quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Nutrólogo lista alimentos que ajudam no combate à depressão

Redação

A depressão é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o "mal do século". A doença - que atinge pessoas de qualquer idade, sexo ou classe social - apresenta sintomas como, por exemplo, tristeza profunda, desânimo, baixa autoestima e perda do prazer. A ajuda está no tratamento médico e psicológico, além de uma boa alimentação, segundo o nutrólogo Alexander Gomes de Azevedo.

A banana é fonte de carboidratos, que estimulam a produção de serotonina, ela contém vitamina B6, importante na condução dos impulsos nervosos e na prevenção da ansiedade e irritação | Foto: reprodução

Para ajudar quem passa por este problema, ou deseja preveni-lo, ele listou os principais alimentos que ativam os neurotransmissores da felicidade, responsáveis pelo bom humor e sensação de bem-estar:

Proteínas: Alimentos como carnes, ovos e leites (e derivados) possuem grandes quantidades de triptofano, um aminoácido que atua na formação da serotonina.

Aveia: É fonte de triptofano, contém selênio que é considerado um mineral que colabora para a produção de energia. Os carboidratos também presentes no alimento elevam os níveis de insulina e facilitam a absorção de triptofano.

Banana: Fonte de carboidratos que estimulam a produção de serotonina, ela contém vitamina B6, importante na condução dos impulsos nervosos e na prevenção da ansiedade e irritação.

Oleaginosas: Alimentos como nozes, castanhas e amêndoas são fontes dos minerais magnésio, cobre e selênio, que reduzem o estresse e melhoram a memória.

Pimenta:  A capsaicina é o princípio ativo da pimenta que causa a ardência. Ela estimula o cérebro a produzir mais endorfina, hormônio responsável pela sensação de euforia e redução do estresse.

Chocolate: É um dos produtos que tem o poder de causar sensação de prazer. Isso acontece porque a versão amarga (que possui pelo menos 70% de cacau na composição) é fonte de triptofano, componente químico que estimula a serotonina, hormônio ligado à sensação de prazer e bem-estar, além de possuir teobromina, substância da família da cafeína que tem efeito estimulante.

Mel: a serotonina é produzida no intestino e o mel é um importante regenerador da microflora intestinal.

Segundo Azevedo, quem sofre de depressão é importante que evite alimentos que aumentam as oscilações de humor, como bebidas alcoólicas, fast food, refrigerantes e alimentos ricos em gorduras e açúcares, como frituras, doces e sobremesas.

"Esses alimentos provocam alterações bruscas no nível de açúcar no sangue, levando a mudanças na produção de hormônios no corpo e ao aumento do peso, fatores que aumentam as chances de ter e de piorar a depressão", explica o médico.

Dietas "zero carbo" ou com níveis muitos baixos de carboidratos também podem agravar, ou até causar quadros de depressão, de acordo com o nutrólogo.

"O carboidrato é importante na vida de qualquer indivíduo. Além de ser nossa principal fonte de energia, ajuda o cérebro a produzir uma substância chamada serotonina. A sua falta pode causar alterações de humor, chegando até a depressão. A ausência de carboidratos na dieta pode levar a uma piora no quadro de depressão", alerta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nutricionista fala sobre a importância da vitamina C e alerta sobre a suplementação

Redação Muitas pessoas consomem a vitamina C na prevenção de gripes e resfriados. Mas segundo a nutricionista Juliana Vieira, estudos comp...