sexta-feira, 24 de maio de 2019

Professor Luciano Salamacha fala sobre vaidade

Redação

A palavra vaidade originária do latim significa oco, vazio. No dicionário quer dizer valorização que se atribui a própria aparência ou a intelectualidade, mas pode se encontrar mais de 130 sinônimos correlacionados a vaidade. Na história do cristianismo, a vaidade é o primeiro pecado capital.

Para Salamacha, a vaidade precisa de equilíbrio, pois em excesso prejudica, mas a falta também não é saudável | Foto: reprodução

Para o professor da FGV e fundador da escola do pensar da ESIC Internacional, Luciano Salamacha, a vaidade é uma fera que deve ser controlada no ambiente profissional. Em excesso pode cegar, colocar tudo a perder, e na falta dela pode ser a pitada que faltava para a autoestima, sentimento fundamental na disputa de cargos de liderança. Salamacha orienta algumas atitudes que podem fazer com que não se caia na fogueira da vaidade:

1 - Todo profissional deve periodicamente revisar as atividades que desenvolve, pois algumas vezes, alimentamos por vaidade certa rotina de trabalho que passou a ser desnecessária.

2- A vaidade acontece o tempo todo em nossas vidas, por isso, tenha sempre pessoas de sua confiança que possam apontar se deve manter afazeres por necessidade, ou  por pura vaidade. Pessoas que possam, inclusive, apontar se você está certo sobre certas habilidades que você considera ter.

3 – Não seja refém de pessoas que por maldade vão usar essa característica para provar que você deve ser menos despretensioso, sem ganância, sem ambição, porque na verdade querem te frear na competição.

4- Perceba o que está cultuando na empresa. Estamos num momento em que certos valores estão sendo revistos. Às vezes, valorizamos coisas que não têm a menor finalidade prática.

5 – Perceba o quanto sua vaidade é nociva ou não. Há pessoas autocríticas que se condenam demais, destroem a própria autoestima. Saem de um extremo a outro. Gerencie melhor suas emoções e seu julgamento sobre você.

6 – Troque a vaidade por validade. Na vaidade somos oco, na validade temos força e poder. Estamos plenos.

7- Use a vaidade para avaliar melhor a si mesmo e aos outros e tenha cuidado ao alertar um vaidoso. Talvez ele saiba, mas prefere mostrar que continua na ignorância ou, talvez acredite que seja esse o caminho.

Salamacha diz que subir na carreira requer antes de mais nada melhorar a nós mesmos, por isso temos que entrar em contato com a realidade e tentar controlá-la. O antídoto da vaidade é a humildade e isso nada tem a ver com nos humilhar, mas em encarar o outro de forma mais igual, muitas vezes aceitando os defeitos e erros, pois somos seres humanos e como tal, absolutamente todos erramos.

As pessoas vaidosas dentro de uma empresa são soberbas na hora de ensinar, deixando claro que estão numa posição acima do outro, mas Salamacha aconselha "nada é estático principalmente numa companhia, o estagiário que se ensina hoje, pode chegar a chefia amanhã", afirma. 

O professor afirma ainda que pessoa vaidosa é pouco estratégica e frágil, porque alguns elogios podem quebrar sua resistência. Além disso, destaca que a vaidade extrema é um defeito, mas a falta dela também, pois neste caso pode indicar falta de amor próprio. Como amar o que se faz, ou ganhar o respeito do outro quando demonstramos que não amamos a nós mesmos?

Já o lado positivo da vaidade na medida certa é a autoconfiança e a autoestima, que precisamos ter todos os dias quando saímos para o trabalho. Para Salamacha, não basta apenas uma boa formação curricular, há de se ter nessa era uma boa formação ética e acima de tudo cultivar boas relações.

Ginecologista fala sobre útero retrovertido e fertilidade

Redação

A saúde feminina transita em torno de alguns grandes mitos, entre eles, a dificuldade em engravidar quando a mulher é diagnosticada com útero retrovertido. De acordo com o ginecologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Fernando Moreira de Andrade, a condição é frequente e não passa de uma mudança anatômica, não interferindo na fertilidade.

Na maioria das vezes, o órgão está voltado para a bexiga, já nos casos de útero retrovertido, esse posicionamento segue em sentido ao reto | Imagem: reprodução

Segundo o médico, a situação refere-se à posição do útero, que pode ser descoberta em um exame de rotina. Na maioria das vezes, o órgão está voltado para a bexiga, já nos casos de útero retrovertido, esse posicionamento segue em sentido ao reto.

"Essa alteração não é considerada uma doença e não traz nenhuma consequência grave ao organismo. Portanto, não há tratamento para reverter o posicionamento do útero", tranquiliza Andrade.

As mulheres nesta condição, entretanto, podem sentir incômodos ao evacuar ou mesmo durante a relação sexual. Para estes casos, o tratamento é direcionado apenas aos sintomas, seja com medicação, ou mesmo adaptação com a escolha de posições mais confortáveis, para o casal no momento da relação.

O especialista lembra que mesmo após engravidar não é preciso ter atenção especial, pois entre o terceiro e quarto mês de gestação, com o crescimento do útero, o órgão fica na disposição convencional.

"Depois desse período da gravidez, em um ultrassom, é difícil saber se a paciente tem ou não útero retrovertido. Mas é importante salientar que após o parto, o órgão volta a sua posição de origem", complementa o ginecologista.

Feirão do imposto zero ocorre no Atrium Shopping

Redação

Neste fim de semana (25 e 26), o Atrium Shopping, em Santo André, realiza o Feirão do Imposto Nacional, movimento criado pela Confederação Nacional de Jovens Empresários (CONAJE), que tem como objetivo lutar pelo fim dos impostos abusivos e uso consciente do dinheiro público.

As lojas participantes da ação estarão identificadas | Foto: divulgação
Na ocasião, as lojas participantes do Feirão tenderão aos clientes, aplicando descontos relacionados à carga tributária incidente nos produtos selecionados para a “liquidação”. E para facilitar a busca do consumidor pelos produtos com descontos, cada loja estará identificada com um cartaz do evento colado na vitrine.

O Feirão do Imposto Nacional nasceu em 2002, com o propósito de disseminar informação tributária de forma simplificada à população. Em 2012, conquistou a aprovação da Lei do Imposto na Nota (Lei 12.741/12), que obriga todos os estabelecimentos a incluir nos documentos fiscais o percentual e o valor aproximado de impostos pagos.

Saúde bucal: especialista orienta como consumir alimentos ácidos e evitar a degradação do dente

Redação

Os ácidos presentes em comidas e bebidas, como sucos cítricos, refrigerantes, álcool e comida processada/refinada são responsáveis pela biocorrosão dos dentes, que é a perda da estrutura dental provocada por um processo químico de dissolução do esmalte por ácido, sem envolvimento de bactérias. De acordo com o odontologista Luis Calicchio, sócio-diretor da Clínica Ateliê Oral, em São Paulo, é possível minimizar o problema com alguns cuidados.

É  indicado esperar 30 minutos para escovar os dentes, depois de consumir bebidas ou alimentos ácidos | Foto: reprodução

"A biocorrosão, aliada à fricção e à tensão colocada na mordida, principalmente à noite durante o sono, período em que não existe um controle dos mecanismos conscientes, pode causar micro trincas na região cervical (próxima da gengiva e do esmalte dos dentes) e provocar, em pouco tempo, as chamadas lesões cervicais não cariosas (espécie de depressão no esmalte do dente) e a hipersensibilidade dentinária, que são, hoje, as doenças de maior incidência na boca do ser humano, chamadas de "mal do século", diz Calicchio.

A lesão não cariosa, que no passado parecia uma exclusividade da faixa etária acima dos 70 anos, hoje é encontrada em 30% de jovens entre 25 e 30 anos.

Para controlar a erosão, é indicado esperar 30 minutos para escovar os dentes depois de consumir bebidas ou alimentos ácidos, evitando, assim, a ação abrasiva das pastas dentais na superfície ainda amolecida do dente.

Alem disso, a deficiência na produção de saliva, conhecida como xerostomia, é outro fator que predispõe pacientes à corrosão, pois ela tem um papel importante na proteção contra os agentes ácidos.

Recomendações

Para evitar a degradação dos dentes é importante evitar bochechar a bebida antes de engolir e também evitar consumir bebidas ácidas antes de dormir, quando os efeitos protetores da saliva estão reduzidos. O odontologista listou ainda nove recomendações para prevenir o problema:

1. Evitar deixar bebidas ácidas por longo tempo na boca. Quando possível utilizar canudo.
2. Evitar escovar os dentes imediatamente, após a ingestão de alimentos e bebidas ácidas e enxaguar a boca com água após a ingestão.
3. Encerrar as refeições com alimentos ricos em cálcio, como queijo, após a ingestão de alimentos ácidos.
4. Evitar alimentos ácidos tarde da noite, período de diminuição do fluxo salivar.
5. Evitar jejum prolongado, a fim de manter o P.H da saliva.
6. Beber água durante o dia, para contribuir com a diluição de alimentos na boca.
7. Evitar ingestão de frutas ácidas e fontes de fibras, barra de cereal, sem ingestão de água subsequente.
8. Evitar ingestão diária de gomas de mascar não cariogênica devido aos seus ingredientes ácidos.
9. Ao comer frutas, escolha as menos ácidas e aquelas com textura mais macias.

Lista "ácida"

Abaixo uma lista de alimentos e bebidas ácidas, em ordem decrescente de acidez, disponível no livro "Lesões cervicais não Cariosas e Hibersensibilidade dentária" do professor Paulo Vinicius Soares e John Grippo.

1- Refrigerante
2. Bebidas energéticas
3. Álcool
4. Açúcar
5. Bebidas gaseificadas
6. Comida processada/refinada
7. Sucos Cítricos
8. Sorvete
9. Pipoca
10. Carne
11. Café
12. Queijo Amarelo
13. Chá
14. Adoçantes artificiais
15. Massa
16. Pão
17. Suco de fruta pasteurizado
18. Ovos
19. Peixe
20. Arroz
21. Leite de soja
22. Aveia

Grupos de risco para as doenças bucais do século 21

Usuários de aparelhos ortodônticos – o movimento ortodôntico, por si só, gera tensão nos dentes. Por isso, precisam de acompanhamento com profissional competente;
Esportistas – que fazem alimentação com suplementos que são extremamente ácidos;
Usuários de pastas clareadoras sem recomendação de especialista;
Pessoas com alto nível de estresse;
Usuários de medicamentos antidepressivos;
Pessoas que sofrem de bulimia ou com vômitos crônicos, pois o ácido clorídrico produzido no estômago dissolve o esmalte dos dentes.



Mulheres grávidas com periodontite têm mais risco de ter parto prematuro

Redação

Uma pesquisa da Universidade Pedagógica e Tecnológica da Colômbia, com base em uma revisão sistemática da literatura mundial, revelou que mulheres grávidas com periodontite correm risco duas vezes maior de ter parto prematuro, ou seja, com menos de 37 semanas de gravidez.


Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores analisaram dados de 20 artigos científicos sobre o tema. No total, a análise abrangeu 10.215 mulheres de diversos países. A associação entre a infecção periodontal e aumento da possibilidade de parto prematuro foi encontrada em 60% deles.

De acordo com o odontopediatra Gabriel Politano, do Ateliê Oral Kids, em São Paulo, a periodontite, infecção que destrói a gengiva e até os ossos que dão suporte aos dentes, surge por meio de bactérias da saliva. Quando não há higiene bucal adequada, elas grudam nos dentes, formando a placa bacteriana. “O organismo, então, passa a se defender da infecção e, dessa maneira, surge uma inflamação: a gengivite. Se não for tratada, ela evolui para a periodontite”, explica o dentista, que também é diretor do Departamento de Odontologia para Gestantes e Neonatos da Associação Brasileira de Odontopediatria (Aboped).

Os sintomas costumam ser brandos: pequenos sangramentos na hora da escovação, mau hálito e inchaço gengival. “As pessoas acabam negligenciando por não causar dor, como uma cárie, que atinge o canal do dente”, diz Gabriel Politano.

O agravante é que as bactérias que causam a periodontite não ficam restritas, necessariamente, à boca. Elas são capazes de viajar pelo corpo através dos vasos sanguíneos.

“Quando a infecção é severa, que acomete todo o tecido de sustentação do dente, e o agente infeccioso cai na corrente sanguínea, se dissemina pelo organismo, alcançando o útero, o sistema imunológico aumenta a produção da prostaglandina, uma substância que ajuda a combater esses inimigos, mas também pode induzir ao parto prematuro”, explica Politano.

Tratamento
Então, quanto antes for diagnosticado, menor perigo a futura mamãe corre. A detecção da periodontite geralmente é realizada no consultório do dentista, às vezes, um exame de raios x é necessário  para avaliar a situação. Nas mulheres grávidas, o momento ideal para intervir é no segundo trimestre, quando há menor risco para a mãe e o bebê. Contudo, sempre vale conversar com o profissional.

Prevenção
Mais importante que o diagnóstico precoce é a prevenção. Assim como qualquer outra pessoa, as gestantes precisam manter a saúde bucal em dia. Isso significa se alimentar conforme a sugestão do obstetra e escovar os dentes de forma correta. O especialista aconselha que as mulheres visitem o consultório odontológico duas vezes durante a gravidez.

As associações médicas e odontológicas brasileiras e internacionais, além do Ministério da Saúde, colocam o exame bucal como essencial durante a gestação. Se as mulheres fizessem o pré-natal odontológico, a maioria dos casos de gengivite poderia ser evitada, já que a doença é difícil de ser detectada pela própria paciente.

quinta-feira, 23 de maio de 2019

Atrium Shopping tem sorteios de celulares e relógios

Redação

Na temporada de compras para o Dia dos Namorados, o Atrium Shopping (Rua Giovanni Battista Pirelli, 155), em Santo André, lança a promoção “Meus Dois Amores”, que  traz rodadas de sorteios do cobiçado kit composto por um iPhone XR e um Apple Watch. Os próximos sorteios ocorrem em 27 de maio e nos dias 03, 10 e 17 de junho, sempre às 15h, no centro de compras.

Os clientes Carlos José Codato e Nair Guimarães do Nascimento ganharam os kits | Foto: divulgação 

Para participar, basta juntar R$ 200 em compras e trocar por um cupom até 16 de junho no Balcão de Trocas, localizado na Praça de Alimentação. E quem fizer as trocas das notas pelos cupons, no período de segunda a quinta-feira, ainda ganha cupons em dobro. A promoção faz parte da campanha unificada que teve início no Dia das Mães e já premiou três consumidores.

A gerente geral do Atrium Shopping, Vanessa Nery, comenta a ação. “Os clientes estão aderindo de forma bastante positiva à nossa campanha, que uniu datas de forte apelo afetivo a prêmios que atendem diferentes faixas etárias e também ao atual apreço generalizado por novidades tecnológicas”, explica.

O regulamento completo da promoção pode ser conferido aqui, ou no Balcão de Trocas.

Espetáculo “Alfaces” aborda o papel insosso reservado às mulheres no mundo contemporâneo

Redação

A Oficina Cultural Oswald de Andrade, em São Paulo, sedia a estreia do espetáculo “Alfaces” na próxima segunda-feira (27), às 20h.   O destino das protagonistas da peça, da Coletiva Olivias, que nasceu no Departamento de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo (USP), é um improvável paraíso tropical. Lá, cada uma delas terá um "kit praia" para desfrutar do tempo inútil que lhes resta de vida.

Peça fica em cartaz até 12 de junho, sempre às segundas e quartas-feiras | Foto: Anna Talebi

Então, a comédia trágica, com toques de teatro do absurdo, é protagonizada pelas autoras e atrizes Gabrielle Távora, Marina Meyer e Paula Halker. No enredo que parece uma temporada de férias, essas ex-colegas de trabalho com nomes de flores não escapam ao pacote para mulheres vencidas: "Para você, mulher fora de época, ser feliz respeitando as nossas normas de conduta".

Com uma atmosfera surrealista, mas em que situações muito concretas do mundo contemporâneo se colocam, e sob o ponto de vista feminino, o espetáculo pretende desvendar as implicações sociais do sentimento de fracasso e sua relação com o machismo. Daí a imagem condensada no título da peça: a alface como símbolo da vida insossa, inerte e devotada a padrões inalcançáveis de beleza e de conduta.

 "Friccionamos os materiais de várias formas e o público vai contar a história com a gente", explica Marina, sobre a dramaturgia, criada coletivamente a partir de experiências pessoais e também referências literárias e cinematográficas, como o livro O Mito da Beleza, de Naomi Wolf, e os filmes O Pântano, de Lucrecia Martel, e O Lagosta, de Yorgos Lanthimos.

Essa concepção horizontal de criação se estende à direção do espetáculo, que também é coletiva, e tem a orientação de Priscilla Carbone, cuja pesquisa de linguagem inspirada no filme As Pequenas Margaridas, da cineasta tcheca Věra Chytilová, aposta em recursos como a sobreposição de imagens e a colagem de cenas aparentemente sem ligação entre si.

Para essas atrizes-criadoras, depois de tantas discussões sobre gênero, as forças hegemônicas - majoritariamente masculinas - ainda preferem que as mulheres sejam "belas, recatadas e do lar". Ao exacerbar nas personagens essa existência apática, Alfaces a subverte.

A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios, 363, Bom Retiro, em São Paulo.
Obs.: acessível às pessoas com deficiência. O espetáculo fica em cartaz até 12 de junho, às segundas e quartas-feiras, sempre às 20h.

Especialista lista cinco dicas para investir na marca pessoal

Redação

Personal branding nada mais é do que a gestão da sua marca pessoal, ou seja, a gestão do seu nome, da sua reputação. É um recurso - e uma nova mentalidade - para que você possa se tornar mais expressivo no seu mercado e possa ser ainda mais lembrado e procurado pelo seu público pelo que você tem a oferecer. Para  Juliana Saldanha, especialista em posicionamento e comunicação de marcas pessoais, ao enxergar-se como uma marca você entende que não precisa depender do Estado, do chefe, ou da economia para alcançar o que quiser, sendo você mesmo.


"A sua marca pessoal é um atalho de tomada de decisão do seu público por você e por aquilo que você tem a oferecer. E nós temos que facilitar essa escolha por nós", argumenta Juliana, que traz cinco dicas para quem deseja começar a investir agora na sua marca pessoal:

Entenda quem você é, além do seu título
O hábito de nos enxergarmos da maneira como o mercado nos definiu por muitos anos (sou o diretor de Vendas da empresa X ou o CEO da empresa Y), também nos limitou a ficar dentro da caixa e ter uma perspectiva pouco abrangente sobre quem somos e o que temos de melhor a oferecer. Deixar os crachás e o terno de lado, por um momento, pode nos deixar vulneráveis, mas ao mesmo tempo nos liberta e nos dá a possibilidade de explorar quem realmente somos. E quando somos por inteiro, autênticos, nos diferenciamos e nos conectamos com mais significado com quem está ao redor.

Quem você é? Qual a sua história? Como chegou até aqui? De que forma os seus amigos te enxergam? Qual a sua personalidade? Quais são as suas paixões? O que você faz bem e pode ser o melhor nisso? Explore a sua identidade. Você é mais do que o seu diploma ou o seu cargo.

Entregue valor
Branding pessoal não é falar sobre você a todo momento. Afinal, eu não tenho tempo para saber sobre o que você faz! O que eu realmente quero saber é: de que forma o que você sabe pode me ajudar a vencer, a ser melhor, a ser mais bem-sucedido ou feliz?

Entregar valor é fundamental para que uma marca pessoal seja relevante. O que você sabe melhor do que ninguém? O que você faz, que é excepcional? De que forma o seu comportamento faz a diferença para as pessoas? Entregue valor. Nas suas ações e na sua comunicação. Compartilhe conhecimento. E se torne o número 1, sendo indispensável para o seu público.

Não seja tudo para todo mundo
Sim, nós buscamos pertencer. Gostamos de agradar. E evitamos ser rejeitados. Mas tentar ser tudo para todo mundo é humanamente impossível e emocionalmente desafiador. Além de ser um sabotador para qualquer marca pessoal.

Porque ao final, se somos tudo para todos, não somos significativos e essenciais para ninguém. Acabamos nos diluindo, deixamos de ser quem somos e deixamos fazer o nosso melhor, de forma focada. Encontre o seu espaço. Encontre o seu nicho. E o seu público.

Atualize os seus perfis online
O nosso perfil online é o nosso cartão de visitas. E é, muitas vezes, o primeiro ponto de contato do nosso público com a nossa marca pessoal. O nosso papel é facilitar sermos escolhidos, mesmo por quem ainda não nos conhece.

Pra isso, é preciso que qualquer um que acesse os nossos perfis seja capaz de entender quem somos e de que forma podemos ajudá-lo (ou não). As suas fotos estão atualizadas? Elas transmitem a sua personalidade? As suas biografias estão bem escritas? Elas contam de que forma você pode me ajudar a ser melhor? O que você sabe e o que você oferece? E como eu posso te acionar? Facilite a escolha por você.

Seja consistente
Quem deseja que a marca seja memorável, a consistência é um dos fatores indispensáveis para a criação da confiança. Afinal, não confiamos mais naquele amigo que sempre está por perto e aparece quando mais precisamos?

Seja na escolha das suas fotos de perfil, nas cores que usa, na forma como se comporta ou na frequência com que você compartilha conhecimento nas redes sociais, seja consistente. A consistência gera familiaridade. E confiamos – e somos influenciados – pelo que nos é familiar.

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Sociedade Cultural Ítalo Brasileira promove festa em Santo André em junho

Redação

A Sociedade Cultural Ítalo Brasileira realizará em 2 de junho, a partir das 13 horas, almoço especial em comemoração ao 73º aniversário da Fundação da República Italiana. O evento será na sede da entidade (Rua Airó, 69, Vila Gilda, em Santo André). 

Festa será na sede da entidade | Foto: reprodução 

De acordo com o presidente da Sociedade Cultural Ítalo Brasileira, Wilson Roberto Davanzo, este almoço já é tradicional e muito esperado pelos associados e seus convidados. "Há mais de 20 anos realizamos este evento, que possui uma grande importância histórica, já que a data de 2 de junho marca o aniversário do referendo de 1946, quando o povo foi convidado a escolher entre república ou monarquia", explica.

O grande destaque deste ano será a preparação da Polenta Nella Távola, ao som de músicas típicas e diante de todos os convidados, no centro do salão. A animação ficará por conta da banda Viva Itália.

Com 119 anos e 190 sócios ativos, a Sociedade Cultural Ítalo-Brasileira de Santo André tem como finalidade preservar na memória dos cidadãos a importância da colônia italiana para o desenvolvimento da região do ABC, apontando os grandes desafios e as dificuldades que os imigrantes enfrentaram quando nela chegaram.

Sempre muito ligada às suas origens, a Ítalo participou em 1997, do acordo de Gemellaggio (termo derivado de gêmeos), o que transformou Santo André em cidade-irmã de Sesto San Giovanni, uma cidade da Lombardia. Hoje, essas duas cidades, que têm várias características em comum, trocam suas experiências de forma mútua e construtiva.

Interessados em participar do evento podem adquirir os convites, por meio do telefone 4436-3437, das 8 às 13 horas.

Aula aberta aborda mulheres e ditadura

Redação

No último sábado (18), o anfiteatro da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo recebeu Maria Amélia de Almeida Teles, conhecida como Amelinha Teles. A convidada ministrou aula aberta com o tema A Mulher e a Luta na Ditadura Militar, como parte do módulo "Mulher" do curso de extensão "Interfaces das Diversidades – Módulo Mulher - Criança, Adolescente e Jovem – Idoso", coordenado pelas professoras Denise Auad, Clarice Assalim e Eliana Borges Cardoso.

Na apresentação, Amelinha abordou todas as atrocidades pelas quais ela e outras companheiras passaram durante o tempo em que estiveram presas | Foto: divulgação

Na apresentação, Amelinha abordou todas as atrocidades pelas quais ela e outras companheiras passaram durante o tempo em que estiveram presas, além dos problemas e traumas, que os filhos dessas mulheres têm até hoje, desde físicos, neurológicos até psicológicos.

Para a palestrante, igualdade entre homens e mulheres se dá pelas mesmas oportunidades. "As mulheres foram parte fundamental nos momentos de resistência e hoje, se pararmos para analisar, elas foram as que mais tiveram mudanças em suas relações com o trabalho, família, homens e também no campo da política", declara.

Amelinha também é diretora da União de Mulheres de São Paulo, coordenadora do Projeto Promotoras Legais Populares, integra a Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos, é assessora da Comissão da Verdade do Estado de São Paulo Rubens Paiva e autora de vários livros.

Ginecologista comenta as principais dúvidas no pós-parto

Redação

Uma pesquisa do Reino Unido identificou que 80% das mulheres não se sentem satisfeitas ao se olharem no espelho após o parto. A ginecologista e obstetra Silvia Herrera, especialista em Medicina Fetal do Salomão Zoppi Diagnósticos, explica que o pós-parto de cada mulher é único e esclarece abaixo as principais dúvidas.

No pós-parto as mulheres podem se sentir mais tristes (blue puerperal) devido as mudanças hormonais, cansaço, privação de sono, entre outros fatores | Foto: divulgação
O leite "desce" automaticamente após o nascimento do bebê?
Verdade! No pós-parto ocorre a liberação imediata do colostro, que é um leite muito especial produzido em pouca quantidade, mas riquíssimo em proteínas, gorduras, vitaminas e, principalmente, imunoglobulinas, responsáveis pelas defesas do bebê. É em torno do terceiro dia que se dá a apojadura, ou seja, a descida do leite. É comum a mulher sentir a mama mais quente e o ingurgitamento da mama também pode trazer um pouco de dor e até febre. "Então, não se preocupe com a quantidade de leite nos primeiros dias: ela aumenta naturalmente à medida que o bebê aprende a sugar", comenta Silvia.

Toda mãe fica feliz após o nascimento?
Mito! Existe o blue puerperal e a maioria das mulheres passa por essa instabilidade emocional. Trata-se de um choro fácil e tristeza normais. Muitas mulheres não possuem esse conhecimento e acabam se sentindo culpadas por essas sensações, que acontecem devido a uma série de fatores, como a queda brusca dos hormônios durante a gravidez, o cansaço, a privação de sono, a baixa autoestima causada pelas mudanças no corpo e a própria insegurança ao cuidar do bebê, principalmente o primeiro filho.

Existe diminuição da libido e ressecamento vaginal em mães que amamentam?
Verdade! Para quem amamenta, a prolactina, hormônio da amamentação, causa um bloqueio no ovário e a paciente começa a apresentar sinais parecidos com os da menopausa. Os principais efeitos são a secura vaginal e a diminuição da libido. Por isso, é importante compartilhar este momento com o parceiro, explicando a ele que a natureza se utiliza desse artifício para que a mulher fique mais tempo com o bebê. A vontade de ter uma relação sexual vai voltando com o tempo. Para o ressecamento, é indicado o uso de lubrificantes em alguns casos, até que se retorne ao estado normal.

É normal ter constipação após o parto?
Verdade! O intestino está se reacomodando. Nos casos de cesárea, as alças ficam paralisadas por um tempo devido à manipulação cirúrgica, portanto é possível ocorrer constipação e ficar alguns dias sem evacuar. Após um parto normal, a constipação é menos frequente, mas pode acontecer. Assim como é possível sentir um pouco de dor para urinar, tanto após partos normais quanto cesáreas.

Na primeira semana pós-parto, a mãe pode sentir dores devido ao retorno do útero ao tamanho original?
Verdade! Ao amamentar, a mãe libera ocitocina, hormônio que faz o útero contrair. Algumas mulheres possuem uma maior sensibilidade e sentem essa contração como uma cólica.

Toda mulher apresenta flacidez na pele após a gestação?
Mito! Embora a flacidez tenha um componente genético, para evitá-la é também necessário controlar o peso, com orientação médica durante a gestação. Alimentação saudável e a prática de atividades físicas adequadas para fortalecer a musculatura são bons aliados. Após o nascimento, a amamentação auxilia na aceleração da contração do útero e fortalecimento dos músculos.

A mulher tem sangramento após o parto?
Verdade! Este sangramento decorre da cicatrização do órgão depois da gestação. É comum acontecer e pode durar até 21 dias. No começo, o sangue apresenta uma cor viva, depois o volume diminui e o seu aspecto se torna mais rosado.

Os cabelos caem após o nascimento do bebê?
Verdade! A mãe pode ter queda de cabelo em torno do terceiro mês, o que é um ciclo natural. Isto ocorre principalmente devido à redução súbita dos hormônios. Porém, o cabelo volta a nascer normalmente depois. O sintoma pode ser mais grave em mulheres com anemia. Um dermatologista pode indicar uma suplementação que amenize a queda capilar.

Silvia Herrera reforça que é fundamental procurar um profissional para tirar dúvidas tanto em relação ao bebê, quanto às mudanças no corpo e até sentimentos. "Aproveite cada minuto ao lado do recém-nascido e crie esse vínculo para tornar cada momento especial e único", finaliza.

terça-feira, 21 de maio de 2019

Livro “Coragem de existir” é lançado este mês

Redação

O escritor Matheus Jacob lança "Coragem de Existir" (Buzz Editora), em maio, publicação na qual aborda questões como: Quem nunca temeu o próprio viver? Ou até mesmo se sentiu paralisado pelo medo? Seja ele de amar, fazer escolhas, falhar diante dos outros ou até de sermos imperfeitos para nós mesmos.

Para Jacob, a coragem de existir nos faz viver, já o medo de viver nos faz inexistir | Imagem: divulgação

Assim, Jacob convida o leitor a compreender o valor do outro, para a construção de nós mesmos, o significado da coragem de existir, liberdade e a importância de exercê-la. "Compreenda o valor do eu e sua condição de igualdade com o todo existente. Compreenda o valor da vida e os caminhos necessários para percorrê-la. Ordem e caos. Conflito e união. Compreenda o tempo, o seu passado, o seu futuro. Compreenda o amor pela sua própria existência. Compreenda tudo o que for preciso para o seu verdadeiro existir. Mas, principalmente, exista".

Para Jacob, a coragem de existir nos faz viver, já o medo de viver nos faz inexistir. "Porque no fundo, nós não tememos a morte. No fundo, nós tememos a vida. Aos poucos, todo mundo morre. Não facilite a tarefa, deixando de viver. Coragem, caro leitor. Coragem!".

Anônimo em seus primeiros textos, Jacob tornou-se um dos autores mais lidos das redes sociais. Lançou em 2016, o seu primeiro livro "O Homem Que Sente", uma coletânea de crônicas inéditas e outras publicadas anteriormente com o mesmo alter ego. O escritor é mestre em filosofia e dedica-se, atualmente, ao entendimento de filosofias do cotidiano como o amor, felicidade, ética e à busca pela vida digna de ser vivida.


Documentário aborda exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas

Redação

Um alerta contra a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas brasileiras. Com esse propósito, a Umiharu Produções Culturais e Cinematográficas lançará, em 28 de maio, o documentário “Mundo Sem Porteira”, que ficará disponível no canal do YouTube da produtora.

O  curta-metragem de 27 minutos é baseado na história real de Thaís | Foto: reprodução

O filme, roteirizado e dirigido pela cineasta Gisela Arantes, trata dos caminhos percorridos em 20 anos para o enfrentamento do problema e aponta as perspectivas de futuro para uma sociedade mais inclusiva e justa.

“A linha narrativa que permeia os depoimentos se baseia na história real de Thaís. Ela revela as experiências de diversas outras meninas, que passaram pela exploração sexual, pelo abuso sexual e o abandono. Foram muitas vozes ouvidas, representadas pelo drama poético de sua trajetória”, adianta Gisela.

Trata-se de um curta-metragem de 27 minutos, com uma visão multicausal do problema e de como solucioná-lo, apresentando diversos depoimentos, dando voz aos caminhoneiros, às organizações para proteção, educadores, especialistas, líderes em Direitos Humanos, jovens engajados, entre outros.

A consultoria técnica é da Childhood Brasil, organização social que faz parte da World Childhood Foundation, e atua há mais de 20 anos no enfrentamento do problema, principalmente por meio do Programa Na Mão Certa.

O filme conta com músicas compostas por André Abujamra e Eron Guarnieri e imagens do diretor de fotografia Luís Villaça, que revelam o universo das estradas e seus personagens. Além de contar com o apoio da Lei Proac do Governo do Estado de São Paulo e o patrocínio da C&A, Gerdau e Klabin.

Três padrões de comportamento que as pessoas insistem em repetir

*Por Alexandre Pedro

Todos nós temos uma tendência a repetir padrões de comportamento. Em outras palavras, a fazer sempre as mesmas escolhas, a seguir sempre o mesmo caminho. O problema é quando essas escolhas são erradas. Falhas são comuns e até necessárias para o nosso amadurecimento. No entanto, cometer o mesmo erro duas, três, quatro, cinco vezes, é sinal de que há algo de errado com seu discernimento. Pior: pode haver algum conflito interno que esteja mal resolvido ou até desconhecido.

"Um sinal evidente de auto sabotagem é a procrastinação", afirma o psicanalista  Alexandre Pedro | Foto: divulgação

Se você se identificou, é hora de rever o que o leva a seguir sempre o caminho mais tortuoso. Confira 3 constantes repetições de comportamento e como mudar esses padrões:

- Tenho “dedo podre”: Quem coleciona frustrações amorosas costuma dizer que tem o “dedo podre”, por atrair apenas relacionamentos destrutivos, cheios de mentira, traição, agressão (física ou verbal) e muito sofrimento. Ao invés de refletir e tentar entender porque a pessoa só se envolve em relações já destinadas ao fracasso, ela joga a culpa na falta de sorte. Se persistir nesta postura, a pessoa vai se enfraquecendo emocionalmente e não consegue mais se libertar dos relacionamentos tóxicos. Daí a importância de buscar respostas para este comportamento. Em muitos casos, essa insistência por amores desastrosos pode ser um reflexo do que se vivenciou em casa. É muito comum repetir o comportamento do pai ou da mãe. Se ambos tiveram uma relação tóxica, seu subconsciente vai entender que isso é normal. Mas não é. Caso esse padrão nocivo já esteja encravado, a ponto de você sequer saber por onde começar a mudar, vale buscar ajuda de um especialista.

- Na segunda-feira eu começo: Que atire a primeira pedra quem nunca disse essa frase. Seja para começar a academia, o curso de inglês, a dieta ou qualquer mudança de hábito. E quando chega a segunda, inventamos uma desculpa para empurrar a responsabilidade com a barriga. Isso se chama auto sabotagem. Sabemos o benefício ou a importância de realizar determinadas atividades, mas que não necessariamente nos proporcionam prazer. Então, de forma inconsciente, criamos obstáculos que atrapalham e até impedem a prática destas tarefas. Um sinal evidente de auto sabotagem é a procrastinação. Essa postura pode parecer apenas preguiça. Entretanto, é mais do que isso, e geralmente indica algum problema que está mascarado. Pode ser desde um medo de se comprometer e falhar, até uma fobia social. É imprescindível investigar a causa dessa “fuga”. Por que você está adiando ou evitando aquela situação? Por exemplo, se está prorrogando a possibilidade de deixar a casa dos pais e morar sozinho, talvez você esteja com medo de sair da zona de conforto e enfrentar as responsabilidades de uma independência financeira. Depois de entender o que está te bloqueando, desafie seus medos. Dê pequenos passos para atingir seus objetivos e visualize um ótimo resultado final.

- A culpa não é minha: Você se atrasa para um compromisso e culpa o trânsito. Você não entrega o trabalho no prazo e culpa a internet. Você briga com seu pai e a culpa é sempre dele. A resistência em assumir a parcela de culpa se tornou tão comum que as pessoas raramente percebem quando estão equivocadas. Na realidade, é extremamente positivo quando somos capazes de reconhecer que nos enganamos. Ao contrário do que se pensa, quando identificamos o que fizemos e as consequências que geramos, há uma sensação de libertação do peso, já que houve reparo nos danos causados. A responsabilidade é uma escolha que traz emoções positivas, como motivação e sensação de dever cumprido. Portanto, sempre que perceber que está tentando encontrar alguém ou algo para culpar uma frustração pessoal, tenha um momento de reflexão e identifique a real origem do problema. Foque nas soluções, e não nos culpados.
           
Entender e ressignificar esses padrões de comportamento significa adotar novos conceitos e hábitos, melhorando seus relacionamentos e dando outro rumo para sua vida.

*Alexandre Pedro é psicanalista pela Sociedade Internacional de Psicanálise de São Paulo; master practitioner de PNL filiado ao NLP Academy; hipnoterapeuta filiado ao International Board of Hipnosys e ao National Guild of Hipnotists. 


segunda-feira, 20 de maio de 2019

“Dia do Desafio” ocorre em maio em diversos países

Redação

Realizado sempre na última quarta-feira (29) de maio, o Dia do Desafio chega a 25ª edição.  Mais de 3 mil cidades do Brasil e de outros países participam desta ação, que estimula a integração e cooperação, por meio do incentivo à adoção de hábitos mais saudáveis e à prática regular de atividades físicas em benefício da saúde. Criado no Canadá, o evento é coordenado mundialmente pela  The Association for International Sport for All (TAFISA) e no continente americano pelo Sesc São Paulo.

Todas as unidades do Sesc no estado de São Paulo terão atividades no "Dia do Desafio" | Imagem: divulgação

O evento conta ainda com o apoio de instituições como a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (UNESCO) e a International Sport and Culture Association (ISCA), além de ser realizado pelas prefeituras municipais.

A ação é explicada pelo diretor regional do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda. “Com o protagonismo compartilhado com instituições públicas e privadas, nesta data,  forma- se uma rede de pessoas que abraçam o desafio de oferecer oportunidades de tornar a vida de todos mais ativa. Cria-se então um cenário que favorece a motivação para a adoção de hábitos saudáveis na rotina essenciais na promoção do bem-estar social e a melhora da qualidade de vida da população, princípios da ação do Sesc, ressalta.

Na última quarta-feira de maio, diferentes cidades da América Latina se superam em uma competição amigável, na qual a população é incentivada a praticar atividades físico-esportivas ao longo do dia. O município que conseguir mobilizar o maior número de participantes em relação a sua população total vence o desafio.

As duplas de cidades, de porte equivalente, foram definidas por sorteio na edição de 2018. Neste ano, elas continuarão disputando entre si e somando esforços para aumentar o número de praticantes de atividades físicas e esportes, em uma competição trienal que segue até 2020.

Além do desafio entre cidades, cada dupla também entra na classificação do ranking Cidade + Cidade, que contabiliza a soma dos resultados de ambos os municípios e é atualizado a cada ano. Atualmente, São Caetano está concorrendo com a cidade de Toledo (Paraná).

Para a coordenadora do Dia do Desafio para o continente Americano, Maria Luiza Souza Dias, esta realização local é o verdadeiro motor da campanha. "Com o envolvimento de instituições de diversos setores, o Dia do Desafio chega à sua 25ª edição incentivando o compartilhamento de boas práticas, que faz com que essa mobilização coletiva se fortaleça por meio da colaboração mútua, do apoio e da integração entre os mais diferentes parceiros, ampliando cada vez mais ações de atividades físicas e esportivas realizadas no mundo inteiro", afirma.

Com atividades em todas as unidades do Sesc no estado de São Paulo, além de espaços públicos, a programação oferece atividades gratuitas como aulas abertas, vivências, jogos e inúmeras práticas e ações com personalidades esportivas, fazendo desta ação uma prática diária de bem-estar e qualidade de vida, pilares de sua missão institucional. A programação completa do Sesc pode ser conferida aqui. 

Santo André terá eventos sobre literatura nesta sexta-feira

Redação

Nesta sexta-feira (24), às 20h, Santo André sedia a 2ª edição da Noite de Narrativas, evento literário gratuito que ocorrerá, simultaneamente, em nove  locais. Promovida pelas escolas Jardim dos Pequeñitos, Il Sole e Pequeñitos , e com apoio da Prefeitura de Santo André, o evento é uma iniciativa dedicada à arte da narração e inspirado no Reggio Narra – um projeto nos mesmos moldes, da cidade-educadora italiana de Reggio Emilia. Interessados devem se inscrever aqui. 

A Casa da Palavra é um dos nove locais que receberá a ação | Foto: reprodução 

Na ocasião, a Noite de Narrativas ocorrerá no Paço Municipal, Parque Celso Daniel, Casa da Palavra, Escola Jardim dos Pequeñitos, Il Sole, Colégio Xingú, Cia do Nó, Academia do Rock e Spazzio Italiano, que serão palcos para a leitura de fábulas, contos, livros e poesias, e também apresentações musicais e de dança.

A diretora do Jardim dos Pequenitos e Il Sole, Valéria Andreetto, comenta a ação. “Este ano levaremos as mais belas contações de histórias também aos principais marcos da cidade, como o Paço Municipal, Parque Celso Daniel e a Casa da Palavra. Nossa ideia, além de agitar a cena cultural do ABC, tão carente de eventos como esse, é transformar Santo André na cidade das histórias", finaliza.

Programação
• Local: Paço Municipal (Praça IV Centenário s/n - Centro - Em frente ao letreiro Santo André)
Narrativa Viva e apresentação de dança Kleine Szene - Escola de Dança;

• Local: Parque Celso Daniel (Av. Dom Pedro II, 940 - Bairro Jardim)
Contos populares: "O segredo do rei"/ "Aninha e o príncipe" / MPB;

• Local: Casa da Palavra (Praça do Carmo, 171 - Centro)
Contos: "Pula boi"/ "Da noite dos tempos" / "Você lembra, pai?";

• Local: Jardim dos Pequeñitos/ Il Sole (Rua Adolfo Bastos, 725 - Vila Alice)
Fábulas espanholas / Conto africano: "As duas mulheres e o céu" / Conto árabe: "A moeda de ouro e seus filhotes" / "O poeta e o vendedor de melancias" / "Cumade Fulozinha" / Histórias para bebês / Jacaré? Não! / Contos tchecos / "O gato que andava sozinho" / "O leão e o rato" / "O príncipe sem sonhos" / "Little red hen is cooking" / Fábula: "A raposa e o corvo" / Espaço dos autores: "O mistério da casa amarela", "O que Pedro aprendeu?", "Uma noite no castelo" e "Minha bruxa madrinha";

• Local: Escola Pequeñitos (Rua Bélgica, 766 - Pq das Nações), conto: Dumbo;

• Local: Praça Chico Xavier/ Colégio Xingú (Rua Albert Einstein, esquina com a Rua Paraguaçu - Vila Valparaíso), Uma aventura musical com valores indígenas;

• Local: Cia do Nó ( Rua Regente Feijó, 359 - Vila Assunção - ponto de encontro será no cruzamento na Praça Praça Assunção, s/nº, para ida até a Cia. do Nó).  Histórias sobre os refugiados;

• Local: Academia do Rock (Rua das Pitangueiras, 91 - Jardim)
Conto em inglês: Ricky, the rock that couldn´t roll;

• Local: Spazzio Italiano ( Rua Airo, 69 - Vila Gilda)
Conto em Italiano: Pinóquio.

O sharenting e os filhos de pais separados

*Por Silvia Felipe Marzagão

Nada mais comum, nos dias atuais, do que a exposição nas redes sociais. Dia a dia nos deparamos com dezenas de fotos de pessoas nas mais variadas situações: viagens, passeios... Questões cotidianas da vida pulam em nossas telas o tempo todo. As crianças, como não poderia deixar de ser, acabam fazendo parte desta realidade e ficam expostas, muitas vezes pelos próprios pais, ao mundo digital.

"Sharenting" termo criado da junção das palavras em inglês "share" (compartilhar) e "parenting" (criação, cuidado parental) | Foto: reprodução

A prática de compartilhar fotos e informações acerca dos filhos e do exercício da parentalidade passou a ser conhecida como sharenting, termo criado da junção das palavras em inglês share (compartilhar) e parenting (criação, cuidado parental). Entende-se como sharenting, portanto, a prática reiterada de compartilhamento, pelos pais ou responsáveis, de imagens e informações sobre a vida do filho e de seu cotidiano (escolas, atividades extras, viagens, etc).

Há, inclusive, nesta prática, quem ultrapasse a linha do compartilhamento em suas próprias redes e crie vidas digitais pararelas em nome das crianças, dando a elas perfis próprios que são geridos por seus responsáveis.

O sharenting, por si só, possui aspectos jurídicos na própria relação entre a criança e quem posta a sua imagem ou suas informações. Fato é que, ainda que quem publique na rede tome alguns cuidados – como fazer posts apenas em ambientes privados - supondo que isso seja realmente possível na internet - a imagem da criança permanecerá na rede mundial de computadores por muitos anos, podendo causar a ela prejuízos ou embaraços em algum momento de sua vida. Sob o viés criança versus adulto o sharenting é também bastante discutível, mas não será este o objeto de questionamento neste texto.

A questão principal, por ora, é a seguinte: e quando, em caso de pais separados, um dos genitores quer publicar excessivamente fotos do filho na rede e o outro não?

De fato, ao postar conteúdo sobre uma criança na rede mundial de computadores, os pais não sabem, ao certo, onde essa imagem poderá chegar. A exposição que podia acontecer em outros tempos (de participação em conteúdo televisivo, por exemplo), ganhou uma dimensão muito maior com a popularização das redes sociais, não havendo como prever o alcance da informação e por quanto tempo o que foi publicado perdurará.

É bastante compreensível, portanto, que um dos genitores não concorde com a exposição exagerada de seu filho nas redes sociais e pretenda protegê-lo de tal prática. A publicação de imagens das crianças de maneira excessiva pode comprometer a sua intimidade, sua vida privada e o direito à sua imagem.

A própria legislação vigente garante a proteção das crianças neste sentido, ao prever, tanto no artigo 227 da Constituição Federal, quanto nos artigos 17 e 100, V, do Estatuto da Criança e do Adolescente tutela aos direitos e meios efetivos de cuidado quando da violação de aspectos inerentes à exposição da criança e do adolescente.

Não podemos negar, portanto, que aquele genitor que perceber possíveis danos ao filho exposto em razão do exagero de postagens tem o direito – e mais, do que isso, o dever decorrente do direito-função que é o poder familiar – de consignar sua insatisfação e, se necessário, tomar providências judiciais para cessar a exposição demasiada da prole.

Por outro lado, aquele pai que posta a imagem do filho, também tem assegurada a sua liberdade de expressão e a livre manifestação de pensamento (direitos fundamentais tais como a privacidade). Deste modo, ao menos em tese, o direito deste genitor de falar de sua própria vida de maneira ampla e irrestrita - o que contemplaria tratar de momentos em que está ao lado de seus filhos e exercendo a sua parentalidade – merece guarida.

O assunto é polêmico e digno de atenção. Concluo pontuando que a exposição dos filhos nas redes sociais deve, preferencialmente, ocorrer em consenso entre os genitores (que precisam compreender, inclusive, a sua responsabilidade perante os direitos da própria criança). Caso contrário, infelizmente, restará judicializar a questão, cabendo ao Estado intervir para garantir tanto a preservação dos direitos das crianças e dos adolescentes, quanto o direito à liberdade de expressão e à livre manifestação do pensamento dos pais.

*Silvia Felipe é advogada do escritório Silvia Felipe e Eleonora Mattos Advogadas (SFEM). Especializada em Direito de Família e Sucessões e especialista em Direito Processual Civil (PUC-SP), Direito de Família e Sucessões (EPD), com formação em Mediação e Arbitragem (PUC-SP).



sexta-feira, 17 de maio de 2019

Você vive no piloto automático

*Por Cristiane Alves

A vida é tão corrida e competitiva que muitas vezes somos levadas por ela. Somos, em muitos momentos, tão automáticos e poucos conscientes.

A neurociência que estuda o cérebro e o comportamento humano, diz que agir no piloto automático não é ruim, pelo contrário! Isso que nos possibilita associar uma série de comportamentos, com agilidades, num processo cognitivo saudável: dirigir cantando uma música, caminhar e passear com o pet, ou seja, associar duas ou mais atividades ao mesmo tempo.

A aprendizagem, atrelada a repetição, nos possibilita adquirir uma habilidade que nos capacita a exercê-la sem grandes elaborações, e quando nos damos conta já estamos fazendo sem tantos esforços, praticamente no automático.

Nesta eficiência prazerosa de executarmos as coisas com exatidão, entramos na zona de conforto do "piloto automático", pois, um período de treino cria trilhas "neuronais" de acesso imediato para formação de rotinas e hábitos. Um exemplo disso é: todos os dias você faz um determinado percurso e num determinado dia você só precisa ir até metade do percurso e tem que retornar. Ou está iniciando uma nova dieta alimentar e quando percebe está com outro alimento do cardápio anterior...pois é, isto revela que nos acostumamos facilmente com uma rotina e nossa mente rapidamente nos domina e ficamos muito mais "automáticos" do que conscientes de nossos comportamentos.

Acontece que isto vale também para nossas emoções, comunicação, pensamento, e isto favorece uma fragilidade emocional, pois é imprescindível sermos os protagonistas da nossa vida, e para isto precisamos ser conscientes das nossas atitudes.

Uma vez que não paramos e damos um tempo para analisarmos nossas ações, planejarmos nossos dias, e sermos estratégicos, vivemos de forma reativa, ou seja, sem elaboração e isto nos coloca numa situação muito mais propensa a fragilidades.

Essas fragilidades, transformam-se em várias situações que nos levam a uma onda enorme de condutas e sentimentos desagradáveis, contribuindo para estresse, ansiedade, depressão, insônia, falta de foco, sensação de fracasso e diversos sentimentos que causam sofrimento emocional.
É fundamental parar e voltar ao PRE - (Pare – Reflita – Escolha) essa tríade que nos possibilita uma reflexão básica, para que ocorra um "reset mental" este com a finalidade de nos fazer se separar das obrigações e das exigências que muitas vezes não são nossas, mas são impostas pelo meio.

Pergunto: tudo o que você faz hoje são suas reais prioridades?

Sua rotina prioriza suas necessidades?

Diante da rotina que você tem estabelecido, quais emoções você mais tem lidado?

Se você continuar mantendo o mesmo ritmo de vida, como você estará daqui cinco anos (do ponto de vista físico, emocional, financeiro)?

Suas escolhas tem priorizado que área da sua vida?

O processo psicoterápico favorece a pessoa a encarar-se, a olhar para dentro de si, buscando respostas para as inúmeras ações que são tomadas e por diversos comportamentos gerados que são causadores de muitos desconfortos emocionais.

É fundamental compreendermos, é só olhando para dentro de nós, que enxergaremos a rota que nos levará aos pontos de satisfação que suprirá nossas necessidades emocionais, quando nos permitimos silenciar, ficar a sós, estamos no caminho certo da satisfação e do equilíbrio emocional.

*Cristiane Alves é formada em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com aperfeiçoamento em Psicologia Organizacional e do trabalho, psicoterapia sistêmica para dinâmicas de grupos. É especializada em gestão estratégica de pessoas pela FGV e possui formação e atuação em coaching integrado (Executivo e Life coaching) pelo ICI – São Paulo. 

Dormitórios e Suítes de Casal: o amor está no ar!

Por Mariane Vanzei*

Olá, eu sou Mariane Vanzei, arquiteta, formada desde 2013 e atuante desde 2009 nesse fantástico mundo da Arquitetura. Amo o que faço e vou dividir com vocês um pouco de minhas experiências e histórias realizando os sonhos dos meus clientes!

Hoje vou falar de dormitórios e suítes projetadas para casais, é tão gostoso ter um dormitório todo planejado para seu descanso, não é? Me inspirando no dia do namorado que está próximo, olha o lembrete que válido! Vou mostrar para vocês alguns pontos básicos para se ter um dormitório ou suíte de casal funcional e bonito.

Foto: Vilhora
Quando temos uma suíte o desafio é maior, pois há uma porta a mais no ambiente, fazendo com que tenhamos que pensar muito bem onde ficará TV, armário e cama; quando temos um dormitório uma porta a menos faz essa disposição ficar mais simples. 

Foto: Bianca Versolato
Quanto aos elementos a serem tragos para o projeto temos infinitas possibilidades como a cabeceira estofada ou em painel, os criados-mudo ou mesinhas de cabeceira, uso de arandelas ou pendentes, cama com box baú que eu recomendo muito aos clientes e acho incrível, os armários com porta de correr que são coringa para otimização do espaço, uso de espelhos, papel de parede e persianas ou cortinas para completar o décor.

Foto: Vilhora
Também podemos ter equipamento de ar condicionado no ambiente, essa infraestrutura deve ser feita toda antes da montagem do dormitório, mas é importante saber onde ficará cada item, para que o ar condicionado seja posicionado de maneira correta.

Foto: Henrique Ribeiro
O piso também nos traz possibilidades, o tradicional piso em madeira maciça, a opção do versátil vinílico e o prático piso porcelanato, a escolha depende de que sensação você deseja no ambiente e como é a rotina da sua casa.

Com todas essas possibilidades, ter um dormitório ou suíte bem projetado é qualidade de vida! 

Foto: Rogerio Cajui
Nada é regra, a regra na sua casa é o que você gosta e o que te traz felicidade no olhar. 

*Sobre Mariane Vanzei
Foto: Divulgação 

Quem comanda toda a criatividade e execução da MAV Arquitetura é a Mariane Vanzei, Arquiteta e Urbanista, atuante desde 2009, pós-graduada em projeto executivo e MBA em gerenciamento de projetos com extensão em Inteligência Emocional pela Fundação Getúlio Vargas. Com criatividade aguçada, une ideias com funcionalidade e faz cada projeto com dedicação e personalidade no objetivo principal de atender o seu cliente em suas vontades, preferências e valor disponível de investimento.

Profissional em constante aperfeiçoamento, está sempre em feiras do segmento como Revestir, Abimad, Casa cor, Isaloni em Milão, cursos, workshop e palestras, trazendo movimentos e tendências nacionais e internacionais para seus clientes.

@mavarquitetura | www.mavarquitetura.com.br

Especialista comenta como prevenir a queda de cabelo nas estações mais frias

Redação

Durante o outono e inverno é comum ocorrer mais queda de cabelos, devido aos resíduos que ficam no couro cabeludo e são causados pelo maior espaçamento entre as lavagens, por isso, a umidade dos fios entope os folículos capilares e provoca a queda. Mas é possível tomar alguns cuidados específicos, para evitar esse problema, segundo a hairstylist da Bio Extratus, Neiva Pena.

Fortaleça os fios, com produtos que estimulam o crescimento | Foto: Freepik

Detox nos fios 
Com o passar do tempo, é comum que o couro cabeludo acumule impurezas. Seja com as células mortas, oleosidade ou acúmulo de produtos. "O ideal é fazer um peeling capilar a cada 20 dias para promover um detox", indica a especialista.

Fortalecimento da raiz
É imprescindível deixar os fios mais fortes e, para isso, o recomendado é apostar em produtos com propriedades que estimulem o crescimento. "Utilize, por exemplo, tônico capilar que possua pimenta e microqueratina em sua formulação, já que contam com ação estimulante e nutritiva, favorecendo o crescimento dos fios", revela Neiva.

Proteja as pontas
O cuidado deve se estender também nas pontas das madeixas, já que o tempo nublado também pode prejudicar o crescimento saudável. "Para evitar a ação do vento e chuva, que são responsáveis por abrir os fios, o ideal é utilizar óleos finalizadores com argan e cártamo, que são ricos em ômega 3 e 6. Já para evitar o efeito frizz, utilize um reparador de pontas", indica a hairstylist.  

Atrium Shopping promove sessão de fotos com personagem do Game of Thrones

Redação

Os fãs da série Game of Thrones, da HBO, podem se aproximar ainda mais de Westeros, o reino do mundo fantástico, e o personagem Rei da Noite, terrível vilão da série, no Atrium Shopping (Rua Giovanni Battista Pirelli, 155, piso térreo), em Santo André. No local, haverá uma sessão de fotos neste sábado (18), das 18h às 20h.

Sessão de foto ocorre neste sábado (18), das 18h às 20h | Foto: divulgação 

No evento, o público também terá direito a uma experiência de realidade virtual, por meio de óculos especiais. Além disso, será possível participar de uma roleta de prêmios interativa e levar brindes para casa. Outra atração será um carrinho de pipocas personalizado com o tema da série, com distribuição ao público.

Estamos vivendo mais, mas como conseguir este feito com qualidade?

Da Redação 

A partir do momento que sabemos que a medicina avança a passos largos e que nossos filhos terão a possibilidade de viverem mais, uma pergunta nos preocupa, já que não basta apenas a longevidade, mas a qualidade da vida: “se a gente cria filhos para o mundo, por que não criar o mundo ideal para eles?”.

E essa preocupação tem razão de ser já que vemos, nos dias atuais, doenças decorrentes da longevidade que antes apareciam em menor número. A ideia é que a pessoa envelheça com qualidade.
Foto: Divulgação

A boa notícia é que existe uma solução bastante interessante e que já pode ser utilizada. Para o bem da humanidade, a ciência avança de forma acelerada. Atualmente, a partir de células-tronco mesenquimais retiradas do dente de leite das crianças, já é possível uma reprogramação celular capaz de auxiliar na regeneração de diversos tipos de tecidos e órgãos, tais como: pele, células beta (pâncreas), cartilagem, tecido nervoso e adiposo, ossos, tecido cardíaco, fígado, dentes e músculos. Além disso, surgem possibilidades de tratamentos inovadores para doenças hoje consideradas incuráveis como Alzheimer, Autismo e até Câncer.

Tal processo já ocorre em laboratórios e a cada dia está mais próximo e acessível a todos. A R-Crio - um Centro de Processamento Celular brasileiro comandada pelo cientista José Ricardo Muniz Ferreira, que estudou e aprimorou a técnica de extração, armazenamento e cultivo das células - tem como diferencial a garantia de que elas estarão íntegras e com a capacidade máxima preservada para desempenharem as funções para as quais serão exigidas. Segundo Ferreira, as células do dente de leite são especiais pois possuem grande potencial de multiplicação e se transformam em qualquer célula do corpo humano. “Um verdadeiro tesouro: células-tronco jovens e de alta versatilidade”, garante.

O laboratório acompanha e monitora o processo desde o momento da extração do dente no consultório odontológico até a chegada ao laboratório. Quanto mais cedo for feita a retirada, mais jovens serão as células coletadas, melhores os resultados e a qualidade do material. “Nós, cirurgiões-dentistas, somos muito importantes neste processo pois o dente deve ser extraído de forma apropriada e encaminhado ao laboratório de acordo com protocolo. Aliás, pelo fato de a medicina regenerativa unir várias áreas, o dentista é da mais alta relevância para a difusão deste conhecimento à população”, assegura o cirurgião-dentista Alexandre Basso Parreira, da cidade de São Bernardo do Campo, na grande São Paulo. De acordo com ele, a partir de técnicas empregadas, estará garantida a qualidade e a multiplicação do material. A criança terá as células armazenadas por tempo indeterminado e, caso seja necessário, poderá fazer uso em qualquer fase da vida.

“Os pequenos devem sentir como são importantes em todo esse processo, afinal a ‘sementinha mágica’ está no dentinho que vamos extrair. Para isso criamos uma atmosfera muito especial! Os pais, o cirurgião e toda a equipe estão preparados para fazer daquele um momento único e marcante, que tenha reflexos positivos na vida da criança. Pela bravura, elas são recompensadas com um ‘certificado de coragem’, registrado por foto como recordação para toda a vida. Certamente, isso fará com que tenham boas lembranças ao visitarem o dentista. Esses são estímulos necessários e saudáveis! Elas também são presenteadas com a sementinha de uma árvore, que simboliza a importância daquele procedimento para o futuro”, relata Dr. Alexandre.

“O dentista também deve estar muito bem informado sobre a odontologia regenerativa. É importante que se atualize constantemente a respeito para que tenha novos argumentos, informações e, principalmente, possa assumir o papel de educador sobre o tema”, explica o profissional. 

O procedimento garante que, futuramente, a criança de hoje tenha a segurança de tratamentos adequados, tendo em vista que o uso de seu próprio material genético evita possíveis rejeições, em casos como transplantes de órgãos, por exemplo. Os tratamentos com células-tronco estão cada vez mais acessíveis e eficazes. Por isso, o armazenamento, a multiplicação e a preservação dessas células são uma forma cada vez mais concreta da ciência em preservar a saúde e superior qualidade de vida das novas gerações. “É por esse motivo também que nós, dentistas, além de informarmos os pais, devemos alertá-los e responsabilizá-los pelo futuro de seus filhos pois o que está em jogo é a saúde e a vida dos pequenos”, afirma Dr Alexandre Basso Parreira. 

No Brasil as pesquisas avançam com sucesso em tratamento de crianças com fissura labiopalatina. Atualmente foram realizadas 18 intervenções. “Essa má formação congênita normalmente é corrigida com cirurgia altamente invasiva, que acontece por volta dos 8 anos de idade e consiste na retirada de um fragmento do osso da bacia para fechar a fenda. Um procedimento muito doloroso e de recuperação lenta. Em média são necessárias até três cirurgias. Com o tratamento a partir de células tronco, elas são ‘programadas’ para formarem um novo osso e, em seis meses, acontece o completo fechamento da fissura labiopalatina”, explica a cirurgiã-dentista e doutora em genética, Daniela Bueno, que coordena as pesquisas para reabilitar o osso alveolar de pacientes portadores de fissuras labiopalatinas a partir do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS).


quarta-feira, 15 de maio de 2019

Saúde bucal: Conselho Regional de Odontologia divulga mitos e verdades

Redação

Para manter um sorriso saudável e bonito, muitas pessoas optam por seguir dicas que encontram na internet, ou indicações de amigos próximos. Mas nem sempre essas informações estão corretas. Para não arriscar a saúde em dia, o primeiro passo a seguir é o acompanhamento do dentista, que será responsável por indicar medidas preventivas e realizar tratamentos necessários. Para esclarecer o tema, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) listou alguns mitos e verdades sobre a saúde bucal. Confira a seguir:

A ida ao dentista deve ocorrer regularmente para manter a saúde bucal | Foto: Freepik

Devo usar muito creme dental para escovar os dentes?
Mito. A impressão de que muito creme dental ajuda na limpeza dos dentes é um engano. Uma pequena quantidade é suficiente para uma ótima limpeza nos dentes, pois o recomendado é colocar o creme apenas dentro das cerdas da escova dental.
 
Segundo a periodontista Luciana Scaff Vianna, da Câmara Técnica de Periodontia do CROSP, a limpeza mecânica (escova e fio dental) é a grande responsável pela higienização completa. Importante destacar que o creme dental precisa conter flúor em sua fórmula, pois o elemento é comprovadamente eficaz na prevenção da cárie.
 
Posso comer uma maçã e não escovar os dentes?
Parcialmente mito. Não é totalmente mito, pois comer uma maçã ajuda a limpar a superfície vestibular (frontal) dos dentes. Mas não é tão eficaz como realizar uma higiene bucal completa com o uso de escova, fio e creme dental. Ao passar o fio, possivelmente haverá restos do alimento entre os vãos do dente. A periodontista reforça que “comer maçã é muito melhor que comer chocolate ou doces, mas nunca devemos substituí-la por uma escovação completa, pois sempre precisamos remover os resíduos dos alimentos”.
 
Mascar chiclete acaba com o mau hálito?
Mito. Apesar de mascarar o odor ruim, o chiclete não acaba com o problema. E nos casos em que o cheiro é muito forte, o sabor do chiclete pode se misturar ao cheiro e ser ineficiente. Rosileine Uliana, membro da Comissão de Halitogia do CROSP, destaca que existem mais de 40 causas para o mau hálito e para dar um basta no problema, é necessário o diagnóstico do cirurgião-dentista. O profissional será o responsável pela identificação e realização do tratamento mais apropriado.
  
Creme dental com efeito branqueador clareia os dentes?
Mito. Somente o cirurgião-dentista está apto para indicar um tratamento clareador. O mais recomendado é realizar o procedimento em consultório e seguir todas as instruções do profissional. O creme dental branqueador é indicado para a manutenção do clareamento.  Alguns são muito abrasivos e removem apenas as manchas externas, assim dão a sensação de dentes mais brancos, mas, na verdade, riscam o esmalte dentário e, muitas vezes, deixam os dentes mais opacos (sem brilho).
 
Devo manter uma boa saúde bucal para não influenciar a minha saúde geral?
Verdade. Assim como muitos sintomas de doenças sistêmicas se manifestam na boca, ela também é porta de entrada para essas doenças. Por isso, para manter uma boa saúde, é indispensável fazer uma higienização bucal de forma adequada com o uso de produtos indicados pelo(a) cirurgião(ã)-dentista. As consultas odontológicas também devem ser regulares, pois são nessas visitas que o profissional pode detectar problemas e indicar tratamentos.

Mulheres grávidas precisam dar mais atenção a saúde bucal?
Verdade. Durante a gestação, a mulher se torna mais vulnerável a doenças bucais, como a cárie e a doença periodontal. Um dos motivos é o conjunto de alterações hormonais que modificam a saliva e o pH da boca. No pré-natal odontológico, o(a)  cirurgião(ã)-dentista irá prevenir e tratar doenças orais, além de orientar as futuras mamães sobre aleitamento materno, hábitos saudáveis e higiene oral. Segundo a conselheira do CROSP Sofia Uemura, doenças na cavidade oral colaboram para desfechos negativos na gestação, como mortalidade perinatal e prematuridade, por isso, a saúde bucal da mãe interfere diretamente na saúde do bebê.

Antibióticos mancham os dentes?
Parcialmente verdade. A tetraciclina é o único tipo de antibiótico com efeitos colaterais que podem comprometer os dentes. Ela costuma danificar o esmalte dos dentes e manchá-los – em alguns casos, alterando a cor para um tom acinzentado. Mas, esse efeito colateral representa perigo apenas para os dentes que estão em formação, isto é, entre o quarto mês de vida intrauterina e até aproximadamente os setes anos de idade.

Bicarbonato de sódio pode clarear os dentes?
Mito. Muito comum em receitas caseiras para clarear os dentes, o bicarbonato de sódio não é a melhor maneira de clarear os dentes. O produto é um abrasivo forte que atua como esfoliante, polindo a superfície externa e podendo causar desgaste aos dentes. Lembrando que o recomendado é fazer um tratamento clareador diretamente com o cirurgião-dentista e seguir todas as instruções do profissional.

O chá das folhas de batata doce pode curar a dor de dente?
Mito. Apesar da crença popular de que o chá tem ação anti-inflamatória, não há nenhuma evidência científica da sua eficácia. Para tratar a dor, é sempre recomendado que faça uma consulta ao cirurgião-dentista. O profissional fará o diagnóstico da origem do problema e, assim, irá tratar da forma mais adequada.


Especialista fala sobre hormônio do crescimento para crianças

Redação

A endocrinologista pediátrica  Vanessa Radonsky da Croce, clínica especializada no diagnóstico e tratamento nas áreas de Endocrinologia, Alergia, Imunologia, Otorrinolaringologia e Reumatologia, comenta que muitos pais  procuram o local com a seguinte dúvida: meu filho precisa receber hormônio do crescimento?

"É preciso se atentar quantos centímetros a criança está crescendo", comenta a  endocrinologista pediátrica  Vanessa Radonsky | Foto: reprodução

A especialista explica que, em primeiro lugar, é necessário fazer uma avaliação criteriosa, incluindo exames clínicos, avaliação da velocidade de crescimento, exames laboratoriais e um específico para saber a maturidade óssea da criança.

"É preciso se atentar quantos centímetros a criança está crescendo. Por exemplo, até a puberdade, ela deve crescer entre cinco e sete centímetros (cm) por ano. A menina durante a adolescência, deve crescer em média nove cm e o menino dez cm por ano", explica Vanessa.

O hormônio do crescimento age na cartilagem de crescimento, promovendo a formação de células do osso e, consequentemente, o crescimento. O primeiro sinal de que algo está errado, já pode ser percebido durante a consulta de rotina com o pediatra, que faz o acompanhamento por meio da chamada curva de crescimento.

A especialista explica que criança abaixo da curva de crescimento deve ser avaliada pelo endocrinopediatria. "Quando ela começa a ser comparada com os amigos da mesma idade, mostrando que está mais baixa, é outro indicativo para procurar por um especialista", ressalta Vanessa.

A deficiência de crescimento pode ocorrer por déficit do hormônio, ou em decorrência de outras doenças, como hipotireoidismo, doença hematológica e cardiológica são algumas delas. O diagnóstico deve ser feiro por endocrinopediatria e de forma individualizada.

terça-feira, 14 de maio de 2019

Grupo Demônios da Garoa faz show beneficente para a Casa Ronald McDonald ABC

Redação

O Quintal do Espeto Tatuapé, em São Paulo, promoverá show beneficente dos Demônios da Garoa em prol da Casa Ronald McDonald ABC, em 23 de maio, a partir das 20h. Toda a verba arrecadada com a venda antecipada dos ingressos será revertida para as obras de revitalização do espaço em Santo André.

Show do Demônios da Garoa ocorre em 23 de maio no Quintal do Espeto Tatuapé | Foto: reprodução 

A analista de relacionamento da Casa Ronald McDonald ABC, Rosemeiri Silva, explica a ação. "O convite dá direito ao show, mas os convidados poderão desfrutar do rodízio de espetos à la carte ou all inclusive com opções clássicos, boteco, doces e diversos acompanhamentos e bebidas, porém pagos à parte"

O Quintal do Espeto Tatuapé fica na Rua Serra de Botucatu, 1933, Tatuapé, em São Paulo. Os convites já podem ser adquiridos pelos telefones (11) 96331-4015 e 4433-4490 com Rose.

Livro “Quem mexeu no meu queijo?” ganha continuação

Redação

Ao contar a história de quatro personagens – dois ratos e dois humanos do mesmo tamanho dos roedores que vivem em um labirinto à procura de queijo –, Spencer Johnson encantou milhões de pessoas com a parábola Quem mexeu no meu queijo?. Depois de 28 milhões de cópias vendidas ao redor do mundo, o autor lança a obra Como sair do labirinto (Editora Record), que é sequência da aventura vivida pelos personagens Hem, Haw, Sniff e Scurry.


Como sair do labirinto continua do ponto onde Quem mexeu no meu Queijo? parou e revela o que Hem fez em seguida | Imagem: divulgação 

Na parábola de Spencer Johnson, os personagens percorrem incansavelmente os corredores do labirinto em uma eterna busca por queijo – uma metáfora para o que se deseja ter na vida: um bom emprego, um relacionamento feliz, bens, saúde ou paz de espírito. Já o labirinto seria uma referência a tudo o que dificulta ou impede a conquista desses objetivos. 

Como sair do labirinto continua do ponto onde Quem mexeu no meu Queijo? parou e revela o que Hem fez em seguida – e como os aprendizados dele podem ajudar o leitor a desvendar a saída, para qualquer labirinto em que se encontre.

Esquizofrenia: conheça o transtorno

Redação

Dia Mundial da Pessoa com Esquizofrenia ocorre em 24 de maio, a data destaca o desafio de tratar a doença, buscando entender e discutir a redução das barreiras do estigma e criar oportunidades de superação. O lema da campanha deste ano é “Esperança Realista e Possibilidades na Vida com Esquizofrenia”, um convite à reflexão para as pessoas com esquizofrenia, seus familiares e os profissionais de saúde.

A doença exige tratamento em longo prazo, afirma o psiquiatra Mário Louzã | Foto: divulgação 

No Brasil, a data é promovida pela Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Esquizofrenia (Abre), o Programa de Esquizofrenia da Universidade Federal de São Paulo (Proesq) e Centro de Estudos Paulista de Psiquiatria (CEPP).
 
Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), 23 milhões de pessoas no mundo têm esquizofrenia. A falta de informação sobre o transtorno gera uma série de equívocos em relação ao comportamento dos pacientes, considerados por muitos como perigosos, violentos e inaptos para o convívio.

Sintomas e diagnóstico
O diagnóstico da esquizofrenia pode vir logo depois do primeiro episódio psicótico, que inclui delírios (ideias que são incompatíveis com a realidade da pessoa), alucinações (em geral, auditivas, na forma de “ouvir vozes”), pensamento desorganizado e alterações de comportamento.

Estes sintomas ocorrem essencialmente na fase aguda da doença (o “surto” psicótico). Uma vez tratados, eles diminuem ou desaparecem (o período de remissão), podendo a pessoa vir ou não a ter novos surtos. No período de remissão ficam mais perceptíveis outros sintomas, como apatia, falta de motivação e dificuldade para expressar emoções (as emoções ficam “apagadas”).

A doença exige tratamento em longo prazo em 80-90% dos casos, conforme explica o psiquiatra Mário Louzã, doutor pela Universidade de Würzburg, Alemanha, e coordenador do Programa de Esquizofrenia do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. “É necessário tratar o paciente imediatamente para evitar novas crises, pois, do contrário, a pessoa pode piorar nos surtos subsequentes”, afirma Louzã, que destaca ainda que o não-tratamento é prejudicial à estrutura cerebral.

Os mecanismos de como a doença funciona e o porquê ainda não foram completamente desvendados, mas já se sabe que há relação com mais de um fator. “Sabemos que há todo um processo para chegar ao momento em que a doença aparece. Primeiro, existe uma base genética, que se soma a alguns fatores de risco: qualquer lesão no neurodesenvolvimento durante a gestação já deixa a estrutura cerebral vulnerável. Há ainda outros episódios de vida, como o uso de drogas na adolescência, quando o cérebro ainda está se ajustando”, afirma o especialista.

Louzã explica que, durante as crises, o que ocorre é uma alteração química no cérebro, com o aumento do funcionamento do sistema dopaminérgico. Portanto, de modo geral, as medicações usadas têm como foco bloquear a dopamina, cuja hiperfunção já está mapeada como gatilho desse desequilibro. Porém, estuda-se ainda a presença de outras neurodisfunções envolvidas.

É comum também que o paciente apresente comorbidades em paralelo à esquizofrenia. Depressão e tendência ao uso de drogas são as principais preocupações, mesmo quando o paciente está seguindo o tratamento – até porque o uso de drogas e álcool pode ser um gatilho para novas crises. Também pode ocorrer quadros de transtorno obsessivo compulsivo, transtornos de ansiedade e problemas de sono.

Personalização
Existem diretrizes básicas de uso da medicação para o tratamento da esquizofrenia. Porém, o olhar do profissional de saúde para o paciente busca sempre a individualização. Alguns pacientes se dão melhor com um ou outro medicamento e, por vezes, pode ser necessário fazer ajustes de dose ou mesmo da forma farmacêutica. “Quando o paciente tem muita resistência a utilizar corretamente a medicação oral, aumenta o risco de recaídas e temos uma piora do quadro geral do paciente. Então, não é incomum fazer substituições até mesmo por formas injetáveis de longa duração dos antipsicóticos”, exemplifica o psiquiatra.

Antes dessa medida, tenta-se trabalhar com o paciente – e a família – abordagens psicoterápicas e psicoeducacionais. O médico explica que elas são importantes para despertar no paciente a importância da persistência no uso do medicamento. São muitos os motivos para o abandono do tratamento. Um deles é próprio da condição: “A pessoa não tem um senso crítico satisfatório sobre a doença, não se percebe como doente e, portanto, não vê motivo para se tratar”, pontua Louzã. Outro fator para a descontinuidade são os efeitos colaterais das medicações.

Opções terapêuticas
Os antipsicóticos são divididos entre primeira e segunda geração. Os primeiros foram desenvolvidos até por volta dos anos 1970, enquanto os mais modernos vieram a partir da década de 1990. Eles se diferenciam principalmente pelos efeitos colaterais que provocam.

Os de primeira geração apresentam os chamados efeitos extrapiramidais, que geram uma reação similar à doença de Parkinson: ao bloquear o sistema dopaminérgico, o medicamento provoca tremor, rigidez física, hipersalivação e dificuldade para caminhar (marcha em bloco). Já os de segunda geração reduziram significativamente esses incômodos, mas trouxeram como possível efeito colateral o ganho de peso, acompanhado de aumento do colesterol e triglicérides.

“Se o paciente se dá bem com um medicamento de segunda geração, em geral, preferimos acrescentar outro fármaco que controle o colesterol e orientamos para que ele pratique atividades físicas de forma complementar. Porém, se o efeito colateral é significativo e os resultados do tratamento estão pouco satisfatórios, a opção é tentar mudar de medicamento até encontrar o melhor ajuste”, afirma.

De acordo com o médico, os fármacos de primeira geração são ainda prescritos com frequência, mas, caso se apresentem como opção, podem ser prescritos junto a medicamentos específicos, caso o paciente desenvolva sintomas extrapiramidais. “No Brasil, usamos o biperideno, que não provoca interações importantes”, diz.

O tratamento da esquizofrenia envolve sempre uma abordagem multiprofissional. O objetivo é ajudar o paciente a voltar, na medida do possível, à vida normal. Para isso, o trabalho com a família é fundamental. Muitas vezes a pessoa não tem a remissão total da doença, mas ela e a família aprendem a lidar melhor com os fatores que desencadeiam as crises.

Desafios
A pessoa com esquizofrenia é vista como "perigosa", "violenta", "imprevisível", "esquisita". Esta visão distorcida gera a discriminação, reduzindo as chances de inserção social e profissional. Ela terá dificuldade em situações triviais, pois terá que superar barreiras criadas pelo preconceito.

O elemento principal para mudar este cenário é a informação. Conhecer a doença, entender seus sintomas e saber como é feito o tratamento. Informações corretas, obtidas em fontes confiáveis, ajudam a compreender a pessoa com esquizofrenia e se contrapõem àquelas distorcidas e arraigadas no senso comum. É um longo trabalho, uma vez que é preciso mudar algo que vem de muitas décadas. No entanto, é fundamental para que a realidade se imponha sobre o preconceito.

Professor Luciano Salamacha fala sobre vaidade

Redação A palavra vaidade originária do latim significa oco, vazio. No dicionário quer dizer valorização que se atribui a própria aparênci...