sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Saúde psicológica no período pré-vestibular

*Milene Rosenthal 

Decidir o futuro ao final do ensino médio não é uma tarefa fácil! Além da junção de sentimentos com o fim de uma fase geralmente marcada por boas lembranças e o início das responsabilidades da vida adulta, ainda os jovens precisam escolher a profissão que seguirão ao longo da vida. Além da escolha do curso, a preparação para o vestibular gera ainda mais ansiedade e dúvidas.

"Cuidar da saúde física e mental no período de estudos é essencial para conseguir lidar com possíveis problemas psicológicos, durante essa fase tão importante na vida", afirma a co-fundadora da T'elavita, Milene Rosenhtal | Imagem: reprodução

Durante os meses pré-vestibular, é preciso cuidado com a saúde física para aguentar a maratona de estudos e provas, além da atenção com o lado emocional do vestibulando. Afinal, a cobrança vem de todos os lados: interna, de familiares ou até de pessoas próximas. Tamanha ebulição gera a pressão psicológica que afeta diretamente o cotidiano de quem está passando por isso.

Segundo um estudo realizado com vestibulandos pela Scientific Electronic Library Online (SciELO), portal de revistas brasileiras que organiza e publica textos completos de revistas na internet, comprova que, ao menos 90% dos participantes alteram seus hábitos de vida no período de provas. Com isso, é preciso entender como a pressão psicológica influencia essas pessoas e qual a melhor alternativa para resolver a questão.

Uma das principais mudanças deste período está no afastamento social e na mudança de humor, além do surgimento de sintomas como estresse e ansiedade, que podem evoluir para confusão mental, tremores e taquicardia, que são prognósticos claros de pressão psicológica. Nesses casos, o acompanhamento por um profissional pode ser uma ferramenta fundamental para a melhora do indivíduo e, consequentemente, em um desempenho mais satisfatório nos exames.

Por meio de um tratamento psicológico adequado, o aluno poderá se sentir mais calmo, aprender como lidar com os sintomas físicos, entender a pressão vinda dos pais e dele próprio, além de desabafar em momentos de desespero. A ideia é que os jovens encontrem no profissional uma válvula de escape para o momento vivido.

A terapia, então, é um espaço seguro para que as pessoas possam trabalhar seu equilíbrio emocional, desenvolver exercícios para melhorar a autoestima e evitar que a ansiedade e o estresse atrapalhem os estudos.

Durante as sessões, orientações para lidar com as possíveis vitórias ou frustrações não só na vida estudantil, podem ser discutidas sem tabus, possibilitando assim que o espaço seja utilizado para tratar de situações ou conflitos ao seu redor.

Portanto, cuidar da saúde física e mental no período de estudos é essencial para conseguir lidar com possíveis problemas psicológicos durante essa fase tão importante na vida. Por isso, tenha um psicólogo como seu braço direito para enfrentar esse período e alcançar o sucesso. Bons estudos!

*Milene Rosenhtal é co-fundadora da T'elavita , marketplace de saúde que conecta profissionais da psicologia a pacientes e psicóloga especializada em Terapia Cognitiva com certificações em Cybercounsellor pela Universidade de Toronto.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Aumenta a procura por cirurgias plásticas entre idosos

Redação O novo censo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) acaba de ser divulgado. Uma das maiores surpresas foi o aumento d...