sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Fonoaudióloga orienta como cuidar da audição durante viagens aéreas

Da Redação

Durante a viagem de avião é preciso tomar alguns cuidados, especialmente aquelas pessoas que têm problemas de audição. As idas e vindas de avião costumam causar incômodo e zumbido nos ouvidos de muitos viajantes e, para quem usa aparelhos auditivos, o desconforto pode ser ainda maior. Por isso, preste atenção nas dicas da fonoaudióloga Isabela Papera, da Telex Soluções Auditivas.

Sempre que possível, escolha assentos longe dos motores, que ficam no final da aeronave | Foto: reprodução 
Durante o voo, os velhos truques de bocejar, engolir saliva e mastigar chiclete ajudam bastante a “desentupir” o ouvido. Faça esses movimentos para que a Trompa de Eustáquio se abra e feche, mantendo assim o equilíbrio da pressão do ar entre os dois lados da membrana do tímpano, aliviando o incômodo e um possível zumbido.

Se estiver resfriado, com rinite ou congestão nasal, o entupimento dos ouvidos pode ser ainda maior. Aplique soro fisiológico no nariz durante a viagem para diminuir as secreções e o desconforto.

Quem tem problemas de audição deve escolher um assento na lateral do avião oposto ao seu ouvido com melhor escuta. Por exemplo, quem ouve melhor com o ouvido direito, deve escolher um assento na janela da fileira esquerda; assim você pode escutar melhor as recomendações e serviços da companhia área.

Para evitar dores no ouvido, é importante usar os aparelhos auditivos a cada pouso e decolagem. O incômodo nas viagens aéreas ocorre pela rápida mudança de altitude, com o avião em geral atingindo entre 10 e 12 mil metros. Assim é possível também compreender todas as orientações dos comissários de bordo.

Sempre que possível, escolha assentos longe dos motores, que ficam no fim da aeronave, onde há mais ruído.

"Um cuidado muito importante para os viajantes que usam aparelhos auditivos é não esquecer de levar o desumidificador e colocar seu aparelho nele durante a noite, garantindo assim uma boa vida útil ao equipamento. Leve sempre também um bom estoque de pilhas, e em mais de uma bolsa, para garantir que, mesmo que alguma se perca, você possa continuar ouvindo bem durante toda a viagem", aconselha a fonoaudióloga.


Médico fala sobre tratamentos estéticos ideais para fazer antes do verão

Da Redação

Começou a temporada dos últimos preparativos para o verão. Entre os tratamentos estéticos indicados estão os que eliminam as gordurinhas, além dos procedimentos para melhorar o aspecto da pele. O médico e cirurgião plástico Marco Cassol comenta quais são os mais adequados para o período.

 O preenchimento com ácido hialurônico é utilizado em diversas situações, por exemplo, em rugas e olhos encovados | Foto: iStockphoto 
Criolipólise: trata-se da destruição da gordura localizada por meio do frio. É um tratamento não invasivo e indolor, já que o frio serve como um anestésico. Particularmente indicado para a região da cintura e abdômen (barriga). “Este tratamento pode ser feito em qualquer época do ano, mas pra quem quer turbinar o copo para o verão, o ideal é fazer de dois a três meses antes, pois é o tempo que o resultado demora a aparecer”.

Dermaroller: pequeno instrumento que desliza sobre a pele do rosto ou do corpo, atingindo a derme e promovendo a formação de fibras de colágeno, que dá firmeza e sustentação à pele. “Os resultados do uso do DermaRoller variam de acordo com a região a ser tratada e do tipo de rolo que se utiliza. Para eliminar rugas finas 3 sessões podem ser suficientes, mas para melhorar as estrias brancas e largas ou cicatrizes de acne, o número de sessões deverá ser maior”.

Botox: a toxina botulínica é uma medicação que paralisa parte da musculatura e corrige marcas de expressão de forma simples e eficaz, sem a necessidade de um tratamento invasivo como a cirurgia plástica. “O botox é um bom procedimento para ser feito nesta época do ano para que seu resultado esteja impecável no verão. Caso haja necessidade de retoque após a primeira aplicação ou algum efeito colateral temporário, a paciente terá tempo para solucionar estas questões” comenta o cirurgião.

Preenchimento (facial e corporal) com ácido hialurônico: é usado para melhorar o contorno e a projeção dos lábios, corrigir os olhos encovados, melhorar a projeção das maçãs do rosto e depressões, sulcos e rugas da pele. Pode ser usado em outras partes do corpo em concentrações e volumes maiores como para preencher o bumbum ou aumentar as coxas, braços ou corrigir defeitos no tórax. “O resultado se mantém por 6 a 18 meses quando aplicado na face e é dependente da concentração do ácido hialurônico usado".



Autoras paulistas lançam livro sobre sentimento de culpa e conflitos

Da Redação

Vivemos rodeados de conflitos, alguns simples e outros complexos, mas todos deixam um rastro de insatisfação e incerteza. Saber agir diante de situações tensas é uma habilidade cada vez mais necessária. Com uma abordagem estratégica, o livro A Culpa Não é Minha!? (Editora: Literare Books), das autoras Allessandra Canuto, Adryanah Carvalho e Ana Luiza Isoldi, foi escrito para ajudar a compreender e resolver os diferentes conflitos que nos cercam.

Segunda as autoras, percepção, responsabilização e conexão são essenciais para resolver um conflito | Imagem: reprodução 
O livro aponta a necessidade de refletir sobre nossas atitudes e relaciona os possíveis fatores que estão gerando o conflito. A chave para resolvê-los é saber lidar com o confronto que está sendo vivenciado no momento. "Compreendendo os seus motivos e os do outro, é possível chegar a um acordo que contemple as necessidades das partes", explica Allessandra.

É fundamental reconhecer que para toda ação há uma reação e, assim, funciona também no caso de um conflito. A forma como se responde a um estímulo negativo é fundamental para a solução produtiva de uma situação. Aprender como ser bem-sucedido na resolução de problemas é dar um passo no aprimoramento comportamental tão desejado aos tempos atuais.

O livro conta com um capítulo específico, intitulado Conflitômetro. Como o próprio nome sugere, a proposta é oferecer uma ferramenta que ajude o leitor a identificar o nível do conflito e o que o impede de solucioná-lo, além de apontar as habilidades necessárias para transpor, indicando uma estratégia para dirigir os esforços no sentido da solução.

Usando a multidisciplinaridade do reportório profissional que desenvolvem (que vai de coaching a área de engenharia), as autoras investigam o mundo dos conflitos e como eles são gerados, além de desvendar quais são os tipos de divergências que existem e como resolvê-las. Uma coisa é fato: a discordância se instaura quando duas ou mais pessoas, tomam lados diferentes sobre uma questão. É importante nesse momento considerar os fatos com clareza e objetividade, considerando as questões emocionais de forma equilibrada.

A obra trabalha com três pontos centrais para a solução dos conflitos e conquista da harmonia: percepção, responsabilização e conexão.




quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Ansiedade afeta cerca de 10% das crianças e adolescentes brasileiros

Da Redação

A ansiedade, comum e recorrente na vida adulta, atinge 9% de todos os brasileiros, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Porém, o transtorno vem sendo detectado cada vez mais cedo. No Brasil, segundo uma pesquisa recente da Faculdade de Medicina da USP, aproximadamente 10% de todas as crianças e adolescentes brasileiros têm ou irão ter algum tipo de ansiedade em algum momento da vida.

Segundo Wolker, a tecnologia pode colocar a criança frente a um mundo que sua maturidade e entendimento ainda não podem suportar | Foto: reprodução 

Um fator que também deve ser muito observado pelos pais é a influência da tecnologia, já que segundo um estudo americano, crianças a partir de dois anos de idade, apresentaram ansiedade ou depressão após o contato intenso com jogos virtuais, smartphones e televisão.

Segundo o psiquiatra da Aliança Instituto de Oncologia, Roney Vargas, a maioria das crianças experimenta vários medos. Isso pode trazer a ansiedade durante a infância, e alguns desses medos são específicos do estágio do desenvolvimento. "Em contraste com medos, a ansiedade é definida como uma resposta antecipatória a uma ameaça percebida, tanto interna como externa. Em outras palavras, pode-se considerar a ansiedade como um medo sem objeto, o que é bastante diferente de um medo ligado a uma situação ameaçadora como a presença de um leão na frente da pessoa", explica o médico.

De acordo com o especialista, transtornos psiquiátricos podem ser algumas causas da ansiedade das crianças, porém não todas. "Do ponto de vista ambiental, há algumas situações com um potencial de gerar ansiedade de forma mais intensa entre os pequenos, como a questão da separação da família para ingressar no ambiente escolar, a questão de falar em público ou, por exemplo, ser submetido a uma avaliação", esclarece Vargas.

É sabido que a ansiedade por si só é uma emoção fundamental para o ser humano, porque ela representa um transtorno em relação ao desconhecido e, esse transtorno tem uma importância fundamental na sobrevivência das espécies, conforme comenta o cientista político, educador e sócio do Instituto Ideaah, Paulo Wolker: "Ou seja, ter medo do futuro (e a ansiedade é um tipo de medo) é uma característica importante do ser humano. Mas quando ela se torna exagerada e recorrente ela se torna uma doença. E é hoje uma verdadeira pandemia em todo o mundo".

Quando a ansiedade afeta as relações sociais dos pequenos, há necessidade de sempre realizar uma avaliação clínica com um psiquiatra. Em crianças e adolescentes como regra geral deve-se optar em primeiro lugar por medidas como terapias psicológicas como a TCC ou comportamental, além de estratégias psicoeducacionais. "Somente em casos com impacto considerável no funcionamento da criança deve-se lançar mão de medicações. Todavia, essas ações devem sempre caminhar com medidas psicológicas e educacionais", conclui Vargas.

A influência da tecnologia entre as crianças
Muito tempo gasto em jogos, smartphones e televisão está associado a níveis elevados e a diagnósticos de ansiedade ou depressão em crianças a partir dos 2 anos de idade, de acordo com um novo estudo. Mesmo depois de apenas uma hora de tela diariamente, crianças e adolescentes podem começar a ter menos curiosidade, menor autocontrole, menos estabilidade emocional e maior incapacidade de terminar tarefas, o psicólogo relata Jean Twenge, da Universidade Estadual de San Diego e Keith Campbell, professor de psicologia da Universidade da Geórgia.

Segundo Wolker, a tecnologia pode colocar a criança frente a um mundo que sua maturidade, desenvolvimento e entendimento ainda não podem suportar. Esse impacto pode ser devastador para a segurança da criança e pode causar muito medo. Uma cena de massacre coletivo, com vários corpos mutilados de jovens e crianças, que é possível ser visto no Youtube, já é muito impactante para um adulto, imagine para uma criança.

Esse tipo de ansiedade pode gerar uma série de respostas fisiológicas que afetam o sistema cardíaco, pulmonar, gastrointestinal e neurológico. "Além disso, a ansiedade cursa com sintomas cognitivos, como sensação de perda de controle ou perder a cabeça, pensamentos indesejados e intrusivos, desatenção, insônia e mesmo distúrbios de percepção, como despersonalização ou imagens visuais vagas", esclarece Vargas.

Cinco dicas que podem ajudar a amenizar a ansiedade dos pequenos, segundo Wolker:
- Reforçar na criança sempre a visão otimista e positiva da vida e do mundo. Problemas, sejam eles afetivos, financeiros, nunca devem ser expostos à criança.
- Garantir sempre a atenção, o cuidado e a proteção das crianças. Mostrar para os pequenos que eles sempre têm alguém para confiar é muito importante.
- Evidenciar a presença do adulto como cuidador e protetor. Deixar claro para a criança que os pais ou responsáveis adultos que têm o papel de manter a segurança deles.
- Reforçar o foco da criança no presente, no que ela está fazendo agora, de modo que ela tenha a sua atenção na sua brincadeira, no seu brinquedo, nos seus colegas e não no futuro.
- Cuidar para que a criança tenha atenção consigo mesma, com sua respiração, com o seu entorno, com seu corpo, com que ela está fazendo.




Síndrome de Burnout pode causar doenças autoimunes, hipertensão e depressão

Da Redação

O estresse e a tensão emocional, muitas vezes ligados às condições de trabalho desgastantes, se tornaram a nova doença do século: a Síndrome de Burnout. Chamada também de síndrome do esgotamento profissional, trata-se de um distúrbio psíquico, cujas principais características são o estresse crônico, tensão, despersonalização e o esgotamento físico e emocional. A psicóloga da Clínica Maia Aline Grou, especializada em saúde mental, alerta que o problema pode ainda ter outros desdobramentos.

Doença atinge principalmente profissionais da área da Saúde, Educação, Comunicação e Tecnologia | Imagem: reprodução
A Síndrome de Burnout pode causar também desenvolvimento de doenças cardiovasculares (hipertensão), síndromes autoimunes e queda de cabelo e é tratada através de psicoterapia e medicamentos, como antidepressivos e/ou ansiolíticos.

“O nome Burnout tem origem no verbo inglês 'to burn', que quer dizer queimar-se por completo, consumir-se. É uma doença característica do trabalho que atinge, principalmente, profissionais da área da saúde, educação, comunicação e tecnologia", alerta Aline.

De acordo com a profissional, a autocobrança excessiva, o acúmulo de funções, pressão intensa, áreas que estão diretamente ligadas às relações humanas ou que exigem do trabalhador afetividade, assim como dificuldade de relacionamento na equipe de trabalho são algumas das causas ligadas ao problema, que já virou questão de saúde pública. Segundo a Associação Internacional de Gestão de Estresse do Brasil, estima-se que 32% dos profissionais sofram com o esgotamento.

"Quem sofre com a síndrome, entre outros sintomas, sente cansaço a todo o momento, fortes dores de cabeça, dores musculares, distúrbio do sono e problemas gastrointestinais como gastrites e úlceras. No quesito emocional, ocorrem sinais como falta de atenção e concentração, alteração da memória e do humor, ansiedade, depressão, pensamentos negativos, isolamento, sentimentos de derrota e desesperança, podendo até chegar ao suicídio", afirma a especialista. Há também um alto índice de uso de álcool e drogas, bem como utilização de medicamentos como uma forma de minimizar a angústia. 

Para a psicóloga, o ideal seria estruturar um planejamento diário com tempo suficientemente adequado para conclusão de todas as atividades, evitando também a sobrecarga de responsabilidades, o que pode causar, inclusive, o afastamento do trabalhador de sua função.

A psicóloga explica que o tratamento dura, no mínimo, três meses, mas pode ser mais longo dependendo do caso. Ela ressalta ainda que “mudanças nas condições de trabalho e, principalmente, hábitos cotidianos saudáveis, com atividades físicas relaxantes, lazer e meditação, por exemplo, são importantes. É importante lembrar que o trabalho não deve ser apenas um meio de sustento para garantir a sobrevivência, mas também uma fonte de prazer e realização pessoal, se possível", finaliza.


Golden Square Shopping sedia exposição de três artistas

Da Redação

A Betto Damasceno Galeria traz ao  Golden Square Shopping, até 15 de dezembro, a exposição Três Contemporâneos Brasileiros, com obras de autoria de Caciporé Torres, Everson Fonseca e Fernando Eckman.  A mostra fica aberta à visitação diariamente, das 12 às 20 horas, no Piso L2.

Escultura de Caciporé Torres | Foto: divulgação 
Com curadoria de Enock Sacramento, a exposição contará com esculturas de Torres,  pinturas de Fonseca e técnicas mistas sobre papel e tela de Eckman. Três Contemporâneos Brasileiros é a quarta exposição gratuita que a Betto Damasceno Galeria de Arte traz ao local.

O Golden Square Shopping fica na Avenida Kennedy, 700, Jardim do Mar, em São Bernardo do Campo.


quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Campanha “Dezembro Vermelho” tem ações especiais em São Caetano do Sul

Da Redação

O “Dezembro Vermelho”, mês de prevenção ao HIV/Aids e outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), terá ações de conscientização promovidas pela Secretaria de Saúde de São Caetano do Sul. De segunda a sexta-feira da próxima semana (3 a 7), das 9h às 16h, serão realizados testes rápidos de HIV e sífilis em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e no Centro de Testagem e Aconselhamento do Centro de Prevenção e Assistência às Doenças Infecciosas (Cepadi – Avenida Dr Rodrigues Alves, 93, Bairro Fundação), na Campanha Nacional "Fique Sabendo".

O resultado do teste rápido fica pronto em alguns minutos | Foto: Divulgação/PMSCS
De acordo com o coordenador da área técnica do Programa Municipal de Infecções Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais, Alexandre Yamaçake, a ação tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da prevenção dessas doenças.

 "A testagem é o caminho para o cuidado contínuo, diagnóstico, tratamento, retenção e supressão viral. O exame é rápido, seguro e o resultado é entregue em alguns minutos", comenta Yamaçake.

Segundo o especialista, atualmente, 772 pessoas estão em tratamento de HIV na rede municipal de São Caetano do Sul.  "Outro dado preocupante é o aumento dos registros de sífilis, uma vez que a rede atendeu mais de 1.800 casos em 2018", revela Alexandre.

Na última segunda-feira (26/11), a Secretaria de Saúde realizou uma atualização com os profissionais das equipes de enfermagem da Rede de Atenção Básica, Hospital Maternidade Dr Euryclides de Jesus Zerbini e Hospital de Emergências Albert Sabin para as novas marcas e modelos de testagem. Assim, todas as UBSs contarão com técnicos para atender a demanda.



O açúcar envelhece, afirma médica

Da Redação

Está comprovado cientificamente que o excesso de açúcar na alimentação envelhece, pois faz com que o colágeno - substância importante que mantém a pele firme - ligue-se incorretamente, resultando em rugas, explica a médica nutróloga e dermatologista, Heloisa Soares Gersgorin.

Refrigerantes e demais bebidas industrializadas possuem altos níveis de açúcar na composição | Foto: reprodução
“De acordo com as novas diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), é recomendado que apenas 5% do total de calorias ingeridas ao dia venha do açúcar.  Essa taxa equivale a 25 gramas de açúcar por dia (cerca de seis colheres de chá)”, comenta Heloisa.

A recomendação para o consumo reduzido de açúcar envolve ainda não adicionar açúcar no café ou chá e ainda reduzir o consumo de refrigerantes e de outras bebidas industrializadas, pois possuem altos níveis de açúcar em sua composição.

 “O açúcar faz mal à saúde, acelera o aparecimento da flacidez na pele e o alto consumo pode ainda aumentar da taxa de mortalidade entre diabéticos, além de causar outros problemas de saúde que podem ainda piorar o quadro de predispostos a desenvolver diabetes e pessoas com propensão a obesidade”, afirma a médica.

Heloisa fala ainda que o excesso de carboidratos também piora a saúde, então, é importante ter uma dieta equilibrada com carboidratos menos processados, sempre acompanhados de alimentos como frutas ou vegetais, que oferecem ao organismo além de energia, vitaminas que diminuem o efeito oxidante do açúcar e, assim, reduz o envelhecimento celular.


Evento “Pedal Anchieta” deve reunir 20 mil ciclistas

Da Redação

Em 2 de dezembro, mais de 20 mil ciclistas deverão realizar o primeiro Pedal Anchieta, descendo de bicicleta do planalto de São Paulo até o litoral de Santos. O percurso, de 55 quilômetros, será feito inteiramente pela via Anchieta, que terá operação especial no dia. A inscrição no evento é obrigatória e gratuita, interessados devem se inscrever no portal: http://pedalanchieta2018.org.

A largada será no km 10 da via Anchieta | Foto: divulgação
É importante que o interessado em participar do passeio leve em consideração tanto a sua condição física (o percurso tem uma duração estimada de 5 horas sob o sol e sem muita sombra), quanto à manutenção de sua bicicleta (revisão, freios em ordem, capacete e eventual material para conserto). Dicas estão disponíveis no portal do evento.

O trajeto passa por quatro cidades e uma grande área preservada, o Parque Estadual Serra do Mar que conta com vistas lindas de mata preservada e também de todo o litoral sul. A sintonia com a natureza é um dos principais eixos do evento e os participantes, conscientes da importância de se manter as áreas preservadas, devem estar comprometidos em não deixarem lixo e nenhuma alteração no percurso.

A organização do evento é composta por ciclistas que participam do Ciclo Comitê Paulista e conta com o apoio do Governo do Estado de São Paulo e das prefeituras de São Paulo, São Bernardo do Campo, Cubatão e Santos.

Largada 
A largada será no km 10 da via Anchieta, em blocos, com o primeiro grupo saindo às 06h e o último bloco saindo às 08h30. Após esse horário nenhum atleta será autorizado a iniciar o passeio por esse local.


terça-feira, 27 de novembro de 2018

Livro traz os bastidores de um dos maiores escândalos de corrupção do Brasil

Da Redação

O livro Se não fosse o Cabral (selo Tordesilhas), escrito pelo jornalista, escritor e vencedor do Prêmio Jabuti 2012 (na categoria reportagem), Tom Cardoso, traz com a ajuda de muito humor ácido, o “retrato do homem atrás do corrupto”, como define Alvaro Costa e Silva em sua apresentação do livro.  A obra extrapola os relatos da gigantesca relação de crimes envolvendo o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e constrói o perfil de um dos mais importantes políticos brasileiros e da máfia que liquidou com os cofres do Estado.

A obra constrói o perfil de Sérgio Cabral, um dos mais importantes políticos brasileiros, e da máfia que liquidou com os cofres do Estado | Imagem: divulgação 
Quem pariu Sérgio Cabral Filho? Como se deu a transformação do estudante de Jornalismo, filho de Serjão, o boa-praça editor de O Pasquim, no político ardiloso e megalomaníaco? Quais foram seus principais mentores e parceiros? Este livro responde essas e outras questões sobre um dos maiores ladrões da nossa história e da rede de políticos que o sustentou.

Mesmo em um país onde a corrupção é endêmica (o primeiro desvio de dinheiro público durante uma obra remonta a 1549, na construção de Salvador, a primeira capital), o autor revela como ninguém se mostrou tão apaixonadamente entregue à tarefa de dilapidar o erário quanto Cabral.

Para escrever a obra, Cardoso entrevistou ex-namoradas, colegas do seu time de futebol na faculdade – o “Canalhas em crise” –, familiares de amantes, organizadores de eventos, entre outros, e detalhe episódios como a Farra dos Guardanapos e a queda do helicóptero que transportava a potencial namorada do governador e a esposa do empreiteiro Fernando Cavendish.

Se não fosse o Cabral revela o Brasil da promiscuidade, do tráfico de influências, da corrupção impune, e a personalidade de um homem sem impedimento moral, sem pudores e disposto a tudo para enriquecer.


Alguns hábitos ajudam a manter a circulação saudável nos dias mais quentes

Da Redação

O cirurgião vascular Caio Focássio comenta alguns hábitos que ajudam a manter o sistema circulatório saudável. Muitas vezes, extremidades frias, inchaço dos membros inferiores, dor, cansaço excessivo, sensação de formigamento e aparecimento de varizes podem ser sinais de má circulação.

Sempre que possível relaxe e eleve os pés, assim o retorno venoso é facilitado, diminuindo o inchaço | Foto: Reprodução
Ele explica que pode ser até normal que, depois de um longo dia de trabalho, as pernas fiquem inchadas e até doloridas, porém, o constante aparecimento desses sintomas pode ser sinal de algo mais grave, como falhas na circulação. Com isso, pode haver uma concentração excessiva de líquido na região, que pode ser causada por vários motivos, dificultando o fluxo sanguíneo.

Os fatores hormonais também podem ser desencadeantes desse problema. "Além disso, situações como o sedentarismo, doença renal e até cardíaca podem ser o cerne do problema", afirma Focássio. Mas, na maioria dos casos, o inchaço ao final do dia é causado pela falta de movimentação que se agrava nos dias mais quentes.

Assim, o cirurgião vascular listou cinco dicas que podem auxiliar, principalmente, nos dias mais quentes do verão.

 1. Levante: Para quem trabalha sentado é recomendável levantar a cada hora. As pessoas que trabalham em pé precisam ficar atentas, o uso de meias elásticas para quem não tem contraindicação é uma boa medida a ser tomada.

 2. Mexa-se: Praticar exercícios físicos regularmente – caminhada, bicicleta ou corrida que estimulam o retorno sanguíneo.

3. Pés para o alto: Em casa, relaxe e eleve os pés – com uma almofada, por exemplo. Assim, o retorno venoso é facilitado, diminuindo o inchaço.

 4. Beba água: O consumo de água diário ajuda o funcionamento dos rins e, com isso, pode também diminuir o inchaço.

 5. Controle a balança: Manter o peso diminui os riscos do aparecimento de varizes. Além disso, estar em forma diminui os sintomas de inchaços das pernas.


Ginecologista orienta como evitar problemas ginecológicos comuns no verão

Da Redação

Com a chegada do verão, alguns episódios desagradáveis costumam aparecer e prejudicar a saúde feminina. O ginecologista Domingos Mantelli aponta alguns cuidados que as mulheres devem ter com a estação mais quente do ano.

Mulheres devem apostar em roupas mais leves e ventiladas durante o verão, para evitar doenças | Foto: divulgação
"Ficar com o biquíni molhado ou até mesmo usar roupas sintéticas podem fazer com que os corrimentos se tornem mais recorrentes nessa época do ano", alerta o médico.

Para Mantelli, é fundamental manter uma higienização adequada e evitar a umidade prolongada na região da vagina.  "Trocar os biquínis úmidos por secos, apostar em roupas mais leves e ventiladas como saias e vestidos e, principalmente, buscar orientação médica sempre que notar algo errado", adverte.

 Dentre as doenças ginecológicas que surgem mais no verão, o médico destaca a candidíase, a tricomoníase e a vaginose. Entenda cada uma:

Candidíase
"É causada pelo fungo do gênero "cândida", microrganismo que pode ser transmitido durante o ato sexual, embora não seja considerada uma Doença Sexualmente Transmissível (DST) ", explica Mantelli. A doença causa coceira e dores vaginal, para urinar e no ato sexual, além de corrimento branco com odor cítrico. O problema tem cura, e o tratamento deve ser feito com medicação antifúngica via oral e creme vaginal, por uma semana, comenta o ginecologista.

Tricomoníase
Doença causada pelo parasita Trichomonas vaginalis e a transmissão é por via sexual. O mal causa inflamação da vagina acompanhada de corrimento amarelo-esverdeado com odor desagradável. A doença causa dores ao urinar e durante o ato sexual. Se não for tratada, a doença pode suscitar em infertilidade e câncer do colo do útero. O tratamento é feito com medicamento via oral.

Vaginose bacteriana
Causada principalmente pela bactéria chamada Gardnerella Vaginalis, seu principal sinal é um corrimento amarelo ou branco-acinzentado, com um odor forte, e que piora durante as relações sexuais e na menstruação. Também pode provocar ardor e um pouco de coceira. O tratamento também é realizado com medicamento via oral e creme vaginal.

Infecção urinária
A infecção urinária pode ocorrer em qualquer parte do sistema urinário como rins, bexiga, uretra e ureteres. Esse tipo de infecção é comum em mulheres devido ao tamanho da uretra feminina. Os principais sintomas são: ardência ao urinar, excesso de vontade de urinar, e urina escura e com forte odor, além de dores pélvica e retal. Em casos mais graves há sangramento na urina.

Para evitar problemas, o ginecologista sugere algumas dicas simples que podem minimizar os riscos de desenvolver tais doenças:

-  Evite usar calças apertadas, prefira utilizar vestidos e saias, além de calcinhas de algodão;
- Sempre apare os pelos pubianos. Isso facilita a higienização;

- Faça sempre uma higiene íntima após o ato sexual, urinar e evacuar. Troque o absorvente durante a menstruação. O sabonete utilizado deve ser o neutro ou o íntimo e com indicação do ginecologista;

-Não utilize sabonete comum na higiene íntima e, após a lavagem externa, utilize toalha higiênica. O uso regular e descuidado do papel higiênico pode causar irritação local;

- Lave as roupas íntimas com água e sabão e seque-as ao sol. Não seque peças íntimas em ambientes fechados e úmidos como banheiros;

- Não compartilhe sabonetes, peças íntimas e toalhas.



segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Psicólogo orienta como tomar decisões e alcançar objetivos

Da Redação

Aprender a tomar decisões não tem idade, pois cada decisão tem o seu ônus e bônus. Uma dica importante é tomar uma decisão, após um período de análise e não de forma abrupta. Então, é importante não decidir nada de "cabeça quente" e sim ter uma análise mais racional. O psicólogo da Minds English School, Augusto Jimenez, ressalta que é importante pontuar os possíveis efeitos da decisão que se pretende tomar.

É importante analisar os possíveis efeitos de uma decisão | Foto: divulgação 
"Sempre brinco que para sabermos o que queremos devemos olhar para dentro. No Brasil, o acesso a psicólogos ainda é algo associado a um custo alto. Isso é um pouco utópico. Há diversas Universidades que oferecem o atendimento psicológico gratuito. Um terapeuta pode ajudar aos profissionais a tomarem as melhores decisões no seu ambiente de trabalho e na vida", elucida Jimenez.

O psicólogo listou cinco atitudes para auxiliar neste processo de decisão.

1) Papel e caneta na mão
O ato de escrever as nossas metas com prazos e forma de se se conquistá-las faz com que a nossa mente se concentre de forma mais eficaz para conseguir o que pretendemos. Além de escrever os seus objetivos fixe-os em uma parede ou outro aparato que tenha o costume de olhar diariamente. O nosso cérebro precisa fixar/captar o que queremos a médio/longo prazo todos os dias. Assim, visualizar os objetivos facilita conseguir o que se quer. Essa dica vale tanto para desejos pessoais quanto profissionais.

2) Fique atento(a) ao tempo dedicado a redes sociais
A tecnologia veio para nos ajudar, porém tudo é uma questão de equilíbrio. Muitos indivíduos não conseguem cumprir com atividades que delimitam, porque alegam a "falta de tempo". Entretanto, quando medimos o período gasto nos smartphones todos os dias percebe-se o quanto de tempo temos para conseguir alcançar os sonhos. Assim, baixe apps que cronometrem o quanto você fica na internet e diminua esse tempo, caso esteja ultrapassando mais de 1 hora diária.

3) Cuide da sua mente e do seu corpo
Busque um psicólogo, se for preciso,  e faça exercícios físicos. Encontre um esporte/atividade que realmente goste. Ambos os processos ativarão a sua mente para conseguir os seus sonhos e ter um dia a dia melhor em 2019.

4) Compartilhe as suas metas com os amigos/família
Você já deve ter ouvido aquele conselho de não falar para as outras pessoas quais são as suas metas/sonhos. Indo de encontro a essa fala, afirmo que é importante que você compartilhe com os indivíduos que lhe querem bem os seus planos. Isso porque muitos deles podem lhe ajudar a consegui-los. Lembre-se que por mais que convivamos com as pessoas, nunca seremos capazes de saber tudo sobre elas. Talvez, aquela oportunidade de emprego que você está traçando esteja mais próxima do que você imagina. Um amigo e/ou familiar pode trabalhar na empresa que você deseja e você não ter conhecimento disso. Pessoas que nos querem bem podem sim nos ajudar a conquistar os nossos sonhos. Por isso: compartilhe. De preferência pessoalmente.

5) Não desista 
Essa é a última dica. Todos os seres humanos têm dias difíceis e dias mais tranquilos. Quando pensar em desistir de fazer as coisas certas para conseguir o que realmente quer, lembre-se que a sua decisão reafirma quem você é e que não há sentimento melhor do que estar em paz consigo mesmo. Logo, quando pensar em desistir de fazer as coisas certas para ter o resultado lá na frente, lembre -se que ao conquistar o seu objetivo a longo prazo, a sua mente ficará em paz e você terá todas as recompensas de ter ido ao encontro de quem você é e do que você realmente quer.



Solidão: como lidar com a dor e aprender a andar sozinho

Por Mayra Cordeiro

Você já parou para pensar na necessidade que temos de ser ouvidos, compreendidos e aceitos? Esta pode ser uma das causas do sentimento de solidão. Embora na maior parte do tempo estejamos rodeados de pessoas queridas, podemos nos sentir sozinhos em muitos momentos da vida. A medicina tradicional chinesa entende este sentimento como oportunidade para a conexão com nossa própria essência. Mas também é verdade que o sentimento de solidão pode causar desconforto ou tristeza.

Para lidar com a solidão, medicina tradicional chinesa tem alguns recursos | Foto: Freepik
Solidão x Terapia

Busque um tratamento terapêutico, com ajuda profissional. O terapeuta tem condição de acompanhar o paciente nesta difícil jornada e ajudá-lo a descobrir caminhos para sair deste problema. O primeiro passo é entender a quão comprometida a pessoa está com o seu próprio bem-estar. Uma boa opção para complementar a terapia é buscar os orais e a homeopatia. Um oral bastante utilizado para esse propósito é o Rescue. Modo de usar: pingue 5 gotas sublinguais de manhã, à tarde e à noite.

Solidão x Grupos

Faça parte de grupos de apoio e desenvolvimento do autoconhecimento. Podem ser grupos de meditação, caminhada, ou de qualquer outra atividade, veja o que realmente gosta de fazer, encontre pessoas que tenham os mesmos gostos e comece a se relacionar com elas. Peça amorosamente ajuda para quem está ao seu redor: um amigo, um familiar, ou dependendo da situação, até um desconhecido.

Solidão x Alimentação

Alimente-se bem e acompanhado. As pessoas que sofrem de ansiedade e solidão, em geral, apresentam dois comportamentos com relação à alimentação: compulsão ou repulsa. Ou comem demais e depois se sentem culpadas, ou perdem completamente o apetite, desenvolvendo doenças pela falta da alimentação.

Alguns alimentos indicados: verduras, frutas vermelhas e frutas amarelas.

Alguns alimentos não indicados: comidas oleosas, leite, tomate e chocolate, entre outros doces.

Solidão x sono

É natural a pessoa que sofre de ansiedade passar muitas horas do dia dormindo. O sono é uma forma de fuga. Para não lidar com outras pessoas, ela se isola, e na falta do que fazer, ela dorme.

Dica: busque coisas positivas para fazer durante o dia e tente se recolher ao sono somente à noite. Crie uma rotina positiva, seja dentro ou fora de casa.

Solidão x relacionamentos

A solidão, que geralmente está associada à ansiedade, pode facilmente evoluir para isolamento e depressão. Quando a pessoa já se sente sozinha e está cheia de emoções tristes, como compartilhar isso com o outro? É muito importante que se tenha um ponto de apoio externo, e isso pode ser conquistado por meio dos relacionamentos.

Dica: Converse com o seu companheiro, seja sincero sobre os seus sentimentos e suas dores. Explique o que está acontecendo e peça ajuda. Quando existe uma comunicação aberta, fica muito mais fácil o outro compreender a sua dor. Olhe para o teu companheiro, amigo, filhos, familiar e dê um abraço apertado. A recíproca te fará se sentir muito melhor.

Solidão x comunicação

Muitas vezes, a solidão nasce da falta de entendimento entre as pessoas. Por isso a comunicação é tão importante. Compreender o que sente e ser muito verdadeiro quanto às emoções e necessidades, facilitam o momento em que for conversar com o outro sobre o seu problema.

Dica: diga às pessoas que precisa conversar com elas e programe essa conversa para o dia certo, no lugar certo; faça dessa conversa um momento especial, um momento de entrega. Dica: Traga essas pessoas para perto de você, diga que as quer ao seu lado. Reconheça para elas que você precisa de ajuda. Dê o primeiro passo.


Refluxo e obesidade podem estar relacionados

Da Redação

Ter a recorrente sensação de queimação, azia e náuseas podem ser alguns dos sintomas da doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE). Mais conhecido apenas como refluxo, a doença diz respeito a volta do alimento do estômago para o esôfago, juntamente com ácido gástrico, causando tais desconfortos. E, como se não bastasse, o refluxo ainda tem relação direta com a obesidade.

Estudos apontam que a obesidade é uma das principais causas do refluxo | Foto:  Shutterstock 
De acordo com estudos clínicos, a obesidade é uma das principais causas da enfermidade. Juntas, são responsáveis por duas das doenças mais prevalentes na população brasileira: enquanto o refluxo acomete cerca de 12% da população, a obesidade já atinge 20% dos brasileiros.  No caso, o excesso de peso faz com que aumente a pressão intra-abdominal, forçando assim a volta do conteúdo gástrico para dentro do esôfago, além de enfraquecer a válvula da junção esofagogástrica, cuja função é justamente impedir o refluxo gástrico.

Além disso, a obesidade está habitualmente associada aos maus hábitos alimentares, que também pioram o refluxo. Por isso, na maioria das vezes, a doença é satisfatoriamente controlada em conjunto com uma reorientação alimentar, perda de peso e atividades físicas, além dos medicamentos indicados, de acordo com o especialista em cirurgia e endoscopia bariátrica e gastroenterologia, Henrique Eloy. “Acredito que uma alimentação baseada em frutas, verduras, grãos e oleaginosas, podem ajudar a amenizar e tratar a doença em seu estágio mais brando”, comenta o especialista.

Já o tratamento cirúrgico está indicado somente para os casos mais graves. Se o paciente for portador de obesidade mórbida associada, a operação bariátrica está indicada. Nesses casos deve-se optar pela técnica do by-pass gástrico para evitar a recidiva da DRGE a longo prazo. “Nesses pacientes, a gravidade do refluxo deve ser levada em consideração na escolha da técnica operatória, variando desde a cirurgia bariátrica até o by-pass gástrico”, finaliza.



Emoções podem partir o coração temporariamente

Da Redação

Que atire a primeira pedra quem nunca teve o coração partido. As lágrimas, tristeza e até mesmo a dor física fazem parte do processo de lidar com as decepções da vida, principalmente as amorosas. Mas o que muita gente não sabe é que, em certos casos, essas situações podem causar a síndrome do coração partido, também conhecida como "broken heart disease" ou cardiomiopatia de Takotsubo, que  é um problema cardíaco que pode ocorrer quando o indivíduo passa por um grande estresse emocional e provoca sintomas semelhantes aos de um infarto, como dor no peito, pressão alta, falta de ar ou cansaço.

Durante a crise os ventrículos do coração não contraem corretamente | Imagem: reprodução 
O cardiologista Diego Garcia comenta esta situação. "Separações, desastres, perda de algum ente querido, exposição à violência ou acidentes são alguns dos gatilhos para a síndrome. Estas situações podem provocar um aumento da produção de hormônios e neurotransmissores no organismo devido ao estresse sofrido, levando a uma ação direta no miocárdio e na microvasculatura cardíaca. Isso provoca uma alteração na conformidade e contratilidade do músculo do coração bem característica, chamada de Takotsubo (instrumento de pesca de polvo japonês). O coração nessas ocasiões se assemelha ao formato deste instrumento de pesca", explica.

Relatada pela primeira vez por médicos japoneses, no início dos anos 1990, esta síndrome não é considerada uma doença psicológica, pois situações não relacionadas com a mente também são estímulo para provocar a doença como outras doenças graves ou quadros clínicos críticos. Estudos hemodinâmicos comprovam que durante a crise os ventrículos do coração não contraem corretamente.

"A descarga adrenérgica em situações de estresse é muito grande, o que pode afetar temporariamente a musculatura do coração", esclarece Garcia.

O cardiologista ainda explica que a síndrome é rara e possui um menor risco de mortalidade, quando comparado ao infarto. "Na Síndrome do Coração Partido, as coronárias não têm obstrução, o coração diminui a sua função, mas volta ao normal em semanas ou meses. Já em um infarto as artérias coronárias se encontram obstruídas totalmente ou parcialmente e parte do coração não volta a funcionar posteriormente", esclarece.

Por não ser muito conhecida, ainda existem muitas dúvidas que cercam essa alteração cardíaca. Um estudo de 2011, realizado por pesquisadores da Universidade do Arkansas, nos Estados Unidos, a partir do banco de dados de cerca de mil hospitais americanos, apontou que mulheres com menos de 55 anos são cerca de nove vezes mais propensas a sofrer com a síndrome em relação aos homens dessa idade. As causas exatas para isso ainda não foram esclarecidas, novos estudos são necessários.

O cardiologista comenta que cerca de 1/3 dos pacientes com a síndrome não apresentam nenhum fator gatilho identificável.



Sesc Ipiranga recebe exposição "Rigor e Caos - Antônio Abujamra"

Da Redação 

A partir do dia 28 de novembro, o Sesc Ipiranga recebe a exposição Rigor e Caos - Antônio Abujamra, que percorre a trajetória profissional do diretor, ator e apresentador de televisão Antônio Abujamra. A exposição traz extenso material audiovisual, com cerca de 220 fotos, vídeos e projeções dispostas em cinco salas, nas quais o espectador pode imergir na obra do premiado artista paulista.

Com curadoria da diretora, produtora e roteirista Marcia Abujamra, a mostra é pautada por diferentes núcleos: linha do tempo; uma sala com cerca de 220 fotos de mais de 80 espetáculos teatrais; uma sala com um vídeo de cenas da atuação de Abujamra em cinema e televisão, e outro com cenas de programas de televisão dirigidos por ele; uma sala dedicada ao Provocações, com vídeos de alguns dos melhores momentos do programa e um espaço que traz projeções de cenas de espetáculos de teatro em que o múltiplo artista atuou e/ou dirigiu.

Foto: João Caldas
No galpão de entrada, o público pode se debruçar sobre uma linha do tempo, que expõe a obra do diretor ao longo de um período de 60 anos, de 1955 a 2015. Em múltiplos painéis, são expostas imagens de programas de peças emblemáticas dirigidas por ele, como Roda Cor de Roda, O Rei Devasso, Hamleto, O Inspetor Geral, Exorbitâncias e O Casamento. Há, ainda, textos em painéis escritos pelo diretor Antunes Filho, o crítico de teatro Alberto Guzik, a pesquisadora e teórica Maria Tereza Vargas, a atriz e diretora Paula Sandroni e Hugo Barreto, secretário geral da Fundação Roberto Marinho.

A exposição oferece especial imersão no teatro de Abujamra, arte à qual dedicou mais de 50 anos de sua vida, com mais de 120 peças dirigidas, tendo o arquivo pessoal de Abujamra como sua principal fonte.

A vida é sua, estrague-a como quiser

A frase da dramaturga inglesa Shelagh Delaney é uma dentre muitas que o diretor incorporou ao seu vocabulário. Algumas delas, como Sem crueldade não há humor, de sua autoria, estão dispostas no piso e em painéis luminosos no espaço expositivo. Outra frase que reflete muito sua personalidade, era Viajar, não importa para onde. No final dos anos 1950, Abu, como era chamado, passou dois anos na Europa. Em Barcelona, conheceu João Cabral de Melo Neto, poeta que teve papel decisivo em suas escolhas como diretor. Fez estágio com os diretores franceses Jean Vilar e Roger Planchon, e no Berliner Ensemble, para se aprofundar na obra de Bertolt Brecht.

Provocações

Duas salas da exposição trazem instalações imersivas para que o público usufrua alguns dos melhores momentos de Provocações, um dos programas de maior sucesso da TV Cultura, que estreou em 2000. A mostra exibe trechos de entrevistas com artistas, políticos, filósofos, cientistas, historiadores, além de cenas do quadro Vozes da Rua. Abujamra sempre encerrava o programa declamando poesias, textos e perguntava aos convidados: “O que é a vida?”. Alguns dos nomes de personalidades que podem ser assistidos nos vídeos são Clodovil, Maureen Bisilliat, Aziz Ab’Saber, Rita Cadillac e Tatiana Belinky.

Cenografia

Para traduzir o universo múltiplo e aparentemente contraditório de Abujamra, o cenógrafo André Cortez criou o espaço que associa o rigor da geometria ao caos. Imagens fragmentadas, multitelas que permitem a projeção simultânea de diferentes cenas, além uma sala “caixa-preta” para os vídeos de teatro.

Biografia 

Antônio Abujamra nasceu em Ourinhos, interior de São Paulo, em 1932. Foi um dos primeiros a introduzir os princípios e métodos teatrais de Bertolt Brecht, Roger Planchon e outros mestres da contemporaneidade em palcos brasileiros. Participa da revolução cênica efetivada nos anos 1960 e 1970, caracterizando seu trabalho pela ousadia, inventividade e espírito provocativo.

Formado em filosofia e jornalismo pela PUC-RS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre, no ano de 1957. Inicia-se como crítico teatral e, paralelamente, faz suas primeiras incursões como ator e diretor no Teatro Universitário, entre 1955 e 1958. Em 1963, associa-se a Antônio Ghigonetto e Emilio Di Biasi e funda o Grupo Decisão, com a intenção de disseminar o teatro político com base na técnica brechtiana. Em 1964, o grupo monta O Inoportuno, de Harold Pinter, seu primeiro sucesso, e transfere-se para o Rio de Janeiro, onde a peça chama a atenção, abrindo portas para seus realizadores.

Já no Rio, Abujamra dirige O Berço do Herói, de Dias Gomes, em 1965, espetáculo interditado pela censura no dia do ensaio geral. Nos anos seguintes, dedica-se ao Teatro Livre, empresa de Nicette Bruno e Paulo Goulart, realizando montagens ambiciosas como As Criadas, de Jean Genet, em 1968. Nos anos 1980, Abujamra se engaja no projeto de recuperar artisticamente o TBC – Teatro Brasileiro de Comédia. Inaugura novas salas cria um movimento que faz surgir novos autores e diretores. Entre os espetáculos mais importantes no TBC estão Morte Acidental de um Anarquista, de Dario Fo, em 1982; A Serpente, de Nelson Rodrigues, em 1984; e um de seus maiores sucessos Um Orgasmo Adulto Escapa do Zoológico, de Dario Fo, em 1984, que traz um solo virtuosístico que projeta a atriz Denise Stoklos para uma carreira internacional, tendo sido aplaudido em diversos festivais no Brasil e no mundo.

Aos 55 anos, inicia sua carreira de ator. Em dois anos, atua em duas telenovelas e três peças e é premiado por sua atuação no monólogo O Contrabaixo, de Patrick Suskind, em 1987. Em 1989, ganha o troféu APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), como melhor ator de TV, pelo icônico papel Ravengar, na novela Que Rei Sou Eu?. Em 1991, recebe o Prêmio Molière pela direção de Um Certo Hamlet, espetáculo de estreia da companhia Os Fodidos Privilegiados, fundada por Abujamra para ocupar o Teatro Dulcina, no Rio de Janeiro.

À frente de Os Fodidos Privilegiados, Abujamra dirige regularmente espetáculos na década de 1990, dividindo mais tarde essa tarefa com João Fonseca. Com o grupo, ganha o Prêmio Shell de melhor direção de 1998, numa adaptação do romance O Casamento, de Nelson Rodrigues. Abujamra trabalha também, ativamente, como diretor e ator de televisão, em novelas, especiais, programas educativos e teleteatros, e em 2000 inicia o Provocações, programa de entrevistas na TV Cultura.

Antônio Abujamra prezava o talento e o preparo técnico de seus atores e atrizes e nunca deixou de exigir precisão em suas criações. Ao mesmo tempo, instaurava um caos criativo que permitia que o ator se colocasse individual e pessoalmente nos espetáculos. Rigor e Caos, dois traços que incorporaram seus trabalhos e traduziram sua essência.



Após 50 anos de sua primeira montagem, Roda Viva terá nova temporada

Da Redação

Criado coletivamente por quase 2000 artistas, o Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona completa 60 anos em 2018. Resistente, segue apostando na paixão popular que sagrou as encenações de Roda Viva (Chico Buarque, 1968) e O Rei da Vela (Oswald de Andrade, 1967) em novas montagens que contam com realização do Sesc São Paulo e Itaú Cultural / Auditório Ibirapuera - Oscar Niemeyer.

Chico Buarque durante ensaio da primeira montagem do Roda Viva | Foto: Divulgação 

Após curtíssima temporada no Sesc Pompeia (6 a 9 de dezembro), Roda Viva estreia no Teat(r)o Oficina em 23 de dezembro, às 14h30, no âmbito da celebração dos 31 anos da Ethernidade de Luís Antônio Martinez Correa – rito anual realizado pela companhia há mais de duas décadas, em exaltação à vida e à memória do diretor de teatro, dramaturgo, tradutor, ator, professor e irmão de José Celso Martinez Correa, assassinado no Rio de Janeiro em 1987, vítima de um crime de homofobia – e permanece em cartaz até 10 de fevereiro, com seções de sexta a domingo, incluindo datas especiais, como Natal, virada de ano e aniversário da cidade de São Paulo.

O Rei da Vela, peça escrita em 1933 – período de ascensão do fascismo, do nazismo e do stalinismo –, foi publicada em 1937 e encenada pela primeira vez em 1967. Em um movimento inédito de artistas que não haviam se encontrado anteriormente, a encenação foi responsável pelo impulso descolonizador da tropicália antropófaga, anunciando o transe da terra em 1968, ano em que fez nascer o coro de teatro ainda desconhecido: o Coro de Roda Viva.

Chico Buarque de Holanda escreveu Roda Viva depois de assistir ao espetáculo O Rei da Vela. A peça de 1967, que revolucionou a encenação teatral no país, é considerada pela crítica como a primeira encenação essencialmente brasileira, pois acrescentou em sua montagem elementos antiliterários da cultura nacional: circo, revista, literatura surreal, carnaval; a chanchada, a anarquia, o deboche.

Roda Viva é compreendida como uma resposta, ou uma proposta alternativa de continuidade para a peça de Oswald de Andrade encenada por Zé Celso, que foi quem o jovem Chico Buarque, com 24 anos, convidou para encenar seu primeiro texto teatral, junto ao cenógrafo e figurinista Flávio Império.

E foi no final de 1967 e início de 1968 que o Coro de Roda Viva transformou radicalmente o Teat(r)o Oficina. A multidão que tomou o espaço do protagonismo era uma geração que trazia em si o anseio por todas as revoluções.

Inaugurou-se ali a linguagem coral no teatro brasileiro, um retorno aos ritos, aos dityrambos gregos, à prélógica indígena, da descolonização e radicalização do fazer teatral em plena ditadura militar no Brasil, em pleno nascimento da Tropicália, movimento cultural antropófago.

Se em 1968 o coro de Roda Viva quebrou a quarta parede entre palco e plateia, misturando e modificando o moderno teatro brasileiro e, consequentemente, o teatro contemporâneo, hoje, 50 anos depois, a bola do coro de 68 foi recebida pelo coro de 2018, com a incumbência de quebrar todas as paredes, em escala urbana. A religação do povo com a cultura e da cultura com o povo.

"Stamos inspirados pra contracenar com estes tempos.


Anarcos coroados, bárbaros tecnizados contracenado com a democracia da oposição y o estranho estado frankstein sendo fabricado pela situação, além do além, isto é, aqui agora. Vivemos a emoção de criar teatro pra todos humanos. A luta da arte ao vivo q é o teatro, é a mesma de todxs q querem viver a vida ao vivo; em liberdade; sem a captura pela máquina de matrix implantada pelo modus vivendi do capitali$mo robótico; sem perestroika empresalista". Zé Celso.


sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Campanha “Alimente Esse Sonho” supera expectativas de arrecadação

Da Redação

A 7ª edição da campanha Alimente esse Sonho, apadrinhada pelo cantor Péricles, durou 15 dias e arrecadou um montante maior do que nos últimos anos. O sonho, considerado um dos carro-chefe da Padaria Brasileira, foi mais uma vez o escolhido para ter parte da verba revertida em doação para a APAE Santo André. A matriz recebeu, dia 16 de outubro, o artista e as crianças da entidade para marcar o início da 7ª edição da campanha Alimente esse Sonho que ficou até dia 30 de outubro no ar.

Campanha foi apadrinhada pelo cantor Péricles | Foto: divulgação 
O diretor da Padaria Brasileira, Antonio Henrique Afonso Junior, comenta o resultado da ação. “Mobilizamos toda a região e lançamos um novo sabor que fez bastante sucesso. Entre a compra de pacotes de sonhos e venda de vouchers superamos todas as expectativas", afirma.

Ao comprar o pacote com 10 unidades no sabor de creme, doce de leite ou brigadeiro de leite, o valor de 3,00 reais era automaticamente revertido para a entidade. Também foi possível contribuir comprando vouchers para retirar o pacote depois ou doando pelo site www.benfeitoria.com.

Já os vouchers comprados e não retirados foram revertidos integralmente para a instituição, assim como o valor doado por meio do site.“O valor líquido doado foi de R$ 47.038", conta o diretor.

O "sonho" foi escolhido, desde a primeira edição da campanha, por ser um dos itens mais comercializados em toda a rede. Em 2017, foram mais de 116 mil sonhos vendidos.

A instituição, sem fins lucrativos, há 54 anos presta assistência nas áreas de educação, saúde e assistência social aos portadores de deficiência intelectual e múltipla, assim como a seus familiares e tutores, buscando promover amparo e inclusão.


quinta-feira, 22 de novembro de 2018

Abertura da exposição "Do verbo se fez Arte" ocorre nesta sexta-feira (23)

Da Redação

A exposição Do verbo se fez Arte do artista Dener de Sousa homenageia escritores, poetas e compositores que o influenciaram no decorrer da sua formação como ser humano. A abertura da mostra ocorre nesta sexta-feira (23), às 19h, na Biblioteca Municipal Edson Bueno de Camargo no CEU das Artes, em Mauá.

Mostra fica em cartaz até 20 de dezembro | Imagem: divulgação 
Para elaborar as obras, Souza usa como suporte páginas de livros e encartes de discos dos personagens retratados na exposição. Além de fazer uma junção entre as artes visuais e a literatura, todas as obras farão uma interação com as mídias digitais, por meio de um "QR code", no qual o visitante com o próprio smartphone poderá acessar uma página na internet e obter conteúdo extra sobre o personagem retratado na mostra.

A Biblioteca Municipal Edson Bueno de Camargo no CEU das Artes fica na
Rua América do Norte, 17, Parque das Américas, em Mauá. A exposição fica em cartaz até 20 de dezembro. Para mais informações ligue: 4578-3717.


Cirurgião plástico fala sobre os modelos de próteses de silicone para os seios

Da Redação 

O Brasil é o 2º colocado quando se fala em cirurgia plástica.  Por isso, é super comum hoje em dia, mulheres de diversas faixas etárias aderirem, por exemplo, à plástica nos seios. Para quem pretende colocar silicone, vale lembrar que há diversas modelos e próteses. De acordo com o cirurgião plástico Marco Cassol, a escolha do tamanho e do formato da prótese mamária deve ser definida pelo cirurgião plástico em conjunto com a paciente.

A prótese redonda é um dos formatos mais pedidos entre as pacientes, por marcar bastante o colo | Foto: Getty Images

O médico é capaz de avaliar o biotipo da paciente, tendência à flacidez e expectativa, levando em conta a altura da prótese (que é a projeção para frente) e sua largura (diâmetro).

Prótese cônica ou silicone perfil super alto
Seu volume está concentrado no centro da prótese, por isso os seios ficam mais projetados para frente. É considerado um formato de colo médio, então dá resultado um pouco mais discreto. A paciente também pode optar pela prótese de silicone cônica para conseguir seios mais projetados, sem precisar colocar grandes volumes. É recomendada para quem tem o tórax estreito e os seios pequenos, já que a base do busto não é alargada e a projeção para frente é bem evidente.

Prótese redonda ou silicone perfil alto
É um dos formatos mais pedidos entre as pacientes por marcar bastante o colo. Indicado para quem possui o tórax proporcional e já tem naturalmente um volume considerável nas mamas.

Perfil baixo e moderado Possui maior diâmetro e menor projeção. Ou seja, base mais larga e altura mais baixa. Um tipo de silicone que é pouco utilizado, pois não projeta a mama para a frente e o colo fica apagado, onde é indicado para quem possui o tórax mais largo e não quer que o seio fique em evidência.

Prótese anatômica ou silicone formato gota
Esse modelo possui a maior parte do volume de silicone concentrado na parte de baixo, proporcionando o aumento da mama, mas sem perder o contorno natural. Portanto, deixa a mama sem nenhuma projeção, o colo fica pouco marcado e a parte de baixo dos seios fica com maior volume, deixando o resultado mais natural. Pouco usado na estética, é utilizado basicamente em cirurgias para reconstrução da mama em mulheres que tiveram câncer de mama.

Segundo o especialista, há três tipos de superfícies que podem ser utilizadas na aplicação da cirurgia: lisa, revestida de poliuretano e texturizada. A lisa é a menos utilizada, pois há maior possibilidade de ocorrência de contratura capsular (endurecimento da cápsula de revestimento que o corpo forma naturalmente em torno da prótese). Devido à maior dificuldade da aplicação do silicone e até na retirada, onde há incisões maiores na pele, a superfície de poliuretano também está deixando de ser utilizada. A texturizada ainda hoje é a melhor opção e mais recomendada, pois há pouca chance de ocorrer contratura capsular.


Feira de adoção de animais ocorre em Santo André

Da Redação

Neste sábado (24), a partir das 9h, a  Equipe Singulariana de Proteção aos Animais (ESPA) e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Santo André promoverão a tradicional Feira de Adoção Animal, no estacionamento da instituição jurídica (Avenida Portugal, 233 – Centro). O evento é aberto para toda comunidade e a entrada é gratuita, mas quem quiser colaborar com a causa, poderá doar um quilo de ração animal para os protetores cadastrados.

Feira será na Avenida Portugal, 233, Centro, em Santo André | Foto: divulgação 
Ao adotar um pet, os candidatos recebem informações sobre guarda responsável e orientações jurídicas. Interessados na adoção devem apresentar documentos pessoais, comprovante de residência, ser maior de 18 anos e ter a concordância da família.

A Feira é apenas uma das ações promovidas pela ESPA, devido ao grave problema social de abandono dos animais nas ruas. O projeto também faz parte da grade curricular do Colégio Singular e, ao longo do ano, promove periodicamente campanhas de arrecadação de ração e de dinheiro, por meio de venda de camisetas ligadas à causa animal, para promover a castração e vacinação dos animais abandonados.


Campanha “Dezembro Laranja” alerta para a prevenção ao câncer de pele

Da Redação

A 20ª edição da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer, organizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD),  começa em dezembro.  Este ano, a campanha Dezembro Laranja dá continuidade ao tema “Se exponha, mas não se queime”, um trocadilho entre a exposição solar e a exposição nas redes sociais. Segundo a última estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca) – 2016/2017 - a doença acometerá mais homens (85.170 mil) do que mulheres (80.410 mil) nos próximos anos.

Em 1º de dezembro, haverá mutirões de atendimento com dermatologistas em diversos locais | Imagem: divulgação  
Outro dado aponta da pesquisa aponta que os números de novas ocorrências de câncer da pele não melanoma diminuiu em 10 mil casos de um biênio para o outro. Além disso, vale lembrar que o câncer da pele acomete, de acordo Inca, 30% de todos os tumores malignos do Brasil e que a estimativa de câncer da pele não melanoma é de 165.580 mil novos casos.

A primeira ação que assume maior relevância na campanha Dezembro Laranja ocorrerá em 1º de dezembro, quando cerca de 4  mil médicos dermatologistas e voluntários somarão forças para a prestação de atendimento e esclarecimento gratuito, quanto à importância de adotar medidas preventivas. O mutirão já beneficiou mais de 594 mil brasileiros e a previsão é que 30 mil pessoas sejam atendidas este ano.  Para conferir os locais de atendimento, clique aqui.



quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Obstetra fala sobre o tempo adequado para nova gestação, após aborto espontâneo

Da Redação

A gestação gera muitas expectativas e quando, por algum motivo, não evoluiu como desejado e a mulher sofre um aborto espontâneo, mesmo que em fase inicial, ocasiona muito sofrimento, angústia e insegurança.  Mas, passado o processo de luto, a vontade de ser mãe geralmente prevalece. O obstetra Alberto Guimarães - idealizador do Parto Sem Medo -  esclarece que o prazo adequado para tentar engravidar, depende de quando e em quais situações ocorreram o aborto.

Antes de tentar uma nova gravidez, a mulher deve passar por uma avaliação médica | Foto: divulgação 
O aborto espontâneo ocorre mais frequentemente no primeiro trimestre da gestação, até 12 semanas, na maioria das vezes em função de alteração no próprio embrião, neste caso a mulher não precisa passar por nenhuma investigação ou tratamento médico, antes de tentar uma nova gravidez.

Quando o aborto é tardio (a partir da 20ª semana) é importante saber os motivos que fizeram a gestante perder o bebê.  “Em geral, tem a ver com o colo do útero. O médico deve investigar as características do colo uterino.  No caso de colo curto existe grande possibilidade de intervenção, um reforço para que a mulher consiga levar a gestação o mais próximo possível do termo. Portanto frente a uma mulher que tem história de aborto tardio, está indicado esta investigação para que não ocorra um desfecho desfavorável novamente e ainda mais precoce que o anterior”.

O médico comenta que “a recuperação física da mulher (após um aborto espontâneo) demora apenas alguns dias, aproximadamente de quatro a seis semanas, ela estará em boas condições clínicas novamente”, mas este prazo não vale nos abortos provocados, sobretudo na população mais carente do Brasil, onde se observa verdadeiras catástrofes e não raramente a morte da mulher, ressalta Guimarães.

Para que a mulher volte a tentar uma nova gravidez é preciso observar se o aborto foi precoce, se passou por uma curetagem ou se o próprio organismo eliminou por completo o saco gestacional e os restos ovulares. Desse modo, ela não precisa esperar muito tempo para engravidar, já que praticamente não houve crescimento uterino. Em alguns casos é indicado a ingestão do ácido fólico.

Já nos casos que a mulher sofreu um aborto tardio, após a eliminação do feto, é interessante que ela passe por uma avaliação médica, antes de tentar uma nova gravidez. “Convém esperar de dois a três meses para que o útero volte ao seu tamanho normal e se conclua a avaliação do útero", finaliza Guimarães.


Crianças pequenas são as mais afetadas por queimaduras químicas nos olhos

Da Redação

Crianças de um a dois anos estão em maior risco de queimar os olhos com produtos químicos, apesar de existir a crença de que os adultos em idade laboral eram os mais expostos a esse tipo de lesão ocular grave, segundo a última pesquisa  da JAMA Ophthalmology de saúde pública.

As lesões nos olhos das crianças podem ser evitadas, se os produtos de limpeza forem armazenados adequadamente | Foto: reprodução 

O oftalmologista Virgílio Centurion, diretor do Instituto de Moléstias Oculares (IMO) comenta o estudo.  “As descobertas, divulgadas no JAMA Ophthalmology, destacam a necessidade de educar o público sobre o que parece ser evitável e potencialmente causador de lesões permanentes. As fábricas e empresas onde os produtos químicos perigosos estão em uso possuem precauções contra incidentes, como óculos de segurança e tratamentos, como estações de lavagem de olhos. Acredita-se que este estudo seja o primeiro a salientar que as crianças estão realmente em risco”.

Segundo os autores do estudo, essas lesões em crianças são terríveis e podem ser evitadas, pois ocorrem principalmente por causa de produtos de limpeza domésticos armazenados incorretamente.

“As queimaduras químicas dos olhos estão entre as lesões oculares mais críticas e graves porque continuam a queimar o olho, após o contato e podem danificar as estruturas internas de forma irreparável’”, ressalta o oftalmologista.
Acredita-se que o estudo seja o primeiro a usar uma amostra nacional em todas as faixas etárias. Para a pesquisa, os autores analisaram quatro anos de dados das amostras do Departamento de Emergência Nacional, que inclui informações de cerca de 30 milhões de visitas anuais de emergência de mais de 900 hospitais nos Estados Unidos.  Entre 2010 e 2013, houve mais de 144 mil consultas de emergência relacionadas a queimaduras oculares químicas em todo o país. As lesões mais comumente ocorriam em casa, eram mais comuns entre aqueles na metade inferior da escala de renda e eram mais propensas de ocorrer no Sul.

“As lesões eram mais comuns entre as crianças de um e dois anos. Crianças de um ano são duas vezes mais propensas a sofrerem queimaduras oculares do que as crianças de dois  anos. As lesões em jovens caem substancialmente depois que as crianças têm idade suficiente para entender os perigos; com um ano de idade são 13 vezes mais prováveis de queimar os olhos do que aos sete anos de idade”, diz o médico.
Os autores defendem que a chave para reduzir essas lesões é manter produtos de limpeza doméstica e outros produtos químicos - principalmente produtos em garrafas de pulverização - fora do alcance de crianças pequenas.

Os tipos mais comuns de lesões em crianças pequenas são causadas por agentes alcalinos - comumente encontrados em produtos de limpeza - e não de ácidos, como bateria e ácidos sulfúricos. Os agentes alcalinos tendem a causar mais danos, porque as queimaduras continuam causando lesões por mais tempo nos olhos. Se alguém tiver contato com esses produtos químicos nos olhos  deve imediatamente lavá-los com água, algo que pode ser feito jogando a água da torneira sobre os olhos por muitos minutos”, destaca Lucca.

Enquanto as crianças de um ano e dois têm as maiores taxas de queimaduras oculares químicas por ano, individualmente, as pessoas em idade laboral ainda estão em alto risco. Os jovens de 20-29 anos têm as taxas mais altas, seguidas dos de 30-39 anos, 40-49 anos e 0-9 anos de idade. Isso mostra que ainda há margem para melhorias nos locais de trabalho.

As queimaduras oculares químicas são um problema considerável nos Estados Unidos. A pesquisa mostra que as estratégias de prevenção específicas para cada idade precisam ser postas em prática para manter as pessoas seguras contra lesões devastadoras.


Professor Luciano Salamacha fala sobre vaidade

Redação A palavra vaidade originária do latim significa oco, vazio. No dicionário quer dizer valorização que se atribui a própria aparênci...