terça-feira, 9 de abril de 2019

Livro aborda a difícil experiência de ser menina no Brasil

Da Redação

O Pior dia de todos (selo Tordesilhas) é um romance terno e perturbador, uma ficção criada a partir de um dia trágico, que realmente aconteceu – o massacre de Realengo, como ficou conhecido o atentado a uma escola do subúrbio do Rio de Janeiro, no qual um ex-aluno matou 12 estudantes, a maioria meninas, em abril de 2011. Não é um livro sobre o massacre, mas sobre a amizade. Escrito pela jornalista Daniela Kopsch, que cobriu o episódio, a obra não é sobre aquelas mortes, mas aquelas vidas.

Livro é inspirado no massacre de Realengo | Imagem: divulgação 
Malu e Natália, as duas primas que protagonizam a história, revelam o que é ser menina nesse País, alimentando grandes esperanças quando é sempre iminente o risco de se perder tudo. Com estrutura aparentemente simples, a obra apresenta um mundo difuso de preconceitos, desejos e limitações de forma crua e clara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Cineastas filmam longa-metragem no ABC

Redação Este ano, ocorre a produção do filme “Sete Cidades e uma Vila Inglesa”, longa-metragem produzido pela Cumamuê Cinema, de São Paulo...