segunda-feira, 15 de abril de 2019

Especialista orienta como manter as cordas vocais saudáveis

Redação

O Dia Mundial da Voz, comemorado em 16 de abril, alerta a sociedade sobre os cuidados de preservação da voz e sua importância, uma vez que alguns sinais, muitas vezes ignorados, podem indicar problemas como tumores, pólipos, edema de Reinke, cistos, nódulos, entre outros. A otorrinolaringologista do Serviço Social da Construção (Seconci-SP), Adriana Albarello, dá dicas de como cuidar das cordas vocais.

Fumar é prejudicial também à saúde vocal, segundo a otorrinolaringologista Adriana Albarello

Localizadas no interior da laringe, as cordas vocais permitem a produção da voz quando falamos ou cantamos, e, como qualquer outro músculo, pode perder elasticidade e vigor com o passar dos anos. Segunda a especialista, o ar dos pulmões é inspirado, passa pelas cordas vocais, em seguida, começa a ser modulado pela língua, dentes e boca, e por fim, emite a voz falada ou cantada. Esta última acontece quando a vibração é mais intensa e requer maior esforço.

"As pregas vocais são músculos que devem ser preservados, por isso os cuidados se tornam uma questão de condicionamento físico. Sintomas como disfonia, pigarro, tosse constantes e refluxo merecem atenção e até mesmo uma investigação médica", explica Adriana.

A disfonia, conhecida também como rouquidão, é a alteração das cordas vocais que causa dificuldades na transmissão de sons. O repouso vocal e a hidratação melhoram os casos de rouquidão. Alimentação equilibrada, qualidade do sono, respiração correta, evitar competição com ruídos externos mantendo o nível da voz e bom senso com o ar condicionado são alguns outros cuidados para evitar problemas nessa região. "A maçã, por exemplo, é uma fruta que age como um adstringente das pregas vocais, por isso insira esse alimento no dia a dia pode ser uma boa e saudável alternativa", reforça a otorrinolaringologista.

Já no caso de edema de Reinke, o principal agente causador é o cigarro, um grande inimigo da saúde vocal, que causa inchaço nas cordas vocais. "Faz parte do tratamento evitar cigarro, narguilé e alimentos ácidos. Fumar traz graves consequências nestes quadros, especialmente, no edema de Reinke que pode se tornar cirúrgico e necessitar de fonoaudiologia. Os cistos e os pólipos, geralmente, precisam de procedimentos cirúrgicos como forma de tratamento", explica Adriana.

De modo geral, outros fatores podem agravar ou ocasionar doenças nas cordas vocais, como o uso de qualquer tipo de droga, principalmente, aquelas que inalam ar quente, falar durante a prática de atividades físicas e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas.

"Os sprays e pastilhas anestésicas podem mascarar problemas, por isso, no caso de sintomas persistentes, busque orientação médica. Os refrigerantes, leite e derivados, alimentos quentes ou frios demais pioram os sintomas de refluxo que reverberam nas cordas vocais", completa a especialista.

Para o diagnóstico, indica-se a realização do exame de nasofibrolaringoscopia que investiga as vias respiratórias até o início da traqueia e cordas vocais, para detectar lesões. Se houver, necessidade, a biopsia identifica tumores malignos ou benignos. Vale ressaltar que o nasofibrolaringoscopia pode ser realizado no Seconci-SP após uma consulta com um especialista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nutricionista fala sobre a importância da vitamina C e alerta sobre a suplementação

Redação Muitas pessoas consomem a vitamina C na prevenção de gripes e resfriados. Mas segundo a nutricionista Juliana Vieira, estudos comp...