sexta-feira, 29 de março de 2019

Dia da Nutrição: dicas para manter uma alimentação saudável

Da Redação

Em 31 de março é comemorado o Dia Nacional da Saúde e da Nutrição. A data, que integra o calendário do Ministério da Saúde, tem o objetivo de incentivar os brasileiros a refletirem sobre os seus hábitos alimentares no cotidiano. Afinal, o que comemos interfere diretamente na nossa saúde. A nutricionista Bárbara Ramires, que atende pelo GetNinjas, selecionou cinco dicas para ajudar numa alimentação saudável. Confira:

Nutricionista Bárbara Ramires orienta incluir frutas, legumes, verduras, sementes e grãos na dieta diária | Foto: reprodução 
Evite consumir fast food, comidas congeladas ou alimentos pré-prontos. "Essas comidas são altamente calóricas e gordurosas e não contém nenhum nutriente, nem vitaminas e tampouco minerais", explica Bárbara;

Reduza o consumo de sal, açúcar e de carnes processadas;

Nem toda gordura é ruim. Produtos como azeite, óleo de coco e gordura de porco, por exemplo, são opções de gordura boa e ótimas para manter um bom funcionamento dos hormônios e das vitaminas lipossolúveis que são solúveis em gorduras;

Não faça dietas sem acompanhamento. "Não existe a dieta ideal, mas aquela que melhor se adequa à realidade do seu organismo e aquilo que você busca", orienta a nutricionista. Para não prejudicar a saúde, procure ajuda de um profissional.

Inclua frutas, legumes, verduras, sementes e grãos na dieta diária. "Além destes alimentos serem bem mais baratos que os alimentos prontos ou congelados, eles possuem os nutrientes necessários para te ajudar a manter uma alimentação mais saudável e equilibrada", finaliza.

"Festival de Chopp e Hambúrguer" começa nesta sexta-feira em Mauá

Da Redação

O 1° Festival de Chopp e Hambúrguer começa nesta sexta-feira (29) e vai até domingo (31), na Avenida Portugal, em Mauá, das 12h às 22h. A estimativa é que 10 mil pessoas passem pelo local para apreciar não apenas a culinária, mas também para ajudar a economia local. Organização pelo Sabor Brasil, o festival tem o apoio da Prefeitura Municipal de Mauá.

Festival vai até domingo (31) | Foto: divulgação 

Serão seis food trucks de hambúrguer artesanal, seis food trucks de chopp artesanal e dois de sobremesa, além de crepes, comida mexicana e outras bebidas. No evento haverá também opções para os vegetarianos e veganos.

Cada chopp possui estilos, texturas, sabores e graduações alcoólicas diferentes. Algumas bebidas especiais são: Weiss nela (Weiss com canela), Black nela (Black mel e canela), Black hot (Black, mel e jalapeno defumada), Labareda (Pilsen com Carolina heper) Honipa (American IPA com mel da flor de eucalipto) e o Chopp do Alemão.

De sobremesa, entre as opções, está o bubble waffle, sobremesa que surgiu em Hong Kong, é uma massa feita em formato de "bolhas" recheadas, na qual pode ser adicionadas calda, sorvete e coberturas, além do churros de 25 centímetros com diversos recheios e confeitos desenvolvidos com exclusividade para o festival.



Ginecologista fala sobre emendar a pílula anticoncepcional

Da Redação

Uma das alternativas para interromper a menstruação é o uso contínuo da pílula anticoncepcional, emendando as cartelas da medicação. A opção, no entanto, ainda gera dúvidas sobre eventuais malefícios à saúde da mulher. A ginecologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Maria Luisa Mendes Nazar, esclarece os principais pontos sobre o tema:

Segundo a ginecologista Maria Luisa, mulheres com problemas circulatórios, cardíacos e com histórico de enxaqueca devem evitar o uso de estrogênio | Foto: Freepik
Emendar a cartela faz mal à saúde da mulher?
"O corpo vai receber a quantidade fixa de hormônio da medicação, que geralmente é composto por estrogênio e progesterona e, assim, não estimula o crescimento do tecido do útero e, consequentemente, não há menstruação. Esse processo não interfere na saúde", conclui.

Há um limite de cartelas que possam ser emendadas?
Não, o que pode interferir é a adaptação de cada mulher à dose hormonal da medicação. Segundo a médica, o aconselhável é que sejam observados os efeitos durante três meses. Caso neste período ocorram pequenos sangramentos, é importante consultar o médico para a troca da pílula com uma dose hormonal maior.

Quando ocorre o escape é preciso interromper a pílula?
Em casos em que o uso já ultrapassou os três meses de adaptação, quando há o escape é indicado realizar a pausa de quatro a sete dias e retornar com a mesma medicação.

Por que acontece o escape mesmo não interrompendo o uso?
A dosagem pode não impedir por completo o crescimento do tecido do útero, ocorrendo pequenos sangramentos. A médica enfatiza, porém, que esses escapes não são sinais de ineficácia contra a gravidez.

Essa opção é contraindicada para alguma mulher?
A contraindicação não é diretamente sobre o uso contínuo, mas sobre a composição da pílula. Segundo a especialista, mulheres com problemas circulatórios, cardíacos e com histórico de enxaqueca devem evitar o uso de estrogênio. Maria esclarece que para esses casos, há opção de pílulas somente com progesterona.

Monja Coen lança novo livro

Da Redação

No zen-budismo a máxima "A montanha é uma montanha. A montanha não é uma montanha. A montanha é uma montanha" significa que para alcançar a maturidade espiritual e humana é necessário reavaliar suas verdades para reconstruí-las sob uma nova ótica. Essa é a proposta de Monja Coen em Verdade? (Editora BestSeller), livro que inspira a reflexão sobre a repetição de padrões. Para tornar a tarefa didática, a autora questiona ditados típicos da cultura popular brasileira. Em São Paulo, o lançamento ocorre em 4 de abril,  na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, a partir das 19h.

Na obra, Monja Coen  questiona ditados típicos da cultura popular brasileira | Foto: divulgação
"Santo de casa não faz milagre", "O que os olhos não veem o coração não sente", "Deus escreve certo por linhas tortas". Estas e outras frases estão na ponta da língua de qualquer pessoa e é comum reproduzi-las sem se dar conta do que realmente significam.  Mas, afinal, esses ditados populares refletem realmente a realidade dos fatos? Assim, Monja Coen refaz esta pergunta vinte quatro vezes na obra.  À luz do budismo, ela questiona cada uma dessas expressões e mostra que há outras leituras possíveis.

Diante dos juízos de valor que se impõem, a fundadora da Comunidade Zen Budista do Brasil surge com a proposta de ajudar a compreender a realidade e de observar mais profundamente temas como: maternidade, moral, destino, convivência, identidade, hábito, beleza, tempo, fama e medo, por exemplo.  Com bom humor, a monja também usa exemplos reais para ilustrar cada um dos capítulos.

Ao avaliar a frase "Quem espera sempre alcança". A monja defende que esperar não é suficiente. É preciso agir para alcançar os objetivos. Em "água mole, pedra dura, tanto bate até que fura", ela acredita que é possível transformar, não através da violência, mas com perseverança. Ela alerta que "o esforço correto e persistente, assim como uma gota macia de água, pode furar, penetrar um elemento aparentemente rígido".

Neurologista comenta hábitos que prejudicam o cérebro

Da Redação

O cérebro, órgão mais complexo do corpo humano,  é responsável por regular a maioria das funções corporais e mentais. Para garantir que o cérebro funcione de maneira saudável é necessário abrir mão de alguns hábitos prejudiciais, de acordo com o neurologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, Sidney Gomes.

 Dormir pouco, por exemplo, altera os processos cognitivos e pode impactar negativamente na capacidade de concentração | Foto: reprodução
"Muitas práticas rotineiras podem afetar o bom funcionamento cerebral e, se repetidas regularmente, podem agravar o quadro. Então, é importante manter um estilo de vida saudável para preservar as atividades do cérebro e evitar doenças", explica Gomes. O especialista aponta sete hábitos que podem prejudicar o desempenho do cérebro:

1)    Dormir pouco altera os processos cognitivos e pode impactar negativamente na capacidade de concentração. O ideal é dormir de 7h a 8h por noite, mas sempre respeitando o relógio biológico de cada um.

2)   Não tomar café da manhã também é prejudicial. Depois de passar muitas horas sem comer, o nível de açúcar do organismo cai bastante e atrapalha o fornecimento de nutrientes no cérebro. Não se deve pular a primeira refeição do dia. Se não tiver fome ou tempo, deve-se comer, pelo menos, uma fruta ou um iogurte.

3)   Consumir alimentos calóricos em excesso pode acelerar o processo de envelhecimento do cérebro e deixá-lo mais vulnerável à degeneração. É recomendado ter uma dieta equilibrada e praticar atividades físicas regularmente.

4)   O excesso de açúcar pode reduzir a capacidade do cérebro de produzir uma substância química que auxilia no aprendizado, na formação de novas memórias, no combate a depressão e demência.

5)    Beber pouca água pode prejudicar a capacidade de raciocínio e causar dor de cabeça. Não espere ter sede para beber água. Opte também por frutas ricas em água como melancia e laranja.

6)   Não exercitar o cérebro pode contribuir para o prejuízo do desempenho cerebral. O estímulo com jogos, cursos e leitura ajudam a desenvolver habilidades e a manter o órgão saudável.

7)   O tabagismo altera o fluxo de sangue e aumenta a chance de causar acidente vascular cerebral (AVC), também conhecido como derrame, dilatação dos vasos sanguíneos e aumento da pressão arterial. Para diminuir os riscos, é importante parar de fumar.

"Mesmo mantendo um estilo de vida saudável, é recomendável o acompanhamento médico para descartar qualquer tipo de alteração no cérebro e, em caso de diagnóstico de uma doença, indicar o tratamento mais adequado e eficiente", ressalta o neurologista.

quinta-feira, 28 de março de 2019

Como sair de um relacionamento tóxico?

Por Margareth Signorelli

Para sairmos de um relacionamento tóxico primeiro precisamos saber como realmente ele é.
Um relacionamento tóxico é aquele que desde o começo tem características negativas, mas como temos a tendência de aguentar, ou tentar consertar o que não está bom por medo de ficarmos sozinhos novamente e também por achar que a culpa é nossa, acabamos continuando nele.

A coach Margareth orienta que, em alguns casos, é necessário procurar ajuda de um coach ou psicólogo, para sair de um relacionamento tóxico | Foto: divulgação
Um relacionamento tóxico drena a sua energia. Você se sente exausto. Não tem vontade nem de acordar. Você está vivo, mas não se sente vivo. Não sabe mais quem é e se sente perdido. Fica confuso, pois existem momentos bons que geralmente estão ligados ao sexo.

Mas, para que você consiga sair dessa dinâmica e romper esse tipo de relação, é importante dar esses três passos:

1 – Em primeiro lugar responsabilize-se pela sua felicidade, pois a única pessoa no mundo que pode lhe salvar é você.

2 – Cuide de você. Procure ajuda de um coach ou psicólogo. Medite. Fale com seus amigos, porque você já vai ter percebido que não sabe mais o que é certo ou errado, quais são seus valores, o que é importante para você e o que realmente é um relacionamento saudável.

3 – Tome decisões claras. Estipule uma data para se fortalecer e terminar com seu sofrimento. Eu costumo dizer que quando a pessoa permanece muito tempo em um relacionamento tóxico é porque o outro não a machucou o suficiente. Tudo tem um momento certo para acontecer, então faça o seu momento!

Quando se sentir forte e perceber a realidade que estava vivendo, vire as costas e não olhe mais para trás. Saia com a sensação prazerosa de ter feito a coisa certa.

Faça sua própria história com final feliz! Afinal, onde está escrito que é porque terminou um relacionamento que a pessoa não é feliz?

Um relacionamento tóxico só vai ser feliz quando ele acabar.

Faça então como a frase: “Saiu daquela história e não levou muita coisa... só seu amor próprio...”
E você precisa mais do que isso?

*Margareth Signorelli tem formação como coach de relacionamento, é especialista em sexualidade pela FMUSP e em EFT ( Emotional Freedom Techniques). 

Livro homenageia o pintor René Magritte

Da Redação

Nesta última quarta-feira (27), ocorreu o lançamento do livro “Isto não é um Assassino” (Sesi-SP Editora), de autoria de Hugo Aguiar e do desenhista Gustavo Machado, na Galeria Metrópole, em São Paulo.

Obra tem ilustrações do desenhista Gustavo Machado | Foto: divulgação 
A obra é uma homenagem ao pintor belga René Magritte (1898-1967). Baseado em fatos surreais, a trama traz uma noite, um assassinato e, então, convida o leitor a achar significados para as imagens.

Nesta obra, o leitor é seduzido pelas fortes imagens, com traços marcantes e pela intrigante trama que envolve os personagens. Quem é o verdadeiro autor do crime? Ao final, o uso da tecnologia QR Code ajuda o leitor a desenhar o rosto do assassino.

Especialista fala sobre depilação por luz pulsada e a laser

Da Redação

Atualmente, há diversas maneiras para retirar os pelos, entre eles, a depilação a laser e a depilação por luz intensa pulsada. A responsável técnica pela rede D´pil, Ana Carolina Andrade, fala sobre esses dois métodos.

A técnica de luz intensa pulsada é menos agressiva e tem custo mais acessível | Foto: divulgação 
Em ambos métodos, o calor emitido penetra através da melanina do pelo, destruindo a célula germinativa e eliminando os pelos. A principal diferença entre eles é que a técnica de luz intensa pulsada é menos agressiva, pois emite uma luz difusa, que busca a melanina do pelo sem agredir a pele. Entre outros benefícios da luz intensa pulsada, destacam-se o custo mais acessível e o fato de ser um procedimento indolor.

"A depilação por luz pulsada promove a eliminação progressiva dos pelos, melhora o quadro de foliculite e, ao contrário da lâmina e da cera, gera um clareamento na região tratada", ressalta Ana Carolina.

Com isso, a frequência no método de luz pulsada é uma vez ao mês, seguindo o espaçamento de 30 dias entre elas. A quantidade de sessões varia de organismo para organismo. Porém, a média é de oito.

"Em ambas as tecnologias ocorre a eliminação de até 80% dos pelos, sendo necessária uma manutenção anual, após o término do tratamento, pois os pelos são proteção do nosso corpo e o nosso organismo nunca para de produzi-los", completa.

Especialista em educação orienta como lidar com a birra infantil

Da Redação

Quando se fala em birra, é bem provável que pais e mães já tenham experimentado seus efeitos, muitas vezes devastadores. Esse tema gera desconforto, pois normalmente acontece de surpresa. De acordo com a professora de Educação Infantil do Colégio Marista São Luís de Jaraguá do Sul (SC), Samanta Sievers, a birra pode ser descrita como um descontrole emocional. Porém, ela afirma que a conciliação é possível e pode aproximar a relação dos pais com os filhos.

Birra: com crianças menores de três anos, a dica é mudar o cenário, o foco da conversa | Foto: divulgação
A birra ocorre especialmente em momentos de conflito, frustração, ansiedade e raiva, seja por ter recebido um "não", por ter perdido um jogo, ou por não querer obedecer. “Devemos encarar a situação como um pedido de ajuda, como uma oportunidade de diálogo para ensinar a criança a compreender melhor o mundo e a forma como vivemos em sociedade”, orienta Samanta.

É preciso entender, contudo, que o cérebro do ser humano passa por mudanças até o fim da adolescência, ou seja, a estrutura cerebral de uma criança não é a mesma do adulto, de seu pai ou mãe. Partindo daí é possível compreender que a criança não deve ser tratada como um adulto em miniatura.

Assim, Samanta orienta que diante de uma birra o primeiro passo é refletir sobre o que desencadeou aquele comportamento. “Avaliar se a criança está com fome ou sono é o primeiro passo. Também é preciso analisar se ela está em perigo. Uma birra em um brinquedo alto do parquinho, por exemplo, pede que ela seja retirada de lá imediatamente”.

Com base nesses fatores, a professora listou algumas dicas práticas que podem ser usadas em situações de birra, para amenizar e resolver o conflito. Confira:

1 -  Abaixe-se na altura da criança, garantindo comunicação olho no olho, mostrando assim que se está acessível, que será possível ouvi-la com atenção.

2 - Tente conectar-se emocionalmente e fisicamente. De nada vai adiantar longos discursos no momento da birra. Aproxime-se, segure-lhe a mão com delicadeza; se perceber abertura para o mesmo, lhe dê um abraço. Use expressões faciais empáticas e um tom de voz carinhoso. Pode ser difícil manter a calma, mas o adulto é o modelo e deve ser a parte madura dessa relação. Outro desequilibrado e nervoso vai só piorar a situação: pense nisso!

3 - Não grite, não bata. Não vai funcionar, simples assim. Se você enquanto criança "apanhou e não morreu", ótimo! Mas lembre-se que violência gera violência e, em breve, quando a criança tentar lhe bater, não diga que não saiba onde e com quem ela aprendeu isso.

4 - O primeiro passo é garantir que a criança se acalme. Dê-lhe comandos simples como “respire fundo, conte até dez, segure a minha mão”.

5 - Com crianças menores de três anos, uma boa dica é mudar o cenário, o foco da conversa, visando que ela se acalme antes de qualquer tentativa de diálogo. “Vamos dar uma volta lá fora e olhar o céu? Que tal você me dar a mão e a gente caminhar juntos um pouco? Venha comigo, quero te mostrar uma coisa”.

6 - Para todas as idades: assim que ela se acalmar e relaxar, converse com a criança sobre os sentimentos que vieram à tona durante a birra, descrevendo a situação e nomeando as emoções: “Você me pareceu muito chateado quando eu falei que era hora de guardar os brinquedos. Você ficou nervoso e jogou-os em mim. Que tal se a gente conversar para tentarmos juntos resolver isso de outra maneira?”.

7 - Com crianças maiores, mantenha o diálogo com frequência sobre regras e limites, de forma positiva. Antes mesmo de começar a refeição, entrar no shopping ou supermercado, por exemplo, já realize algum combinado: “Temos três tipos de salada, gostaria que você escolhesse uma para provar; hoje você poderá escolher um item para comprar”, ou ainda “hoje não será possível comprar um brinquedo novo, mas podemos olhar o que tem e pensar em opções para seu aniversário, que tal?”.

Se mesmo após esse diálogo a birra acontecer, é interessante que haja uma consequência para que a criança entenda princípios de senso de justiça. Importante: não ceda ao combinado devido à birra, cumpra a sua palavra apesar dela, mostrando que havia sido feito um acordo anterior e que a sua palavra tem valor.

8 - Dica que vale para qualquer idade: se você sabe que a criança faz birra toda vez que você fala que é hora de tomar banho, ou que chegou o momento de ir embora da casa da vovó, avise-lhe antes de isso acontecer. São medidas preventivas que têm como objetivo evitar a teimosia. Que tal ligar o despertador do celular para dali cinco minutos e assim que o fizer, falar: "quando o despertador tocar será a hora de ir embora, certo?”.

9 - Quando for possível, possibilite que a criança realize escolhas, visto que os ataques de birra ocorrem em muitos momentos impostos, como quando escolhemos suas roupas ou o que vão fazer. “Hoje você pode escolher entre esta ou esta roupa para sairmos em família, qual você prefere usar?”. A possibilidade de escolha soa muito mais respeitosa do que simplesmente dizer "vista isso".

O equilíbrio emocional do adulto e o compromisso em educar, e não punir a criança birrenta, fazem toda a diferença. Aproveite este momento para conectar-se emocionalmente com sua criança, com atitudes acolhedoras e amáveis, garantindo leveza e diálogo.

Síndrome do coração partido tem sintomas iguais aos do infarto

Da Redação

Estresse emocional acentuado pode provocar sintomas muito semelhantes ao do infarto, como dor no peito, falta de ar, cansaço, tontura e náuseas, de acordo com o presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), José Francisco Kerr Saraiva. Por isso, a síndrome do coração partido exige tratamento médico adequado, muitas vezes com a participação não apenas do cardiologista, como também de psiquiatra e/ou psicólogo.

Síndrome do coração partido é mais comum em mulheres com idade superior a 40 anos | Foto: reprodução
"Trata-se da síndrome do coração partido, que pode afetar qualquer pessoa, sendo mais recorrente em mulheres com idade superior a 40 anos", explica Saraiva.

O cardiologista salienta serem muitas as causas que podem provocar a síndrome, como a morte de uma pessoa querida, separação conjugal, dificuldades profissionais e financeiras e perda de emprego, descoberta de uma doença grave, ou problemas que envolvam os filhos.

Embora diagnosticada como doença provocada por razões psicoemocionais, a síndrome do coração partido pode causar disfunções nas contrações dos ventrículos do coração, gerando sintomas iguais ao do infarto do miocárdio. É uma disfunção cardíaca transitória, mas precisa ser tratada com eficiência, evitando-se complicações.

A prevenção é a melhor forma de combate ao problema. O médico da Socesp indica a realização de exercícios físicos, especialmente em grupos, pois a atividade associada à sociabilização proporciona momentos de descontração e psicologicamente positivos. "Atividade física é sempre adequada e necessária para todos como prevenção às doenças cardiovasculares em geral; para aqueles que estejam submetidos a estresse emocional, é ainda mais importante, podendo evitar a síndrome do coração partido, um mal de nosso tempo", conclui.

Feira de estética em São Paulo discute câncer e estilo de vida

Da Redação

O oncologista Bruno Conte, do Hemomed, apresentará a palestra "Oncologia estética e seu papel no tratamento oncológico", em 8 de abril, às 15h45, na feira “Estética in São Paulo” que ocorre no Palácio de Convenções do Anhembi (Avenida Olavo Fontoura, 1.209, em Santana).

Pacientes e ex-pacientes oncológicos podem se cadastrar para receber doação da tatuagem cosmética na feira | Foto:  Shutterstock 
De acordo com o especialista, o bem-estar físico e emocional é determinante para o sucesso do tratamento oncológico. "Temos comprovado na prática terapêutica, que atividades de lazer e estética como maquiagem, tatuagem e outras fazem parte do caráter integrativo da abordagem terapêutica e propiciam mais acolhimento, autoconfiança e positividade aos pacientes e familiares", alerta o médico.

 "Arte com paixão" doa tatuagens para mulheres com câncer
 Na feira também haverá a ação social “Arte com paixão”, que doará tatuagens cosméticas gratuitas para mulheres que tiveram câncer de mama e perderam a aréola e sobrancelhas.

A iniciativa ocorre em conjunto com a Associação Brasileira de Micropigmentadores (Abramic), Ana Savoy Centro Técnico de Tatuagens Cosméticas e Hemomed Instituto de Oncologia e Hematologia, maior centro especializado no tratamento do câncer no país.

Pacientes e ex-pacientes oncológicos que queiram receber a doação da tatuagem devem inscrever-se antecipadamente no site https://abramic.com.br/acao-social. Vagas limitadas.

 Câncer deve ser evitado com estilo de vida saudável
Vários estudos científicos comprovaram que o câncer pode ser evitado com hábitos saudáveis de vida. "Uma dieta balanceada, centrada em vegetais, frutas e grãos integrais é vital nesse processo", enfatiza Conte.
A atividade física moderada realizada diariamente é uma medida primordial para melhor lidar com o estresse da rotina. Contribui na melhora da forma física e do humor, além de auxiliar na prevenção e combate às doenças crônicas como o câncer de mama e pulmão, por exemplo.

Outros pontos essenciais de um estilo de vida saudável, capaz de prevenir e reverter doenças crônicas são o apoio social e controle de estresse. Atividades como meditação e yoga ajudam no equilíbrio das emoções e da respiração e devem ser praticadas em grupos. Estas medidas formam a base de um estilo de vida saudável, com foco no bem-estar e longevidade.

quarta-feira, 27 de março de 2019

Minicérebros humanos: a revolução da ciência no estudo do autismo

*Por Dr. Alysson R. Muotri

A criação de minicérebros humanos em laboratório, a partir de células-tronco, é um dos fenômenos mais interessantes da neurociência moderna. Essa nova ferramenta promete uma grande transformação no tratamento de doenças neurológicas e genéticas, gerando uma revolução na medicina.

Por meio da criação de minicérebros em laboratórios, é possível analisar o impacto de toxinas no desenvolvimento embrionário humano e testar drogas para eventuais doenças neurológicas, comenta o Ph.D Muotri | Foto: divulgação
Formados a partir de células-tronco pluripotentes, reprogramadas de células periféricas (sangue, polpa de dente, pele etc.) do próprio indivíduo, esses minicérebros (ou organoides cerebrais) são criados em biorreatores de laboratórios, seguindo uma complexa receita química. Cada passo é importante e, desta forma, é possível recapitular o desenvolvimento neural embrionário da pessoa, só que in vitro. Muito da técnica ainda é empírico, pois as células-tronco fazem a maior parte do processo sozinhas: se auto-organizam em estruturas cerebrais tridimensionais de forma espontânea, seguindo as instruções genéticas codificadas pelo genoma do indivíduo.

A similaridade anatômica dos organoides com o cérebro humano impressiona, mas ainda é uma versão miniatura, com cerca de meio centímetro. As estruturas são pequenas, porque ainda não temos vascularização para manter os minicérebros crescendo por muito tempo. Hoje, conseguimos mantê-los em cultura por 1 a 2 anos. Depois disso, observamos que o centro das esferas se torna escuro, um sinal de que as células estão morrendo devido à falta de nutrientes que só chegam por difusão. No entanto, cientistas já estão criando estruturas de circulação artificiais usando bioimpressoras, semelhantes a veias e artérias, que irão irrigar o interior desses minicérebros e permitir seu crescimento.

Mas a escala menor também tem suas vantagens. Podemos criar, literalmente, milhares de minicérebros de uma única só vez e mantê-los em pequenas placas. Esses organoides podem ser usados para descobertas de novos medicamentos em plataformas miniaturizadas que permitam a comparação paralela simultaneamente. Esse tipo de escala é passível de automação, modelo preferido pelas indústrias farmacêuticas. Além do teste de drogas para eventuais doenças neurológicas, esse modelo também permite uma análise do impacto de drogas ambientais (toxinas, fertilizantes etc.) no desenvolvimento embrionário humano. Nosso laboratório na Universidade da Califórnia, por exemplo, já consegue dizer rapidamente se existem toxinas que afetariam o cérebro embrionário em determinada amostra ambiental, fornecendo um selo de qualidade que deverá ser obrigatório para todos os futuros produtos, artificiais ou não, em alguns anos. É claro que o modelo também tem limitações, afinal os minicérebros não funcionam em um sistema interconectado com outros tecidos (sistema imune, por exemplo), mas acredito que muitas delas serão resolvidas em um futuro próximo.

Apesar das promessas em torno dos minicérebros, tudo isso ainda é muito caro para ser aplicado de uma forma personalizada. Por outro lado, felizmente, a ciência dá saltos. No ano passado conseguimos reduzir o custo dessa tecnologia de forma considerável, possibilitando a criação de minicérebros de até 100 pessoas de uma só vez. O novo método permitirá estudar condições neurológicas geneticamente complexas, como o autismo idiopático.

E foi com esse modelo que também descobrimos que os neurônios de minicérebros derivados de indivíduos autistas estabelecem um número menor de conexões nervosas (contatos sinápticos) comparado ao grupo controle (minicérebros derivados de neurotípicos). Essa alteração sináptica, provavelmente, também está relacionada aos sintomas clínicos dos pacientes. O próximo passo agora é encontrar uma forma de corrigir os defeitos sinápticos nos minicérebros dos autistas, o que será feito em parceria com a Tismoo, que vai iniciar a operação do seu laboratório para modelagem celular funcional na Europa ainda este ano. É um excelente ponto de partida para futuros ensaios clínicos.

Como quase sempre, a ciência avança de forma não linear e, muitas vezes, nos pega de surpresa, sem deixar muitas chances para a reflexão sobre aspectos fundamentais dos dados gerados. Então, uma pergunta interessante e provocativa para a área científica no momento atual seria se esses minicérebros teriam a capacidade de pensar ou se teriam consciência da própria existência em uma placa de petri? A resposta é que, apesar de rudimentar, as estruturas cerebrais estão lá, principalmente regiões do córtex frontal, responsáveis por uma série de funções cognitivas altamente sofisticadas. Seriam essas redes nervosas o princípio da consciência humana? Se sim, quais seriam as implicações éticas dessa tecnologia? Deixando de lado as questões filosóficas e éticas, acredito que esse novo modelo, associado a informação genética individual, trará a medicina personalizada para mais perto dos autistas e outros portadores de transtornos neurológicos.

*Dr. Alysson R. Muotri é Ph.D., professor da Faculdade de Medicina e diretor do Programa de Células-tronco da Universidade da Califórnia, e sócio-fundador da startup de biotecnologia Tismoo, primeiro laboratório do mundo exclusivamente dedicado à medicina personalizada com foco no Transtorno do Espectro do Autismo e outros transtornos neurológicos de origem genética.

Veterinário fala sobre a importância da higiene bucal dos animais

Da Redação

Sortudo é o dono do cachorro que o animal permite que escovem seus dentes tranquilamente. Essa tarefa costuma ser estressante para ambos, por isso, é muitas vezes deixada de lado, de acordo com o veterinário Ricardo Cabral, da Virbac - indústria farmacêutica dedicada à saúde animal. Para esclarecer dúvidas, o especialista explica os principais mitos e verdades sobre o tema.

É importante criar uma rotina diária para escovar os dentes do animal | Foto: divulgação
"Além de o fato não ser uma atividade fácil, o maior problema é que muitos proprietários ainda não têm a devida consciência da importância de manter uma boa higiene bucal. Por outro lado, temos também pessoas que não sabem realizar a limpeza dos dentes dos cães corretamente", comenta Cabral.

Manter a higiene bucal é fundamental para evitar diversos problemas de saúde do pet?
Verdade. Não realizar a escovação diariamente pode causar leves inflamações na gengiva que - se não tratadas - podem evoluir para gengivite grave, reabsorção do osso alveolar e até a perda de dentes. O acúmulo de bactérias pode também cair na corrente sanguínea e levar até a alterações sistêmicas.

É necessário escovar os dentes do cachorro todos os dias? 
Verdade. O ideal é escovar os dentes com frequência, pois a placa bacteriana pode se formar em apenas 12 horas. Recomenda-se a escovação pelo menos uma vez por dia, de preferência de noite, quando o pet já terá realizado todas as refeições, brincado bastante e estará cansado e sonolento. Para os cães que não permitem a escovação diária, ou quando isso não for possível, o dono pode oferecer outras opções que auxiliam na limpeza dos dentes como petiscos, ossinhos e enxaguante bucal, que deve ser colocado na própria água do cachorro, mas sempre mantendo a escovação com a maior frequência possível.

É muito importante criar uma rotina, escovando os dentes todos os dias no mesmo horário, assim o animal se acostumará com a atividade e a tarefa ficará cada vez mais fácil de ser realizada.

Utilizar os produtos de uso humano de vez em quando não faz mal? 
Mito. Não se deve utilizar escova de dente e pasta de dente de uso humano, de jeito nenhum. As escovas para cachorro possuem cerdas mais suaves e especialmente anguladas, evitando que machuque a gengiva e a boca do pet, e garantindo um resultado melhor.

Ao contrário de nós, o cachorro ingere a pasta utilizada na hora da escovação e, por isso, utilizar o creme dental de uso humano é o que traz mais riscos. Isso porque a sua composição contém flúor, que pode ser tóxico para o animal e causar doenças graves. Além disso, as pastas humanas possuem sabão na sua composição, que pode causar também uma irritação da mucosa gástrica dos cães, levando a um desconforto abdominal e em casos mais graves, úlceras gástricas.

É normal cachorro ter bafo?
Mito. O mau hálito é sinal de que algo está errado e é preciso ficar atento! A falta de higiene bucal é uma das principais causas da halitose, que é o principal sinal da proliferação de bactérias que geram o odor. Se a saúde bucal do pet estiver em dia e mesmo assim o mau hálito permanecer, é importante ir ao veterinário, pois a halitose pode ser causada também por algum problema gástrico ou endócrino.

Qualquer pasta de dente para cachorro serve?
Em tese, verdade. Na prática, mito. No mercado, existem diversas opções de pastas de dentes para cães que, em sua maioria, garantem hálito fresco e uma boca limpa. Mas nem todas previnem formação da placa bacteriana, do cálculo dentário (tártaro) e das doenças periodontais e sistêmicas secundárias. É preciso ficar atento ao rótulo e às recomendações dos veterinários, para não desperdiçar o tempo e energia realizando uma escovação com produtos que não garantem a saúde bucal completa do seu pet. Mesmo sendo pastas veterinárias, algumas delas podem conter sabão na composição. Prefira produtos com tecnologia e diferenciais que garantam resultados mais eficientes.

Hospital e Maternidade Brasil tem núcleo dedicado à endometriose

Da Redação

Quando o assunto é cólica menstrual, é difícil uma mulher que não tenha passado por esse incômodo em algum momento. No entanto, quando a dor é muito forte e mais frequente do que está habituada no ciclo, é preciso atenção, já que os sintomas podem ser indícios de endometriose. Com a intenção de alertar o público feminino sobre a doença, neste mês acontece a campanha mundial de conscientização, conhecida como Março Amarelo. O Hospital e Maternidade Brasil, de Santo André, apoia a causa e, inclusive, conta com um núcleo exclusivo dedicado à endometriose, com ginecologistas especializados e equipe multidisciplinar.

Em junho de 2019, o Hospital Brasil deve inaugurar o Centro Médico exclusivamente dedicado ao tratamento de endometriose | Foto: Reprodução
A endometriose tem grande incidência e é uma das principais causas de infertilidade, atingindo cerca de 15% das mulheres em idade reprodutiva. A doença é caracterizada pela presença do endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, crescendo em outros órgãos, como ovários, intestino e bexiga.

Por conta dos sintomas principais - cólicas menstruais fortes, dores na relação sexual, dor pélvica, alterações urinárias e intestinais – a endometriose dificulta a execução de atividades rotineiras, causando incômodo e reduzindo a produtividade das mulheres, conforme explica o ginecologista do Hospital e Maternidade Brasil, Rogers Camargo.

"A doença se classifica em quatro níveis, mínima, leve, moderada ou severa. Por isso, aproveitamos o Março Amarelo para alertar as mulheres para que não negligenciem nem se acostumem com as dores", destaca Camargo.

Pensando em devolver a qualidade de vida para essas pacientes, o núcleo especializado em endometriose do hospital oferece suporte à mulher em todos os estágios do tratamento. "A paciente passa em consulta médica, faz exames e já recebe o direcionamento para tratamento adequado e acompanhamento também com psicóloga e nutricionista", explica o especialista.

Uma equipe dedicada à endometriose no Hospital, que vai desde ginecologistas, cirurgiões do aparelho digestivo, urologistas, radiologistas, médicos do Grupo Dor, até fisioterapeutas, nutricionistas e psicólogos, contribui também para abreviar o tempo de diagnóstico da doença, que chega a levar anos até ser descoberta.

Diagnóstico e tratamento
Para um resultado mais assertivo, no entanto, é preciso usar recursos de diagnóstico por imagem. A ultrassonografia pélvica e a ressonância magnética pélvica são os exames mais indicados e conseguem confirmar a endometriose em 85% a 95% das mulheres.

Há dois tipos de tratamento para combater as dores da endometriose, cabe ao ginecologista avaliar a gravidade da doença. Em casos mais simples, a doença pode ser revertida com medicamentos para dores. Porém, quando mais avançada, a endometriose deve ser removida, por meio de procedimentos cirúrgicos, como a videolaparoscopia e a cirurgia robótica.

Em junho de 2019, o Hospital Brasil deve inaugurar o Centro Médico exclusivamente dedicado ao tratamento de endometriose, com consultórios e equipamentos modernos de medicina diagnóstica, que vão aprimorar ainda mais a detecção e tratamento da patologia. O novo Centro Médico estará sob o comando de uma equipe multiprofissional especializada e referência na região do ABC.

Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível

Da Redação

A perda gradual da visão periférica é a característica principal do glaucoma, doença que hoje é a maior causa de cegueira irreversível no mundo. A fim de evitar essa consequência drástica, a oftalmologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Paula Boturão de Almeida, alerta para o diagnóstico precoce e o controle do problema, que não tem cura.

O único método para diagnosticar o glaucoma é por meio do exame oftalmológico | Foto: Freepik
Sem sintomas aparentes em sua fase inicial, o único método para reconhecer a doença é por meio do exame oftalmológico, como lembra a médica. Segundo ela, essa prevenção deve ser feita em todas as pessoas acima de 40 anos, para evitar a evolução da doença para a cegueira.

No Brasil, cerca de 1 milhão de pessoas são portadoras de glaucoma, de acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima que, até 2020, 80 milhões de pessoas no mundo venham a ter essa alteração na visão.

A oftalmologista explica que o mal se apresenta como glaucomas primários ou secundários, sendo os primários classificados como congênitos, fechado (agudo) e ângulo aberto (crônico). Entre essas categorias, os dois primeiros são denominados como urgência oftalmológica, e tendo como tratamento indicado, a cirurgia.

No caso do glaucoma crônico, tipo mais frequente, o controle é feito com medicação e, somente em casos específicos, a intervenção cirúrgica se faz necessária.

"O glaucoma crônico é uma neuropatia óptica crônica, progressiva, caracterizada por alterações típicas do disco óptico e da camada de fibras nervosas da retina. Na maioria das vezes, é acompanhado de pressões intraoculares acima dos níveis considerados estatisticamente normais", ressalta a oftalmologista.

Paula lembra que alguns fatores são denominados como de risco para este caso, entre eles estão a pressão intraocular, etnia, hereditariedade, miopia, diabetes e a idade. No caso dos secundários, a especialista explica que a causa está relacionada ao uso de medicamentos, como colírios de corticoide, de forma indiscriminada, doenças oculares e inflamatórias.

Apesar da gravidade do problema, a médica reforça, porém, que o portador de glaucoma pode levar uma vida normal seguindo o tratamento indicado pelo médico.

terça-feira, 26 de março de 2019

Casos de sífilis em grávidas aumentam

Da Redação

A sífilis é uma Doença Sexualmente Transmissível (DST) que atinge mais de 12 milhões de pessoas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Nos últimos dois anos, foi declarada como um grave problema de saúde pública no Brasil e o último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde mostra que os casos de sífilis continuam aumentando. Chama atenção o crescimento dos casos em grávidas, fator preocupante, pois a doença pode ser transmitida ao feto pelo contato com o sangue contaminado.

A penicilina benzatina é o único medicamento capaz de prevenir a transmissão vertical da sífilis | Foto: Divulgação 
De acordo com o Boletim, de 2017 para 2018, o número total de casos de gestantes com sífilis aumentou em 28,4%, o que causou milhares de mortes fetais ou neonatais. Para o médico Daniel Pereira Mandarino, ginecologista e obstetra do Plunes Centro Médico, em Curitiba, o aumento dos casos é alarmante. “Os casos de sífilis em gestante apresentaram um crescimento real. A doença precisa ser tratada de maneira adequada ainda durante a gestação já que a transmissão acontece antes mesmo do parto”, explica.

A chance de transmissão da sífilis para o bebê pode chegar a quase 100% dependendo da fase da doença e período da gestação. Sem o controle adequado, ela pode causar diversos problemas como abortamento espontâneo, óbito fetal ou neonatal e sífilis congênita – capaz de que gerar alterações nos ossos, fígado, baço, pele, pulmões, rins, entre outros órgãos. “Se os protocolos de tratamento são seguidos de maneira adequada esse risco pode ser bem minimizado”, detalha o especialista.

Com isso, a prevenção da sífilis durante o período gestacional é prevista no Plano Plurianual (PPA) do governo federal como uma prioridade e o exame VDRL (Venereal Disease Research Laboratory), responsável por detectar a doença, está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS). O VDRL é um exame rápido e em cerca de 30 minutos o paciente recebe o resultado. Pode ser realizado antes de engravidar e também a cada trimestre da gestação.

“O tratamento para gestantes é o mesmo seguido pelos outros pacientes, com doses de penicilina benzatina dependendo da fase da doença”, conta Mandarino. A penicilina benzatina é o único medicamento capaz de prevenir a transmissão vertical, ou seja, de passar a doença para o bebê. Vale lembrar que, como toda DST, a sífilis pode ser evitada com o uso de preservativos, tanto feminino quanto masculino.



Especialista alerta mulheres sobre a importância dos exames preventivos

Da Redação 

Durante o mês de março, a Santa Casa de Mauá realiza várias ações, entre elas, a entrega do passaporte da prevenção para suas colaboradoras, no qual constam os principais exames que as mulheres devem fazer. Segundo o oncologista Fernando Justo, os exames preventivos colaboram para a detecção inicial de várias doenças ginecológicas, como endometriose, infecções, câncer de mama, útero e cistos ovarianos.

Exames preventivos colaboram para a detecção inicial de várias doenças ginecológicas | Foto: Freepik
A primeira consulta ao ginecologista deve ser realizada quando ocorrer a primeira menstruação, a fim de que a jovem esclareça suas dúvidas e receba orientações. Já o check-up ginecológico precisa ser realizado anualmente, assim que iniciar a vida sexual ou por volta dos 25 anos, caso, ainda não tenha ocorrido. "É importante lembrar que os exames não excluem uma consulta bem-feita e exame físico detalhado", ressalta o oncologista.

Para as pacientes com menos de 35 anos é recomendada, nas consultas de rotina, a realização de ultrassonografia de mama e pélvica para avaliar útero e ovários, exame preventivo de Papanicolau e screening laboratorial sanguíneo - hemograma e hormônios tireoidianos. Caso exista alguma queixa, também são importantes os marcadores tumorais e de doenças infectocontagiosas.

As mulheres de 35 anos ou mais que apresentam fatores de risco para câncer de mama, associa-se também a mamografia, uma vez por ano, para avaliação complementar. Dos 50 aos 69 anos, a mamografia deve ser realizada a cada um ou dois anos, dependendo de cada caso. A partir dos 60 anos a pesquisa de sangue oculto nas fezes faz parte dos exames preventivos pelo aumento da incidência de câncer do colo retal.

Universo feminino é tema de palestra gratuita em Santo André

Da Redação

Nesta quarta-feira (27), às 15 horas, a Casa Ronald McDonald ABC, em Santo André, receberá a escritora Cibele Brito para a palestra A Beleza da Casa – Olhe para Dentro. Aberto ao público, o evento é gratuito e as inscrições deverão ser feitas previamente pelo telefone (11) 4433-4490.

Palestra "A Beleza da Casa – Olhe para Dentro" será ministrada por Cibele Brito | Foto: Divulgação
Durante o bate-papo, a palestrante abordará a beleza da casa e seus cômodos como uma analogia do "eu interior". Além de escritora, Cibele trabalha na área de beleza há 30 anos, com atuação em eventos e consultoria.

A Casa Ronald McDonald ABC (Avenida Príncipe de Gales, 821, em Santo André) faz parte do Programa Casa Ronald McDonald, coordenado pelo Instituto Ronald McDonald no Brasil, que atualmente atende 27 hóspedes de zero a 20 anos de idade, acompanhados por um responsável, vindos dos mais diversos lugares do País em busca de tratamento para o câncer. No local, contam com hospedagem, alimentação, transporte e apoio psicossocial gratuitos durante toda a estadia.

segunda-feira, 25 de março de 2019

Ginecologista cita os principais fatores que podem causar ressecamento vaginal

Da Redação

A saúde íntima da mulher pode, muitas vezes, ser negligenciada por conta da correria do dia a dia, excesso de tarefas no trabalho, cuidados com a casa e a família. O ginecologista Márcio Elias explica que a região íntima da mulher é muito sensível aos fatores externos e psicológicos, como problemas profissionais, preocupações familiares, por exemplo. Mas alguns cuidados podem diminuir a incidência de doenças e ressecamento vaginal.

Vale destacar que sensação de queimação na área vaginal, coceira, dificuldade de urinar ou até mesmo dor durante o contato íntimo são sintomas comuns da secura vaginal e devem ser investigados. A seguir o ginecologista lista algumas causas para o problema.

Falta de estrogênio
Fabricado naturalmente pelo corpo feminino, esse hormônio estimula a produção de glicogênio, que serve de alimento para as bactérias benéficas encontradas na vagina que equilibram o Ph natural deste local. A falta deste hormônio compromete todo o ciclo menstrual, além de deixar a parede vaginal mais fina. Em geral, as baixas concentrações de estrogênio no corpo das mulheres pode causar ressecamento vaginal, situação comum  na menopausa e na fase de aleitamento materno.

Medicamentos
O uso prolongado de alguns tipos de medicamentos e tratamentos oncológicos (quimioterapia e radioterapia) também podem interferir na produção de estrogênio. As mulheres que estiverem recebendo este tipo de tratamento devem observar se o ressecamento vaginal se faz presente.

Infecções
A Candidíase vaginal e outras infecções que afetam a cavidade vaginal muitas vezes alteram a flora natural da vagina e são capazes de desenvolver um quadro de secura vaginal. Tratamento é necessário bem como hidratação local caso necessite.

Pílula anticoncepcional
Usuárias de contraceptivos hormonais orais podem apresentar quadro de ressecamento vaginal. É pouco frequente, mas pode afetar a lubrificação íntima e dificultar relação sexual.

Problemas de natureza psicológica
Como alguns dos sintomas da secura vaginal só são sentidos durante a relação sexual, o problema pode estar, justamente, relacionado à falta de excitação, lubrificação, insatisfação com o parceiro, situações de estresse e até quadros de depressão.

“Para tratar o ressecamento vaginal é imprescindível identificar os sintomas que estão causando o problema. O tratamento é multifatorial e pode ser combinado entre medicamento, suplementação e dietas. Hoje no mercado, existem maneiras rápidas e eficazes para minimizar o problema, como o uso de gel hidratante intravaginal, que auxilia na manutenção da hidratação vaginal natural e da hidratação tecidual. Opte por gel à base de ácido hialurônico e sem hormônios. E atenção, é importante sempre utilizar o hidratante intravaginal sob supervisão médica”, alerta o especialista.

Fundação do Câncer reforça a importância da vacinação contra o HPV

Da Redação

Nesta terça-feira (26) é comemorado o Dia Mundial da Prevenção do Câncer de Colo do Útero. Com isso, a Fundação do Câncer lança ação de conscientização sobre a importância da vacinação contra o papilomavírus humano (HPV), o principal causador da doença. A campanha, com o lema "Forte é quem se cuida", é direcionada aos pais e responsáveis de meninas de nove a 14 anos e meninos entre 11 e 14, faixas etárias imunizadas gratuitamente nos postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) durante o ano inteiro.

Vacina contra o HPV está disponível no SUS, durante o ano inteiro | Foto: Reprodução
Para ajudar nessa ação de conscientização, a Fundação do Câncer conta com a parceria de Popeye e Olívia Palito, conforme explica a gerente de marketing da Fundação do Câncer, Suely Guimarães. "Esses personagens, tão queridos por todos há muitas gerações, foram escolhidos para falar não só com as crianças e adolescentes a serem vacinados, mas principalmente com seus pais e responsáveis, que normalmente cuidam da carteira de vacinação desse público", destaca.

As peças publicitárias serão divulgadas nas redes sociais da Instituição. A campanha conta ainda com materiais informativos que serão disponibilizados para download gratuito no site da Fundação e poderão ser impressos e utilizados para divulgação da vacinação em instituições de ensino e clubes, por exemplo.

Vacinação para prevenção 

O câncer do colo de útero é o terceiro tumor maligno mais frequente entre mulheres brasileiras, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Entretanto, essa não é a única doença causada pelo HPV. O vírus, que é sexualmente transmissível, também pode dar origem a cânceres como os de boca, garganta, esôfago, pênis, ânus e a verrugas genitais. Por isso, tanto meninas quanto meninos precisam ser imunizados com a vacina.

O HPV ainda é cercado de tabus. Sem saber que o vírus causa diversos tipos de cânceres além do de colo de útero, muitos acreditam que apenas as meninas precisam ser vacinadas quando, na verdade, os meninos também necessitam dessa defesa. É também importante ressaltar que a vacinação é feita em duas doses. Vale destacar que a imunização só é eficaz, quando feita antes do contato com o vírus.

Já o diretor executivo da Fundação, Luiz Augusto Maltoni Jr, destaca a importância da ação. "Nas campanhas de vacinação, sempre entram em cena algumas notícias falsas sobre a vacina contra o HPV, mas é importante ter em mente que além de não haver perigo na imunização, essa é a forma mais eficiente de se alcançar a erradicação dos cânceres causados pelo vírus", finaliza.

Consumo de água na limpeza doméstica pode ser reduzido com produtos adequados

De acordo com o Estudo Global sobre Cuidados Domésticos realizado pela consultoria Nielsen, um em cada três entrevistados limpam suas casas diariamente e 31% lavam roupas todos os dias. No entanto, sabemos que essa rotina de cuidados domésticos provoca impactos sobre o meio ambiente e a água que consumimos.

Existem produtos cujas fórmulas contêm um inibidor de transferência de cor e impedem a coloração dos tecidos brancos | Foto: reprodução
Os consumidores que buscam por produtos eficazes na limpeza e que contribuam com a economia de água e energia podem encontrar desde produtos biodegradáveis, formulados com ingredientes que minimizam a contaminação da água e reduzem o dano nos ecossistemas fluviais, assim como soluções concentradas, que podem economizar até 25% de água em seu processo de produção, sem falar da melhor eficiência na etapa de transporte. A seguir a algumas dicas para cuidar da água ao lavar roupas e limpar a casa:

1) Procure por detergentes biodegradáveis para lavar roupas e louças
A maioria dos detergentes tem agentes quelantes que ajudam a remover manchas mais difíceis, como graxa, gordura, leite e tinta. No entanto, muitos produtos usam agentes quelantes que contêm fosfatos e são prejudiciais à saúde humana e ao meio ambiente.

Os fosfatos são eliminados pelo encanamento, contaminando a água dos rios. Sua presença gera um crescimento excessivo de algas e um aumento no consumo de oxigênio da água, o que prejudica a vida aquática e o equilíbrio ecológico dos rios, causando a morte de plantas e animais.

Uma alternativa mais ecológica é o uso de quelantes sem fosfatos e com alto poder de limpeza, contribuindo com o equilíbrio dos ecossistemas.

2) Escolha produtor para lavar roupas que reduzam os ciclos de lavagem das peças
Normalmente, separamos nossas roupas entre peças brancas e coloridas para evitar manchas. Isso nos leva a aumentar o número de lavagens, consumindo mais água e energia. No entanto, existem produtos cujas fórmulas contêm um inibidor de transferência de cor e impedem a coloração dos tecidos brancos, permitindo que todas as roupas sejam combinadas em uma única lavagem.

Por exemplo, em um estudo da Fundação Espaço ECO (FEE), o ativo Sokalan HP 56, da BASF, aplicado em detergentes líquidos ou em barra e que atua como inibidor de transferência de cor reduz em 20% o impacto ambiental da lavagem de roupas. Como resultado, a quantidade de água consumida por uma casa com quatro pessoas em um ano diminui em 1.100 litros, que equivale ao consumo diário de água de cinco pessoas ou 100 lavagens em uma máquina de lavar louça ou 12 quilos de carbono para a atmosfera.

3) Procure produtos que eliminem micróbios em uma única lavagem
As bactérias presentes na pele podem gerar maus odores em nossas roupas, principalmente naquelas que usamos para realizar atividades físicas. Detergentes para a roupa com um alto espectro de proteção antibacteriana evitam a proliferação de microrganismos e, consequentemente, de odores desagradáveis nas roupas.

Esse tipo de inovação nas fórmulas dos produtos é ainda mais relevante se observarmos que 74% dos consumidores da América Latina usam máquinas de lavar e apontam como atributos necessários a alta eficiência (61%) e a preservação da cor (48%), de acordo com o estudo da Nielsen.



Gripe: conheça os grupos prioritários para vacinação

Da Redação

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe deste ano está prevista para começar em abril. A coordenadora substituta do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Ana Goretti, comenta sobre a imunização e explica que os grupos prioritários são formados por pessoas que têm mais chances de contrair uma gripe severa, que pode causar a morte.

Vacinação está prevista para começar em abril | Foto: Tãnia Rego/ABr
“Esses grupos prioritários para vacinação de 2019 serão as gestantes - um grupo prioritaríssimo para essa vacinação - as puérperas, ou seja, aquelas mulheres que tiveram parto até a 45 dias”.

Ana destaca as demais pessoas deste grupo. “Todos os trabalhadores de saúde; os professores das escolas públicas e privadas; toda a nossa população indígena e os grupos portadores de doenças crônicas. Além disso, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade que estão, no momento, cumprindo alguma medida socioeducativa; a população privada de liberdade e os funcionários desse sistema prisional, tudo isso com o objetivo de reduzir as complicações da gripe e internação e os óbitos também”. Também entram no grupo prioritário, as crianças a partir de um ano até seis anos incompletos. 

No outono aumenta os casos de transmissão da gripe, por ser um clima mais propício. Essa transmissão ocorre por meio do contato com secreções das vias respiratórias, de uma pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar.

Para se proteger, além da vacina, o ideal é lavar as mãos constantemente com água e sabão, ou utilizar álcool em gel para fazer a higienização, quando não for possível lavá-las. Além disso, evitar ficar muito tempo em lugares fechados com muitas pessoas.

“Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa” facilita atendimento

Da Redação com Ag. Rádio Mais

A Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa é ferramenta para auxiliar os profissionais de saúde a criar ações para aumentar os cuidados com a saúde, conforme explica a coordenadora de Saúde do Idoso do Ministério da Saúde, Cristina Hoffmann.

Atualmente, 2.672 municípios já aderiram a oferta da Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa | Foto: Reprodução 
“Se todas as pessoas idosas passarem por uma avaliação multidimensional, os profissionais que trabalham nas unidades básicas de saúde conseguirão identificar os diferentes perfis daquelas pessoas que moram naquele território que estão sob sua responsabilidade. E você conhecendo o perfil dessas pessoas, as necessidades de saúde, você consegue elaborar ações, você consegue desenvolver projetos que vão atender as necessidades reais daquela pessoa”.

Além disso, a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa facilita o acompanhamento de como está a saúde de cada pessoa. Esse é o caso da aposentada Elza Farina, de 75 anos. “É importante porque a gente chega aqui e ele vai perguntar e a gente esquece as coisas em casa. Muitas coisas é uma dor ou um remédio que a gente toma aí chega aqui e o médico pergunta e a gente não sabe dizer e com a caderneta está tudo anotado. Então é mais prático para ele, pois a gente não precisa estar se queixando ou perguntando”, comenta Elza.

Atualmente, 2.672 municípios já aderiram a oferta da caderneta de Saúde da Pessoa Idosa. Em 2018, mais três milhões de unidades foram entregues. Também há investimentos na capacitação dos profissionais que atendem diretamente essa população no Sistema Único de Saúde (SUS).

sexta-feira, 22 de março de 2019

Governo de São Paulo lança o aplicativo “SOS Mulher”

Da Redação

O Governador João Doria lançou nesta sexta-feira (22) um aplicativo para que mulheres com medidas protetivas concedidas pelo Tribunal da Justiça de São Paulo (TJSP) possam pedir socorro, quando estiverem em situação de risco. Chamado de SOS Mulher, a ferramenta, desenvolvida pela Polícia Militar, permite que as vítimas peçam ajuda apertando apenas um botão, por cinco segundos. A medida visa agilizar e priorizar o atendimento destas pessoas, deslocando as equipes mais próximas ao local da ocorrência.

Aplicativo é voltado às mulheres com medidas protetivas | Foto: reprodução
"A mulher aperta o botão e imediatamente aciona a Polícia Militar. A viatura mais próxima é enviada rapidamente até o local de onde foi emitido o sinal por meio do celular, em georreferenciamento. É mais rápido do que o sistema 190, que já é eficiente", explica Doria.

Para usar o aplicativo, basta que o interessado baixe a ferramenta por meio das lojas virtuais Google Play e App Store. Depois, é necessário a realização de um cadastro com os dados pessoais para que as informações possam ser checadas junto ao TJSP, que fornece as informações do banco de dados das medidas protetivas. Após a confirmação positiva da ferramenta, o serviço poderá ser utilizado, a partir de 1º de abril.

O comandante da Polícia Militar, Marcelo Vieira Salles, explica como funciona o serviço. "As viaturas que estão a quatro quilômetros podem ser acionadas. Assim que acionou, cai no despachador, que é aquele policial que já aciona diretamente a viatura", afirma.

Após a chegada da equipe policial no endereço, é essencial que o usuário apresente a decisão do juiz, comprovando o descumprimento da medida protetiva e as providências decorrentes.

Em caso de acionamento indevido, a pessoa deve acionar a Polícia Militar rapidamente pelo telefone 190 e cancelar a ocorrência.

É de extrema importância que, antes de começar a usar o aplicativo, a pessoa faça um teste de acionamento para verificar se a sua medida protetiva consta na base de dados do Poder Judiciário. O botão "peça socorro" do SOS Mulher é destinado apenas às mulheres e também aos homens e crianças que possuem a restrição expedida pelo órgão. Atualmente, mais de 70 mil pessoas estão aptas a utilizar o serviço.

Especialista em inteligência emocional comenta cinco dicas para ser mais feliz

Da Redação

O brasileiro nunca foi tão infeliz como no ano passado, de acordo com a "World Happiness Report", pesquisa realizada pelo Instituto Gallup, que mede a felicidade em todo o mundo. O estudo mostrou uma grande preocupação dos brasileiros com a crise financeira e as lideranças políticas no País. No entanto, de acordo com a especialista em inteligência emocional e diretora do Centro Hoffman, Heloísa Capelas, a resposta para superar a infelicidade pode ser mais simples do que se imagina, pois sempre é possível aprender a ser mais feliz na vida cotidiana.

A especialista Heloísa Capelas explica que é importante fazer um exercício de autoconhecimento e definir qual é o seu conceito de felicidade |  Foto: Freepik 
Além disso, ao longo do tempo, foram criadas diferentes ferramentas que auxiliam as pessoas a sair deste estado de infelicidade, segundo Heloísa. O Processo Hoffman, ministrado por ela, é uma delas. "Por meio da metodologia que aplicamos em nosso curso, promovemos uma desconstrução de cada indivíduo para que eles entendam um pouco mais sobre como se tornaram, quem são, e desenvolvam a inteligência emocional. Ao terem essa percepção, conseguem também refletir de forma mais objetiva sobre os acontecimentos cotidianos de forma que não sejam tomados pela infelicidade", afirma.

Também autora do livro "O Mapa da Felicidade", Heloísa aborda na obra aborda as principais inteligências humanas, com conceitos e exercícios práticos. "De modo geral, a felicidade é descrita como uma sensação de bem-estar, grande alegria, contentamento, boa sorte, bom êxito, sucesso ou paz interior". Diante disso, confira cinco dicas selecionadas pela especialista para se encontrar o caminho da felicidade.

Ser feliz não depende de fatores externos
O que faz você feliz? Segundo Heloísa, essa pergunta é muito difícil de ser respondida. Geralmente, as pessoas não conseguem encontrar as palavras que definem a felicidade. Possuir um bom emprego, abrir o próprio negócio ou ter o carro do ano são alguns desejos muito frequentes. "Por mais diversas que todas essas respostas sejam, existe nelas algo em comum: todas têm uma condição. É a chamada condição 'se'. Se eu tiver, se eu fizer, se isso ou aquilo acontecer", afirma.

Para a especialista, a questão do "se" está diretamente ligada a algo que vem de fora e isso não temos controle. Essa conduta torna as pessoas dependentes e reféns de situações externas. A diretora do Centro Hoffman explica que é importante fazer um exercício de autoconhecimento e definir qual é o seu conceito de felicidade.

Seja feliz hoje
Sempre projetamos a felicidade para o futuro. No entanto, é essencial trabalhar com pequenas recompensas no dia a dia. Pode ser que hoje você não se torne o diretor de uma grande empresa, mas não é necessário ser feliz apenas quando você alcança um objetivo. "Devemos nos ensinar a ter prazer na simplicidade, no aqui e agora. Uma mensagem, um jantar, um passeio, jogar um videogame", diz a especialista.

Seja positivo
Estar em um ônibus lotado não é sensação agradável e muitas vezes é visto como sinônimo de infelicidade. De acordo com Heloísa, é preciso mudar um pouco a nossa percepção de algumas situações. "Existe positividade e felicidade em qualquer momento, é uma prática que exige treino", diz.

No caso do transporte público, as pessoas podem aproveitar o tempo para ler um bom livro ou assistir a uma série. Essas pequenas ações podem nos dar mais prazer no nosso dia a dia.

Para ser feliz, não é preciso parar de sofrer
Estamos imersos em um mundo que entristece, aborrece, suga e cansa as pessoas. É impossível se sentir alegre o tempo todo. "O grande problema é que não vivemos a dor no momento em que ela surge. Fugimos dela e, paradoxalmente, vivemos uma dor rasa e vazia por toda a vida ou em grande parte dela", diz Heloísa. Para ela, é preciso tomar cuidado para não cair na armadilha da vitimização e passar a culpar todos a sua volta para se sentir melhor.

Tenha amor-próprio
É muito comum as pessoas esperarem o amor, reconhecimento e respeito dos outros. Assim, recorrem a presentes e cobrem os amigos de agrados. Mas, o amor-próprio é essencial para melhorar a qualidade de vida dos indivíduos. "Quando cada um descobre essa capacidade e se apropria dela de modo integrado, promove um relacionamento muito melhor consigo mesmo. Porque assim se instala em você a vontade de fazer o melhor por si mesmo", finaliza.

Miss Brasil Mundo 2018 alerta para sintomas da hanseníase

Da Redação com Ag. do Rádio Mais

Nascida e criada em Parnaíba, no Piauí, Jéssica Carvalho está no último ano de Medicina e tem o sonho de se tornar uma grande neurologista. Em 2018, a jovem de 23 anos foi eleita a Miss Brasil Mundo, a primeira nordestina a ganhar a competição em 25 anos. Representante brasileira no Miss World, um dos dois principais concursos de beleza do planeta, Jéssica faz um apelo importante aos brasileiros sobre a hanseníase .

"A hanseníase tem cura e quanto mais cedo a pessoa fizer o tratamento, menor chance de ter sequelas", comenta Jéssica  | Foto: Divulgação
“O Brasil está na segunda posição em número de casos de hanseníase. Por causa disso, a doença é um caso sério de saúde pública no nosso País. Se você notar alguma mancha esbranquiçada, amarronzada ou avermelhada em qualquer parte do seu corpo com perda ou diminuição de sensibilidade, procure um posto de saúde. A hanseníase tem cura e quanto mais cedo a pessoa fizer o tratamento, menor chance de ter sequelas. E uma vez que se começa o tratamento, não há mais risco de contágio. Fique atento, procure ajuda e não tenha preconceito contra quem pegou esta doença”, afirma Jéssica.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza o tratamento e acompanhamento da doença em Unidades Básicas de Saúde e de referência em todo o País. É importante ressaltar que, logo no primeiro mês de tratamento, a pessoa já não transmite o bacilo. Por isso, é preciso que o paciente siga todo o tratamento, sempre de acordo com a orientação médica.

Ao surgimento de qualquer mancha que tenha a perda ou diminuição da sensibilidade ao toque, ao calor ou frio, procure a Unidade Básica de Saúde mais próxima e faça o teste. Quanto mais cedo o diagnóstico, menores as chances de sequelas. A hanseníase tem cura e o tratamento está disponível gratuitamente no SUS.

Gastroenterologista fala sobre intolerância à lactose

Da Redação

Estima-se que no Brasil cerca de 40% da população sofra com algum grau de deficiência de lactase no organismo – enzima produzida no intestino que quebra e decompõe a lactose, açúcar do leite e de seus derivados em moléculas menores que conseguem ser absorvidas pelo intestino. Essa incapacidade total ou parcial de digestão é popularmente conhecida por intolerância à lactose. O gastroenterologista Décio Chinzon explica peculiaridades dessa condição e como conviver com ela sem sofrimento.

A intolerância à lactose pode ser congênita, primária ou secundária | Foto: reprodução 
A intolerância à lactose é dividida em três tipos distintos

A do tipo congênita é caracterizada por deficiência total da enzima lactase, desde o nascimento da criança e é responsável por sintomas como diarreia e perda de peso no recém-nascido. O bebê portador não é capaz de degradar e, consequentemente, absorver o açúcar do leite. Essa é a forma mais grave e mais rara da deficiência enzimática e se manifesta logo nos primeiros momentos da amamentação.

Na denominada deficiência de lactase primária, ocorre uma progressiva perda da lactase intestinal, geneticamente determinada e normalmente os sintomas se iniciam na adolescência ou na vida adulta. Os sintomas mais comuns são distensão abdominal, cólica, flatulência e diarreia, que ocorrem após a ingestão de alimentos lácteos. E por fim, a secundária ocorre como consequência de doenças intestinais, que por causarem um processo inflamatório, contribuem para a diminuição de produção de lactase pelas células do intestino. Esse tipo de deficiência pode acontecer em qualquer idade e desaparece quando a doença de base é tratada.

O diagnóstico é simples, no qual são associados os dados clínicos (sintomas após a ingestão de lácteos ou derivados) com exames complementares como teste respiratório, sobrecarga de lactose ou mesmo testes genéticos.

 “Algumas estratégias como o fracionamento da ingestão de alimentos lácteos e a utilização de produtos com baixo teor de lactose podem ser utilizadas pela pessoa com deficiência primária de lactase  (intolerância à lactose do adulto). No entanto, a exclusão total de alimentos lácteos pode ser prejudicial para a obtenção de nutrientes como o cálcio entre outros elementos”, explica a especialista. Quando alimentos que contenham lactose forem ser consumidos, pode-se fazer uso da enzima lactase em comprimidos junto com a ingestão alimentar. É importante lembrar que o acompanhamento médico e nutricional é fundamental para essas pessoas”, conclui Chinzon.

Professor da FGV alerta sobre os riscos da "dark web"

Da Redação

O coordenador do MBA de Marketing e Negócios Digitais da Fundação Getulio Vargas (FGV), André Miceli, alerta para os perigos da deep web. Segundo ele, não é um lugar interessante para adolescentes e crianças ou mesmo adultos navegarem, por ser um espaço de conteúdos ilegais – que vão desde malwares desenvolvidos por hackers, em busca de dados pessoais –, a atividades ilegais.

A a "dark web" fornece mecanismos de anonimato que favorecem a ação de hackers e criminosos virtuais, além de pessoas que buscam compartilhar conteúdos censurados | Foto: Reprodução 
Miceli, no entanto, esclarece que o problema está na "dark web", uma subdivisão da deep web. O especialista explica que a deep web possui 96% do conteúdo da internet, que vão desde arquivos científicos, livros raros, informações financeiras, até vírus e informações sobre crimes. A diferença é que, ao contrário do que acontece na internet que conhecemos, essas páginas não estão indexadas a motores de busca, nem podem ser acessadas pelos browsers que usamos diariamente.

"Na 'dark web' estão salas de conversa que podem incitar a violência, comercializar drogas, contratar serviços e produtos ilícitos, organizar ações contra o governo e outras questões. Em função do que acontece nesse ambiente, ele é monitorado por governos, polícias e agências de inteligência. Já na deep web, estão site fechados, grupos e informações confidenciais.", explica Miceli.

O professor da FGV esclarece que a "dark web" fornece mecanismos de anonimato que favorecem a ação de hackers e criminosos virtuais, além de pessoas que buscam compartilhar conteúdos censurados. "Lojas virtuais de mercadorias proibidas ou de difícil acesso, inclusive drogas ilícitas e armas também estão nesse ambiente", alerta o especialista em ambientes digitais.

Cuidados
Miceli destaca que os pais devem estar atentos aos acessos de seus filhos na deep web. O especialista sugere que os responsáveis instalem um software de Controle Parental que permita bloquear os endereços terminados em “onion” e que fiscalizem diariamente e presencialmente a usabilidade das crianças e adolescentes no ambiente virtual.

 "A deep web não é feita apenas de coisas ruins. No entanto, vale verificar os acessos do TOR (The Onion Router) – software que permite estabelecer conexões anônimas e acessar conteúdos inadequados – e do I2P e Freenet, por exemplo. Assim é possível prevenir problemas provenientes dos riscos e perigos desse ambiente", finaliza Miceli.

quinta-feira, 21 de março de 2019

Anticoncepcional pode afetar a disposição, comenta nutróloga

Da Redação

Quando os anticoncepcionais surgiram na década de 60, foi um grande avanço no campo da sexualidade feminina. Porém, atualmente, eles são associados também à ansiedade, falta de energia, desânimo e depressão, conforme comenta a médica nutróloga do Espaço Volpi, Paula Vasconcelos.

Anticoncepcionais são associados à depressão e falta de energia  | Foto: Freepik
Questões como varizes, inchaço corporal, celulites, vaginismo, ganho de peso, mal-estar e até mesmo a Tensão Pré-Menstrual (TPM), por exemplo, estão presentes nas bulas dos remédios, relembra a médica, mas muitas mulheres iniciam a vida sexual e começam a tomá-los por conta própria, sem a consulta com um médico especialista.

"A mulher está sempre em busca de uma vida mais saudável, em se cuidar, se manter bonita e com saúde, mas muitas vezes não sabe dos perigos que está colocando dentro do seu próprio corpo tomando esse tipo de medicamento (que pode ser comprimidos, injeção, anel vaginal, adesivo, etc)", afirma.

Os anticoncepcionais atrapalham ainda quem deseja ganhar massa muscular, além de dificultar o emagrecimento e reter líquidos. "Eles liberam uma grande quantidade de hormônios para impedir a ovulação e, consequentemente, a gravidez. Mas o problema é que é preciso ter um equilíbrio entre os hormônios femininos e masculinos, como a testosterona que é responsável pela libido e pela disposição", explica Paula.

Para não ter o rendimento comprometido no dia a dia, seja na academia, na vida profissional ou no sexo, a especialista afirma que é preciso conversar com o médico e alinhar as expectativas e objetivos, além de manter uma boa e equilibrada alimentação.

Casa Lego segue no Golden Square Shopping

Da Redação

Imaginação, diversão, criatividade e aprendizado. Estes e outros valores estarão em evidência na superatração que o Golden Square Shopping apresenta até o dia 14 de abril: a Casa Lego.
O evento chega com a tradição que reúne gerações há mais de 80 anos em torno de brincadeiras que ainda hoje são sucesso em todo o mundo ao associar imaginação, desafios e interatividade. As atividades, com entrada gratuita, foram desenvolvidas especialmente para crianças de 18 meses a 12 anos de idade em espaços temáticos e coloridos.

Atração continua no local até 14 de abril  | Foto: Divulgação
Para os pequenos de até 3 anos, o roteiro de diversão tem início no Espaço Kids. Já imaginou uma piscina de peças de Lego duplo de diversas cores? Seguindo o conceito de uma piscina de bolinhas, além de aprender novas cores, as crianças poderão fazer suas construções de Lego ali mesmo, pois encontrarão nas laterais da piscina bases para a montagem das peças. Com capacidade para quatro participantes simultaneamente, a brincadeira terá duração de até 30 minutos e deverá ser acompanhada por um responsável.

Já as crianças a partir de 4 anos poderão optar entre duas diferentes brincadeiras. No Espaço Central Park elas serão acomodadas em mesas de piquenique e incentivadas a construir peças para o jardim, enquanto no Mini Zoo darão vida aos animais mais admirados do zoológico como girafas, macacos, pássaros ou zebras.  Valorizando a criatividade, após a construção as peças ficarão expostas dentro do Espaço.

Para os que adoram superar seus limites, o Espaço Desafios oferece monitores para orientar as crianças a trabalharem em equipe na construção de pontes, torres e objetos de apenas uma cor. Vence o grupo que construir a ponte mais resistente, a torre mais alta ou o maior número de objetos.
E pensa que acabou? Para convidar os clientes a participarem do evento, estarão expostos no shopping quatro incríveis esculturas numa representação à versatilidade de Lego e a liberdade de construir tudo que a imaginação permitir.

O evento é gratuito. Para participar os clientes deverão emitir um voucher por meio do aplicativo do Golden Square Shopping. O regulamento completo estará disponível na plataforma.

Serviço

Casa Lego Golden Square Shopping
Data: Até 14 de abril
Horário de funcionamento: De domingo a sexta-feira, das 14 às 20 horas; e sábado, das 12 às 21 horas
Local: Golden Square Shopping (Av. Kennedy,700, Bairro Jardim do Mar - São Bernardo do Campo - SP)
Classificação indicativa: 18 meses a 12 anos – As crianças menores de 4 anos deverão estar acompanhadas por um responsável maior de 18 anos durante toda a atividade
Voucher de participação: Deverão ser emitidos por meio do aplicativo do Golden Square Shopping. Após a participação em uma oficina, a criança que optar por participar novamente deverá fazer nova inscrição
Duração: Cada turma tem duração de 30 minutos de atividades no espaço e a capacidade máxima é 36 crianças por turma
Entrada Gratuita

Especialista fala sobre a importância de desenvolver habilidades nos relacionamentos interpessoais

Redação Podemos definir relacionamento interpessoal como a ligação, conexão ou vínculo entre duas pessoas, ou mais pessoas, dentro de um d...