quinta-feira, 6 de junho de 2019

Compartilhar escova de dente pode comprometer a saúde bucal

Em nosso convívio diário é muito natural, com um gesto de carinho emprestamos um sapato, uma roupa, ou outro objeto pessoal. Agora a escova de dente não deve ser emprestada, pois a função da escova é remover a placa bacteriana da boca, e quando você empresta sua escova de dente para outra pessoa, está promovendo uma infecção cruzada, portando uma bactéria de uma para a outra, segundo a cirurgiã dentista Daniela Yano.

Adultos e crianças não podem nunca compartilhar a escova, porque a bactéria que vive na boca de um adulto é muito diferente da bactéria que vive na boca de uma criança | Foto: reprodução

Por exemplo, uma pessoa pode ter uma gengivite, ou periodontite, então há crescimento de determinadas bactérias que se transportada para outra boca e encontra um meio legal, para desenvolver e crescer lá também.

Segundo Daniela, quando realmente não tem outra opção e precisa escovar os dentes, essa escova precisa ser bem higienizada, de preferência com água quente, ou com o uso de algum anti séptico bucal indicado apenas para adultos.

Compartilhar a escova entre adultos faz menos mal do que em crianças. Porém, adultos e crianças não podem nunca compartilhar a escova, porque a bactéria que vive na boca de um adulto é muito diferente da bactéria que vive na boca de uma criança. "Então se por carinho, pensar em usar sua escova no seu filho, você está levando bactéria da fase adulta para a fase infantil, isso pode prejudicar a boca do seu filho", explica a dentista.

É importante saber que para não formar cárie, a desorganização da placa bacteriana já é suficiente, e quando escovamos desorganizamos ela, então na falta de uma escova de dente na mão, pode ser utilizado uma gaze ou uma fralda de pano enrolada no dedo, com creme dental ou um anti séptico bucal para desorganizar essa placa, mas a dentista alerta que esse processo não deve ser feito todos os dias, apenas em situações que não há outra opção para fazer a higiene bucal diária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Brasileiras ainda vivem na bolha

*Por Priscila Queiroz Relatórios apontam que as mulheres já são responsáveis por 57% dos novos negócios criados no Brasil desde 2016. A...