando a um descuido com o tratamento, pois muita gente acredita ter sarado. Na sífilis terciária, na qual os sintomas podem aparecer entre dois e 20 anos após a infecção, os problemas são mais graves, incluindo os problemas cardíacos, com alto risco de morte.

Em todos os casos, o tratamento no combate à bactéria é feito com antibióticos, em especial a penicilina. Porém, a sífilis cardiovascular exige que um cardiologista especializado também cuide do paciente.

"É premente a retomada de campanhas e ações preventivas de doenças sexualmente transmissíveis no Brasil", alerta o presidente da Socesp, enfatizando a importância de conscientização maciça dos jovens".


“Fevereiro Roxo” alerta para doenças incuráveis

Da Redação

Nos últimos anos, alguns meses são associados a cores, para alertar sobre doenças. O Fevereiro Roxo é uma campanha de conscientização promovida para incentivar o diagnóstico precoce das doenças lúpus, fibromialgia e alzheimer. O objetivo é permitir que os pacientes tenham mais qualidade de vida mesmo convivendo com alguma dessas condições. As doenças que, apesar de apresentarem sintomas e diagnósticos diferentes, têm em comum o fato que são incuráveis.

O slogan da campanha é: “se não houver cura, que ao menos haja conforto” | Imagem: divulgação
Apesar de toda a mobilização para divulgar a data, ela ainda não é muito conhecida. Nas bases de procura do Boa Consulta, a taxa de agendamentos de reumatologistas e neurologistas não varia muito quando comparada aos outros meses do ano.

A campanha do Fevereiro Roxo foi criada em 2014, na cidade de Uberlândia (Minas Gerais). Seu lema é: “se não houver cura, que ao menos haja conforto”, aludindo à importância de proporcionar bem-estar aos portadores de doenças crônicas. Não existe um calendário oficial de conscientização. O trabalho geralmente é feito por ONGs e, muitas vezes, apoiado por prefeituras e governos estaduais, que promovem palestras, ações de informação sobre as doenças e até mutirões de saúde.

O lúpus eritematoso sistêmico é uma doença autoimune, ou seja, ocorre quando o próprio sistema imunológico de uma pessoa passa a atacar órgãos e tecidos do corpo (como se eles fossem invasores externos). Pouco se sabe sobre a origem das doenças autoimunes. Elas são crônicas, porém o tratamento adequado é indispensável para mantê-las sob controle e reduzir os sintomas — que podem ser extremamente dolorosos.

A fibromialgia é uma síndrome ainda pouco conhecida, cujos principais sintomas envolvem dor generalizada, fadiga, dificuldades cognitivas e formigamento nas extremidades do corpo. Como todos os sinais acima são problemas relativamente comuns, acredita-se que a doença seja subnotificada. As dores da fibromialgia são constantes e costumam durar cerca de três meses a cada vez. A pessoa afetada nota uma redução em sua capacidade de se exercitar, justamente devido às dores e à fadiga. Ela também passa a sofrer com problemas de sono, como insônia e apneia, muitas vezes apresentando quadros de depressão.

Descrita pela primeira vez em 1906, pelo psiquiatra alemão Alois Alzheimer, a doença de alzheimer é neurodegenerativa. Os principais sintomas são a falta de coerência na fala e a perda da memória recente. O alzheimer está associado à idade avançada, porém pode surgir de forma prematura, especialmente em pessoas com casos semelhantes na família. A capacidade de atenção, aprendizado e convívio social fica seriamente afetada, sendo que o quadro é incurável. Entretanto, é possível fazer um tratamento terapêutico e medicamentoso para retardar os efeitos mais graves.


“Aventura Pirata” é opção de entretenimento para crianças no ABC

Da Redação

O “Mundo das Bolinhas” é atração de férias do Golden Square Shopping, em São Bernardo do Campo, desde de 15 de janeiro. Com milhares de bolinhas em uma piscina gigante, a brincadeira é um convite para toda a família na “Aventura Pirata”. Um playground imerso com escorregadores permite que as crianças brinquem com segurança. Dentro do navio, um labirinto promete ser a sensação com três andares de brincadeiras. Menores de quatro anos devem entrar acompanhados por um adulto.

A brincadeira fica até 06 de março na Praça de Eventos | Foto: divulgação 
Interessados podem curtir o brinquedo de segunda a sábado, das 10 às 22 horas; domingos e feriado, das 14 às 20 horas. A brincadeira fica até 06 de março na Praça de Eventos.

O Golden Square Shopping está localizado na Avenida Kennedy, 700, Jardim do Mar, São Bernardo do Campo (SP). O horário de funcionamento é de segunda-feira a sábado, das 10 às 22 horas, e aos domingos e feriados, das 14 às 20 horas (lojas e lazer).


segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Tensão pré-menstrual pode ser tratada com alterações no cardápio

Da Redação

A tensão pré-menstrual (TPM) afeta cerca de 80% das brasileiras e conta com 150 sintomas conhecidos, que podem surgir até 15 dias antes da menstruação e cessam completamente com ela, conforme comenta a ginecologista e obstetra, Ana Carolina Lúcio Pereira, de São José dos Campos (SP). A boa notícia é que esses incômodos podem ser tratados de forma bem simples: com alterações no cardápio.
 
Evite os carboidratos simples, que são associados às mudanças de humor, inchaço e fadiga | Foto: Getty Images
“A TPM ocorre porque a produção da serotonina, substância que regula o humor, varia ao longo do ciclo menstrual. Somando à hereditariedade, à sensibilidade individual e à deficiência de vitamina B6, temos um quadro de TPM acentuado”, explica a ginecologista.
 
 Então, a queda na serotonina é responsável por sintomas como irritabilidade e depressão. Já a redução no estrogênio, que ocorre antes da menstruação, causa vasodilatação e dor de cabeça. Por outro lado, após o período fértil, há o aumento da progesterona, que favorece a retenção de líquidos, o inchaço e as dores.

“Os alimentos são grandes aliados no tratamento dos sintomas e na prevenção da TPM”, ressalta Ana Carolina, que dá algumas dicas para reduzir o incômodo do período pré-menstrual:

1 -  Evite os carboidratos simples, que são associados às mudanças de humor, inchaço e fadiga. “Os grãos integrais, além de terem mais fibra e ajudarem na saciedade, ainda são ricos em vitamina B6, que auxilia na síntese da serotonina e na redução da depressão e da irritabilidade”, ensina a médica.

2 - Fibras, como aveia, cereais integrais e leguminosas ajudam a regular o intestino, diminuindo a prisão de ventre e o edema de abdômen.

3 - Banana, nozes e castanhas são ricos em triptofano, que ajuda na produção de serotonina.

4 - Alimentos que melhoram a diurese, como melão, melancia, morango, aipo, chuchu, alface, pepino e chás sem cafeína (hortelã, erva doce, camomila etc.) ajudam a combater o inchaço.

5 - Reduzir o consumo de alimentos ricos em cafeína, como café, chá preto, chocolate e refrigerantes, diminuem a irritabilidade, a dor de cabeça e a dificuldade para dormir.

6 - Alimentos ricos em ômegas 3 e 6, como salmão, atum, azeite extravirgem e linhaça, ajudam a reduzir a inflamação e as dores.

“A vontade de comer alimentos mais açucarados se dá por causa da queda da serotonina. Os doces não são proibidos, mas devem ser consumidos com moderação, porque podem engordar e até mesmo atrapalhar a saúde. A chave é a moderação”, finaliza a especialista.



Por que temos o hábito de nos comparar aos outros?

*Por Vivian Wolff

Crescemos ouvindo comparações. Seja com pessoas em situação pior, podendo gerar consolo; seja com aquelas em situação melhor, o que pode causar inveja ou sensação de fracasso.

“A comparação é um sentimento completamente sem sentido, já que todos nós somos diferentes”, ressalta a coach Vivian
No entanto, se pensar de forma racional, a comparação é um sentimento completamente sem sentido, já que todos nós somos diferentes. História de vida, genética, características e as circunstâncias que nos levaram ao lugar onde estamos hoje são únicas. Compreender esta realidade é enxergar que, assim como você, cada um tem defeitos e qualidades; fases boas e ruins; ganhos e perdas.

Rede social: um mundo irreal
Um fator que intensificou o hábito da comparação foram as redes sociais. Imagine você perder o emprego, acessar o Facebook e se deparar com um post de um amigo que está celebrando sua promoção? O impacto inicial pode ser bem ruim, mas se lembre que esse amigo também tem seus problemas. O que vemos nas redes não equivale ao mundo real. São apenas momentos felizes. A vida fora do âmbito virtual está bem longe de ser um conto de fadas para qualquer um.

Pressão pela perfeição
Outro ponto que, inevitavelmente, gera comparações é a pressão crescente em ser ótimo em tudo: saber várias línguas, ter o corpo perfeito, ser bem-sucedido, ser um pai/uma mãe exemplar, fazer trabalho voluntário... Essa “exigência” da sociedade atual é cruel. Não é todo mundo que consegue trabalhar, treinar na academia, fazer cursos, ir ao supermercado, chegar em casa após horas de trânsito, brincar no maior bom humor com os filhos e ainda ficar impecável para um jantar com o marido/a esposa.

É caótico ter uma rotina de afazeres que mal cabe na sua agenda, só para ser o padrão ilusório de perfeição. O ideal da pessoa moderna, que dá conta de tudo. Pode até ser que você consiga bancar o multitarefa, mas, em algum momento, seu alarme vai tocar, e você vai sentir a sobrecarga de querer ser e fazer tantas coisas ao mesmo tempo.

Novamente: não se compare aos outros. Cada pessoa tem um ritmo e um limite próprios. Deixe sua autenticidade ser o seu termômetro. Não existe outra pessoa no mundo igual a você. Aceite tanto suas qualidades como suas imperfeições, e use essa liberdade de ser quem você realmente é para deixar sua marca por onde passar!

*Vivian Wolff é coach de vida pelo Integrated Coaching Institute (ICI); formada em Mindfulness pela Georgetown University Institute for Transformational Leadership, Washington DC; com MBA em Marketing Estratégico pela University de Catalunya, Barcelona. 


Puberdade precoce pode desencadear problemas de crescimento

Da Redação

A endocrinologista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional São Paulo (SBEM-SP), Angela Spinola, alerta para a necessidade de acompanhamento médico periódico dos filhos, para avaliar ritmo de crescimento e ganho de peso, por exemplo. Com isso, é possível identificar puberdade precoce, o que compromete a estatura.

O período normal de puberdade pode variar entre oito e 14 anos, em média, nas meninas, e entre 10 e 15 anos meninos | Foto: Freepik
“Toda criança que apresenta puberdade precoce certamente terá comprometimento na sua estatura. E quando os sinais aparecem e existe necessidade de tratamento, ele deve ser feito logo que o quadro se desenvolve, para que haja o resgate estatural e, assim, a criança ficará dentro do padrão de altura familiar”, explica.

Quando o diagnóstico é demorado e a idade óssea da criança avança muito, ela poderá perder estatura. Mama, pelos pubianos, aumento dos testículos são sinais de puberdade que precisam de avaliação médica. Em alguns casos não há velocidade de crescimento aumentada nem idade óssea, basta acompanhar a evolução. Mas há casos em que o crescimento da mama, por exemplo, pode ser um sinal de atenção.

O período normal de puberdade pode variar entre oito e 14 anos, em média, nas meninas, e entre 10 e 15 anos meninos, com uma grande variação dentro de um mesmo grupo e de acordo a etnia, mas com tendência a manter um padrão familiar, genético.

Então, o aparecimento de mamas em meninas antes dos oito anos de idade e o desenvolvimento dos testículos, antes dos nove anos nos meninos, deve ser avaliado cuidadosamente para esclarecer se a criança apresenta precocidade sexual.

A puberdade 
É o processo de transição entre a infância e a vida adulta, período ao final do qual nos tornamos aptos à reprodução. Essa etapa corresponde a um processo de maturação biológica, quando ocorrem muitas transformações físicas, como aceleração do crescimento, modificação da distribuição de gordura, aumento da massa muscular (principalmente no sexo masculino), desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários, desenvolvimento das mamas, desenvolvimento genital, testicular, ovariano, além das modificações emocionais e psicológicas. Vários hormônios participam desse processo que, de forma simplificada, é desencadeado pelo aumento na secreção do hormônio liberador das gonadotrofinas (GnRH), que estimula a secreção das gonadotrofinas hipofisárias, hormônio luteinizante (LH) e foliculoestimulante (FSH), responsáveis pelo estrógeno e testosterona.


quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Neurologista explica vertigem fóbica

Da Redação

Os problemas emocionais podem causar tontura, de acordo com o neurologista Saulo Nader, da Universidade de São Paulo (USP) e do Hospital Israelita Albert Einstein, conhecido como Dr. Tontura, por ser um especialista no tema. É a chamada vertigem fóbica, tipo de "labirintite" muito correlacionada com ansiedade ou estresse excessivo.

A vertigem fóbica costuma acontecer em ambientes com muita informação e conflito visual | Foto: Shutterstock
Então, o médico explica que o Sistema Vestibular é formado pelos labirintos, que enviam informações, através de um nervo, a uma área do cérebro, responsável pelo controle do equilíbrio e da postura da pessoa. Ela é regida por uma química cerebral, que a faz funcionar adequadamente.

"Essa química pode sofrer um distúrbio e, quando isso acontece, um dos sintomas pode ser a tontura. É assim que começa a vertigem fóbica", explica Nader. Os sintomas mais comuns são o atordoamento, mal-estar e insegurança postural.

Normalmente, a "vertigem fóbica" costuma acontecer em ambientes com muita informação e conflito visual, como supermercados (com luz clara, prateleiras coloridas, grande movimento de pessoas e carrinhos), shoppings, feiras, etc.

"Às vezes, a pessoa com vertigem fóbica pode sentir tontura, instabilidade e insegurança em lugares específicos, quando vai à casa de
um determinado parente, por exemplo", diz o médico.

O nome vertigem fóbica deriva do fato de a alteração da química cerebral se alterar de forma muito semelhante à de quem sofre de muita ansiedade ou de estresse intenso. E existe uma correlação entre ela e esses fatores.

Vale lembrar que a tontura pode estar ligada também a outra doença psiquiátrica como, por exemplo, depressão, bipolaridade, ansiedade e pânico. A vertigem fóbica é um tipo bem diferente e peculiar de labirintite, muito relacionada sempre a questões emocionais.

A boa notícia, segundo o Dr. Tontura, é que existe tratamento. Se a pessoa tem uma outra doença vestibular ativa, que foi perpetuada e piorada pela vertigem fóbica, essa doença também precisa ser tratada. Fora isso, existem remédios que trazem a química cerebral de volta para o lugar, aliviam os sintomas e permitem que se tenha uma vida completamente normal. O importante é fazer o diagnóstico para ter um tratamento adequado.


Olhos precisam de cuidados redobrados no verão

Da Redação

Com os dias quentes e de sol forte, não é só a pele que precisa de atenção redobrada. O oftalmologista da Unilaser – Hospital Dia, Celso Afonso Gonçalves, alerta sobre a importância de diversos cuidados com a saúde ocular.

“Acessórios (óculos de sol) apenas com lentes escuras fazem as pupilas dilatarem e, consequentemente, mais raios nocivos entram nos olhos, o que facilita os problemas de visão”, alerta o oftalmologista Gonçalves| Foto: divulgação
"A primeira regra do verão é a utilização de óculos de sol com proteção contra os raios ultravioletas (UVA e UVB). Acessórios apenas com lentes escuras fazem as pupilas dilatarem e, consequentemente, mais raios nocivos entram nos olhos, o que facilita os problemas de visão", explica Gonçalves.

Os óculos de sol também precisam ser confortáveis, proteger todos os olhos e região em volta. Para as crianças, são recomendados os óculos com lentes de policarbonato inquebráveis, evitando acidentes em caso de quedas.

Outros cuidados oculares devem ser levados em consideração no verão. Ao passar protetor solar, caso entre nos olhos e cause irritações, é necessário lavar com água abundantemente. Caso o problema persista procure um médico.

Se você usa lentes de contato, é necessário ter mais cuidados. É recomendado tirá-las antes de mergulhar ou descartá-las após banho de mar ou piscina. Uma orientação médica é para o uso de lentes de contato gelatinosas de descarte diário.


quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Chef Melchior Neto ensina “Virado à Paulista”

Da Redação

Quem frequenta os restaurantes e botecos de São Paulo já comeu ou pelo menos já ouviu falar em “Virado à Paulista”. Em homenagem aos 465 anos da cidade de São Paulo, que será comemorado nesta sexta-feira (25), o chef Melchior Neto do Botequim Carioca  ensina a receita.

Chef Melchior Neto comanda o Botequim Cariosa | Foto: reprodução 
Virado à Paulista "8 delícias"

1- Tutu de feijão:
Ingredientes

2 xícaras de chá de feijão cozido com caldo
1 xícara de chá de bacon picado
1 xícara de chá de linguiça fina fatiada
1 dente de alho picado
1 cebola picada
1 colher de azeite
1 xícara de chá de farinha de mandioca

Preparo
Frite o bacon e a linguiça até dourar, coloque a cebola e deixe fritar até ficar transparente, jogue o alho e misture. Em seguida coloque o feijão cozido com caldo e deixe engrossar por 10 minutos em fogo médio. Vá colocando a farinha e mexendo até dar o ponto nem muito mole nem muito firme para que não fique seco.

2-Banana à milanesa

Ingredientes

2 bananas prata
1 ovo batido
½ xícara de farinha de trigo
½ xicara de farinha de rosca

Preparo
Corte as bananas em 3 partes iguais, passe no ovo depois na farinha de trigo no ovo novamente e finalize na farinha de rosca. Frite em óleo quente.

3-Bisteca de porco

Ingredientes

3 bistecas
1 suco de uma laranja
1 colher de chá de gengibre
3 colheres de chá de shoyu
1 dente de alho espremido
1 colher de sopa de azeite

Preparo
Misture numa tigela o suco de laranja, o gengibre, o shoyu e o alho. Deixe as bistecas marinando na geladeira por 30 minutos nessa mistura. Frite em óleo quente até dourar.

4-Couve

Ingredientes

1 maço de couve picado fininho
1 cebola picada
2 colheres de azeite
1 xícara de chá de pimenta de bico
1 xícara de café de alho frito
Sal a gosto

Preparo
Refogue a cebola no azeite até ficar transparente, jogue a couve, o sal e frite rapidamente. Retire do fogo, decore com a pimenta de bico e o alho frito.

Outros acompanhamentos

5- 3 xícaras de chá de arroz branco pronto.
6- 3 torresmos médios.
7- 3 ovos fritos gema mole.
8- 3 linguiças fritas



“Faça a montagem dos pratos usando as oito delícias”, comenta o chef.


Cafeteria em Santo André sedia lançamento do livro sobre o programa “O Pulo do Gato”

Da Redação

O programa jornalístico O Pulo do Gato há 45 anos no ar, na rádio Bandeirantes, no mesmo horário e com o mesmo apresentador, José Paulo de Andrade, ganha um livro-documentário, intitulado “Esse Gato Ninguém Segura” (Ed. Letras do Pensamento), do jornalista Claudio Junqueira. A obra será lançada na cafeteria The Coffee Is On The Table (Rua Adolfo Bastos, 68, Vila Bastos), em Santo André, em 9 de fevereiro, a partir das 15h.

Lançamento em Santo André será em 9 de fevereiro, na cafeteria The Coffee Is On The Table | Imagem: divulgação  
A obra foi adaptada da dissertação de mestrado de Junqueira sobre o programa e contou com organização da jornalista Marc Tawil. O livro levou quase três anos para ficar pronto, e traz nas 210 páginas detalhes como transcrições de áudios raros, fotografias inéditas, reportagens em outros veículos e documentos.

“Fui contratado na Rádio Bandeirantes como rádio-escuta em 2 de abril de 2003, no mesmo dia em que O Pulo do Gato completava 30 anos no ar. Parecia ser apenas uma coincidência, mas os anos seguintes comprovariam que meu destino estaria intimamente ligado ao programa e, assim, seria até meu último dia na emissora, em 8 de agosto de  2013”, conta Junqueira.

Já o apresentador do programa é um figura de extrema importância na história da Bandeirantes, conforme ressalta  o presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação, Johnny Saad. “A importância do Zé Paulo na história da Bandeirantes é muito, muito grande. Ela vai estar sempre escrita na ‘pedra’ para toda a história dessa empresa, porque ele dedicou a sua vida inteira a essa causa. A Bandeirantes deu toda a liberdade para ele poder tratar os problemas de frente, e a não ter medo de enfrentar nenhuma autoridade”, finaliza.


Psicóloga explica como orientar as crianças na volta às aulas

Da Redação

A volta às aulas é um momento de mudança na vida das crianças. De acordo com a psicóloga e orientadora educacional do Colégio Humboldt, Karin Kenzler, algumas dicas podem auxiliar os pequenos nesta fase de adaptação. Confira a seguir.

"A motivação (para estudar) não deve vir por meio de recompensa, mas sim, pelo próprio benefício do aprendizado e aquisição de conhecimentos", ressalta a psicóloga Karin
“Ajude seu filho a organizar o material, separar o uniforme, encoraje-o, mostre ou retome as coisas que são legais e significativas, o quanto será prazeroso reencontrar ou conhecer novos amigos”.

1-Traçar objetivos para o ano letivo

Pensar em metas para o ano letivo como fazer as lições em dia, estudar com antecipação para as provas, passar direto, fazer novos amigos, é o passo inicial para a realização de qualquer projeto.

“É uma iniciativa positiva a família se reunir para que cada membro compartilhe suas expectativas e planos para ao ano, motivando a criança a fazer o mesmo. A discussão é válida, pois aquece para o tema escola que está por vir e cria um clima favorável ao sucesso”.

2-Voltar à rotina de forma gradual

Não deixar para voltar de viagem na véspera da volta às aulas, para que a criança tenha tempo de se organizar e voltar à rotina de dormir e acordar mais cedo.

3-Cuidar da organização do material

A compra e organização do material também é uma atividade que ajuda no processo de volta às aulas, preparando o aluno psicologicamente para a retomada dos estudos.

“É como num pré-jogo, em que atletas fazem pensamento positivo e bolam sua estratégia: neste ano, vou tentar fazer lição, estudar com antecipação, dar o máximo de mim...”, diz Karin.

4-Fazer um planejamento das atividades

Fazer uma agenda semanal com os horários das aulas e atividades extracurriculares separando também, tempo para os estudos, lazer e esportes, e um calendário mensal para inserir as datas de provas, entrega de trabalhos, eventos e feriados. O ideal é fazer uma agenda semanal dos filhos, para que todos compartilhem o que a família vai fazer, pois a criança não tem a noção de tempo como um adulto tem.

5-Cuidar do emocional das crianças e adolescentes

Conversar e checar os sentimentos da criança em relação ao ano escolar permite trabalhar eventuais ansiedades e medos, assim como balizar expectativas e buscar motivações.  Os pais devem questionar como a criança está para começar mais um ano, se está animada, motivada ou apavorada, e trabalhar suas expectativas e angústias de acordo com o estado emocional.

Além disso, cobranças como “se você tirar nota azul, te dou um iPhone”, colocam mais expectativa na criança, podendo gerar muita ansiedade. “A motivação não deve vir por meio de recompensa, mas sim, pelo próprio benefício do aprendizado e aquisição de conhecimentos que será significativo pela vida afora e futuro sucesso profissional. Ela precisa entender que é capaz de dar conta, e de que a aprendizagem é um processo contínuo na vida”, finaliza Karin.


Abuso sexual: saiba identificar

Por Margareth Signorelli

Nos últimos meses temos recebido notícias de mulheres denunciando abusos de médicos, guias espirituais e de pessoas dentro de seus ambientes de trabalhos. Por que elas estão denunciando somente agora, se muitos dos relatos ocorreram anos atrás?

"Percebeu algo inadequado, mas não tem certeza? Diga não. Não pare para se questionar. Questione o outro", ressalta a coach Margareth | Foto: divulgação 
Começou a existir uma união na delação e na revelação de “segredos” que foram guardados a 7 chaves e que, muitas vezes, modificaram e trouxeram sequelas irreversíveis na vida dessas mulheres. Elas perceberam que não foi só com elas que isso aconteceu e que era também uma responsabilidade se manifestarem.

A maioria de nós foi criada para não reagir imediatamente a algo ou à alguma ameaça, diferente dos homens que, em sua grande maioria, estão prontos para agir ou correr ao perigo e ameaça eminentes.

Se pensarmos em um exemplo banal: pise no pé de uma mulher. Até que ela reaja, por alguns segundos se questionará: ‘Será que foi de propósito?’, ‘Será que a pessoa está percebendo que está pisando no meu pé?’, ‘Será que eu coloquei o pé no lugar errado?’.

Agora, pise no pé de um homem e imediatamente ele se manifestará e reagirá.

Mas o que precisa ser mudado em nós? Como não sair por aí gritando e prontas para uma boa briga simplesmente por um pisão no pé? Como saber com certeza a diferença entre um toque mais ousado ou algo que fuja do aceitável?

Em primeiro lugar, saiba que existe uma diferença imensa de um carinho entre duas pessoas que evolui, dá prazer, tranquilidade emocional e é consensual, de algo que é indevido.

Dê ouvidos aos seus instintos e conecte-se com seu corpo e eles lhe mostrarão. Mas, se ainda estiver em dúvida, responda à essas perguntas:

Achou esquisito?
Energeticamente sentiu que não havia sintonia?
Percebeu algo inadequado, mas não tem certeza?
Diga não. Não pare para se questionar. Questione o outro.

O que está acontecendo aqui?
Não estou gostando da sua atitude!
Não gostei deste toque e deste gesto sem propósito!
Você saberá a contradição entre um elogio, uma gentileza ou mesmo um contato bem-intencionado e um abuso e, na dúvida, não fique pensando:

Será que é?

Questione o outro e diga não.

O máximo que pode acontecer é você ter se enganado, o que é muito pouco provável. Antes o engano do que engolir o que não queria, duvidar de si mesma e levar as consequências, muitas vezes irreparáveis, para sua vida por contado seu silêncio.

 *Margareth Signorelli é enfermeira, coach de relacionamento e sexualidade com certificação Feminine Power Mastery (Los Angeles/USA), especialista em Sexualidade pelo PROSEX/ FAMUSP e Terapeuta da técnica Emotional Freedom Techniques (EFT) com Certificação Internacional Gold Standard Advanced EFT Terapeuta by Tina Craig.


Demência: Alzheimer é a causa mais frequente

*Por Mario Louzã

Segundo o Instituto Alzheimer Brasil (IAB), há cerca de 46,8 milhões de pessoas com demência no mundo. Este número praticamente irá dobrar a cada 20 anos, chegando a 74,7 milhões em 2030 e a 131,5 milhões em 2050. Estima-se que a cada 3,2 segundos, um novo caso de demência é detectado no mundo, e a previsão é de que em 2050 haverá um novo caso a cada segundo.

“Pessoas com maior nível educacional têm um risco menor de desenvolver demência”, comenta Louzã | Foto: divulgação 
Embora não seja propriamente uma causa, a idade é um fator relevante. A medida que aumenta a expectativa de vida da população, aumenta também o número de pessoas que desenvolve algum tipo de demência. A frequência varia conforme a faixa etária. Dos 65 aos 74 anos, é cerca de 3%; dos 75 aos 84, 18%; e acima de 85 anos, 47%.

É importante lembrar que no “envelhecimento normal” há perdas cognitivas progressivas, numa escala pequena e de modo muito lento, não comprometendo o cotidiano da pessoa. Há também um quadro denominado “transtorno cognitivo leve” ou “transtorno neurocognitivo menor” que se caracteriza por perdas cognitivas mais significativas do que o “envelhecimento normal”, porém, leves e graduais, não chegando a configurar um quadro de demência.

A principal causa de demência é a doença de Alzheimer. Cerca de 50-60% dos casos decorrem do Alzheimer. Em seguida, vem a demência vascular e a demência por corpúsculos de Lewy. Menos frequentes são as demências frontotemporais e as demências causadas por traumatismo cranioencefálico, infecções e alcoolismo. Há também as demências mistas (em geral, a associação de Alzheimer e demência vascular).

Sintomas
As demências se caracterizam por uma perda da capacidade cognitiva. Há diferenças entre as manifestações clínicas, mas, de modo geral, ocorre uma perda da capacidade de raciocínio, falhas de memória de curta duração (a pessoa se lembra de fatos antigos, mas não lembra o que fez há poucas horas), e dificuldade para organizar e executar tarefas cotidianas.

A medida que o quadro evolui, os sintomas se tornam mais intensos, havendo perda progressiva da memória, desorientação, dificuldade nas atividades cotidianas e problemas de linguagem. Esta é a evolução típica da demência na doença de Alzheimer, a mais frequente das demências.

Tratamentos
Os tratamentos para as demências, especialmente Alzheimer, incluem medicamentos e abordagens de reabilitação cognitiva. Tanto os medicamentos quanto à reabilitação têm o objetivo de retardar a progressão da demência. Não há tratamentos que possam reverter as perdas que já ocorreram. Por isso, aos primeiros sinais de prejuízo cognitivo, é fundamental buscar rapidamente o diagnóstico. Quanto antes o tratamento tiver início, melhores serão os resultados.

Prevenção
Há vários fatores de risco para as demências que são imutáveis (genética ou idade, por exemplo). Outros fatores podem ser corrigidos para reduzir a chance de desenvolvimento de demência: hipertensão arterial, obesidade, perdas sensoriais (especialmente auditiva), diabetes, tabagismo, depressão, isolamento social e falta de atividade física.

Pessoas com maior nível educacional têm um risco menor de desenvolver demência. Pelo fato de terem estudado mais e manterem uma estimulação intelectual ao longo da vida, desenvolvem uma “reserva cognitiva”, deixando o cérebro mais resiliente às perdas naturais que ocorrem com a idade. Da mesma forma que o corpo precisa de atividade para se manter bem, o cérebro precisa de estimulação para se manter ativo, com sua melhor capacidade possível.

*Mario Louzã é médico psiquiatra, doutor em Medicina pela Universidade de Würzburg, Alemanha, e Membro Filiado do Instituto de Psicanálise da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo.


segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Como tratar rugas, depressões e sulcos para dar volume e harmonizar o rosto

 *Por Denise Steiner 

Há 20 anos, a cada 10 pacientes atendidos somente 1 já havia feito algum procedimento, enquanto hoje os 10 já usaram algum preenchedor para melhorar rugas, sulcos, depressões ou melhorar o volume e harmonizar o rosto.Tive o privilégio e oportunidade de estudar cosmiatria muito antes de haver tantos recursos e tecnologias avançadas disponíveis para o do tratamento facial e com isso, acompanhei o momento em que olhávamos para um sulco ou uma determinada ruga e ficávamos satisfeitos em resolver esse problema pontual.

Antes de fazer o preenchimento, é importante avaliar o sorriso e a movimentação de cada face, comenta a médica Denise | Foto: divulgação
Essa técnica foi se aperfeiçoando e hoje conseguimos enxergar o rosto de maneira tridimensional, antevendo a prevenção que os resultados desse procedimento pode alcançar. Isso significa que um rosto deve ser avaliado por completo, passando pelas proporções, detalhes, volume, contorno e até assimetrias.

Também é importante avaliar o sorriso e a movimentação de cada face nos seus detalhes especiais. Outro dado interessante, é a avaliação de fotografias mais antigas para observar que diferenças específicas estão ocorrendo com o passar do tempo. É por isso que este procedimento, chamado preenchimento, não é uma simples técnica, mas sim um tratamento global, carregando consigo conceitos de beleza, harmonia e saúde.

Os pontos mais interessantes e úteis para aplicação de preenchedores são aqueles localizados no arco zigomático e na projeção da mandíbula. Quantidades entre 0,1 e 0,3ml em cada lado do rosto, nestes pontos específicos, provoca um levantamento substancial, evitando muitas vezes a necessidade de aplicar no sulco nasogeniano ou em uma ruga ao redor da boca.

Outro local não valorizado, porém crítico em relação ao envelhecimento facial é o queixo. Muitas vezes o rosto afina abruptamente, outras o queixo não tem projeção e quase todas as pessoas ao envelhecer projetam o queixo para baixo e para trás quando sorriem. Essas movimentações sutis e constantes, que muitas vezes não são percebidas, são como areia movediça num alicerce de uma construção. Sendo movediça, essa base faz com que o rosto vá literalmente desabando. Por isso, é interessante que o queixo tenha sustentação, formato e projeção bem definidos para evitar o envelhecimento e flacidez precoce.

Embora o custo do preenchedor possa ser uma limitação, é interessante observar que sua utilização previne a flacidez e a perda de contorno, além de harmonizar e levantar, sem a necessidade de anestesia geral e também sem cicatrizes. Os materiais utilizados devem ser de procedência idônea, aprovados pela ANVISA e de preferência pelo FDA e podem ser o ácido hialurônico e a hidroxiapatita de cálcio.

Conhecer o produto em detalhe, tanto sua característica física, química, potencial alérgico, como o tipo de reticulação. O plano que cada preenchedor deve ser aplicado é muito importante, assim como o local da face. Nessa linha de raciocínio a hidroxiapatita de cálcio deve ser evitado nos lábios e olheiras. Escolhendo o melhor custo/benefício em relação ao tipo de preenchedor e também em relação a indicação de cada paciente, com certeza teremos uma enorme gratificação com nossos resultados.

* Denise Steiner é médica pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da qual foi presidente entre os anos de 2013 e 2014.  


Shopping ABC estreia projeto “ABC Musical”

Da Redação

Desde a última sexta-feira (18), o Shopping ABC, em Santo André, disponibiliza um piano exposto na Praça de Eventos II, no Piso 1, para quem quiser mostrar seu talento. O instrumento marca o lançamento do projeto ABC Musical, em parceria com o Clube das 4 Cordas, escola de música referência na região do ABC.

As professoras e musicistas Geisa Nunes e Rosineia Paz tocaram na abertura do projeto | Foto: divulgação 
Na estreia, a professora Geisa Nunes ao piano e a professora Rosineia Paz no violino tocaram sucessos da MPB e do pop internacional como Wave, de Tom Jobim, A Thousand Years, de Christina Perri, When I Was Your Man, de Bruno Mars, Thinking Out Loud, de Ed Sheeran, Carinhoso, de Pixinguinha, e muitos outros hits.

O Clube das 4 Cordas fará apresentações toda sexta-feira, às 20h, conforme comenta a gerente de marketing do empreendimento, Flávia Tegão. "Proporcionar uma experiência ainda mais agradável para todos os frequentadores, tendo a música de qualidade como principal aliado, sem dúvida nos faz resgatar todo o sentido dessa arte de linguagem universal e que tem o poder de unir as pessoas. Nosso objetivo é que os clientes se sintam convidados a embarcar nesse universo com a gente", finaliza. O Shopping ABC fica na Avenida Pereira Barreto, 42, Vila Gilda.





Farol Santander celebra aniversário e divulga novidades

Da Redação

O Farol Santander completa em 25 de janeiro, dia do aniversário de São Paulo, o primeiro ano de funcionamento, com mais de 300 mil visitantes neste período. E anuncia novidades ao público: a mostra de arte imersiva "Além do Infinito", que começa nesta terça-feira (22) e, a abertura do Bar do Cofre SubAstor, em 1° de fevereiro. Além disso, nos próximos meses, a gastronomia ganha força como um dos eixos temáticos do Farol, com a inauguração de três andares dedicados ao tema, de acordo com a vice-presidente executiva de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander, Patrícia Audi.

O Farol Santander fica na Rua João Brícola, 24 – Centro (estação São Bento – linha 1, azul do metrô) | Foto: Reprodução 
"Quando inauguramos o Farol Santander, tínhamos a ambição de ser uma referência para a cidade de São Paulo. Estamos no caminho certo: atingimos a marca de 300 mil visitantes e recebemos o reconhecimento do público e da crítica às nossas exposições", afirma Patrícia.

Para 2019, a executiva antecipa alguns temas que irão inspirar as novidades do Farol. A começar pela gastronomia, evidenciada pela abertura do Bar do Cofre, que será operado pelo SubAstor – um dos estabelecimentos brasileiros mais conectados com as tendências da coquetelaria internacional, com casas em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Já a quarta exposição de arte imersiva ocupa os andares 22 e 23 do edifício. “Além do Infinito apresentará ao público duas obras. No 22º, a artista visual Regina Silveira apresenta o trabalho Up There. No 23º andar, a instalação multissensorial Beyond Infinity, do artista, arquiteto e urbanista francês Serge Salat.

Em maio, após "Além do Infinito, o Farol inaugura uma nova exposição de arte imersiva que ocupará os 22º e 23º andares, com o coletivo de arte TeamLab (Japão), cuja prática colaborativa busca navegar o encontro da arte, ciência, tecnologia e design. O coletivo explora em suas obras, que ficarão expostas até 03 de setembro, uma nova relação entre os seres humanos e a natureza através da arte. A curadoria é de Facundo Guerra.

Gastronomia

Além da inauguração do Bar do Cofre SubAstor, haverá o Boteco do 28, com previsão de abertura para março, será um restaurante inspirado nos bares e restaurantes de tapas espanhóis. E o Restaurante do 29, no 29º andar, será inspirado nos "requintados" bares e restaurantes de São Paulo, com inauguração em abril. Na programação também está o LAB do 31 (31º andar), uma escola gastronômica para aulas e eventos relacionados à gastronomia.

O Farol Santander fica na Rua João Brícola, 24 – Centro (estação São Bento – linha 1, azul do metrô). Funcionamento de terça a domingo. Horários: das 09h às 20h (terça a sábado) e das 09h às 19h (domingo).




sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

“Nós vivemos ainda um certo machismo velado”, afirma presidente da OAB Santo André

Por Vivian Silva


A advogada Andréa Tartuce, 50 anos, é a primeira mulher a comandar a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), subsecção Santo André. No início de janeiro, ela tomou posse do novo cargo e, assim, ficará à frente da entidade até 2021. Em entrevista exclusiva à Dia Melhor, ela comentou alguns dos planos para o seu mandato, a importância do empoderamento feminino na área advocatícia e também da necessidade de política públicas para melhorar a sociedade como um todo.

Posse da advogada Andréa Tartuce, que ficará à frente da OAB Santo André no triênio 2019 – 2021 | Foto: CB
Natural de Santo André, Andréa atua no Direito há 16 anos. Antes de ser eleita a nova presidente da Casa, ela já atuava no local, como secretária-geral da OAB Santo André (2016-2018) e coordenadora do núcleo da Escola Superior de Advocacia (ESA), que é um importante braço da OAB, voltada ao aprimoramento do advogado.

Além de advogada, Andréa é psicopedagoga e mãe de três filhos. Antes de chegar ao posto de presidente da OAB, ela conta que já foi vítima do machismo velado na área do direito: ““Nós vivemos ainda de uma forma menos escancarada um certo machismo velado”. E afirma ser contra as cotas de 30% de mulheres na composição de chapas eleitorais na OAB, pois “a mulher tem que ir (aos cargos eletivos) independente disso”, ressalta.

Dia Melhor (DM) - A senhora é a primeira presidente mulher da OAB de Santo André. Numa época com altos índices de feminicídio, o que isso representa para a senhora e para a sociedade?
Andréa Tartuce  (AT)- Realmente, é uma grande conquista, porque são épocas de transformação, mudanças, de conquistas do espaço das mulheres e uma busca de igualdade, então, mais do que ser a primeira mulher presidente, é justamente a gente ter este viés, essa perspectiva de que a igualdade ela está sendo buscada, ela ainda não foi alcançada, mas já é um primeiro caminho.

DM - A senhora já sofreu algum preconceito por ser mulher e advogada?
AT - É uma coisa um pouco mais velada, considerando que é um ambiente predominantemente de homens. Santo André já vem construindo essa abertura, mas no começo senti sim... Não fui eleita porque sou mulher, não é isso, mas foi um desafio... Não só a Presidência da OAB, eu gostaria, por exemplo, de colocar mulheres em comissão de prerrogativas, de ética e ainda não consegui, porque não existem mulheres para preencher. Eu quero trabalhar neste sentido.

DM - Entre seus planos na OAB, haverá algum voltado especificamente ao público feminino ou em prol da igualdade de gênero? Se sim, qual?
AT - Então, nós temos a Comissão da Mulher Advogada e a nossa cadeira no Conselho Municipal e dos Direitos da Mulher. Sim, nós pretendemos não somente ampliar estes espaços, mas também levar a discussão para fomentação e criação de políticas públicas, isto também através da OAB, e a Comissão ainda é uma decisão que está sendo tomada em diretoria, se é o caso de instalar uma Comissão de Defesa de Combate à Violência à Mulher. Esta semana mesmo, nós estamos reiterando um pedido que é a criação de um anexo, é uma bandeira que não é só da OAB, mas nós também iremos intensificar, que é a criação de um anexo de combate à violência, do Juizado de Violência à Mulher, aqui a ideia era um juizado, mas devido a constituição da própria comarca e Fórum, a ideia é abrir um anexo, então a ideia é assim: trabalhar as questões voltados para a mulher advogada e para a mulher dentro da sociedade.

DM -  Quando será a implantação deste anexo? 
AT - Não tem data, porque isso é ainda uma bandeira e uma luta. Mas não é um trabalho solitário da OAB, é um trabalho que será feito com a Delegacia da Mulher, a juíza criminal e tem também outras ONG’s que também vão atuar neste sentido.

DM - E quais são as prioridades do seu mandato?
AT - Poxa, tem tanta coisa, mas é trazer um protagonismo para a OAB, a nossa subseção perdeu isso, então, de acordo com o nosso estatuto, nós temos vários comprometimentos com a advocacia, com a valorização, com o resgate, trazer o advogado para estar na Casa, a preocupação com o jovem advogado é enorme... Um enfrentamento que vem, desde a OAB federal e as seccionais, é lidar com a inovação dentro da advocacia, transformação que todos nós estamos passando e a advocacia também não poderá fugir, que é a advocacia 4.0, que são as novas tecnologias, que vem com a inteligência artificial, as startups, enfim, para serem implantadas também no nosso segmento. Enquanto subseção também temos que ter essa preocupação de preparar o advogado, tanto que uma das comissões que será instalada é, justamente, essa Inovação e Empreendedorismo, que vai trazer essa reflexão e este trabalho para preparar a advocacia para o futuro, para ser a advocacia do amanhã.

DM – Há alguma outra proposta que a senhora queira destacar?       
AT - Uma das nossas propostas, que eu estarei à frente, inclusive, que se chama "Frente 44 -  Observatório da Democracia", que é pautada no artigo 44 do Estatuto da Advocacia, que é uma lei federal, entre as quais, o Estado democrático de direito, a correta aplicação das leis, defesa da sociedade civil, então, partindo destes pressupostos, essa comissão é, justamente, isso, atuar através das comissões a ampliação das cadeiras da OAB como sociedade civil organizada, participar dentro destes conselhos municipais, ouvir as demandas da sociedade... e atuar junto com os Conselhos para verificar a possibilidade de não só sugestões, mas também de proposituras de projetos de leis, que visem a criação de políticas públicas, então, seria uma "ponte" entre a OAB e as comissões  da OAB, conselhos municipais e o próprio Legislativo, para levar à frente e através disso ter a criação de políticas públicas, que beneficiem e retornem à sociedade civil.


Colégio Singular arrecada material escolar usado

Da Redação

As unidades do Colégio Singular no ABC recebem doação de lápis preto e de cor, giz de cera, cadernos, livros, borrachas, réguas, mochilas e canetas, entre outros materiais escolares, novos ou seminovos, até 9 de fevereiro. Todos os itens arrecadados serão destinados às creches e orfanatos localizados na região do ABC.

Materiais podem ser entregues até 9 de fevereiro nas unidades do Colégio Singular | Foto: reprodução 
Segundo o coordenador do Singular Social Ronaldo Beluzzo, todas as ações sociais são um grande sucesso graças ao empenho e participação da sociedade. "Ao longo de 2018 foram realizadas também campanhas de arrecadação de alimentos, agasalhos, produtos de higiene e ração animal. Só de roupas e calçados foram 10 toneladas e de alimentos, 8 mil quilos".

Quem quiser colaborar com a campanha pode conferir o endereço da unidade Singular mais próxima no portal www.singular.com.br .



Poupar no início do ano é a melhor opção para manter a saúde financeira

Da Redação

Todo início de ano traz expectativas e também muitas contas. Além dos tradicionais gastos de fim de ano, em janeiro os impostos aparecem sem piedade. Para quem tem filhos, há ainda a compra do material escolar. Para o professor de finanças do ISAE Escola de Negócios, Pedro Salanek, nos últimos anos a dificuldade de acesso ao crédito e o desemprego aumentaram consideravelmente, então, o controle dos gastos é essencial.

 Criar uma planilha com os gastos é necessário para ter tudo sob controle | Foto: divulgação
Além disso, o novo governo ainda gera muitas incertezas na economia, o que faz com que as famílias passem por uma readequação em seu planejamento financeiro. “Deve-se buscar uma reavaliação daquilo que é suficiente para aquisição, tanto de bens de consumo como também dos bens duráveis. Um controle antecipado daquilo que poderá ser gasto é obrigatório de tornar-se realidade neste período, isso envolve inclusive uma mudança de cultura e disciplina financeira do brasileiro. A questão não é quanto ganha, mas sim quanto gasta”, afirma o professor.

Em janeiro, há uma série de tributações e despesas: IPTU, IPVA, material escolar e o cartão de crédito utilizado no mês anterior são os principais vilões, por isso, Salanek alerta que é preciso ter uma visão dos gastos futuros e segurar o freio quando o assunto é gastar.

“Poderíamos até imaginar como se fosse uma despesa antecipada e já guardar dinheiro pra ela agora. O planejamento financeiro deve ser de médio prazo, ou seja, não podemos nos programar apenas com os valores gastos no momento e sim com aquilo que gastaremos nos próximos meses. Se não tiver previsão suficiente de recebimento de recursos no futuro, não terá como honrar esta previsão do pagamento das despesas”, coloca.

O planejamento é a saída para não ser surpreendido nestes períodos de maior consumo. Por isso, criar uma planilha com os gastos é necessário para ter tudo sob controle. Ter uma reserva para equilibrar as finanças, pode sim ser uma saída, pois reter uma pequena fonte por mês, não pesa no bolso e ajuda em situações críticas.

 “Quando você recebe o dinheiro, automaticamente um percentual deve ser separado dos gastos diários como reserva mesmo. Deve ser guardado em uma conta que você não movimenta rotineiramente (poupança, por exemplo) e considerar como se fosse um pagamento efetuado. Comece a fazer isso com 3%, 5% daquilo que você ganha, e quem sabe no futuro você estará aumentando essa alíquota”, finaliza Salanek.


quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Metade dos casos de transtorno mental surge até os 14 anos de idade

Da Redação

A campanha Janeiro Branco faz um alerta importante: é preciso conscientizar a população sobre a importância da saúde mental. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil possui a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade em todo o mundo. No ranking da depressão, o país está em quinto lugar. O problema pode ter origem ainda na infância e adolescência, pois de acordo com a entidade, metade dos casos de transtorno mental surge até os 14 anos de idade, mas, infelizmente, a maioria não é diagnosticada ou tratada.

O Brasil possui a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade em todo o mundo, segundo OMS | Imagem: reprodução
Para a psicóloga da Clínica Maia Jussara Cavalcanti - especialista em atendimento e acolhimento infantil, adolescente e familiar – as mudanças sociais interferem nesta situação: "Dia a dia, vemos cada vez mais casos de jovens com transtornos mentais, vítimas de depressão profunda, praticantes de automutilação, ideação e tentativas de suicídio recorrentes, assim como envolvimento com álcool e outras drogas. O avanço tecnológico e as mudanças nos hábitos familiares e sociais têm parte nisso. Criaram-se padrões irreais e inalcançáveis que, muitas vezes, levam os jovens a um estresse intenso e frustrações frequentes".

Segundo a profissional, as redes sociais, por exemplo, que ao mesmo tempo permitem aproximar as pessoas, geram uma exposição muito grande, criam um mundo de felicidade irreal e uma busca incessante em alcançá-la. O bullying, inclusive, é também uma consequência disso.

Com isso, as principais síndromes ligadas ao mundo moderno e ao período inicial de vida incluem depressão, que pode ser identificada por comportamentos de isolamento e problemas com autoestima, tristeza recorrente, falta de energia, angústia e um vazio interior; transtorno de ansiedade, caracterizado por insônia, irritabilidade exacerbada, tensão, dores estomacais, medo, agitação, dificuldade em concentrar-se; transtornos alimentares, que podem ser observados através de alterações na alimentação e preocupação exagerada com o peso/corpo, na tentativa de atingir padrões de beleza.

"A fobia social também é comum na adolescência. O jovem tem dificuldade em participar de atividades sociais e busca manter-se isolado em casa, demonstrando medo e insegurança nestas ocasiões. Ele pode apresentar sintomas como agonia, taquicardia, dificuldade em respirar, suor intenso, ente outros fatores. Há também o transtorno desafiador e/ou de conduta, que pode ser confundido com rebeldia da adolescência, mas é importante notar alguns sinais característicos da síndrome: dificuldade em lidar com normas e regras, impulsividade, agressividade, hostilidade, desrespeito à autoridade, irritabilidade, mentiras, roubos, manipulação e colocar-se em situações de risco", esclarece Jussara.

O fato de o diagnóstico ainda ser um problema para a saúde mental, e até mesmo um tabu, causa prejuízos sérios, pois uma síndrome não diagnosticada e não tratada pode comprometer todo o desenvolvimento familiar, social, escolar e profissional da criança/adolescente.

"Um adulto que sofre com uma saúde mental debilitada e não cuidada se torna inseguro, despreparado, sem amor próprio e com dificuldades em lidar com situações do cotidiano, (desde as mais simples até as mais complexas), podendo até mesmo comprometer a própria vida, já que muitos deles enxergam no suicídio uma forma de suprimir a dor", alerta a psicóloga.

Para ela, é vital o papel dos pais, familiares e professores no que diz respeito à atenção quanto aos sinais manifestados pela criança em seu desenvolvimento. Comportamentos agressivos, explosões diante de situações do cotidiano, agitação, distúrbios de sono, de aprendizagem e de socialização são alguns dos sintomas que necessitam de atenção profissional especializada, para um diagnóstico e acompanhamento correto. Uma vez constatado o problema, é fundamental que o jovem passe por um atendimento psicológico contínuo.




Setembro Vermelho: alerta para os perigos das doenças cardíacas em cães

Redação Com o objetivo de informar os tutores e médicos veterinários sobre os sintomas, métodos de prevenção e tratamento das doenças card...